Home / Plantas / Como Podar Mini Orquídea?

Como Podar Mini Orquídea?

As mini-orquídeas (uma variação mais diminuta das orquídeas padrões) precisam de tantos cuidados (ou até mais) do que as suas parentes mais próximas. Um desses cuidados é justamente em relação à sua poda.

A seguir, vamos mostrar qual o melhor jeito de fazer isso, bem como dar outras dicas valiosas.

Diferenciação Entre os Tipos

Assim como as orquídeas em tamanho “natural”, as mini-orquídeas apresentam algumas peculiaridades que é importante conhecer para cuidar melhor delas. Em primeiro lugar, tanto uma quanto outra floresce em condições de clima quente e úmido, com as raízes ficando semissecas.

No entanto, as semelhanças param por aí, já que as mini-orquídeas são um pouco mais sensíveis do que as outras, e precisam de menos rega, assim como uma fertilização menos frequente. Como se trata, inclusive, de um tipo de planta com algumas espécies ameaçadas de extinção, ao invés de tirar uma da natureza, o mais indicado e se dirigir a uma loja especializada para adquirir uma.

E, por serem plantas um tanto especiais e diferentes, precisam de alguns cuidados que também sejam diferenciados.

Ambiente e Envasamento

Ao optar por cuidar de uma mini-orquídea, o ideal é escolher um ambiente que seja mais ou menos ameno, onde a umidade seja alta e com uma boa ventilação. Por serem muito delicadas, não se recomenda que fiquem muito expostas ao sol, muito menos a ventos muito fortes.

Quanto ao envasamento, é preciso ter ciência de que as raízes das mini-orquídeas crescem de forma muito rápida, e, por isso, o envasamento (ou até o posterior reenvasamento) precisa ser em um lugar que seja espaçoso.

Substrato Adequado

O melhor substrato que você pode oferece a uma mini-orquídea é um que seja composto à base de musgo e cascas, que, inclusive, conseguem ser melhores do que qualquer composto orgânico. Por sinal, para conseguir melhores resultados, recomenda-se deixar o substrato encharcado e descansando por um total de 24 horas. Assim, ele absorve totalmente a água, e consegue ficar no “ponto” ideal para receber as plantas.

Inclusive, antes de (re)colocar a mini-orquídea num vaso, verifique como estão suas raízes. As que estiverem marrons e murchas, é porque estão mortas, e precisam ser cortadas. As raízes saudáveis são justamente aquelas que são brancas ou verdes, e relativamente firmes.

O recomendado é espalhar substrato no fundo do vaso, sendo preciso apenas uma fina camada para não sobrecarregar a planta de nutrientes. Até mesmo porque é a mini-orquídea que precisa ocupar o maior espaço no vaso. Por sinal, uma dica importante é não regar a planta por, pelo menos, uns 10 dias. Deixe-a, enquanto isso, num local morno, e borrife só um pouco de água por dia. À noite, as folhas devem estar secas a todo custo.

Em relação ainda ao (re)envasamento, recomenda-se replantar a mini-orquídea a cada 2 anos. No entanto, esse período pode ser até mesmo antes. Caso o substrato comece a cheirar mal, esse é um dos mais claros indícios de que a planta precisa mudar de lugar.

E, Quanto à Poda das Mini-Orquídeas?

O ideal é que você vá podando as pontas da planta à medida que ela for crescendo. Segundo a maioria dos especialistas, deve-se cortar entre 2 e 2,5 cm acima do nó superior dos caules.

É preciso ficar atento também para que a poda precisa siga o padrão de cada espécie, ou seja, algumas crescem mais rápido que as outras, e, consequentemente, vão aparecer mias rápido folhas e raízes danificadas. Dica essencial é esperar até que as flores murchem para, aí sim, poder fazer a poda. O ideal é que a espiga mostre sinais de amarelamento para fazer o procedimento.

Folhas e Raízes Doentes

Quanto à poda de raízes e folhas, o ideal é, primeiro, examinar regularmente as folhas para perceber se estão ficando com manchas pretas, ou se simplesmente possuem algum sinal de dano. Para fazer a poda, é recomendado usar um material de corte que esteja esterilizado, aparando somente as partes que estejam danificadas. O importante é não aparar partes da plantas que estejam saudáveis, deixando as folhas não-danificadas intactas.

O escurecimento das folhas das mini-orquídeas, por sinal, ocorre por diversos motivos. Entre os mais comuns, estão doenças bacterianas, doenças fúngicas, excesso de fertilização e excesso de regas.

Há ainda a possibilidade de remover as folhas inteiras que amarelaram com as mãos. Mas você só deve fazer isso se elas tiverem enfraquecido a tal ponto que seja fácil retirá-las apenas puxando-as com os dedos. Caso contrário, o melhor mesmo é usar uma tesoura.

Mini Orquídeas Folhas e Raízes Doentes
Mini Orquídeas Folhas e Raízes Doentes

Já com relação às raízes que estiverem doentes, o primeiro procedimento a ser feito é replantar a mini-orquídea. Ao remover a planta do vaso, examine as raízes, procurando aquelas que estiverem doentes, cortando-as em seguida. As que estão, de fato, doentes possuem uma aparência marrom e amolecida.

Lembre-se: só faça a poda de raízes doentes, mortas ou que estiverem morrendo, já que é preciso cuidado para não danificar raízes que estejam em perfeito estado.

Dicas Finais para uma Poda Correta

Primeiro de tudo, use uma ferramenta que seja afiada, e (principalmente) limpa. Para cortar espigas, muitos usam até lâminas de barbear (o que também é permitido), mas, para um melhor manejo, o ideal mesmo são tesouras, facas ou alicates (estes últimos são muito úteis para cortar raízes doentes ou mortas).

Outro aspecto importante, e que você não pode esquecer jamais, é de esterilizar as suas ferramentas de trabalho. Esse cuidado é essencial, pois as mini-orquídeas (e orquídeas em geral) são muito vulneráveis a bactérias e fungos, que podem facilmente se espelhar pela planta, deixando-a gravemente doente. A dica é esterilizar as lâminas com água quente e sabão após o uso. Lembrando que é preciso ter ferramentas específicas só para essa finalidade, combinado?

E, claro, se for usar lâminas de barbear, descarte-as com cuidado e segurança, embrulhando-as em camadas grossas de fita adesiva. Assim, você estará evitando acidentes, tanto para você, quanto pra quem for manusear seu lixo.

Em suma, não é tão difícil assim cuidar de uma mini-orquídea, em especial, de sua poda, já que os procedimentos são bem parecidos com os cuidados que se deve ter para uma orquídea “padrão”. É cuidar da sua planta do melhor jeito, deixando que ela embeleze o ambiente da melhor forma que uma mini-orquídea sabe.

Veja também

Orquídea Olhos de Boneca: Classificações Inferiores e Fotos

A orquídea olhos-de-boneca (e as suas classificações inferiores), como nos mostram essas fotos, é uma …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *