Home / Plantas / Pimenta de Mesa É Comestível? Ela Arde? Como Cuidar?

Pimenta de Mesa É Comestível? Ela Arde? Como Cuidar?

Pra quem gosta de pimenta, o melhor do produto tem de ser o sabor picante. Quanto mais arder, melhor. Por isso, ao escolher uma pimenta o consumidor sempre vai estar interessado em saber qual a melhor pimenta pra sua mesa e a pergunta sempre será essa como principal: “Ela arde”?

Capsicum Annuum – Cultivo e Ardor

Esta espécie é nativa mesoamericana, de onde foi domesticado há mais de 6000 anos atrás, e onde variedades silvestres ainda são cultivadas. Também considerada uma pimenta de mesa, a China é o maior produtor desta espécia, com mais de 18 milhões de toneladas de produtos frescos e mais de 400.000 toneladas secas.

Para o cultivo, é necessária uma temperatura ambiente média de 20° Celsius, sem muitas mudanças repentinas e com uma taxa de umidade que não seja muito alta. Requer muita luz, especialmente durante o primeiro período de crescimento após a germinação.

Pode ser cultivado em qualquer tipo de solo com umidade. O solo ideal é aquele que possui boa drenagem, com presença de areias e matéria orgânica. Todos esses requisitos os tornam cultivados em estufas, onde o gerenciamento das condições externas é mais controlável.

É um ingrediente tradicional das refeições de muitos países, tanto como condimento e pela sua cor na decoração dos pratos. Geralmente é adicionado a muitos pratos, torrado e depois marinado com azeite e alho. Como pimenta não oferece o sabor de ardência comumente esperado.

Além do consumidos frescos, cozido, ou como um ingrediente, especiaria ou tempero pratos caseiros, também utiliza-se em uma vasta gama de produtos industriais para consumo humano: congelados, secos, em conserva, enlatados, carne ou pasta e molhos de pimenta. Pimentas em conserva com vinagre ou em molhos mais ou menos doces. Pimenta vermelha, seca e moída, é freqüentemente chamada de colorau, páprica ou pimenta.

Capsicum Baccatum – Cultivo e Ardor

Esta é uma espécie do gênero capsicum de solanaceae, nativa do Peru, Brasil, Bolívia e Chile. Também introduzida na Costa Rica, Europa, Japão e Índia. Também considerada uma pimenta de mesa, um número diversificado de cultivares foi desenvolvido na América. É uma das cinco espécies de pimenta domesticadas. A fruta tende a ser muito picante.

As variedades de pimentas dessa planta são dos ingredientes principais da culinária peruana e boliviana. É usado como condimento, especialmente em muitos pratos e molhos. No Peru, os chilis são usados ​​principalmente frescos e na Bolívia secos e moídos. Pratos comuns com essa pimenta são o guisado peruano Chili de Galinha, Papa a la Huancaína e a Fricase Paceno boliviana, entre outros.

Na culinária equatoriana, essa pimenta junto com cebola e suco de limão (entre outros) são servidos em uma tigela separada com muitas refeições como um aditivo opcional. Na culinária colombiana, cozinha peruana e culinária equatoriana, o molho dessa pimenta também é um tempero comum. No Brasil, a pimenta calabresa é produzida a partir de uma variação desta.

Capsicum Chinense – Cultivo e Ardor

Esta também é uma das cinco espécies domesticadas de pimenta. Existem inúmeros cultivares e as pimentas mais quentes do mundo são membros dessa espécie.

Apesar de seu nome científico, esse registro taxonômico foi um equívoco. Todas as espécies de capsicum são originárias das Américas. Foi um botânico holandês que erroneamente a chamou assim em 1776, porque acreditava que elas se originaram na China devido à sua prevalência na culinária chinesa após a sua introdução por exploradores europeus.

A aparência e características das plantas podem variar muito. Variedades como o conhecido habanero crescem para formar pequenos arbustos perenes compactos com cerca de 0,5 metro de altura. As flores, como a maioria das espécies de capsicum, são pequenas e brancas com cinco pétalas.

Capsicum chinense é nativa da América Central, da região de Yucatán e das ilhas do Caribe. O termo Habanero, que significa Habana (Havana, Cuba), vem do fato de que várias pimentas desta espécie foram exportadas deste porto em sua faixa nativa.

Em climas quentes como estes, é perene e pode durar vários anos, mas em climas mais frios, capsicum chinense não costuma sobreviver ao inverno. Ele germinará prontamente da semente do ano anterior na seguinte estação de crescimento, no entanto.

Também é considerada uma pimenta de mesa e a variedade dessa espécie que existe no Brasil é conhecida como pimenta murupi, conceituada como a mais forte existente no país.

Capsicum Frutescens – Cultivo e Ardor

Todas as espécies e todos os táxons infra-específicos da capsicum frutescens são considerados meros sinónimos de capsicum annuum ou capsicum baccatum. Geralmente é bienal, embora possa sobreviver até seis anos, mas a produção de frutos diminui abruptamente com a idade e é preservada apenas pelo seu valor decorativo.

As mais amplamente cultivadas dessa espécie são a brasileira malagueta, o peri-peri da África, o Naga Jolokia e Bih Jolokia asiático e o tabasco, a partir do qual é produzido o molho de mesmo nome.

Além disso, Gusanito chile na Bolívia, Aji Chuncho no Peru, então Charapita na Amazonia peruana, Aji Chirere ou Chirel na Venezuela, Chile Dulce na Colômbia, Chile Picante ou Pecante no Brasil, Diabo Africano na África são considerados derivados da capsicum frutescen mas tem sido então demonstrado e aceito como derivados de capsicum annuum.

O uso mais freqüente dos frutos da capsicum frutescens é na preparação de curativos condimentados. Eles são consumidos moídos e secos, marinados em vinagre ou fermentados em salmoura, ou simplesmente frescos. Na selva do Peru, é preparado em molho com cocona.

Brasil Com Pimenta

No Brasil, o estado maior produtor de pimenta, com todas as suas formas e variações é Minas Gerais, com cultivos anuais muito expressivos do produto. Mas em praticamente todas as regiões do Brasil, especialmente sudeste e nordeste, os principais cultivos que poderá encontrar aqui são das seguintes variedades:

Cambuci, perfume vermelho, tabasco, dedo de moça, biquinho, jalapeño, piãozinho, bode amarela, bode siriema, cheiro do norte, cumari do pará, beni highlands, fatalii chocolate, habanero ouro, habanero martinique, habanero red dominica, habanero ugandian red, rocoto amarelo, trinidad scorpion laranja, entre outras. Todas são variações das espécies capsicum baccatum, ou annuum, ou chinense, ou frutescens.

Veja também

Como Fazer e Preparar Chá de Guabiroba de Folha

É hora do chá! Deixe a velha Camomila de lado e venha conferir uma dica …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *