Home / Natureza / Quanto Tempo Sobrevive a Bactéria da Leptospirose? O que Ela Afeta?

Quanto Tempo Sobrevive a Bactéria da Leptospirose? O que Ela Afeta?

A leptospirose é uma infecção muito grave causada por uma bactéria transmitida principalmente por ratos. Entretanto, animais como porcos, bois e até mesmo por cães também podem espalhar a doença. Durante muito tempo essa bactéria consegue sobreviver nos animais e não chega a causar nenhum sintoma, mas é ao ser eliminada pela urina deles que causa uma doença terrível nos seres humanos.

A leptospirose é uma doença causada por uma bactéria chamada leptospira. É considerada uma zoonose, já que seu principal meio de transmissão é por  meio de alguns animais.

Depois de ser eliminada pelo xixi dos animais, a bactéria pode permanecer até seis meses com a capacidade de infectar. Assim, ao entrarmos em contato com a urina de alguns desses animais ou até mesmo com a água contamina podemos adquirir a leptospirose.

Sintomas da Leptospirose
Sintomas da Leptospirose

No nosso país, os principais transmissores da doença são os ratos, que aparecem com muita frequência nas cidades. Em épocas de fortes chuvas, as ruas acabam ficando inundadas e a chance da bactéria se espalhar é grande, já que ela resiste por muito tempo.

Sintomas da Leptospirose

Durante alguns dias a doença pode não apresentar sintomas. Logo em seguida, as pessoas apresentam febre alta um mal-estar intenso. As dores por todo o corpo, em especial, na parte da cabeça e na perna são bem desconfortáveis. Os doentes podem apresentar olhos vermelhos, diarreia, além de manchas pelo corpo.

Depois de três ou quatro dias dos primeiros sintomas, a leptospirose costuma ter uma baixa na forma como esses sintomas aparecem. Entretanto, alguns casos apresentam complicações que merecem muita atenção. É o caso de pacientes que apresentam hemorragias e problemas nos rins.

Como Diagnosticar a Leptospirose

Leptospirose
Leptospirose

É muito comum que nos primeiros dias a doença possa ser confundida com a dengue ou hepatite uma vez que as características são bem semelhantes. Portanto, ao menor sinal dos sintomas descritos, você deve procurar o médico para uma investigação mais aprofundada por meio de exames laboratoriais.

Lembre que quanto mais rápido você procurar o médico e iniciar o tratamento mais rápido a doença irá ser eliminada. Além disso, um diagnóstico precoce evita maiores complicações da leptospirose.  Outro ponto importante de ser destacado é a necessidade de hidratação intensa do paciente.

O tratamento é realizado através de medicamento como os antibióticos. Deve-se evitar o consumo de remédios que possuam ácido acetilsalicílico em sua composição pois são aumentados os riscos de hemorragia. Portanto, não tome medicamento por conta própria e consulte sempre um médico para as melhores orientações.

Não existe vacina que protege da leptospirose em humanos. O que existe é uma imunização para os animais como os cachorros. Entretanto, ela não garante totalmente que o animal esteja livre de contrair a bactéria transmissora da leptospirose.

Medidas para Evitar a Leptospirose

Rato na Beira do Rio
Rato na Beira do Rio

Alguns cuidados nunca são demais para evitar essa grave doença. O primeiro deles é atentar para os cuidados básicos de higiene. Procure tratar o seu lixo da forma adequadas e não esqueça de ferver a água que irá ser consumida.

Os alimentos devem ser lavados vigorosamente antes serem ingeridos. Uma atenção especial deve ser dada para alimentos crus. Não esqueça de deixar a caderneta de vacinação do seu animalzinho sempre em dias e mantenha as vasilhas de água e comidas sempre limpas.

Na sua casa, evite deixar caixa d’águas destampadas e utilize sempre proteção como luvas quando for lidar com ambientes com água e que podem servir como repositório da bactéria que transmite a leptospirose.

E principalmente, não se medique caso esteja suspeitando da infecção pela bactéria. Procure o posto e saúde ou hospital mais próximo da sua casa.

Ouras Informações Sobre a Leptospirose

Veja algumas outras informações sobre a doença:

  • Muito mito ronda a transmissão da leptospirose. Uma delas é que possível contrair a doença ao beber refrigerante em lata. Em tese, isso é possível sim, já que um rato pode urinar na lata. Entretanto, a transmissão pode acontecer de várias outras formas, como por exemplo, no consumo de alimentos. Ou seja, não é somente por esse meio que você ficar doente já que os transmissores da doença podem contaminar outros alimentos e locais. Em todo, caso não custa nada limpar as latinhas antes de consumi-las, não é verdade?
  • Os sintomas podem demorar até um mês para aparecerem.
  • Em casos de enchentes, em que muitas vezes não é possível evitar o contato com água contaminada, procure passar o menor tempo possível em contato com ela, ok? Para realizar limpezas em áreas que sofreram esse tipo de acidente procure utilizar produtos de limpeza para desinfetar bem todo o local.
  • Uma receitinha eficaz para realizar a limpeza é misturar 400 mL de água sanitária com 20 litros de água. É importante deixar o conteúdo agir por mais de dez minutos e só em seguida realizar a lavagem com água. Alimentos que entrarem em contato com a água devem ser jogados fora.
  • Uma característica muito importante (e que merece muita atenção) da bactéria que transmite a leptospirose é que ela pode sobreviver por meses se não encontrar um hospedeiro. Portanto, todo cuidado é pouco para evitar a contaminação com essa doença.
  • A leptospirose não pode ser transmitida de pessoa para pessoa. Só possível adquirir a doença por meio da bactéria Leptospira que pode se espalha através da urina de alguns animais.
    Bactéria Leptospira
    Bactéria Leptospira

A leptospirose é uma doença grave e, portanto,  é muito importante tomar as medidas de higiene adequadas para não contrair a enfermidade. Não deixe de orientar os seus familiares e amigos sobre os procedimentos corretos para evitar a transmissão da leptospirose.

Veja também

Reprodução do Macaco: Filhotes e Período de Gestação

Hoje vamos conhecer um pouco mais sobre a reprodução dos macacos, entender como funciona a …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *