Home / Plantas / Origem da Cebola, Suas Partes e Morfologia

Origem da Cebola, Suas Partes e Morfologia

Se tem um alimento que está muito presente na nossa culinária brasileira, é a cebola. Utilizamo-las das mais diversas formas possíveis, como tempero, molho, na salada e até em remédios caseiros. Ela já vem como parte da nossa cultura gastronômica, independente do estado.

Olhando ao redor do mundo, é utilizada em praticamente todas as culturas. Mas, você já se perguntou de onde exatamente surgiu a cebola e como ela chegou aqui no Brasil? É isso que iremos responder no post de hoje, contando um pouco mais sobre a origem da cebola e explicando melhor sobre sua morfologia e partes.

Origem da Cebola

Com o nome científico Allium cepa, a cebola é uma hortaliça, o que para muitos é uma surpresa. A origem da cebola é uma dúvida bem comum. Para alguns, ela foi primeiramente cultivada na Índia e China, e depois levada para a Pérsia. Da Pérsia se espalhou pela África e Europa.

A outra diz que ela se originou no Afeganistão, Paquistão e Irã. E tem ainda a que dizia que ela veio do antigo Egito, por volta de 2.300 antes de Cristo, pois já foi encontrado sementes em uma tumba. Ela era um ingrediente importante para a alimentação dos Assírios. No Brasil, há uma certeza. Ela foi trazida pelos colonizadores portugueses.

Chegou aqui no país pelo Rio Grande do Sul, e depois foi se espalhando. Apesar de hoje ter um valor acessível, historiadores afirmam que ela já chegou a ter um valor muito alto, e era utilizada para o pagamento de rendas durante a Europa Medieval.

O motivo de não termos exatamente essa certeza de onde e quando surgiram, é porque as cebolas não deixam praticamente nenhum rastro de seus tecidos. Há uma presunção que nós começamos a comer essas cebolas antes de aprendermos a cultiva-las, e antes mesmo da escrita. Logo, podemos dizer que é muito provável que esse alimento tenha vindo da pré-história.

Algo muito interessante é que temos diversas provas que elas eram há mais de 5 mil anos atrás utilizadas como arte, medicina e até na mumificação. No Egito, eram um objeto de adoração, que enterravam o alimento junto com os Faraós. Eles diziam que retratava a eternidade, principalmente pelo formato de círculos dentro de círculos.

O Rei Ramses IV foi enterrado com cebolas em suas órbitas oculares, além de no tórax, pernas e outros lugares. Ramses morreu em 1160 A.C. Além da questão de representar a eternidade, há dúvidas se eles sabiam do poder antisséptico das cebolas ou se o seu cheiro forte traria o morto à vida.

No Velho Testamento, em livros extremamente antigos da Índia e outros já citavam as cebolas. Antes da Idade Média, a cebola fazia parte da base alimentar das pessoas. Era utilizada para pobres e ricos e servia também como remédios. De fato, as provas mostram o quão antiga esse alimento é, e ainda há muito mais a ser descoberto. Logo, teremos uma noção maior e melhor de quando, como e onde exatamente elas foram originadas.

Partes da Cebola

Deu para perceber o quão rica é a história da cebola. Mas afinal das contas, como é realmente as partes da cebola?

Suas folhas são divididas em bainha, a parte basal e o limbo, que é a parte superior. As bainhas das folhas mais velhas, da parte exterior, costumam ser mais brilhantes e chamativas. E são elas que formam as escamas da cebola. Mais do que isso, protegem todas as bainhas internas. O bulbo é a parte que comemos, que pode ter um sabor variante entre doce, picante e meio azedo.

O caule tem um formato de disco, e fica na base do bulbo. Essa parte toda da cebola fica abaixo do solo, cerca de 40 centímetros abaixo do solo. As raízes ficam ao redor do caule no ciclo vegetativo, mas quando outras raízes começam a ser produzidas, as antigas mais próximas do centro do caule vão morrendo.

As folhas são cobertas de uma cerosa, que impede doenças. Além disso, conseguem se proteger bem contra a desidratação. Vale lembrar, que independente da parte da cebola, todas elas são utilizadas e possuem vantagens para nosso corpo. Como por exemplo, temos a mania de jogar fora a casca da cebola, sendo que ela serve como um ótimo remédio natural para tosse e dores de garganta.

Morfologia da Cebola

A morfologia da cebola pode parecer complicada, e realmente, todo o seu desenvolvimento é bem trabalhoso e complexo. A primeira coisa a entender é que a cebola é um bulbo tunicado simples. De forma mais completa, porém simplista, podemos dividir a cebola dessa forma:

  • Bulbo simples (ou seja, somente um e a parte que a gente costuma comer);
  • Catáfilo (pode ser chamado também de túnica ou escama popularmente e atua como órgão de reserva);
  • Catáfilo externo (a famosa casca, que também é uma reserva);
  • Prato (o caule);
  • E raiz.

Elas também se dividem em dois grupos: as redondas e as achatadas. E pode ser encontrada nas cores roxa, branca, amarela e vermelha. Caso encontre um defeito ou uma coloração diferente, é provavelmente porque a cebola já está estragando ou está com alguma doença. Outros defeitos também são comuns.

Esperamos que o post tenha te ajudado a entender melhor sobre a origem da cebola e suas partes e morfologia. Não esqueça de deixar seu comentário nos contando o que achou e também deixar suas dúvidas. Ficaremos felizes em ajuda-los. Leia mais sobre cebolas e outros assuntos de biologia aqui no site!

Veja também

Como Plantar, Cultivar e Fazer Muda de Pé de Ameixa em Vaso?

Será que se pode plantar o caroço que sobrou da ameixa que a pessoa comeu? …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *