Home / Plantas / Guabiroba Vermelha: Características, Mudas, Nome Cientifico e Fotos

Guabiroba Vermelha: Características, Mudas, Nome Cientifico e Fotos

O Brasil tem uma diversidade e riqueza de plantas muito pouco estudadas e exploradas. Um bom exemplo disso são essas plantas do gênero campomanesia. Na classificação há muitas sinonímias e pouca especificidade sobre as características que distinguem as espécies.

Guabiroba Vermelha: Características, Mudas, Nome Cientifico e Fotos

A guabiroba é uma espécie bastante rústica e pouco exigente, que cresce a alturas de até 1.000 metros acima do nível do mar e exige solos úmidos e bem drenados, climas quentes e exposição ao sol ou à meia sombra. Tem folhas simples com propriedades medicinais que são usadas para combater a gripe, resfriados e similares, têm efeitos adstringentes e são usados ​​para controlar sintomas de diarreia e distúrbios do trato urinário.

Seu fruto é uma pequena baga carnuda com um aroma doce e sutil, com grande poder antioxidante, alto valor vitamínico e altos níveis de vitamina C, carotenoides, compostos fenólicos, carboidratos e fibras; É adequado para a produção de polpa congelada, geleias, doces, sorvetes, sucos e vinho, e também pode ser usado como aromatizante e condimento.

Suas flores brancas são muito populares entre as abelhas, que fazem com elas um mel muito rico e perfumado. Sua madeira, bastante dura, resistente e compacta, é utilizada na fabricação de diferentes objetos. Sua fruta de polpa e casca avermelhada dão o tom de sua riqueza. A fruta é encontrada na região serrana de Espírito Santo, mas pode ser vista também em áreas serranas do Rio Grande do Sul.

Árvore perenifólia ou semidecídua, dependendo das condições climáticas, com a copa densa e mais ou menos piramidal e o tronco reto, que pode atingir 15 a 25 m de altura no seu local de origem, geralmente oposta, folhas simples, flores solitárias, branco, em pedúnculos opostos.

Seu fruto é uma baga globosa, a princípio esverdeada, ficando amarela avermelhada na maturidade. Esta espécie bastante rústica e pouco exigente exige climas quentes e exposição ao sol ou meia sombra, com crescimento moderado. É multiplicado por sementes que germinam em 15 a 30 dias e por estacas.

Gabiroba Vermelha Características

Um botânico descreve seu nome científico como campomanesia guavirova, mas há quem conteste e a inclua como uma variedade de campomanesia adamantium.

É Tudo Guabiroba?

O fato é que toda vez que se pede uma descrição de qualquer espécie do gênero, tudo é visivelmente idêntico. As espécies todas consideradas guabirobas possuem frutos com uma doçura especial, porque um certo sabor ácido é adicionado, o que o torna muito peculiar. É quase selvagem.

Ninguém está encarregado de semear, embora nas localidades do interior, e mesmo nas cidades, apareçam nos quintais. São os pássaros que espalham suas minúsculas sementes e a espécie é perpetuada. São muito mais as crianças que buscam avidamente a guabiroba, bem como outros frutos silvestres. Quando chega a hora e elas a encontram, dá-se ali um banquete alegre.

A comercialização desses frutos é escassa, mas sempre há um ou outro que as aprecie no preparo de doces. Existem vários tipos de frutos que recebem o nome comum de guabiroba ou outros nomes, seja nas localidades brasileiras ou em diversas outras comunidades pela América do Sul.

Uma Planta Lendária

Segundo a sagrada história guarani, a guabiroba é a primeira fruta criada por Ñanderyke’y, para confortar seu irmão gêmeo que chorava incansavelmente ao desmontar o esqueleto de Ñandesy, morto pelos tigres (os Añá), quando o gêmeo mais velho estava em casa, prestes a ressuscitá-la. A criança se apressou para amamentar e espalhar os ossos novamente.

Existem como já mencionado lendas sobre a planta, geralmente destacando suas propriedades como supostamente mágicas. Dizem que seu consumo tem a propriedade de esquecer o passado. O Pajé o usou para fazer com que alguém esquecesse algum amor não correspondido ou alguma tristeza que o afligisse. Para alcançar a amnésia, as cascas da guabiroba são fervidas e a infusão deve ser tomada por qualquer pessoa que deseje esquecer algo ou alguém.

Diz a lenda que um belo espanhol foi feito prisioneiro por um grupo de guarani. Levado para Táva, ele foi mantido em uma das fazendas, amarrado a um poste. Ele ficou ferido e sob seus cuidados veio uma “kuñataí” (garota) que logo se apaixonou por esse jovem com bigode, pele branca e roupas estranhas. Nas sucessivas visitas, para curá-lo e alimentá-lo, ela usava suas melhores roupas e colava os braços com tornozeleiras coloridas para mostrar sua simpatia e atrair sua atenção.

Como o espanhol não mostrou sinais de entender suas mensagens, ao aliviar suas feridas com sucos de ervas e curativos de Ka’a, ela o acariciou várias vezes, mas também não encontrou nenhum eco em sua insinuação. Ele não entendia a paixão que estava no coração da jovem indígena. Um dia, enojado pela indiferença, mas com o fogo sob a pele, ela disse diretamente: “Rohayhú” acariciando seu rosto. O jovem prisioneiro compreendeu muito bem a situação e, em seu deplorável guarani, conseguiu fazê-la entender que estava ocupado em sua terra distante e que precisava retornar à sua amada.

Desconsolada, a jovem foi consultar o pajé da tribo. Ele aconselhou o que ela deveria fazer. No dia seguinte, a índigena entrou na cabana com o sorriso mais gentil nos lábios, ofereceu ao espanhol uma tigela de Hya (abóbora) com uma infusão de cascas de guabiroba. Ele ficou feliz acreditando que a garota tinha entendido sua situação e seus compromissos, que apenas amizade e boa atenção teriam da parte dos kuñatai.

Mas, muito em breve “o fruto do esquecimento” teve seus efeitos, e dia a dia, o afeto amigável do espanhol se transformou em uma atração amorosa. Ele havia esquecido sua terra, sua família e sua namorada. Em pouco tempo ele estava apaixonado pela jovem em ajorcas que o tratava carinhosamente. O fruto da guabiroba produziu a magia do esquecimento e o fez se apaixonar. Os espanhóis ficaram para viver entre os Guarani e a fusão de sangue e cultura ocorreu.

Propriedades Medicinais da Planta

Suas folhas têm propriedades medicinais e adstringentes, sendo usadas contra a diarréia e outros distúrbios do sistema urinário. Chá de suas raízes é muito bom para aliviar o congestionamento do fígado. As flores são muito melíferas e seus frutos, de polpa aromática e alto valor vitamínico, as crianças gostam muito e servem como alimento para o gado.

Com eles, sucos e doces são feitos localmente e também são matéria-prima na obtenção de um saboroso licor. O nome “guabiroba” tem suas raízes no tupi-guarani e significa casca amarga. Pertence a família botânica das mirtáceas. O nome da família tem sua origem no termo ‘myrtus’ que significa perfume em grego, aludindo à sua folhagem aromática.

A bibliografia multilíngue para a ciência agrícola descreve a sua fruta como a mais recomendada em casos de doenças pulmonares dadas à sua pesquisa científica no campo e sua boa taxa de êxito em testes realizados. Porém, os cientistas botânicos admitem que há muitos poucos dados disponíveis sobre as espécies e mais pesquisas precisam ser realizadas.

Veja também

Alpinia Zerumbet Óleo Essencial de Colônia: Para Que Serve?

Antes de existir a fabricação industrial de remédios em larga escala, as pessoas já possuíam …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *