Home / Plantas / Por que As Briófitas Vivem Em Lugares Úmidos?

Por que As Briófitas Vivem Em Lugares Úmidos?

Briófitas! Quem não conhece o musgo, o espesso tapete verde que cresce na superfície, visto principalmente nos gramados? Certamente você já teve essa oportunidade, mesmo que agora não se lembre!

Bem, essas estruturas semelhantes a plantas são os briófitos. Para conhecer o reino das plantas, entre em seus jardins e comece a observar! Há muito mais para descobrir e aprender pode ter certeza disso!

Mas para poder se inteirar realmente sobre esse tema, é importante entender de fato do que se tratam essas “tais briófitas”, concorda?

E esse conteúdo poderá lhe ajudar potencialmente nessa empreitada! Entenda melhor o que elas são e por que elas tendem a preferir os ambientes mais úmidos!

Briófitas Verdes
Briófitas Verdes

O Que São Briófitas?

As briófitas nada mais são do plantas que crescem em locais úmidos e com maior incidência de sombra de uma maneira geral.

Algo único nessas plantas é que elas podem sobreviver nas rochas e no solo. Eles desempenham um papel importante na sucessão de plantas em rochas, inclusive!

Eles mostram alternância de gerações e têm um apelido exclusivo, sendo até mesmo chamadas de anfíbios do reino vegetal. Embora cresçam em um ambiente terrestre, eles dependem da água para o processo de reprodução.

E sim, quanto mais umidade, melhor! Elas dependem desse fator para poder se desenvolver e, acima de tudo, sobreviver!

Recursos Exclusivos Das Briófitas

Embora não sejam tão complexas quanto as outras plantas, as briófitas vivem em locais úmidos e sombreados. Mas elas também podem ser encontrados em florestas áridas, florestas tropicais, além dos habitats alpinos.

Elas são amplamente distribuídas em todo o mundo, sendo que podemos vê-las crescendo em superfícies variadas, como rochas, solo, troncos de árvores, ossos, madeira podre, e muito mais!

Diferença Entre Musgos, Hepáticas e Pteridófitas
Diferença Entre Musgos, Hepáticas e Pteridófitas

A organização do tecido também não é complexa. Porém, elas podem apresentar uma boa quantidade de diversidades de uma maneira geral, o que pode acarretar algumas dúvidas comuns!

Algumas briófitas podem ter um milímetro de comprimento. Elas contêm também altas quantidades de clorofila e podem sintetizar alimentos através do processo de fotossíntese.

Já o corpo da planta é ligeiramente diferenciado, apesar de não terem raízes, caules e folhas verdadeiras. Elas geralmente têm algo semelhante às raízes chamadas rizoides. O corpo principal das briófitas é mais parecido com o tálus e haplóide.

Ciclo De Vida

As briófitas são plantas produtoras de esporos que não possuem tecido vascular. Elas se reproduzem através de gametas e, portanto, ganharam o nome gametophytes.

Os órgãos sexuais das briófitas são multicelulares. Anthredium é o órgão sexual masculino, enquanto o órgão sexual feminino é chamado arquegonium.

O arqueônio é um órgão em forma de balão e produz um único ovo. O antrédio produz antherozoides, que possuem dois flagelos.

Quando os antherozoides são liberados na água e quando entram em contato com o arqueônio, ocorre uma fusão dos gametas e um zigoto é produzido.

O zigoto permanece no arqueônio por algum tempo e em seguida, sofre muitas divisões celulares de natureza mitótica, produzindo um esporófito embrionário. Esse embrião em crescimento é coberto por uma estrutura protetora, chamada caliptra.

O esporófito é dependente do gametófito para os nutrientes e o gametóforo para água e minerais. As células dos esporófitos sofrem meiose e produzem esporos haplóides. Quando germinam, produzem o gametófito.

Classificação Das Briófitas

As briófitas são classificadas em duas divisões principais, sendo elas:

  • Hepáticas – Exemplo – Marchantia

  • Musgos – Exemplo – Sphagnum

A Inquestionável Importância Das Briófitas!

Como as briófitas podem sobreviver em rochas nuas, elas podem iniciar a formação do solo em qualquer terreno árido.

Além disso, elas são capazes de manter a umidade do solo e também ajudar na reciclagem dos nutrientes da vegetação da floresta.

Além disso, existem algumas briófitas extremamente importantes, como o musgo de turfa.

Ele é usado na horticultura e também como combustível, principalmente por conta de sua capacidade de reter água. E justamente por conta disso, elas podem ser usadas ​​como material de embalagem para o transporte de material vivo.

Forma E Função

A forma gametófita mostra vários estágios de desenvolvimento: o esporo, o protonema e o gametóforo, que produz os órgãos sexuais.

Os esporos dos briófitos são geralmente pequenos, de 5 a 20 micrômetros, em média, e geralmente unicelulares, embora alguns sejam esporádicos e muito maiores. Os esporos têm clorofila quando liberados do esporângio e eles são geralmente hemisféricos e a superfície é frequentemente elaborada.

Briofitas Verdes
Briofitas Verdes

O protonema, que cresce diretamente do esporo em germinação, é na maioria dos musgos um sistema extenso e ramificado de filamentos multicelulares que são ricos em clorofila.

Esse estágio inicia o acúmulo de hormônios que influenciam o crescimento adicional das células recém-formadas. Quando concentrações específicas dos hormônios são atingidas, os ramos do protonema geram brotos pequenos, que por sua vez produzem o gametóforo folhoso.

Na maioria das pélulas hepáticas e corníferas, o protonema é geralmente limitado a um filamento curto e não ramificado que inicia rapidamente uma massa celular tridimensional, a esporulação.

Nos gametóforos de musgo, os filídeos são dispostos em espiral no caule em mais de três fileiras. Os filídeos geralmente têm ornamentação elaborada nas superfícies celulares.

Essa ornamentação é frequentemente importante na rápida captação de água. Embora o filídeo comece a crescer a partir de uma célula apical, as células logo são cortadas entre a célula apical e a base, e a divisão adicional dessas células resulta no alongamento da estrutura e também na produção de um ou mais nervos intermediários.

O gametóforo é frequentemente anexado ao substrato por rizoides semelhantes a raízes. Os rizóides são estruturalmente semelhantes às células do protonema, mas não possuem clorofila. Em alguns musgos, os rizoides investem de perto o caule entre as bases das folhas e desempenham uma função significativa na condução e retenção de água externa antes de sua absorção pelo caule e pelas folhas.

Conclusão

Diante de todos os pontos aqui abordados, fica muito claro o motivo de as briófitas dependerem de ambientes úmidos, pois é justamente isso que contribui  para seu crescimento e desenvolvimento.

Além disso, são estruturas fundamentais para o meio ambiente, contribuindo em diferentes frentes do ambiente onde crescem!

Gostou dessas informações? Então aproveite para compartilhar esse conteúdo com outras pessoas agora mesmo!

Veja também

Quais os Males que a Chia Pode Causar?

A chia (nome científico Salvia hispanica L.) é uma semente que vem se tornando bastante …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *