Home / Plantas / Produção de Cravo da Índia no Brasil

Produção de Cravo da Índia no Brasil

Especiarias sempre foram algo muito valorizado por nós humanos desde a Antiguidade. Um dos grandes motivos da chegada dos portugueses ao Brasil foi por estarem em busca de especiarias e metais preciosos. Elas sempre tiveram um bom preço no mercado e bastante consumo interno e externo.

Atualmente, os preços de especiarias são mais acessíveis do que antigamente, porém, ainda guardam um simbolismo gigantesco. Cada país, e cada região tem suas próprias especiarias, e existem aquelas que são conhecidas e utilizadas mundialmente. Estas, costumam ser mais antigas no conhecimento humano.

Uma dessas especiarias muitíssimo conhecida, é o cravo da índia. Nós utilizamos aqui no Brasil há muito tempo, e ela também é valorizada em diversos outros países do mundo. Na Índia, e em outros países próximos, é considerado algo que não dá para viver sem. No post de hoje, iremos explicar um pouco mais sobre esse cravo, e também mostrar como é a produção dele no Brasil.

Cravo da Índia

O cravo da Índia, ou somente cravinho, como é muito chamado em Portugal, é nativa da Indonésia, mas hoje em dia já é possível encontra-las em diversos outros lugares do mundo. Seu nome científico é Syzygium aromaticum. Você provavelmente a conhece pelo seu uso na culinária, especialmente em pratos doces.

O botão da flor, quando está seco, é utilizado como especiaria e também como medicamento. Isso acontece desde a antiguidade, e era extremamente valorizado durante o século 16. Na China, quando um Imperador precisava falar com alguém, ele mastigava cravos para tirar o mau hálito. O óleo dela também é muito utilizado, especialmente na área da odontologia, já que ele possui propriedades antissépticas.

Hoje, é muito comum utilizarmos o cravo em doces, pois ele dá um gosto especial. Entretanto, antigamente, o principal motivo era para impedir as formigas, já que trabalhava como se fosse um repelente. Ainda é muito comum as pessoas colocarem cravo no meio de potes de açúcar, mesmo sem saber o motivo exato.

Outra forma de consumo do cravo da Índia, é através dos cigarros aromatizados. Eles são muito populares especialmente na Indonésia. Por isso, é comum muitas pessoas dizerem que o país inteiro cheira cravo. Os chineses utilizam também o óleo de cravo para tratar náuseas e outros problemas digestivos.

Também ajuda na hora de emagrecer, pois reduz o colesterol ruim. Ajuda também no controle da tireoide, importante para emagrecer e manter-se saudável. Misturado com o gengibre em algum chá ou outra receita dentro de uma dieta, é a dupla perfeita para ajudar durante todo o processo de emagrecimento.

Entretanto, é recomendado que mulheres gestantes e crianças menores de seis anos não consumam essa especiaria. Isso porque ela pode causar irritações na mucosa gástrica e também na pele. Já deu para perceber o quanto que essa especiaria tem poder, não é mesmo?

Produção de Cravo da Índia no Brasil

A introdução do cravo na América do Sul foi bem tardiamente, mas desde então, tem crescido de forma gradual. A produção por ano atinge cerca de 6.000 toneladas, e é cultivada especialmente no estado da Bahia. São mais de 4.000 km², em uma região conhecida por Costa do Dendê, que fica a apenas 150 quilômetros de Salvador.

Para criação dessa especiaria, é necessário um lugar com clima bem úmido e quente, o que deixa essa área perfeita para seu cultivo. Diferente do que se espera, ela na verdade faz parte de um cultivo familiar, que de acordo com pesquisas, engloba cerca de 50.000 pessoas. São 30 grandes cultivadoras, e muitas pequenas e médias, entretanto, somente uma exportadora trabalha com isso, que é a Vitaspice.

A colheita começa em outubro, e dura até o fim de fevereiro mais ou menos. Não é completamente homogênea em todas as regiões, variando de região para região, e também da questão do próprio profissionalismo dos cultivadores. Uma árvore de cravo da índia pode chegar a medir mais de 20 metros de altura, e os cravos ficam na periferia da copa. Isso pode colocar alguns agricultores em perigo, pois precisam se aventurar no topo das árvores.

Um porém quanto ao cultivo, é que demanda uma certa paciência e espera. Somente após 10 anos do plantio que o cultivador começa a produzir economicamente, pois é quando garante o ponto de maturação da árvore. O cravo deve ser colhido antes de a flor abrir, pois garante um peso e qualidade maior e melhor.

Após a colheita, o processo não para. Os cravos são então colocados no sol, para secarem, ou em alguma estufa artesanal. Lá eles ficam por mais ou menos 2 dias, e então é limpa e depois comercializada. Enquanto que a Indonésia é em disparada o primeiro produtor mundial da especiaria, o Brasil está logo atrás em segundo lugar. Seguido então pela Tanzânia e Sri Lanka.

Os preços do cravinho durante a década de 90 foram muitíssimos baixos. Em 2001 e 2002 houve um pico em que os preços subiram de forma abrupta e se mantiveram apenas por esses dois anos. Em 2003 os preços voltaram a abaixar, igual estava durante a época dos anos 90. Mas então nos anos seguintes foram aumentando de forma lenta e razoável, mantendo-se estável até então.

Esperamos que o post tenha te ajudado a entender um pouco mais sobre o cravo da índia e sua produção aqui no Brasil. Não esqueça de deixar seu comentário nos contando o que achou e de deixar suas dúvidas. Ficaremos felizes em ajuda-los. Você pode ler mais sobre o cravo da índia e outros assuntos de biologia aqui no site!

Veja também

Arroz Branco na Tigela

Arroz Branco Tem Açúcar? Quais os Seus Nutrientes?

O arroz é um grão rico em amido usado como ingrediente básico por mais da …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *