Home / Natureza / Subida Vulcão Licancabur

Subida Vulcão Licancabur

Já falamos aqui no blog sobre alguns vulcões que o leitor talvez aprecie a ideia de visitar um dia. Em sua maioria são áreas onde o turismo é permitido, mesmo se ativos. Falamos aqui, por exemplo do Vulcão Calbuco, do Vulcão Mauna Loa e do Vulcão Tungurahua. Continuando a série, vamos falar de outro então, também incluso no cinturão de fogo. O Vulcão Licancabur…

A Montanha Sagrada Licancabur

Licancabur é um estratovulcão na fronteira entre a Bolívia e o Chile, ao sul do vulcão Sairecabur e a oeste de Juriques. Parte da Zona Vulcânica Central Andina, tem um proeminente cone de 5.916 metros de altura. Uma cratera de 400 metros com o Lago Licancabur, um lago da cratera que está entre os lagos mais altos do mundo, cobre o vulcão. Três etapas do fluxo de lava emanam do vulcão, que se formou em ignimbrites do Pleistoceno.

O vulcão Licancabur faz fronteira entre o departamento de Potosí, na Bolívia, e a região de Antofagasta, no Chile . Devido à sua altitude e seu cone quase perfeito, é um elemento de paisagem predominante na cordilheira andina da província de El Loa daquela região chilena. Mais de um terço da encosta nordestina pertence à Bolívia.

Em território chileno, localiza-se no lado norte da passagem de Portezuelo del Cajón, a nordeste do vale da Lua e da cidade turística de San Pedro de Atacama. No lado boliviano, há a reserva nacional da fauna andina Eduardo Abaroa, que é protegida porque no seu sopé fica a Laguna Verde, que concentra um grande número de flamingos andinos.

O estratovulcão simétrico de licancabur foi construído principalmente durante o Holoceno e contém um dos lagos mais altos do mundo em sua cratera de 400 m de largura. O vulcão Juriques está localizado imediatamente ao sudeste e é limitado por uma cratera de 1,5 km de largura. Ruínas arqueológicas foram encontradas na borda da cratera do vulcão, que mantém constantes declives de 30 graus. O lago de águas rasas de água doce tem 90 x 70 m de largura e tem uma temperatura medida de 6 graus celsius, suportando o crescimento da fauna planctônica a quase 6000 metros de altitude. Os fluxos de lava andesítica de blocos jovens com diques proeminentes estendem-se até 6 km pelos flancos; fluxos mais antigos atingem até 15 km da cratera e são cobertos por depósitos de fluxo piroclástico que se estendem por 12 km. A atividade mais recente produziu fluxos de lava no flanco.

Licancabur e Seu Nome Famoso

Licancabur significa a montanha do povo Lican que viveu ao pé dela (atualmente San Pedro de Atacama). O vulcão com a sua forma cónica perfeita é reconhecido de longe e a sua imagem associada à laguna Verde é uma imagem clássica.

O vulcão tornou-se famoso quando os cientistas da NASA descobriram que as condições climáticas ao redor da cratera são as mais próximas da Terra das condições esperadas no planeta Marte. Licancabur, portanto, já serviu como terreno de testes para os robôs que viajam no espaço. Devido às condições ambientais extremas, a flora e fauna implantadas é de interesse evolutivo no lago de aproximadamente 5000 m²; a NASA e o Instituto SETI já tomaram uma série de expedições para o cume. Os insights sobre a adaptação de animais e plantas às condições extremas são feitos para ajudar a entender o desenvolvimento da vida em seus estágios iniciais.

Primeiro Teste do Robô Brigdet sem Instrumentos no Solo do Deserto do Atacama, no Chile
Primeiro Teste do Robô Brigdet sem Instrumentos no Solo do Deserto do Atacama, no Chile

O Licancabur é considerado uma montanha sagrada pelo povo atacameno, relacionado com a colina Cerro Quimal, no norte do Chile. Sítios arqueológicos foram encontrados em suas encostas e na cratera, que possivelmente foi uma torre de observação pré-histórica.

O Histórico de Erupções

O licancabur é formado em três unidades, todas com fluxos de lava; o último também inclui depósitos piroclásticos . A maior parte do cone foi formada pela segunda unidade. A erupção da segunda unidade foi precedida pela injeção de magma básico na câmara de magma. Os fluxos mais antigos surgem nos lados oeste e norte do vulcão e são parcialmente cobertos por fluxos mais recentes de licancabur e fluxos de sairecabur. Fluxos de ambos parecem ser pré-glaciais. As lavas mais antigas têm composições semelhantes às das lavas de shoshonite e da antiga sairecabur, e tendem a ser mais básicas do que as lavas recentes.

Licancabur (Chile e Bolívia) - Considerado um dos Vulcões Mais Belos da América Latina
Licancabur (Chile e Bolívia) – Considerado um dos Vulcões Mais Belos da América Latina

A atividade explosiva fraca deixou depósitos piroclásticos no vulcão. Licancabur formou-se principalmente após o período glacial tardio, entre 12.000 e 10.000 anos atrás. Fluxos de lava no flanco são sua característica mais jovem. Os vizinhos juriques remontam ao pleistoceno.

Os fluxos de lava do licancabur não foram afetados pela glaciação, e alguns têm diques e cordilheiras . Os fluxos de lava que atingem a Laguna Verde foram datados por radiocarbono e o vulcão não entrou em erupção durante a história registrada . Seu lago da cratera pode permanecer líquido devido ao aquecimento geotérmico.

O Turismo no Licancabur

A rota normal até o cume começa a partir do localizado no lado boliviano Laguna Verde. Do lado chileno da subida significativamente mais onerosas e só com o conhecimento local exato é possível, porque o terreno é perigoso por ali. O caminho para a própria cimeira é árduo devido à cinza vulcânica macia, as pedras pontiagudas e a grande altura. Tanto ao longo da rota normal, bem como diretamente na cimeira são os restos de construções do período Inca. Agências em San Pedro de Atacama no Chile ou de Uyuni na Bolívia oferecem visitas guiadas até o cume.

Mesmo que o ponto mais alto não atinja os 6000 metros, a subida do vulcão não deve ser subestimada. Para pessoas acostumadas, estimamos uma caminhada de 8 horas em uma trilha que cruza principalmente encostas. Ao chegar à cratera, você será surpreendido pelo lago congelado da cratera. Existem apenas 5 lagos no mundo encontrados em altitudes mais elevadas! Uma razão boa o suficiente para descer na cratera.

A subida para a cratera é mais uma escalada desafiadora de altitude e não um montanhismo sério. Esteja ciente de que pode ficar muito frio no início da manhã e em dias de vento. Não economize em agasalho para a viagem.

Existem 2 maneiras de chegar à base do vulcão. Uma opção é começar em San Pedro de Atacama, no Chile. A outra alternativa é adicionar a subida durante uma turnê na região sul do Salar de Lipez / Uyuni, na Bolívia. Você pode sair de San Pedro de Atacama e continuar sua viagem na Bolívia.

Veja também

Cana-de-Açúcar Sendo Colhida

Em que a Cana-de-Açúcar era Transformada nos Engenhos?

Os engenhos foram os locais onde aconteceram as primeiras atividades econômicas do Brasil Colônia. Para …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *