Home / Plantas / Nomes de Plantas Para Jardim Externo

Nomes de Plantas Para Jardim Externo

Fazer um jardim fora de casa pode ser trabalhoso, mas, ao mesmo tempo, também é um trabalho bem gratificante. Quando bem cuidado, e com as plantas certas, um jardim externo é motivo de orgulho para o seu dono, pode ter certeza.

No entanto, muitas pessoas não sabem que tipo de planta cultivar. Por isso, a seguir, vamos dar boas dicas de algumas delas para compor um lindo e frutífero jardim.

Prepare a pá, a terra e as sementes, e mãos à obra!

Orelha de Coelho (Nome Científico: Opuntia microdasys)

Orelha de Coelho no Vaso
Orelha de Coelho no Vaso

Também chamada de Palma-brava, a Orelha de Coelho é originária da América do Norte e do México. De aspecto mimoso, esse cacto fica muito bonito em um jardim, plantado com outras cactáceas e suculentas. O plantio dele deve ser feito com substrato leve e areia. A rega deve ser periódica, sempre com sol pleno. Só tome cuidado com os seus espinhos bastante finos, pois eles causam uma dor considerável e são difíceis de remover.

Lírio-da-Paz (Nome Científico: Spathiphyllum wallisii)

Lírio-da-Paz no Vaso Sobe a Mesa
Lírio-da-Paz no Vaso Sobe a Mesa

Conhecido como Bandeira-branca, o Lírio-da-paz tem um crescimento bem rápido no verão, fazendo um bonito volume. Em jardins, ele pode ser plantado em maciços e bordaduras protegidas por muros, árvores e outras coberturas. O cultivo de ser à meia-sombra, com substrato bem rico em termos de matéria orgânica, e tendo ainda uma boa drenagem. A adubação precisa ser anual, bem como as regas têm que ser frequentes.

Azaléia (Nome Científico: Rhododendron simsii)

Azaléia no Jardim
Azaléia no Jardim

De origem asiática (mais precisamente chinesa), as azaléias são arbustos de floração bem abundante. As cores de suas flores podem variar do branco, ao vermelho, passando pelo rosa, ou simplesmente sendo mescladas. É uma planta muito usada na técnica do bonsai. O cultivo dela deve ser em pleno sol, onde o solo precisa ser composto de terra de jardim e terra vegetal. As regas devem ser regulares, e a poda precisa ser feita com cuidado, sempre no final da floração.

Crisântemo (Nome Científico: Chrysanthemum x morifolium)

Crisântemo ou Também Conhecido como Flor de Ouro
Crisântemo ou Também Conhecido como Flor de Ouro

Essa é considerada a “rainha das flores de corte” brasileiras. Devido a seleções e melhoramentos genéticos, essa planta assumiu uma grande variedade de exemplares, podendo ter espécies meramente campestres, ou simplesmente outras com aparência mais majestosa, ótimas para jardins externos. O cultivo deve ser controlado, tanto em termos de iluminação, quanto de temperatura, a depender da espécie, com substratos e irrigações adequados às necessidades de cada uma.

Margarida (Nome Científico: Leucanthemum vulgare)

Abelha Sobe uma Margarida
Abelha Sobe uma Margarida

Muito conhecida como Bem-me-quer, a margarida possui flores pequenas, com pétalas brancas e centro amarelado. A folhagem é macia, e é um tipo de flor muito usada em jardins públicos devido à sua rusticidade. O cultivo precisa ser feito com um composto de terra para jardim e terra vegetal. As regas são regulares, sendo uma flor muito tolerante ao frio.

Agapanto (Nome Científico: Agapanthus africanus)

Agapanto Branco e Azul
Agapanto Branco e Azul

De origem africana, o Agapanto é uma planta herbácea e bastante tolerante à baixas temperaturas no inverno. Na primavera, ocorre a floração, num misto de cores que vai do lilás ao azul, dependendo da variedade. São ótimas para serem usadas como flores-de-corte, na confecção de arranjos florais. Além disso, é bem resistente a doenças, e precisa de uma manutenção mínima. Ótima para bordar a parte baixa de muros.

Dália (Nome Científico: Dahlia pinnata)

Dália
Dália

Planta herbácea, a Dália sofreu inúmeros melhoramentos com o passar dos anos devido a cruzamentos feitos com outras espécies. De folhas compostas, que podem ser verdes ou arroxeadas, a Dália produz raízes tuberosas que servem como uma fonte de reserva para o inverno. Compõe bonitos maciços e bordaduras em jardins externos, com a sua floração ocorrendo sempre durante o verão.

Copo-de-Leite (Nome Científico: Zantedeschia aethiopica)

Copo-de-Leite é uma Flor de Origem Africana
Copo-de-Leite é uma Flor de Origem Africana

De origem inteiramente africana, o Copo-de-leite tem uma folhagem brilhante, excelente para ser usada de maneira ornamental.  As suas flores, brancas, são firmes e duráveis. É uma planta que precisa ser cultivada em locais úmidos, apesar do plantio em vasos ser bem recomendado também.

Singônio (Nome Científico: Syngonium angustatum)

Singônio Enrolada em Uma Árvore
Singônio Enrolada em Uma Árvore

Essa planta possui uma folhagem muito decorativa, e que se altera de acordo com a sua maturação. Plantas jovens, por exemplo, têm folhas simples e claras, enquanto que as adultas possuem folhas subdivididas e totalmente verdes. Mesmo que a sua adaptação à meia-sombra seja muito boa, ela pode ser cultivada tranquilamente em jardins. O cultivo se dá através de um substrato que seja rico em matéria orgânica. O Singônio também gosta de umidade e regas regulares, mas não é tolerante ao frio.

Cheflera (Nome Científico: Schefflera arboricola)

Cheflera no Vaso
Cheflera no Vaso

Originária de Taiwan, esse arbusto chega facilmente ao porte de uma pequena árvore. As folhas são separadas em 8 folíolos, bem verdes e brilhantes. Sendo uma planta muito rústica, ela é ótima pra ser usada como maciços ou cerca viva. É excelente para jardins tropicais ou muito modernos, podendo ser cultivada a pleno sol ou simplesmente à meia-sombra. Deve ser cultivada em solo fértil, com adubação orgânica. As regas devem ser regulares.

Onze-Horas (Nome Científico: Portulaca grandiflora)

Onze-Horas Plantada no Jardim
Onze-Horas Plantada no Jardim

De origem latino-americana (mais precisamente, da Argentina, do Brasil e do Uruguai), a Onze-horas é uma suculenta que apresenta uma característica rara: tem ciclo de vida anual. De flores grandes e vistosas, essa planta é uma das floríferas anuais mais apreciadas no mundo devido ao seu fácil cultivo e à sua floração abundante. Em dias ensolarados, suas flores se abrem pela manhã e se fecham à tarde. Já, a floração em si ocorre nos meses mais quentes no ano.

Antúrio (Nome Científico: Anthurium andraeanum)

Antúrio Plantado no Vaso
Antúrio Plantado no Vaso

Tendo origem colombiana, o Antúrio é uma planta muito tradicional na área do paisagismo. Tanto pode ser usada em vasos para compor interiores, como também pode ser muito bem utilizada em jardins externos, seja em maciços ou bordaduras. É aquele tipo de planta que pode ser aproveitada naquela parte menos iluminada do jardim, onde, aparentemente, nenhuma planta vingaria. Deve ser cultivada à meia-sombra, com substratos que sejam ricos em matéria orgânica, como, por exemplo, fibra de coco, misturada com terra vegetal. As regas devem ser frequentes, e mesmo com esses cuidados, trata-se de uma planta rústica com pouca manutenção. O replantio é a cada 3 ou 4 anos, o que ajuda a revigorar as flores velhas.

E, então, gostaram das dicas? Esperamos que com elas o seu jardim possa ser um dos mais bonitos da região.

Veja também

Arroz Tem Glúten ou Não? É Bom Para Emagrecer?

Uma pessoa pode ter um estilo de vida sem glúten porque tem doença celíaca, alergia …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *