Home / Plantas / Casca do Caule de Dedaleira Ajuda Em Que? Quais os Benefícios?

Casca do Caule de Dedaleira Ajuda Em Que? Quais os Benefícios?

Casca é a camada mais externa encontrada nas árvores. É o revestimento que protege os delicados tecidos da árvore contra doenças e fatores ambientais, como clima e insetos. Ao longo dos anos, a casca foi colhida das árvores e usada pelas pessoas para diversos fins, desde a confecção de cobertores e roupas até cestas, tapetes e até canoas. As populações indígenas usam árvores nativas australianas para seus benefícios alimentares e terapêuticos há séculos. No entanto, um dos usos mais comuns que tem hoje é na medicina.

Usos Terapêuticos das Cascas de Caule

Cascas de Caule
Cascas de Caule

Os usos da casca na medicina são infinitos. Pode ser usado para tratar uma ampla gama de doenças, desde inflamação, artrite e pressão alta, até mesmo sendo usado em alguns tratamentos contra o câncer. Por exemplo, os compostos anti-inflamatórios fenólicos são encontrados na casca do pinheiro escocês (árvore de Natal) e têm sido usados ​​para tratar a artrite. Embora a dor lombar possa ser tratada com a casca dos salgueiros, por ser o principal ingrediente usado na aspirina. A casca também é uma característica fundamental da medicina herbal, incluindo lavagens de feridas e emplastros, pomadas e tinturas.

Como Colher as Cascas de Caule

Cascas de Caule Colhidas
Cascas de Caule Colhidas

Antes que a casca possa ser usada na medicina, ela deve ser colhida. A casca pode ser colhida em qualquer época do ano, mas é mais comum no outono, pois a seiva e a energia se movem mais livremente pelos troncos enquanto as árvores se preparam para o inverno.

É importante saber de quais árvores colher a casca. As espécies medicinais mais comuns de árvores incluem salgueiro, cereja, avelã, bruxa, sassafrás, espinheiro preto e bétula. Para saber se uma árvore tem fortes propriedades medicinais, retire um pedaço da casca da árvore, mastigue-o até sentir o sabor e cuspa-o. Você notará que a casca com bastante remédio afetará sua boca; por exemplo, o salgueiro absorverá toda a saliva, enquanto os sassafrás fazem sua boca ficar molhada.

Preservando a Árvore

Árvore de Dedaleira
Árvore de Dedaleira

Quando a árvore certa for encontrada, procure por pequenos galhos e identifique o colar (a parte mais gorda na base do galho). Use uma serra para cortar o galho logo acima da gola, cortando paralelamente à gola. Evite deixar a madeira rachar, pois um corte limpo permitirá que a parte do galho que você está deixando para trás cicatrize. Em seguida, raspar a casca. Use uma faca para cortar o comprimento do galho, removendo tiras longas de casca. Você quer ter certeza de que está recebendo o câmbio, portanto, quando terminar, só restará madeira no galho.  As cascas de árvores podem ser levadas para casa e usadas imediatamente, ou podem ser secas e guardadas para uso posterior. É importante também levar apenas o que você precisa, para garantir a longevidade da árvore.

Casca do Caule de Dedaleira Ajuda Em Que? Quais os Benefícios?

Digitalis purpurea, ou dedaleira é uma planta. Embora as partes da planta que crescem acima do solo possam ser usadas para remédios, a dedaleira não é segura para a automedicação. Todas as partes da planta são venenosas. Os produtos químicos retirados da dedaleira são usados ​​para fazer um medicamento chamado digoxina. O digitalis lanata é a principal fonte de digoxina nos EUA.  A dedaleira é mais comumente usada para insuficiência cardíaca congestiva (ICC) e aliviar os batimentos cardíacos irregulares associados à retenção de líquidos. Não é seguro usar partes da planta in natura.

A dedaleira contém produtos químicos a partir dos quais a digoxina (Lanoxin) é prescrita. Esses produtos químicos podem aumentar a força das contrações musculares do coração, alterar a freqüência cardíaca e aumentar a produção de sangue no coração.  A folha da digitalina, bem como as cascas do caule,  tem um índice terapêutico estreito, exigindo supervisão médica rigorosa para uso seguro. A dosagem tradicional começa com 1,5 g de folha dividida em 2 doses diárias. A digoxina purificada é normalmente usada em doses diárias de 0,125 a 0,25 mg.

Casca do Caule da Dedaleira
Casca do Caule da Dedaleira

Histórico de Usos Terapêuticos

A dedaleira foi um dos muitos remédios de ervas usados ​​pelos antigos romanos. Embora seu uso no tratamento da insuficiência cardíaca tenha sido rastreado até a Europa do século 10, a dedaleira não foi amplamente utilizado para essa indicação até sua investigação científica pelo médico britânico William Withering no final da década de 1700. Na maior parte do século XIX, a dedaleira foi usado para tratar uma grande variedade de doenças e distúrbios.

William Withering
William Withering

Em 1875, o químico alemão Oswald Schmiedeberg primeiro isolou a digitoxina pura da dedaleira, levando outros a extrair e identificar outros glicosídeos de várias espécies da dedaleira. Em 1957, a digoxina foi isolada de Digitalia lanata e agora é um importante glicosídeo cardíaco comercializado em forma de comprimido. Dedaleira foi admitido na primeira edição da Farmacopeia dos Estados Unidos(1820) e é atualmente reconhecido por todas as principais farmacopeias. Na América do Sul, as preparações das folhas em pó são usadas para aliviar a asma, como sedativos e como diuréticos / cardiotônicos. Na Índia, uma pomada contendo glicosídeos digitálicos é usada para tratar feridas e queimaduras.

Digoxina – Princípio Ativo da Dedaleira

A digoxina aumenta a força e a eficiência das contrações cardíacas e é útil no tratamento da insuficiência cardíaca e controla a frequência e o ritmo do coração. É extraído das folhas de uma planta chamada digitalis lanata. A digoxina aumenta a força de contração do músculo cardíaco, inibindo a atividade de uma enzima (ATPase) que controla o movimento de cálcio, sódio e potássio no músculo cardíaco. O cálcio controla a força da contração. Inibir a ATPase aumenta o cálcio no músculo cardíaco e, portanto, aumenta a força das contrações cardíacas.

Fórmula Química do Digoxina
Fórmula Química do Digoxina

A digoxina também diminui a condução elétrica entre os átrios e os ventrículos do coração e é útil no tratamento de ritmos atriais anormalmente rápidos, como fibrilação atrial , flutter atriale taquicardia atrial. (Ritmos atriais anormalmente rápidos podem ser causados ​​por ataques cardíacos , hormônios tireoidianos excessivos, alcoolismo , infecções e muitas outras condições.) Durante ritmos atriais rápidos, os sinais elétricos dos átrios causam contrações rápidas dos ventrículos. As contrações ventriculares rápidas são ineficientes para bombear sangue contendo oxigênio e nutrientes para o corpo, causando sintomas de fraqueza , falta de ar , tontura e até dor no peito . A digoxina alivia esses sintomas, bloqueando a condução elétrica entre os átrios e os ventrículos, diminuindo as contrações ventriculares.

Veja também

Tudo Sobre a Planta Cíclame: Características da Flor e Fotos

Cíclame, também conhecida como cyclamen ou cíclame-da-pérsia, é uma planta que tem origem nos continentes …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *