Home / Plantas / História da Flor Cana de Macaco e Origem da Planta

História da Flor Cana de Macaco e Origem da Planta

Cana de macaco (nome científico Costus spitacus) é uma planta medicinal pertencente à família botânica Costaceae, e que também pode ser conhecida pelos termos cana-roxa, ubacaiá, cana-do-mato, cana-de-macaco, cana-do-brejo, jacuacanga, periná, ubacaiá, periná e paco-catinga.

A porção “cana” em seu nome faz alusão à haste rígida e longa. No caso do termo “cana roxa”, a alusão é um pouco mais descritiva e específica. Em relação aos demais termos, a maioria deles é derivado do tupi.

Esta planta pode ser encontrada em apresentações comerciais em farmácias de manipulação ou lojas de produtos naturais. Entre as suas propriedades estão a ação tônica, diurética, adstringente e anti-inflamatória. Acredita-se que a maior parte da procura esteja relacionada ao alívio de problemas renais e menstruais.

Neste artigo, você conhecerá importantes características relacionadas a este vegetal, incluindo a sua história.

Então venha conosco e boa leitura.

Cana de Macaco Classificação Botânica

A classificação científica para a cana de macaco obedece à seguinte estruturação:

Reino: Plantae;

Divisão: Magnoliophyta;

Classe: Liliopsida;

Ordem: Zingiberales;

Família: Costaceae;

Gênero: Costus;

Espécie: Costus spitacus.

O gênero Costus é formado por 16 espécies e conhecido pelo crescimento em formato espiralado de suas hastes. O nome do gênero é derivado da paavra grega Kostas (ou Koost, em árabe), utilizada para se referir a uma erva indiana utilizada para fabricação de medicamentos e perfumaria.

Família Botânica Costaceae

Esta família é formada por vegetais empregados no paisagismo, comércio de flores de corte e plantas de vasos. Ao todo, são mais de 120 espécies e sete gêneros, são eles o gênero Cheilocostus, Chamaecostus, Monocostus, Dimerocostus, Paracostus, Costus e Tapeinochilos.

Esses vegetais são classificados como herbáceos, perenes, rizomatosos e com crescimento tipicamente simpodial.

As flores em si são protegidas por brácteas densas. As inflorescências são caracterizadas como cimosas e terminais.

Os frutos normalmente são do tipo cápsula, nos quais existem várias sementes com arilos. Corola e cálice são trímeros.

Em relação a fatores reprodutivos, essas plantas são classificadas como hermafroditas e a polinização realizada através de morcegos.

Cuidando da Flor Cana de Macaco
Cuidando da Flor Cana de Macaco

A família está concentrada nas Américas, porém também pode ser encontrada em zonas pontuais da Ásia, tais como na Malásia e na Índia. Uma das maiores diversidade de espécies é a encontrada na Colômbia, uma vez que o país abriga um total de 35 espécies.

Grande parte dessas espécies está ameaçada de extinção, em decorrência das práticas de desmatamento, incêndios e das mudanças climáticas. Convém lembrar também que grande parte dessas espécies desempenha grande importância ecológica para muitas aves.

Entre as espécies brasileiras em extinção estão a Costus cuspidatus, encontrada na Bahia, Espírito Santo e Rio de Janeiro (bioma Mata Atlântica); e a Costus fragilis e Costus fusiformes , ambas encontradas no estado do Pará (bioma da Floresta Amazônica).

Cana de Macaco Descrição

O vegetal é considerado herbáceo, e pode atingir até 2 metros de altura.

As folhas são invaginantes, com bainha pilosa, de coloração verde-escura (avermelhada nas margens), e de disposição alterna.

Em relação às flores, estas são de cor amarela; contudo, as brácteas são cor de carmin.

Cana de Macaco Propriedades

Algumas das indicações da cana de macaco incluem tratamento alternativo para contusões, dores musculares, infecção urinária, úlcera, dores nas costas, infecções sexualmente transmissíveis, dores reumáticas, hérnias, inchaços, inflamações na uretra, inflamações na mucosa da bexiga, DST’s (tais como a Gonorréia e as leucorréias), cálculos renais, regulação da pressão arterial, alívio de quadros mentais/ emocionais (tais como estresse, ansiedade e síndrome do pânico) e auxílio no emagrecimento. Mesmo mediante os benefícios, recomenda-se que seu uso seja orientado por um especialista.

Para o preparo do chá, podem ser utilizadas estruturas como as folhas, as hastes e até mesmo as cascas (embora estas últimas não sejam empregadas com muita frequência).

Cana de Macaco Roxa
Cana de Macaco Roxa

A indicação é utilizar 20 gramas de folhas e 20 gramas de hastes, e coloca-las em 1 litro de água fervente, deixando durante aproximadamente 10 minutos adicionais. Para obter os benefícios, o chá deve ser ingerido de 4 a 5 vezes por dia.

Gestantes e lactantes são proibidas de consumir este chá, bem como qualquer produto que possua o vegetal em sua composição. Ademais, no geral, o consumo do chá não possui efeitos colaterais, exceto se consumido em excesso, podendo resultar em danos renais.

Outro benefício, ainda não citado, mas até mesmo inusitado referente ao vegetal, é a prevenção do câncer, característica provavelmente resultante da presença de substâncias antioxidantes (responsáveis por combater os radicais livres, e, consequentemente, a formação de células doentes).

Outras modalidades de uso da planta são na forma de cataplasmas, decocção e unguento. As decocções são empregadas principalmente para tratamento alternativo de leucorréias. Cataplasmas são úteis para os casos de inchaço, contrações e herniações.

Cana de Macaco Constituintes Químicos

O vegetal contém matérias aromáticas, ácidos orgânicos, resinas, óleo essencial, ácido oxálico, saponinas, sapogeninas, sisterol, taninos, compostos albuminoides, mucilagens, pectina, Magnésio, entre outras substâncias.

História da Flor Cana de Macaco e Origem da Planta

Por mais incrível que possa parecer a espécie vegetal cana de macaco é especificamente originária do Brasil, sendo encontrada com maior frequência nas regiões brejeiras.

*

Depois de conhecer uma série de características sobre o vegetal, nossa equipe convida você a continuar conosco e visitar também outros artigos do site.

Aqui há muito material de qualidade nos campos da botânica, zoologia e ecologia; com artigos especialmente criados pela equipe de redatores.

Até as próximas leituras.

REFERÊNCIAS

MATOS, W. Dr. Saúde. Cana de Macaco- Origem, Benefícios e Como Usar! Disponível em: < https://www.saudedr.com.br/cana-de-macaco/>;

Plantamed. Costus spitacus (Jacq.) S. w. Cana de macaco. Disponível em: < http://www.plantamed.com.br/plantaservas/especies/Costus_spicatus.htm>;

Tua Saúde. Propriedades Medicinais da Cana de Macaco. Disponível em: < https://www.tuasaude.com/cana-de-macaco/>;

Wikipédia. Costaceae. Disponível em: < https://pt.wikipedia.org/wiki/Costaceae>;

Wikipédia. Costus spicatus. Disponível em: < https://pt.wikipedia.org/wiki/Costus_spicatus>.

Veja também

Como se Faz Saião com Leite? Para que Serve?

O saião (nome científico Kalanchoe brasiliensis) é uma planta medicinal que também pode ser conhecida …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *