Home / Plantas / Como Cuidar de Goiabeira: Dicas de Cultivo do Pé

Como Cuidar de Goiabeira: Dicas de Cultivo do Pé

A maioria dos especialistas em agronomia é quase unânime ao afirmar que a poda (especialmente a de “formação”) é uma das principais preocupações que deve ter o indivíduo que deseja saber como cuidar de uma pé de goiabeira.

E a principal dica de cultivo, nesse caso específico, é a de fazer uma primeira poda ainda nos estágios iniciais da formação da planta.

Ao atingir entre 90 cm e 1m, a goiabeira já estará pronta para receber essa primeira poda, com o objetivo de retirar galhos, folhas e ramos, a fim de que não reste mais do que 4 ou 5 galhos – e por mais inacreditável que isso possa parecer, elas serão o suficiente para que a planta cresça e frutifique vigorosamente.

Você também poderá seguir com uma poda de “direcionamento”, que geralmente é feita por meio da manipulação dos galhos que sobraram, de modo a fazer com que a planta cresça desta ou daquela forma. Essa poda é a que faz com que a goiabeira não cresça muito, e com isso torne-se mais fácil o seu manejo.

Mas existe também a chamada “poda de produção”. Essa consiste em uma poda feita duas vezes ao ano, com o objetivo de fazer com que a goiabeira dê frutos durante o ano inteiro. Ela geralmente é realizada em novembro, para uma colheita entre janeiro e março.

A poda seguinte será justamente nesse mês de março. Ela é necessária para que, a partir de abril, a goiabeira já comece a dar frutos novamente até o meados de outubro.

Completam essas, digamos, variações de poda, com a “de estação”, que deverá ser realizada de acordo com a estação do ano – e, obviamente, com o clima da região de cultivo.

Essa é uma dica de como cuidar e cultivar um pé de goiaba que, seguida à risca, poderá resultar em um verdadeiro “milagre” na produtividade de uma goiabeira!

Ela simplesmente não irá parar de produzir! E só exigirá mesmo a manutenção dos cuidados, por meio de irrigação e adubação de acordo com as necessidades da planta.

O Que Mais Saber Sobre Como Cuidar De Goiabeiras, Além De Outras Dicas De Cultivo De Um Pé Dessa Espécie

Ainda com relação à poda, é necessário saber, também, que uma outra será bastante bem-vida (espcialmente no início do inverno).

Essa é uma “poda contínua”, que vai retirando todos os galhos, frutos imprestáveis, folhas mortas, para que só fiquem os ramos com frutos sadios.

Essa costuma ser uma dúvida que atormenta a maioria dos produtores: como é possível destruir para criar? Mas é exatamente isso o que ocorre!

Durante o processo de crescimento, a goiabeira (como qualquer outra espécie) precisará consumir a maior parte dos nutrientes do solo para a produção das suas partes aéreas.

Galhos, folhas, caules, ramos… tudo isso dependerá dos nutrientes, que acabarão priorizando essas partes, em detrimento dos frutos, que não contarão com fartas doses de nutrientes para se fortalecerem.

Com a poda, o que ocorre é que a goiabeira poderá utilizar os nutrientes da terra para a produção de frutos, ao invés de produzir ramos, folhas, galhos, entre outras partes aéreas que, muitas vezes, nem acabam se desenvolvendo adequadamente, e apenas consomem os nutrientes do solo.

Logo, por meio de 1 poda a cada 60 dias, será possível realizar até duas colheitas no ano, e não apenas aquela tradicional – geralmente realizada entre os meses de janeiro a março.

O que, convenhamos, irá, certamente, fazer toda a diferença, principalmente para os que cultivam a goiabeira para fins comerciais.

Outra Dicas De Cultivos E a Importância De Saber Como Cuidar De Uma Goiabeira

Pragas, bactérias, fungos e demais parasitas, estão entre as principais causas da pouca produtividade de uma goiabeira; e como sabemos, é da sua saúde e da quantidade (e qualidade) dos nutrientes que ela extrai do solo que depende a produção de frutos fortes e em abundância.

A broca-das mirtáceas, a antracnose, a coleobroca, a bacteriose, o psilídeo, a Ferrugem, entre outras pragas, estão entre os principais flagelos de uma lavoura de goiaba! Elas são responsáveis, muitas vezes, pela ruína total da produção de goiabas em algumas regiões do país.

A bacteriose, por exemplo, é um verdadeira dor de cabeça na vida dos produtores! E a melhor forma de livrar-se desse mal ainda é a boa e velha prevenção!

Você deverá criar o hábito de realizar todas as podas necessárias, a fim de facilitar o arejamento da goiabeira, permitir que o sol revigore a planta, eliminar galhos e ramos adoecidos, entre outras vantagens desse tipo de prática.

Não há como cuidar de uma goiabeira sem levar a sério a prática de uma boa poda periódica! E é por isso que a melhor dica que se pode dar para o cultivo de um pé de goiaba ainda é mesmo a prevenção e a atenção ao surgimento – ainda em seus estágios iniciais – de qualquer manifestação que possa parecer com a de um micro-organismo patológico.

Esses parasitas costumam manifestar-se pelo ressecamento das folhas, manchas escuras (ou pardacentas), tecido degradados; até que a planta, por falta de cuidados, acabe morrendo.

Por fim, complete os cuidados com duas adubações anuais com 20 ou 25 litros de um bom esterco de carneiro ou de bovino; faça testes para a análise de possíveis deficiências de nutrientes do solo e retire (e queime) ramos e galhos adoecidos.

Logo após, aplique um bom fungicida nas partes saudáveis de onde os ramos e galhos doentes foram retirados, e proceda a outros cuidados, que serão determinantes para que você tenha ao menos duas safras anuais com frutas com qualidade irretocável.

Disas De Cultivo E Como Cuidar De Um Pé De Goiaba Em Sua Residência

Cultivar uma goiabeira em casa não tem qualquer segredo! Para tal, basta retirar uma boa quantidade de sementes da polpa de algumas goiabas fortes, vigorosas, saudáveis e maduras.

Lave-as em água corrente e certifique-se de que toda a polpa foi retirada, deixe secar por algumas horas, e plante-as em um vaso de cerâmica, barro, fibra de coco, ou em outro recipiente que facilite a drenagem da água e a oxigenação da planta.

Mantenha regas diárias, certifique de que acrescentou um bom composto orgânico ao vaso, juntamente com terra vegetal de qualidade.

Faça isso, e em no máximo 90 dias já terá uma muda com tamanho suficiente para ser transplantada para fora de casa – de preferência em um quintal amplo (com pelo menos 20m2), em uma cova com 25 ou 30 cm, com terra fértil (ou adubada com esterco ), bem drenada, com pH entre 6 e 7 (obtido com a administração de calcário), entre outras características.

Mas você também precisa saber que não há como cuidar de uma goiabeira sem que ela encontre, na região de cultivo, as condições mínimas para a sua sobrevivência.

Por isso, como uma dica de cultivo de um pé de goiaba, recomenda-se ter em mente que esta é uma espécie de clima tropical, que só se desenvolverá em uma região com chuvas razoáveis.

Mas ela também exigirá temperaturas médias entre 24 e 30°C, ventos não tão intensos, boa umidade relativa do ar, entre outra características necessárias ao seu desenvolvimento.

Plante-a no mês de novembro, e seguindo corretamente as dicas elencadas acima, em pouco mais de 1 ano você já poderá colher as suas goiabas, e aproveitá-las das mais diversas maneiras.

Gostou desse artigo? Deixe a resposta na forma de um comentário. E aguarde as próximas publicações do blog.

Veja também

Árvore Chorãozinho: Características, Fotos e Nome Cientifico

Aqui no Brasil, bem como em diversas partes do mundo, conhecer uma planta através de …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *