Home / Plantas / História da Erva-Gateira, Significado, Origem da Planta e Fotos

História da Erva-Gateira, Significado, Origem da Planta e Fotos

Quem já conhece a planta certamente fica curioso para conhecer a história da erva-gateira. Também chamada de catnip, essa erva existe desde sempre. Os donos de gatos estão cientes de seu poder por causa do efeito que tem sobre seus amigos felinos. Contudo, a planta tem uma história longa e variada ao longo dos tempos.

Nepeta catataria é um membro da família das hortelãs. É uma planta perene nativa da Europa, África e Ásia. Mas nos últimos tempos, graças à sua popularidade entre humanos e felinos, a erva-gateira foi exportada para todo o mundo. Agora ela cresce praticamente em todos os lugares.

Assim, não é preciso mais procurar ao ar livre. Em vez disso, podemos comprá-la fresca ou seca, como sementes e mudas, para cultivo interno ou externo.

Então, de onde se origina o catnip? No artigo abaixo você saberá tudinho da sua origem através dos tempos.

Erva-Gateira
Erva-Gateira

A História da Erva-Gateira

A história da erva-gateira tem muitas menções ao longo da história. Acredita-se que a Nepeta catataria tenha o nome da cidade etruriana de Neptic (hoje a cidade Nepi, na província de Viterbo). Embora não exista evidência documentada, dado o amor egípcio pelos gatos, é altamente provável que eles estejam entre as primeiras pessoas a dar catnip a felinos.

Os romanos também consideravam a erva muito altamente e a usavam em suas receitas e medicamentos fitoterápicos. Nos tempos medievais, o catnip era usado para todo tipo de coisa.

Na Idade Média, Nepeta catataria era conhecida como menta. Pessoas e gatos adoravam e ela era usada em remédios e para cozinhar. Essa planta foi introduzida na América por volta do século XVIII. Os colonos levaram mudas com eles para fins medicinais e alimentares quando viajaram para o Novo Mundo. Existe uma receita documentada de 1712 que inclui o catnip na lista de ingredientes. Os nativos americanos também começaram a usar em seus remédios e receitas quando o encontraram.

Uso na Fitoterapia

A história da erva-gateira inclui seu uso fitoterápico. Esta planta útil pode ser usada para tratar uma grande variedade de diferentes doenças e queixas. Engana-se quem acha que são apenas os gatos que se beneficiam de um pouco do catnip.

Nos seres humanos e nos gatos, a ingestão da espécie pode produzir efeitos diferentes. Algumas pessoas são sedadas, enquanto outras exibem sinais de aumento da agressão.

O chá da erva era frequentemente usado como uma maneira de tornar as tarefas desagradáveis ​​ou difíceis um pouco mais fáceis. Há uma história de um carrasco que lutou com a ética de sua profissão escolhida e, para facilitar a separação de pessoas da forca, ele se automedicou com chá de erva-gateira.

Os pugilistas de uma época passada também estavam cientes dos benefícios do catnip. Alguns começaram a mastigar a planta antes de uma luta de boxe, pois acreditavam que os tornaria mais agressivos.

Assim, na história da erva-gateira, encontramos seu uso como sedativo para crianças. Também foi pensado para ser uma cura para flatulência, sarna, problemas de sono e dores de cabeça. Os nativos americanos até o usaram para aliviar os problemas menstruais femininos.

Hoje, o catnip foi amplamente substituído por produtos farmacêuticos modernos. Normalmente não é usado para tratar dores de cabeça e sarna, mas ainda é ótimo para gatos. Então, dê ao seu felino um pouco disso e observe a reação dele!

Erva-Gateira e o Gato

A história da erva-gateira é realmente interessante em se tratando dos felinos. Gatos, de nossos companheiros domésticos a leões e tigres, são primorosamente suscetíveis a um óleo volátil encontrado nas hastes e folhas da planta do catnip.

Quando os gatos cheiram a ninfa, exibem vários comportamentos comuns às fêmeas no cio. Eles podem:

  • Esfregar a cabeça e o corpo na erva;
  • Pular;
  • Rolar;
  • Vocalizar;
  • Salivar.

Essa resposta dura aproximadamente 10 minutos. Após esse tempo, o gato se torna temporariamente imune ao efeito do catnip por aproximadamente 30 minutos.

A resposta à planta é hereditária. Cerca de 70 a 80% dos gatos apresentam esse comportamento na presença da erva-gateira. Além disso, ela não afeta gatinhos novos até atingirem a maturidade sexual.

As plantas de catnip (Nepeta cataria e outras espécies de Nepeta) são membros da família das hortelãs. Portanto, contêm óleos voláteis, ácidos, esteróis e taninos. Na história da erva-gateira, acredita-se que ela seja nativa da Europa, Ásia e África, a planta foi trazida para a América do Norte pelos colonos.

Atualmente, a planta é popular em jardins de ervas e cresce amplamente como uma erva daninha. O catnip é considerado não viciante e completamente inofensivo para gatos.

Então, Como o Catnip Funciona?

A nepetalactona, um dos óleos voláteis do catnip, entra no tecido nasal do gato. É onde acredita-se que se ligue a receptores de proteínas que estimulam os neurônios sensoriais. Essas células, por sua vez, provocam uma resposta nos neurônios do bulbo olfativo. Estes se projetam em várias regiões do cérebro, incluindo:

  • A amígdala (dois grupos neuronais no mesencéfalo que mediam as respostas emocionais aos estímulos);
  • O hipotálamo (a “glândula mestra” do cérebro que desempenha um papel na regulação de tudo, desde a fome às emoções).

A amígdala integra o fluxo de informações das células e projetos do bulbo olfativo às áreas que governam as respostas comportamentais. O hipotálamo regula as respostas neuroendócrinas através da hipófise, criando uma “resposta sexual”. Ou seja, o gato reage essencialmente a um feromônio artificial.

O cérebro humano é fisiologicamente diferente do cérebro do gato e as pessoas não reagem ao catnip ficando “chapadas”. Os nativos americanos, no entanto, uma vez usaram a planta para as dores incontroláveis ​​da cólica infantil.

Também serve como sedativo suave em alguns chás de ervas. Nos círculos da medicina alternativa, o catnip é comumente recomendado pelos herbalistas para diminuir as dores de cabeça da enxaqueca e aliviar:

  • Cãibras;
  • Gases;
  • Indigestão;
  • Insônia;
  • Nervosismo;
  • Anorexia;
  • Ou como uma pasta de ervas para reduzir o inchaço associado à artrite e lesões nos tecidos moles.

Gostou de conhecer a história da erva-gateira? Que tal dar um pouco para o seu felino experimentar?

Veja também

Lobélia-Azul

Tudo Sobre a Flor Lobélia-Azul: Características e Nome Cientifico

Hoje vamos falar sobre uma planta chamada Flor Lobélia Azul bem linda, então se você …

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.