Home / Plantas / O Que Fazer Quando a Haste da Orquídea Quebrou?

O Que Fazer Quando a Haste da Orquídea Quebrou?

As orquídeas são flores bem bonitas, tanto é que são usadas como ornamento em muitas ocasiões e ambientes diferentes. Mas, às vezes, pequenos incidentes podem acontecer, como, por exemplo, a haste dela quebrar. O que fazer quando isso ocorre?

A seguir, vamos dar algumas orientações sobre isso.

Recuperando a Haste Quebrada de sua Orquídea

Uma boa dica para recuperar uma haste de orquídea que esteja quebrada, mas que ainda se mantém um pouco ligada ao caule da planta, é você usar um pequeno arame ao longo da haste para servir como suporte. Inclusive, quanto mais próximo você colocar o arame da haste, mais irá conseguir uma sustentação adequada para a planta avariada.

É importante que a quebradura não esteja impedido a seiva de circular pelo caule. Isso evita que a orquídea murche, e você tenha praticamente perda total da planta. Portanto, mesmo quebrada, a haste precisa ter, pelo menos, o mínimo de filamento interligando a orquídea através do caule.

Depois, com o arame bem rente à haste, basta passa no lugar da quebradura um pedaço de fita crepe, enrolando com cuidado, como se fosse uma espécie de “curativo”, digamos assim. Para deixar a haste ainda mais firme, ao longo do caule, você pode colocar algumas pequenas presilhas para sustentar a flor, e fazer com que a seiva possa chegar a ela sem problemas.

Em alguns casos onde a haste se parte por completo, esse método pode ser feito, mas, precisa ser no mesmo instante em que o incidente aconteceu, para que o caule não tenha perdido suas propriedades nutricionais, e assim possa continuar alimentando a orquídea. Em certas ocasiões, a haste quebrada chega até mesmo a ramificar sozinha, brotando o que pode vir a ser futuras orquídeas.

Depois de fazer esse “curativo”, em geral, o caule pode voltar a ramificar cerca de três semanas após o ocorrido. Basta que você continue tratando da sua orquídea como sempre fez, seja em relação às regas, seja em relação à adubação.

Cortar ou Não Cortar a Haste?

A haste das orquídeas é um elemento fundamental para essas plantas, já que é através dela que a flor se alimenta através dos nutrientes que estão na terra ou no adubo onde estão plantadas. Mas, há momentos em que é preciso cortar as hastes, seja porque estão muito quebradas ou danificadas, seja porque a própria orquídea está com uma aparência debilitada.

Em primeiro lugar: o corte das hastes se faz necessário quando as orquídeas estão doentes, mais precisamente, desidratadas. E, isso pode ser confirmado caso as folhas das plantas estejam moles, murchas ou simplesmente com uma aparência muito ressecada.

Com a planta debilitada, ela vai gastar muito pouca energia para fazer a floração, fazendo, muitas vezes, com que os botões nem cheguem a abrir, por mais que você rege ou coloque adubo constantemente.

Já, se a sua intenção é meramente a floração, cortar a haste pode ser uma boa pedida, pois é muito comum que elas ramifiquem, brotando novas flores. O corte, neste caso, precisa ser de 2 a 4 cm acima do terceiro nó. Depois disso, a ramificação geralmente se dá ou no terceiro ou no segundo nós, e, às vezes, pode se dar em ambos. Nesse caso, no entanto, como a haste fica mais curta, não espere uma ramificação e uma floração muito grandes.

Como Fazer Um Corte Certeiro na Haste de Sua Orquídea?

Muitos podem pensar que basta pegar uma tesoura qualquer e cortar a haste de uma planta, e pronto. Questão resolvida. Porém, não é bem assim. Estamos falando, afinal, de um ser vivo, e se o corte for malfeito, corre-se o risco de matar a planta.

Para que o corte da haste de sua orquídea, por exemplo, possa surtir o efeito desejado, é necessário esterilizar a tesoura do corte. Para isso, há diversas formas eficazes. Uma delas é colocar as lâminas na chama de um fogão até que elas fiquem alaranjadas. Outra maneira bastante eficiente é deixar o objeto de molho em água sanitária, diluída em água normal por cerca de 30 minutos. Por fim, você pode deixar a tesoura de molho em álcool puro, sem diluir em nada.

Após a devida esterilização da tesoura, você vai até o terceiro nó do caule de baixo para cima (ou seja, das folhas para a ponta da haste). Depois, marque exatamente dois dedos acima desse terceiro nó, e corte com a tesoura que você acabou de esterilizar. Finalizando o processo, você irá precisar salpicar um pouco de canela em pó no corte. Isso se deve ao fato de que a canela impede que fungos e bactérias ataquem a sua planta exatamente no corte que foi feito.

Lembrando que cortar acima do terceiro nó é induzir a orquídea à floração. Inclusive, se a sua intenção for a indução ao crescimento das mudas, logo após a floração, o ideal é salpicar canela em todo o substrato.

Dicas Adicionais Para Cuidar Bem de Suas Orquídeas

As orquídeas são, ao mesmo tempo, flores muito belas, mas que requer certos cuidados. Para que elas possam sempre estar em ótimas condições de saúde, uma boa dica é preferir vasos de barro a de plástico. Tudo bem que são itens mais caros, porém, compensa: eles possuem mais porosidade e drenam melhor a água.

Outra boa dica é no que se refere à acomodação da planta no vaso. Primeiro, verifique de qual lado surgem novos brotos. Essa é a frente da orquídea, inclusive. Identificar isso é importante, pois a parte posterior é a que precisará ficar encostada em um dos lados do vaso. Assim, a orquídea se desenvolverá melhor.

Já, se surgirem manchas na folhagem de suas flores, esse problema pode ser devidamente amenizado com fumo de corda. Ferva um pouco desse fumo em água por cerca de uma hora. Quando essa mistura começar a virar uma solução mais concentrada, ela deve ser diluída em um pouco mais de água. Depois, é só borrifar nas folhas das orquídeas repetidas vezes, até que os fungos desapareçam.

E, então, gostaram das dicas? Agora, é só aplicá-las em suas flores, deixar o ambiente onde elas estejam cada vez mais bonito.

Veja também

Arroz Branco na Tigela

Arroz Branco Tem Açúcar? Quais os Seus Nutrientes?

O arroz é um grão rico em amido usado como ingrediente básico por mais da …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *