Home / Plantas / Quando Cana-de-açúcar Começou a Ser Cultivada em Portugal?

Quando Cana-de-açúcar Começou a Ser Cultivada em Portugal?

A história do rum é a história da cana-de-açúcar. A história do rum nas Índias Ocidentais é a história de grandes descobertas. E por consequência, a história das grandes descobertas é a história de Portugal. De fato, foi a chance das grandes conquistas coloniais que trouxeram e espalharam cana para as Índias Ocidentais porque, originalmente, a cana vem da Ásia. Nos acompanhe nessa jornada pela cana-de-açúcar e Portugal!

A Cana-De-Açúcar

O nome original da cana é “Saccarum officinarum”. Este nome é importante porque é simplesmente a origem da palavra “Rum”. “Rum” é o diminutivo de “Saccarum officinarum” ou “rumbellion”, segundo alguns linguistas. É usado para nomear a bebida “que enlouquece”.

Sua cultura, no entanto, foi iniciada pelos índios no continente americano porque representava na época uma nova fonte de açúcar natural com mel. A cana-de-açúcar se espalhou de leste a oeste, à medida que a civilização muçulmana se expandia no Mediterrâneo e no norte da África, com a Nova Guiné como ponto de partida.

Cana-de-Açúcar
Cana-de-Açúcar

Alexander Legrand, após uma viagem à Índia, havia relatado no Ocidente a mensagem de uma planta que permitia “fazer açúcar sem abelhas”, ou seja, sem mel, sua viagem à Índia.

Os Povos Cultivaram Cana Por Dois Motivos:

– sua cultura era lucrativa porque era vendida a preço alto como fonte de açúcar alternativa ao mel.

– seu xarope, também chamado de “xarope de cana”, foi usado como um meio de preservar ervas medicinais.

No século 14, a cana-de-açúcar completou sua jornada para chegar ao outro extremo da Europa, o extremo oeste. Suas viagens e numerosas culturas, especialmente nas Ilhas Canárias, provaram que a cana-de-açúcar era cultivada em todos os solos, atingia até 5 metros de altura, preferia o clima tropical ao sol e à umidade porque armazena a água em suas hastes para gerar um alto conteúdo de “sacarose”.

Cultivo de Cana-de-Açúcar
Cultivo de Cana-de-Açúcar

Então é em 1493, quando Cristóvão Colombo leva a cana de açúcar para sua segunda viagem no “Novo Mundo” para finalmente cultivá-la na ilha Hispaniola (atualmente Santo Domingo e Haiti), depois no Caribe e, finalmente, nas Pequenas Antilhas, à medida que os espanhóis se expandem nessa área geográfica.

No entanto, são os portugueses que desenvolveram cana-de-açúcar no continente sul-americano. Em 1625, o Brasil se tornou o maior produtor e exportador de cana-de-açúcar. 

Nas Índias Ocidentais, existem vários tipos de cana de açúcar: a cana clássica, a cana azul usada em particular pela destilaria Clément na Martinica e a de Marie Galante (dependência do arquipélago de Guadalupe) reconhecida por sua excelência. A cana-de-açúcar é certamente uma das plantas mais antigas cultivadas na superfície da Terra desde que sua descoberta remonta a 9000 anos atrás. Seria então nativo da Nova Guiné (norte da Austrália) e das ilhas vizinhas. Inicialmente na história, as pessoas mastigavam cana crua para extrair o suco. Cerca de dois milênios depois, a cana-de-açúcar foi introduzida na Índia, Filipinas e China. Na Índia, a cana-de-açúcar era considerada uma planta de origem divina. Eles foram os primeiros a inventar técnicas para extrair açúcar da cana. Eles chamaram essa substância de “sarkara”.

Tempos Antigos

Cultivo de Cana-de-Açúcar no Passado
Cultivo de Cana-de-Açúcar no Passado

Nos tempos antigos, a Europa não conhecia o açúcar. Até os ricos não conheciam os doces. Até o século XIII, a iguaria mais deliciosa consistia em frutas cristalizadas com mel e compotas feitas com mel. Como resultado, um grande número de enxames de abelhas foi criado para atender aos requisitos de adoçante. No Extremo Oriente, por outro lado, e especialmente na Índia, o açúcar já era bem conhecido. Mas esse açúcar nos pareceria hoje muito medíocre. De fato, uma cor marrom escura, pouco refinada, pesada e cheia de impurezas, ele tinha um gosto particular e muito curioso.

A primeira evidência escrita da existência de cana-de-açúcar remonta a Alexandre, o Grande, ou seja, cerca de 327 aC. Naquela época, um de seus generais havia deixado um testemunho sobre a cana-de-açúcar: “uma cana na Índia que produz mel sem a ajuda de abelhas e da qual é produzida uma bebida intoxicante, embora nenhuma semente, nem frutas são usadas. Então eles trouxeram de volta para o Ocidente. Se algum comércio começar, a safra de cana ainda não cruza as fronteiras da Índia.

O açúcar foi importado no Oriente Médio através de várias conquistas e desenvolvimento do comércio, e depois na Europa. Os cruzados foram os primeiros europeus a trazer açúcar de volta à Europa. Muitos transportes de açúcar vieram da Arábia ou da Ásia Menor para Jerusalém, onde os Cavaleiros Templários haviam erguido um reino cristão. Eles enviaram essa novidade requintada a seus amigos e parentes que moram na Europa. Apesar de seu gosto estranho, nos alegramos com essa aquisição do Oriente como um presente extremamente raro e precioso.

Alexandria e a Cana

Alexandria
Alexandria

Assim, Alexandria se tornou o principal porto do comércio de açúcar. Os camelos o levaram para a costa egípcia, onde foram apoiados pela frota mercante de Veneza, que gradualmente se concedeu o monopólio comercial desse ouro marrom, e confiaram em Bruges e Antuérpia para transmiti-lo ao Norte da Europa. Logo, refinarias foram fundadas em Veneza e outras cidades na Itália. 

Essa massa marrom foi fervida em grandes bacias de cobre e, após centrifugação, foi obtido um açúcar cristalizado muito mais claro e mais puro; mas estávamos longe de atingir o grau de filtragem a que estamos acostumados atualmente.O sucesso insolente de Veneza rapidamente tornou invejoso. Muitos países investiram nesse comércio.

O açúcar refinado foi chamado de “açúcar branco” e considerado um medicamento. Apenas as farmácias podiam vender, mas muito poucas. Tudo foi pesado em balanças de precisão. Ainda demorou muito tempo para que o açúcar deixasse as farmácias dos supermercados. Isso foi feito apenas com a chegada de Napoleão.

Açúcar Refinado União
Açúcar Refinado União

O açúcar logo se tornou a primeira edição do comércio internacional, o que poderia explicar a forte demanda pela produção de cana. Essa cultura foi exercida por ricos plantadores. De fato, o material era muito caro e essa cultura exigia muita atenção e cuidado, além de uma grande força de trabalho para trabalhar no crescente número de plantações. No entanto, a força de trabalho ameríndia é inadequada. Os europeus, portanto, buscarão a força de trabalho indispensável em suas outras colônias: na África. O comércio de açúcar levará, portanto, ao nascimento do tráfico de escravos. A solução para esse problema foi o estabelecimento do comércio triangular, um passo terrível, mas importante na história do açúcar.

O termo “comércio triangular” refere-se ao comércio entre Europa, África e América. Foi criado para garantir a distribuição de escravos negros nas colônias do Novo Mundo. É também chamado de Tratado Atlântico ou Ocidental e esse sistema durou quase quatro séculos (do décimo quinto ao décimo nono) .

Um mercado desenvolvido com um princípio simples: um navio não podia sair vazio de um porto, tinha sempre que ter mercadorias dentro. A Europa rapidamente se tornou o centro desse comércio, porque os produtos crus da América tiveram que ser refinados nas indústrias florescentes da Europa, onde a Revolução Industrial estava no auge.

Veja também

Como se Faz Mastruz com Leite ?

A medicina natural está cada vez mais presente em nosso dia-a-dia. Neste cenário, nomes famosos …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *