Home / Plantas / Quais Vegetais Podem ser Híbridos? Exemplos de Plantas

Quais Vegetais Podem ser Híbridos? Exemplos de Plantas

Você já ouviu falar dos chamados vegetais híbridos? Pois bem, são produtos que vêm chamando muito a atenção, tanto dos consumidores, quanto dos biólogos, mostrando que esse pode ser um passo interessante para a evolução da nossa alimentação num futuro próximo.

Quer saber mais a respeito? Acompanhe a leitura.

Mas, Afinal, O que São Vegetais Híbridos?

A palavra híbrido, em si, já denota aquele organismo vivo (seja animal ou vegetal) que é resultado do cruzamento de outros organismos, havendo, assim, a reprodução de espécies, raças e subespécies diferentes.

Na maior parte dos casos, os híbridos nascem estéreis. Na verdade, a utilidade deles é que sempre serão organismos que foram gerados para serem mais fortes, produtivos, ou simplesmente mais adequados para uma exploração específica.

Muita gente, inclusive, pode se confundir, achando que os híbridos podem ser a mesma coisa que transgênicos, e não é. Todo e qualquer transgênico é um organismo que foi geneticamente modificado, não tendo nada a ver com o cruzamento de seres diferentes. Porém, explicaremos melhor essa questão.

Vegetais Híbridos e Vegetais Geneticamente Modificados: Diferenças

Vegetais híbridos são, em essência, espécies de plantas com parentescos próximos, mas que, no entanto, são diferentes. Já aqueles que são geneticamente modificados são plantas modificadas por cientistas a um nível microscópico, mexendo nas sequências genéticas dos organismos. Digamos que, neste caso, a mudança é mais “profunda”, indo até a “raiz”.

Ou seja, a diferença entre ambos os processos está no DNA. A questão é que existem controvérsias de opinião pública, pois, enquanto o hibridismo é um processo natural que ocorre na natureza desde sempre, os processos de modificação genética geram desconfiança, o que é até natural, pois, como se trata de uma tecnologia nova, está sujeita a falhas que podem comprometer a saúde das pessoas gravemente.

Como diversos países desenvolvidos vêm proibindo sistematicamente a produção de alimentos geneticamente modificados, isto prova que cientistas ainda precisam estudar bem mais os efeitos desse processo, para, assim como o hibridismo, não termos receio de colocar em nossas refeições um alimento com DNA modificado.

Qual a Importância do Hibridismo na Natureza?

O hibridismo no meio ambiente é um dos processos evolutivos mais marcantes em plantas superiores. São muitas as espécies que surgiram através disso. Em termos de híbridos produzidos, estes estão sendo bastante usados na agricultura e na jardinagem atualmente. São feitos a partir da polinização cruzada e controlada de linhagens específicas de plantas, visando o que chamamos de heterose (processo através do qual uma função é melhorada ou aumentada).

É justamente através da heterose que temos as principais vantagens do hibridismo, propiciando tanto aos produtores, quanto aos consumidores, benefícios claros. Entre esses benefícios, estão o aumento da produtividade, uma maior uniformidade, melhor padronização e qualidade dos frutos. Isso sem contar que esses híbridos são, geralmente, mais resistentes a pragas e doenças. Isso faz com que exijam menos água, fertilizantes e até mão de obra.

No entanto, existe um “porém”: esse processo obriga os produtores a comprar novas sementes a cada safra. Até porque não é aconselhável guardar parte da colheita para usar como semente em safras futuras. No entanto, até mesmo esse problema é compensado pela grande produtividade que o processo traz consigo.

De que Forma São Produzidos os Vegetais Híbridos?

A criação de organismos híbridos é um processo controlado, onde as duas “plantas-mães”, digamos assim, possuem características distintas, com cada um delas produzindo a mesma descendência, quando estiverem isoladas. Ou seja, as sementes geradas a partir do hibridismo de dois organismos darão produtos com as melhores características de cada vegetal original.

No entanto, o que ainda não se conseguiu foi passar essas mesmas características superiores para descendentes. As sementes geradas através de organismos híbridos, portanto, terão qualidade inferior, já que elas seguirão apenas uma das “plantas-mães” para fazer os próximos cruzamentos.

Exemplos de Vegetais Híbridos

Atemoia – esse híbrido é resultado do cruzamento de uma pinha com uma cherimóia, e é comumente confundido com a fruta do conde. Seus benefícios nutricionais são muitos, como ter em sua composição o potássio, mineral responsável pelo controle da pressão arterial, por exemplo.

Atemoia
Atemoia

Toranja ou grapefrui – sendo resultado do hibridismo do pomelo com a laranja, esse híbrido, fisicamente, fica bem parecido com esta última, porém, possuindo uma polpa de coloração avermelhada. Trata-se de uma fruta com bastante agentes antioxidantes, sendo excelente para combater gripes e resfriados.

Toranja
Toranja

Tayberry – híbrido da amora com a framboesa, essa fruta aqui é bastante cítrica, carregando os principais nutrientes das chamadas frutas vermelhas. Uma fonte riquíssima em vitamina C, protegendo o sistema imunológico, e diminuindo sinais de envelhecimento.

Tayberry
Tayberry

Tangelo – aqui temos o cruzamento da toranja com a tangerina, onde a sua maior característica é a presença marcante da vitamina C.

Tangelo
Tangelo

Ortanique – híbrido da laranja doce com a tangerina, essa fruta possui uma casca bastante resistente, garantindo, assim, a permanência dos principais nutrientes de cada uma das frutas que a originaram. E, claro, por ser uma fruta cíclica, o seu maior nutriente é a vitamina C.

Ortanique
Ortanique

Peacharine – esse híbrido é a junção do pêssego com a nectarina, possuindo uma cor mais escura por fora, e clara por dentro, além de possuir poucas fibras. Já, o sabor é uma mistura de ambas as frutas (como se fosse um mix, mesmo), sendo, portanto, muito doce.

Peacharine
Peacharine

Pluot ou aprium – aqui temos um híbrido, cujo nome foi derivado da união dos termos em inglês “plant” e “apricot”. É, basicamente, a mistura de damasco com ameixa. Trata-se de um híbrido desenvolvido por Floyd Zaiger, pelo especialista em genética, recentemente. Fisicamente, parece uma ameixa, porém, o seu interior é aromático e bem doce.

Pluot
Pluot

Limequat – esse daqui é o cruzamento de um limão com uma kumquat ou mesmo com uma laranja da china. Trata-se de um fruto pequeno, redondo, e de coloração amarelo e verde quando está maduro. Inclusive, o fruto pode ser consumido com casca e tudo.

Limequat
Limequat

Oroblanco – trata-se de um híbrido cítrico incolor. Ele é proveniente do cruzamento de duas espécies de toranja. Foi um híbrido criado por pesquisadores da Universidade da Califórnia, em 1958. Atualmente, é cultivado em Israel e na Califórnia.

Oroblanco
Oroblanco

Pomelit – híbrido desenvolvido em Israel, o pomelit tem a capacidade de evitar problemas, especialmente, cardíacos.

Pomelit
Pomelit

Veja também

Arroz Branco na Tigela

Arroz Branco Tem Açúcar? Quais os Seus Nutrientes?

O arroz é um grão rico em amido usado como ingrediente básico por mais da …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *