Home / Plantas / Alpínia Purpurata: Curiosidades e Fatos Interessantes Sobre a Flor

Alpínia Purpurata: Curiosidades e Fatos Interessantes Sobre a Flor

Quer saber alguns fatos interessantes sobre essa planta tão popular? Neste artigo, conheça características e curiosidades da alpinia purpurata.

A alpinia purpurata, também conhecida como gengibre-vermelho e alpínia, é uma planta ornamental de porte médio muito utilizada em jardins e pátios ao redor do mundo.

Ela se propaga por sementes e pela divisão do rizoma, podendo se expandir até formar matas densas, principalmente em habitats úmidos.

A alpinia purpurata é classificada como planta invasora em Cuba e em várias ilhas do Oceano Pacífico incluindo Havaí, Fiji e Micronésia.

Alpinia Purpurata: Tudo Sobre a Planta

A alpínia é uma planta herbácea perene da Ordem Zingiberales e Família Zingiberaceae. Ela é nativa da Malásia e de outras ilhas localizadas no sudoeste do Oceano Pacífico, como Nova Caledônia e Ilhas Salomão.

A flor foi ativamente introduzida como planta ornamental no Havaí por volta de 1928 e, ao longo da metade final do século 20, foi levada a outras ilhas;

A planta é nativa de habitats terrestres;

A alpinia purpurata prefere locais de clima tropical e subtropical, adaptando-se também aos climas equatorial e oceânico. Ela não resiste a climas frios;

A planta pode apresentar flores brancas pequenas e brácteas vermelhas ou róseas em hastes eretas;

A alpínia se encaixa nas categorias arbustos tropicais e flores perenes;

A planta é entouceirada e rizomatosa;

Ela apresenta diversas hastes e forma um conjunto denso de cor verde;

Suas folhas longas e espessas medem de 15 a 30 cm de comprimento e de 8 a 15 cm de largura;

As belas inflorescências de formato tubular podem chegar aos 30 cm de comprimento;

As brácteas eretas e brilhantes atraem abelhas, borboletas e pássaros com suas cores vivas;

A alpinia purpurata é uma espécie ornamental bastante apreciada, sendo comercializada em diversas partes do mundo. Portanto, a planta ainda pode se tornar invasora em muitos territórios.

Alpinia Purpurata: Habitat

A alpinia purpurata pode sobreviver sem muitos cuidados em florestas e parques urbanos, jardins e pátios. Em condições naturais, pode ser encontrada se propagando em ambientes úmidos incluindo florestas, beiras de estrada, margens de rios e de manguezais.

A flor prefere crescer em áreas úmidas de florestas de altitude baixa a média com temperaturas quentes e alta precipitação. Ela se desenvolve melhor em áreas parcialmente sombreadas, mas é adaptada para crescer tanto em áreas totalmente sombreadas quanto em áreas abertas que recebem luz solar total.

A alpínia pode se expandir e formar matas densas em ambientes úmidos, deslocando a vegetação nativa. Por essa razão, fora de seu habitat natural, ela é considerada uma planta invasora. Sua expansão se deve ao fato de que a planta tolera o transporte, os danos, sombra ou sol plenos, cresce rapidamente e se reproduz de maneira assexuada.

Porém, a invasão por parte da alpinia purpurata pode causar alterações no ecossistema e no habitat de outras plantas e animais, reduzir a biodiversidade nativa, colocar em risco espécies nativas e até mesmo levar à extinção das mesmas.

Isso pode ocorrer em razão da monopolização de recursos e domínio do espaço por parte da alpínia, privando as outras plantas da luz do sol, dificultando sua respiração e danificando suas raízes. A invasão da planta pode se tornar um problema sério em diversos ecossistemas devido à falta de regulação e controle no transporte e cultivo da mesma.

Alpinia Purpurata: Características

Alpinia Purpurata no Vaso
Alpinia Purpurata no Vaso

A alpinia purpurata pode atingir até 4 m de altura, mas geralmente mede em torno de 1 m;

Uma das características da planta é que as flores novas nascem no meio das flores velhas, que acabam caindo no chão;

As plantas são utilizadas como flores de corte, sendo muito populares em arranjos de flores tropicais no Havaí;

A alpínia é uma planta durável que tolera ser transportada por longas distâncias;

As flores da alpinia purpurata são polinizadas por abelhas, mas borboletas e pássaros também realizam essa tarefa;

Em alguns lugares, a alpínia é colhida da natureza para ser utilizada no tratamento de feridas. Até o momento, não foi documentado o uso da planta para alimentação humana;

A flor encontra-se cultivada tanto no meio selvagem quanto no meio ornamental;

A planta não produz flores nos primeiros 3 anos de vida, mas após esse período, dá grandes flores ao longo do ano todo.

Alpinia Purpurata: Como Cultivar

A alpinia purpurata pode se propagar por rizomas, tubérculos, cormos, bulbos ou sementes;

A flor pode ser cultivada debaixo de luz do sol direta, indireta ou na sombra. No entanto, é preciso lembrar que a alpinia purpurata não resiste ao frio;

A alpínia prefere solos úmidos, ricos em matéria orgânica e férteis. O solo deve ser irrigado regularmente, mas não deve ficar encharcado;

Para garantir um bom desenvolvimento, a planta deve ser mantida em ambientes com temperatura acima de 20º C;

Depois do início da floração, é recomendado nutrir a alpínia com medidas balanceadas de fertilizantes. A planta deve ser nutrida com regularidade;

Ao fim do inverno e durante as estações primavera e verão, é recomendado realizar a adubação da planta com diferentes compostos;

A planta não costuma ser ameaçada por graves problemas relacionados a insetos ou doenças, sendo fácil de cultivar e cuidar;

É necessário podar a planta regularmente para controlar seu tamanho e sua expansão. É preciso remover também brotos gastos e folhagem amarelada, o que pode ser feito em qualquer época do ano;

Folhas amarelas na alpinia purpurata podem ser sinal de excesso de água no solo;

Como a alpinia purpurata pode se expandir muito e acabar atrapalhando as demais plantas, é recomendado usar barreiras físicas ao redor da sua área de plantio para limitar sua expansão;

Apesar da alpínia ser uma planta perene, é recomendado renovar o plantio das touceiras a cada 10 ou 12 anos.

Alpinia Purpurata: Curiosidades

A alpínia é uma planta herbácea que possui caules frondosos;

Seus rizomas crescem e se espalham, formando cachos abundantes e dando origem a brotos novos assim que os brotos antigos secam;

As hastes da planta são utilizadas para tratar dores de estômago. Já os rizomas são misturados com sal para tratar dores de cabeça;

As folhas da alpinia purpurata produzem um tipo de corante amarelo.

Gostou do artigo? continue navegando no blog para aprender mais e compartilhe este artigo em suas redes sociais!

Veja também

Como se Faz Saião com Leite? Para que Serve?

O saião (nome científico Kalanchoe brasiliensis) é uma planta medicinal que também pode ser conhecida …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *