Home / Plantas / Orquídeas: Morfologia, Tipos de Raízes e Importância

Orquídeas: Morfologia, Tipos de Raízes e Importância

Algumas flores, além de muito belas, e despertam a nossa vontade de tê-las enfeitando a casa, o local de trabalho, e por aí vai. Um bom exemplo disso são as orquídeas.

A seguir, vamos falar um pouco mais sobre elas, suas características, morfologia, entre outros assuntos.

De um modo geral, podemos dizer que as orquídeas são todas as flores que fazem parte de uma mesma família: a Orchidaceae.

Orquídeas: Quais as suas Características?

Da mesma forma, pertencem à ordem Asparagales, que são, sem dúvida, um dos maiores grupos de plantas existentes em nosso planeta, compreendendo, por exemplo, cebolas e aspargos.

São flores que apresentam uma variedade imensa de cores, tamanhos e formas, e o mais interessante é que elas existem em praticamente todos os continentes, com exceção da Antártida, evidentemente. A predominância maior dela se dá em áreas tropicais.

As orquídeas, por serem epífitas, crescem nas árvores para aproveitar a luz do sol que incide sobre elas. Mas, não se trata de uma planta parasita, é bom ressaltar, até mesmo porque a orquídea acaba se nutrindo apenas de material em decomposição que, eventualmente, cai da árvore.

De todas as famílias botânicas de plantas, as Orchidaceae são consideradas as maiores, possuindo uma quantidade de espécies que chega a 25 mil exemplares. Pra se ter uma ideia do tamanho disso, essa é uma quantidade de espécies quatro vezes maior do que a de mamíferos, e duas vezes maior que a de aves existentes no mundo. Isso porque se considera também a enorme quantidade de híbridos de espécies diferentes de orquídeas que foram sendo manipulados ao longo dos anos.

Divisão das Orquídeas

As Orchidaceae se dividem, basicamente, em cinco subfamílias, que são as apostasioideae, as cypripedioideae, as vanilloideae, as orchidoideae e as epidendroideae.

As apostasioideae são orquídeas com pólen pastoso e farinoso, e que geralmente não formam políneas. As folhas possuem bases abainhadas, e o labelo é similar às pétalas. Existem somente 2 gêneros e 16 espécies distintas desse tipo de orquídea localizados no sudoeste da Ásia.

As da subespécie cypripedioideae possuem praticamente as mesmas características que as apostasioideae, com a diferença no labelo delas, que, geralmente, é saquiforme. Para estas, existem 5 gêneros e 170 espécies diferentes nas regiões mais temperadas do planeta.

As orquídeas da subespécie vanilloideae também possuem as mesmas peculiaridades que as anteriores, com a diferença estando nos números: aqui, são nada menos do que 15 gêneros distintos e 250 espécies, que ficam distribuídas nas faixas tropical e subtropical da Terra, e também a leste dos EUA.

As que pertencem à subfamília orchidoideae possuem um pólen mais coeso do que as demais, o que faz com que formem polínias. Além disso, as folhas são enroladas e bem plicadas. São cerca de 208 gêneros desse tipo de orquídea e, pelo menos, 3.630 espécies. Estão localizadas no mundo inteiro, com exceção de lugares muito secos, e no Ártico e na Antártida.

E, por fim, temos a subfamília das epidendroideae, que, assim com as orchidoideae, possuem um pólen coeso que forma polínias, além de folhas enroladas e plicadas. Aqui, temos a maior quantidade de orquídeas existentes. São mais de 500 gêneros e aproximadamente 20 mil espécies, tendo alguns exemplares, inclusive, no deserto australiano, vivendo de maneira subterrânea.

Como é a Morfologia das Orquídeas?

As características das orquídeas, em geral, são bem distintas, diferenciando-se de outras plantas por um motivo bem simples: elas passaram por muitos estágios evolucionários ao longo dos anos. Com o passar do tempo, algumas características básicas ficaram em sua morfologia. Uma delas, por exemplo, é a presença de uma espécie de coluna, que nada mais é do que a fusão dos órgãos sexuais masculino e feminino.

Outra peculiaridade que acabou sendo incorporada à morfologia das orquídeas é o fato das sementes serem menores do que o normal, quase sem nutrientes. Dessa maneira, ela é formada por agrupamentos de poucas células, e que somente germinam com o auxílio de determinados fungos.

E, sem contar que as flores passaram a ter uma simetria lateral e não-radial, e que são constituídas por exatamente seis segmentos: as sépalas são os externos e as pétalas os internos. Existe ainda uma pétala que acaba sendo bastante diferenciada em termos de morfologia, chamada labelo, sendo responsável direta pela atração de agentes polinizadores.

Por crescerem indefinidamente, são plantas com duração indeterminada. Inclusive, pouco se sabe a respeito da longevidade das orquídeas.

É bom ressaltar que essas características morfológicas citadas aqui possuem muitas exceções, mas, em algum grau, todas as orquídeas compartilham, pelo menos, uma dessas peculiaridades.

Características das Raízes das Orquídeas

Em primeiro lugar: as orquídeas não possuem raízes primárias, e sim, secundárias, brotando diretamente do caule e também através de outras raízes. Com bastante frequência, servem de depósitos para nutrientes e água, e, em alguns casos, são órgãos clorofilados, realizando a fotossíntese quando as orquídeas, eventualmente, perdem suas folhas.

As espécies de orquídeas epífitas são as que apresentam as raízes mais robustas, sendo cilíndricas quando são aéreas, e aderindo ao substrato. Já, as raízes das espécies terrestres se encontram espaçadas através de tubérculos. Bom salientar que esses tubérculos se separam da planta, ocasionalmente, gerando uma nova orquídea.

No entanto, a durabilidade das raízes se dá devido a fatores ambientais, possuindo um ciclo de vida inferior, por exemplo, do que a duração dos caules.

Uso e Importância das Orquídeas

Além do uso ornamental dessas plantas, as utilidades dela são poucas, o que podemos incluir a produção de baunilha a partir dois frutos de algumas espécies, e mesmo para a área de ornamentação, apenas alguns poucos exemplares são usados como enfeites de ambientes. Até mesmo porque a maioria das orquídeas têm flores pequenas e folhas pouco atraentes.

Para serem usadas como flores de corte, as mais comuns são as provenientes de híbridos dos gêneros Phalaenopsis, Cattleya, Dendrobium, Paphiopedilum e Cymbidium.
Ainda assim, a orquídea é uma espécie de planta que desperta certo interesse em colecionadores e cuidadores de plantas em geral, que acabam se reunindo com frequência em associações orquidófilas, cujas atrações incluem palestras e exposições de orquídeas dos mais diferentes tipos.

Isso tudo sem contar que a oferta por híbridos dessa planta tem aumentado muito, o que faz com que inovadoras técnicas de semeadura sejam usadas, dando, assim, mais variedade para quem deseja ter uma planta tão bonita enfeitando seu ambiente.

Veja também

Como Fazer e Preparar Chá de Guabiroba de Folha

É hora do chá! Deixe a velha Camomila de lado e venha conferir uma dica …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *