Home / Plantas / Classificação da Pimenta e Nome Científico

Classificação da Pimenta e Nome Científico

A pimenta é um condimento mundialmente conhecido e quem vem sendo cada vez mais adicionado nas refeições das pessoas. No post de hoje mostraremos um pouco mais sobre a classificação da pimenta, seu nome científico, características e muito mais!

Nome Científico da Pimenta

O nome científico de um determinado animal ou planta é uma forma de organizar e categorizar essa espécie. De forma que o primeiro nome indica o gênero e o segundo a especificação.

Por isso, a pimenta em si não tem um nome cientifico, pois ela já é uma categoria. Dependendo da espécie de pimenta, aí então que ela terá um nome cientifico. Por exemplo, a pimenta dedo de moça, seu nome científico é Capsicum baccatum.

Classificação da Pimenta

A classificação da pimenta fica no seguinte:

  • Reino: Plantae (das plantas);
  • Divisão: Magnoliophyta;
  • Classe: Magnoliopsida;
  • Ordem: Solanales;
  • Família: Solanaceae.

Quando chegamos na questão do gênero, existem alguns gêneros diferentes das pimentas:

  • Piper: são três, a pimenta preta, pimenta de são tomé e pimenta longa.
Pipers
Pipers
  • Capsicum: essa é a mais famosa, e com mais espécies. O pimentão, pimenta dedo de moça, pimenta
Pimenta Capsicum
Pimenta Capsicum
  • Malagueta, pimenta murupi, pimenta trinidad scorpion e algumas outras.
Pimenta Malagueta
Pimenta Malagueta
  • Pimenta: essa é a pimenta da Jamaica, que recebeu o nome de pimenta dioica.
Pimenta Dioica
Pimenta Dioica
  • Temos também a Xylopia, Schinus, Zanthoxylum, Aframomum e várias outras.
Pimenta Schinus
Pimenta Schinus

Características da Pimenta

Pimenta é o nome dado popularmente para todas as plantas que possuem um sabor picante. No Brasil, ao falarmos de pimenta, nos referimos principalmente às espécies Capsicum, Piper e Pimenta. O pimentão, é utilizado para falar das variedades mais doces. E assim por diante. Já em Portugal, os termos utilizados aqui não são necessariamente os mesmos de lá.

Existem muitas espécies de pimentas que vieram diretamente da África, entretanto, foram os europeus que começaram a incluir o alimento na culinária, iniciando realmente o cultivo domesticado e a sua cultivação em larga escala. É interessante sabermos, que a pimenta é um condimento utilizado pelo mundo todo, de forma diferente, mas que está presente.

Existem outras especiarias que não são necessariamente pimentas, mas são chamadas de pimenta, como a pimenta síria, que na verdade é uma mistura incluindo a do reino e a da jamaica. Muito mais do que simplesmente dar gosto para nossas comidas, elas também estão sendo mais adicionadas aos pratos, pelos seus benefícios.

Existem diversos componentes encontrados nas pimentas, que variam em quantidade dependendo da espécie, que são extremamente benéficos para o nosso organismo. Os alcaloides, que também são chamados de capsaicinoides, são os responsáveis pela ardência que a pimenta traz para nossa boca. Isso acontece no momento em que eles entram em contato com as células nervosas de nossa boca. Esses capsaicinoides são divididos em dois.

O primeiro é a Capsaicina, que é encontrada nas nervuras das pimentas vermelhas. Assim que ingerimos, ela provoca uma alta aceleração do metabolismo, provocando a dilatação dos vasos capilares. O fluxo sanguíneo aumenta, o que traz um aumento do fluxo de nutrientes e oxigênio para nosso corpo. Por isso, a pimenta está se tornando tão popular para quem quer emagrecer.

Além disso, trabalha para estimular as ramificações nervosas, consequentemente elevando a desenvoltura do nosso sistema imunológico. Servindo também como um anti-inflamatório, cicatrizante e de ação bacteriológica.

Já a segunda categoria é a Piperina. Presente especialmente na pimenta do reino, mas encontradas nas sementes de outros tipos de pimenta. Ambas as substancias que citamos quando estão sozinhas, não produzem nenhum tipo de cheiro ou sabor. Entretanto, ambas produzem ardores de forma diferente. Sendo a piperina produzindo através da queima das células superficiais da mucosa.

O que é importante, é em relação ao seu efeito no nosso organismo, principalmente em nosso metabolismo. Quando ingerimos a pimenta, seja ela da forma ou tipo que for, a capsaicina e a piperina estimulam os receptores da língua e boca. Esses receptores quando são atingidos pelas substâncias, transmitem pelos receptores nervosos até o cérebro, informando que a boca está sofrendo queimaduras.

O cérebro em resposta, envia agentes para fazer com que as queimaduras sejam aliviadas. Algumas dessas respostas podem ser: transpiração no rosto, nariz úmido e o mais comum, a salivação. Dessa forma, você refresca a boca. Nenhuma ação de queimadura letal ocorre na sua boca, claro. Mas seu cérebro não sabe disso, por isso ele fabrica endorfinas. Elas trabalham por um longo período de tempo no organismo, deixando nosso corpo com uma sensação de bem-estar.

A violaxantina, é um componente presente nas pimentas amarelas. Ela é chamada de carotenoide, e é responsável por essa coloração, além de ter mais de 50% dos antioxidantes dentro da pimenta. Ótimo para combater as mais diversas doenças e o envelhecimento precoce.

Nas pimentas ainda verdes, nós encontramos a luteína. Esse composto possui diversas ações no nosso sistema, mas principalmente contém vitamina A, ideal para a saúde dos olhos. Outros dois tipos de antioxidantes, são o ácido ferúlico, que trabalha perfeitamente para a prevenção de doenças crônicas no sistema nervoso; e o ácido sinapínico, que é bom para a prevenção de canceres e tem ação anti-inflamatória.

Além disso, nós podemos associar a coloração e os sabores à sedução e de acordo com a história, algo muito afrodisíaco. Pesquisas dizem que no século 16, a pimenta era proibida para os jovens. Isso porque acreditavam que ela estimulava a sensualidade. Após estudos, foi constatado que isso era devido a produção de endorfina, que dá a sensação de prazer, elevando a temperatura corporal e deixando o rosto ruborizado.

Esperamos que o post tenha te ajudado a entender e aprender um pouco mais sobre a pimenta, suas características, nome científico e classificação. Não esqueça de deixar seu comentário nos contando o que achou e também deixar suas dúvidas. Ficaremos felizes em ajuda-los. Você pode ler mais sobre pimentas aqui no nosso site!

Veja também

Árvore Chorãozinho: Características, Fotos e Nome Cientifico

Aqui no Brasil, bem como em diversas partes do mundo, conhecer uma planta através de …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *