Home / Plantas / Alface Crespa

Alface Crespa

Lactuca sativa var crispa. Esse é o nome científico da alface crespa, uma alface de folhas do gênero compositae. A alface é a terceira verdura mais produzida no Brasil, sendo a alface crespa a maior produção nessa conta. Só no varejo movimenta algo em torno de R$ 8 bilhões de reais, com 1,5 milhão de toneladas ´produzidas por ano.

O Cultivo da Alface Crespa

Essa alface aceita tanto o cultivo tradicional da lavoura como em hidroponia. Graças a facilidade de adaptação em diferentes condições climáticas, ela possibilita colheitas em momentos diversos no ano, o que a torna preferida especialmente dos cultivadores pequenos.

Mas não é uma lavoura das mais fáceis, haja visto a propensão para pragas, especialmente a meloidoginose (meloidogyne javanica), que prejudica muitas culturas, com grandes produções de ovos no solo. O controle dessas pragas com desinfetantes químicos são prejudiciais tanto a terra de cultivo como à alimentação humana, o que torna seu combate bastante complicado em lavouras tradicionais, oferecendo melhores resultados, portanto, em hidroponia bem geridas. Em cultura tradicional, a alface crespa oferece melhor resultado se o plantio ocorrer ou no verão ou no inverno, dependendo da região do País. Uma das maiores indicações de plantio ficam na região do Vale São Francisco.

Aparência e Valor Nutricional

A alface crespa, como o nome já diz, é parecida com a outra alface lisinha, porém suas folhas são frisadas. Disponíveis nas cores esverdeadas ou arroxeadas. Sua composição nutricional inclui lipídios, ferro, cálcio, fibras, vitamina C, carboidratos, proteínas, magnésio, manganês, niacina, riboflavina B2, sódio, tiamina B1, zinco, potássio e cobre.

Cortar ou quebrar folhas de alface revelam um líquido branco chamado lactucarium que ajuda a lidar com a insônia. Alface possui antioxidantes que agem contra os radicais livres em nossos corpos que são formados devido ao metabolismo celular. Extratos de folhas de alface podem impedir a propagação de células de leucemia e células de câncer de mama. A alface também contém flavonoides que ajudam a proteger o corpo dos cancros do pulmão e da cavidade oral. Assim, incorporando alface em sua dieta pode ajudar a combater diferentes tipos de câncer. 

Devido à presença de ferro, magnésio e potássio, o consumo de alface ajuda a melhorar os processos metabólicos em nosso corpo. Alface também contém vitamina B-complexo que ajuda nosso metabolismo. A alface contém vitamina C e beta-caroteno que trabalham em conjunto para evitar que as paredes das artérias se formem como placas que podem bloquear e romper o fluxo sanguíneo. Assim, impede a oxidação do colesterol e, portanto, protege nosso coração contra doenças.

Extratos de alface, devido ao seu papel significativo na privação de glicose ou soro, ajudam a prevenir a morte de células neuronais. A alface possui propriedades antimicrobianas e ajuda a combater os micróbios nocivos que podem causar várias doenças. A alface possui propriedades ansiolíticas que ajudam a controlar a ansiedade. A alface desempenha um papel no processo de saúde neurológica e, portanto, ajuda a lidar com problemas mentais, como a depressão.

Minerais presentes na alface ajudam a remover as toxinas do nosso corpo. Isso ajuda a manter o equilíbrio ácido. Remover as toxinas nos ajuda a permanecer saudáveis, pois apenas as substâncias benéficas são deixadas para trás. Extratos de alface têm propriedades anti-inflamatórias devido à presença de biocatalizadores como lipoxigenase e carragenina. Assim, várias doenças resultantes da inflamação podem ser evitadas incluindo alface em sua dieta.

Explicando o Cultivo Tradicional

Como dito anteriormente, embora a alface crespa ofereça boa resistência em condições ambientais diversas, o melhor cultivar se dá em climas mais frescos. Para o plantio em épocas de temperaturas quentes, sugere-se coberturas que auxiliem na diminuição do calor para as alfaces.

As sementes devem primeiro ser incubadas em recipientes próprios, preenchidos com terras ricas em nutrientes (húmus, esterco e compostos orgânicos) e após cerca de um mês, suas mudas transplantados para a área de lavoura definitiva. O solo da lavoura deve estar devidamente drenado e arado com espaçamento adequado. Um canteiro ideal teria cerca de um metro de largura com um comprimento mínimo de dez metros. Para evitar excesso de água no solo, procure dar uma altura mínima de vinte centímetros na área de cultivo. O espaço entre uma muda e outra da alface pode ficar cerca de 25 centímetros.

Muda da Alface Crespa
Muda da Alface Crespa

As condições do solo, como nitrogênio na adubação ou o uso de fertilização orgânica, deverá ser feita com base na qualidade do solo regional e recomendação técnica de cultivo na sua região. É importante um trabalho frequente de capina na sua área de lavoura, para que outras plantas não usurpem da alface a quantidade de água, iluminação e nutrientes necessárias que garantirão sua qualidade de colheita.

Irrigação e Colheita

Para a irrigação sugerimos o método de micro aspersão nas alfaces, que garantirá uma umidade uniforme e sem excessos. Os intervalos terão de ser diários respeitando a seguinte fórmula: para momentos de climas mais amenos, uma umidificação diária entre cinco ou seis milímetros cúbicos de água; para momentos de altas temperaturas, uma umidificação diária entre oito a dez milímetros cúbicos de água.

O cuidado com o controle de pragas e doenças é essencial, seguindo as recomendações fitossanitárias comuns de sua cultura, de preferências com produtos específicos que não sejam agrotóxicos.

Com todo o manuseio eficiente desde a semeadura, a colheita deverá se iniciar após 60 dias em média, no caso de lavoura em climas frescos. Em situações onde a temperatura for mais elevada, a verdura pode levar alguns dias a mais para se apresentar plenamente desenvolvida.

Para conhecer técnicas de hidroponia, clique aqui.

Dicas Para o Consumidor

Se for apenas consumidor e deseja comprar a alface crespa, prefira naturalmente a cultivar bem fresquinha no estabelecimento de venda em sua localidade. A alface deverá apresentar uma aparência de folhagem com um certo brilho, sem partes enegrecidas e folhas resistentes. Se a intenção é apreciá-la em saladas ou de alguma forma curas, sem cozimento, recomenda-se que lave bem e com água em abundância para a eliminação de detritos do cultivo. O ideal é que faça uma pequena solução de água e vinagre em um pote, ou água e água sanitária, e acondicione sua alface crespa ali por alguns minutos, talvez por meia hora. Depois lave e usufrua.

Alface em geral, mesmo as mais resistentes (geneticamente modificadas) não são produtos para armazenamento longos. O excedente que não for utilizado nas horas que precederem a compra devem ser guardados adequadamente no refrigerador ou acondicionadas em uma vasilha com água. Não guarde em congeladores ou freezer, pois a alface não tolera temperaturas tão frias.

As culturas de alface são às vezes pulverizadas com pesticidas e, portanto, é aconselhável lavar o vegetal corretamente antes de consumi-lo. O consumo de alface pode resultar em reações alérgicas em algumas pessoas. Por isso, é melhor verificar se você é alérgico ou não antes do consumo.

Veja também

Como Plantar Alfazema, Cuidar e Fazer Mudas

O hábito de ter plantas e cuidar delas está se tornando cada vez mais comum …

Um comentário

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *