Home / Plantas / Como Fazer Lavanda Florir Mais Rápido?

Como Fazer Lavanda Florir Mais Rápido?

Uma “mar” cor de lilás ou roxo espalha-se por todo uma imensidão impossível de ser abarcada com os olhos. De dentro do carro, um aroma inconfundível não deixa dúvidas tratar-se da nossa tão conhecida e popular Lavanda angustifólia, ou mesmo da Lavanda inglesa, ou porque não dizer simplesmente “Alfazema”.

Mas será que é possível fazer a lavanda florir mais rápido e com todas essas suas tão apreciadas características?

A resposta dos admiradores (e conhecedores) dessa espécie, originária da região do Mediterrâneo, é que sim, é possível fazê-la florir bem mais rápido do que seria o normal; e para tal, basta observar certas especificidades do seu cultivo, em especial a quantidade de luz que elas exigem diariamente.

A lavanda é uma daquelas espécies que preferem mesmo é uma boa jornada de sol pleno, poucas regas, um solo com pH entre 6 e 7 (nunca menos) e espaço, muito espaço! Na verdade esse é um dos fatores determinantes para que essa espécie possa desenvolver-se abundantemente!

Quanto maior for o vaso, canteiro, jardineira, ou qualquer outro espaço de plantio, mais rápido e vigoroso será o seu crescimento; umidade e frio excessivos também não permitirão que elas se desenvolvam a contento!

Mas o curioso é notar como uma planta tão bela, delicada e aparentemente sensível, pode resistir até mesmo a períodos de seca!

Bela Lavanda Florida

Isso logo nos leva à conclusão de que um solo levemente úmido durante o início da sua germinação e bem mais seco durante a sua fase de crescimento podem ser decisivos para a produção dessa espécie com todas as suas principais características.

Como Fazer a Lavanda Florir Mais Rápido?

Sol, vento e luminosidade em abundância, pouca umidade e clima ameno, eis a receita para fazer com que a lavanda possa florir mais rapidamente!

Você precisará oferecer a ela aquele clima típico das regiões serranas do Brasil, frias, porém com horas de sol suficientes para que elas possam desenvolver os seus belíssimos botões florais.

Para a decepção de muitos, o clima típico das regiões Norte e Nordeste do Brasil não é nada estimulante para ela, pois caracteriza-se por ser abafado, extremamente úmido, quente, além de não oferecer ventos e chuvas moderadas – condições essenciais para a produção da alfazema.

No clima tipicamente europeu da Serra Gaúcha, por exemplo, as lavandas encontram o abrigo ideal! Na região Sudeste – em especial no interior de São Paulo – elas fazem a festa! Crescem abundantemente! E ajudam a compor a paisagem de algumas das regiões mais belas desse trecho do país.

Nessas condições, elas crescerão com alturas que podem variar entre 40 cm e 1,5m, em belíssimos tons de roxo, rosa, lilás e branco, formando uma paisagem quase fantástica, que mais assemelha-se aos campos floridos de alguma terra encantada, ou morada dos deuses.

E, de perto, uma singela variedade arbustiva, capaz de deixar, ao tocá-las, um doce aroma de alfazema inconfundível nas mãos! E como se não bastasse, ainda repleta de qualidades impensáveis, como o seu potencial antisséptico, anti-inflamatório, antimicrobiano, entre outras inúmeras características e peculiaridades.

Como Cultivar a Lavanda

O processo de cultivo da lavanda é uma das suas singularidades. Diferentemente de outras espécies, o seu plantio se dá melhor por meio de sementes, que só precisam ser fixadas levemente no solo, e logo após cobertas com não mais do que 1 cm de terra vegetal.

Também é possível plantar essa espécie em vasos, mas não há como fazer a lavanda florir mais rápido sem oferecer-lhe espaço; bastante espaço; e, como dissemos, sol e luminosidade em abundância.

Essa é uma variedade que prefere mesmo é desenvolver-se em imensos campos, amplos e ensolarados!, portanto, se o seu desejo é plantá-las em vasos, saiba que terá pela frente um processo de tentativa e erro, tentativa e erro… até que, finalmente, consiga fazê-la florir adequadamente.

Atendidas essas condições, a planta deverá começar a germinar em no máximo 15 dias; e caso tenha sido plantada em um vaso, o recomendado é aguardar até que ela possua uma estrutura que lhe permita ser transplantada sem que haja qualquer tipo de dano.

A estaquia é outra técnica comumente utilizada para o plantio de lavandas. E para tal, basta cortar ramos com 10 ou 12 cm de comprimento, retirar a folhagem até pelo menos a sua metade e enterrá-los em um solo levemente úmido, com pH entre 6 e 7, um espaçamento entre 40 e 80 cm, entre outras características.

Os cuidados prosseguem com a poda. Para fazer com que a lavanda consiga florir com maior rapidez, realize podas de formação, retirando ramos adoecidos, galhos doentes, flores mortas, ervas daninhas, entre outras partes aéreas.

Estas certamente irão competir com as partes saudáveis por água e nutrientes, o que fará com que a planta as consuma para a produção de partes que não se desenvolverão a contento.

Além de Como Fazer a Lavanda Florir mais Rapidamente, o que mais nos Interessa Saber Sobre Essa Espécie?

Essa é, verdadeiramente, uma espécie repleta de singularidades! A lavanda é uma daquelas variedades de plantas que não se sabe se podemos chamar de rústica ou delicada, sensível ou vigorosa, singela ou imponente.

As suas características são tão marcantes que costumam impressionar até mesmo os já bastantes familiarizados com ela.

O que se diz, por exemplo, é que, na Idade Média, de tão famosa que era pelas suas excelentes qualidades bactericidas, a lavanda costumava ser utilizada como uma técnica para afastar maus espíritos e combater até memo pestes e demais infestações por micro-organismos patológicos.

Banhar um cômodo da casa com com os seus óleos essenciais era a garantia da manutenção de um ambiente livre de verdadeiros flagelos que tanto atormentavam o homem medievo.

Sarnas, piolhos, pulgas, carrapatos, ácaros…como é possível que uma planta tão aparentemente delicada possa funcionar como uma verdadeira “máquina de matar parasitas?”

Mas é justamente o que a lavanda faz! E, para isso, basta produzir infusões com as suas flores, ou mesmo macerá-las em álcool, a fim de que possa desprender as suas magníficas propriedades. E então é só aplicar de forma tópica, por alguns dias seguidos, até o completo desaparecimento da infestação.

Ela era o “Nardo”, com o qual Maria ungiu os pés do Cristo. Era utilizada para a mumificação de reis e faraós do antigo Egito. Era o bálsamo que curava e aliviava as dores! Mas é, antes de tudo, uma das espécies florais mais intrigantes da natureza.

 

 

Gostou desse artigo? Deixe a resposta na forma de um comentário. E continue compartilhando os nossos conteúdos.

 

Veja também

Pêssego Douradão: Calorias, Benefícios, Nome Científico e Fotos

A diversidade de plantas existente na flora do nosso país é de causar inveja a …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *