Home / Natureza / Qual Ave Voa Mais Alto no Brasil?

Qual Ave Voa Mais Alto no Brasil?

Conheça Mais Sobre as Aves do Brasil

No Brasil existe quase duas mil espécies de aves catalogadas, variando entre pássaros famosos como as andorinhas e beija-flores, ou as aves de rapina, como as harpias e as águias, ou como os chamados psitacídeos, que englobam as araras e os papagaios, ou também os galináceos, tais como o pavão e a galinha da Angola, indo ainda até os beija-flores, as garças, as cegonhas, os urubus, os tucanos e os pica-paus. Todos esses são exemplos de aves de fácil reconhecimento pelos brasileiros, pois são animais que fazem parte dos estudos na escola, das reportagens na televisão e, em muitos casos, animais que podem ser vistos com facilidade em determinadas regiões do País.

Alguns pássaros serão vistos somente em certos locais, pois são aves endêmicas (que só são encontradas em determinadas regiões (como o Periquito do Morro, que só pode ser encontrado em Tocantins), sem contar as várias espécies que estão ameaçadas de extinção e que se encontram somente em cativeiro, como o Tucano de Bico Preto e a Arara Azul Pequena, por exemplo.

Mas, afinal, de todas essas aves existentes em território nacional, qual delas tem a capacidade de atingir o voo mais alto?

Confira nesse artigo a resposta para essa pergunta e várias outras curiosidades sobre as aves que fazem parte da cultura dos brasileiros. Aproveite e acompanhe os links fornecidos ao decorrer da leitura para aprender mais sobre outras aves aqui no site Mundo Ecologia.

Os Voos Recordistas Não São de Aves Brasileiras

Existem relatórios comprovando voos e outros recordes executados por aves, como o de maior distância de voo sem pausas, ou de maior distância já percorrida, ou até mesmo da maior migração já feita. As aves que executam essas atividades vivem em ambientes em que é exigido que estas atravessem condições irregulares para poder sobreviverem, o que não ocorre no Brasil, onde as aves não precisam voar a alturas inimagináveis para poder migrar, ou voar durante dias ininterruptos para poder achar abrigo e comida.

As aves que conseguem atingir a maior altura de voo no mundo são os grifos, que são abutres que vivem na África. É constatado que o Grifo de Rüppel pode chegar a 13 mil metros de altura, sendo esse muito famoso após uma ave da espécie se chocar om um avião a 11.300 metros de altura. O Abutre Fouveiro também consegue chegar a tais distâncias, assim como o Ganso Indiano, que já foi estudado pelo fato de sempre voar por cima do Monte Everest na época de migração.

O Vôo do Glifo de Rüppel
O Vôo do Glifo de Rüppel

Os urubus do mundo antigo, como são conhecidos os grifos de Rüppel e Fouveiro, são as aves que possuem o voo mais alto do mundo, passando até mesmo a altura do voo de jatos comerciais, e estes vivem no continente Africano.

Conheça mais sobre os urubus acessando o link TUDO SOBRE OS URUBUS aqui no site Mundo Ecologia.

Conheça as Aves que Voam Mais Alto em Território Nacional

As aves brasileiras, assim como todas as aves ao redor do mundo, voam em uma altura razoável, não tendo necessidade de enfrentar condições mais rigorosas de oxigênio e pressão atmosférica de altitudes elevadas. As únicas variedades de aves que tendem a voar mais alto do que as outras, são as aves caçadoras, que utilizam a visão para poder caçar, ou seja, estas precisam voar a alturas mais distantes no intuito de obter um campo de visão mais amplo.

Por isso, quem lidera os voos em território nacional é o Urubu do Mundo Novo, conhecido como Urubu Rei, que voa até 400 metros do solo, garantindo que essa espécie de ave realmente possui a tendência de voar mais alto do que qualquer outra, assim como suas parentes africanas, que são recordistas mundiais.

O Vôo do Urubu Rei
O Vôo do Urubu Rei

Logo abaixo do abutre está o Gavião Rei, que voa até a 100 metros acima da copa das árvores no intuito de enxergar planos cenários para ter uma caçada produtiva. Este também possui a tendência de construir seus ninhos em lugares altos para poupar o trabalho de voar para longe na hora de caçar.

Conheça mais sobre as águias e todas as curiosidades sobre elas acessando TUDO SOBRE AS ÁGUIAS.

Lista de Aves Mais Comuns do Território Brasileiro

1. Alma-de-gato (Piaya cayana)

Alma-de-Gato
Alma-de-Gato

2. Águia-pescadora (Pandion haliaetus)

Águia-Pescador
Águia-Pescador

3. Ananaí (Amazonetta brasiliensis)

Ananaí
Ananaí

4. Anu-branco (Guira guira)

Anu-branco
Anu-branco

5. Anu-preto (Crotophaga ani)

Anu-Preto
Anu-Preto

6. Arapaçu-do-cerrado (Lepidocolaptes angustirostris)

Arapaçu-do-Cerrado
Arapaçu-do-Cerrado

7. Ariramba-de-cauda-ruiva (Galbula ruficauda)

Ariramba-de-Cauda-Ruiva
Ariramba-de-Cauda-Ruiva

8. Arredio-pálido (Cranioleuca pallida)

Arredio-Pálido
Arredio-Pálido

9. Andorinha-do-rio (Tachycineta albiventer)

Andorinha-do-Rio
Andorinha-do-Rio

10. Andorinha-pequena-de-casa (Pygochelidon cyanoleuca)

Andorinha-Pequena-de-Casa
Andorinha-Pequena-de-Casa

11. Beija-flor-de-fronte-violeta (Thalurania glaucopis)

 Beija-Flor-de-Fronte-Violeta
Beija-Flor-de-Fronte-Violeta

12. Beija-flor-tesoura (Eupetomena macroura)

Beija-Flor-Tesoura
Beija-Flor-Tesoura

13. Beija-flor-preto (Florisuga fusca)

Beija-Flor-Preto
Beija-Flor-Preto

14. Bem-te-vi (Pitangus sulphuratus)

Bem-Te-Vi
Bem-Te-Vi

15. Bem-te-vi-rajado (Myiodynastes maculatus)

 Bem-Te-Vi-Rajado
Bem-Te-Vi-Rajado

16. Besourinho-de-bico-vermelho (Chlorostilbon lucidus)

Besourinho-de-Bico-Vermelho
Besourinho-de-Bico-Vermelho

17. Bico-de-prata (Ramphocelus carbo)

Bico-de-Prata
Bico-de-Prata

18. Bigodinho (Sporophila lineola)

Bigodinho
Bigodinho

19. Biguá (Phalacrocorax brasilianus)

Biguá
Biguá

20. Biguatinga (Anhinga anhinga)

 Biguatinga
Biguatinga

21. Cabeça-seca (Mycteria americana)

Cabeça-Seca
Cabeça-Seca

22. Cambacica (Coereba flaveola)

Cambacica
Cambacica

23. Canário-da-terra (Sicalis flaveola)

 Canário-da-Terra
Canário-da-Terra

24. Carcará (Caracara plancus)

Carcará
Carcará

25. Carrapateiro (Milvago chimachima)

Carrapateiro
Carrapateiro

26. Catirumbava (Orthogonys chloricterus)

Catirumbava
Catirumbava

27. Choca-barrada (Thamnophilus doliatus)

Choca-Barrada
Choca-Barrada

28. Chopim (Molothrus bonariensis)

Chopim
Chopim

29. Cochicho (Anumbius annumbi)

Cochicho
Cochicho

30. Coleirinho (Sporophila caerulescens)

Coleirinho
Coleirinho

31. Coró-coró (Mesembrinis cayennensis)

Coró-Coró
Coró-Coró

32. Corruíra (Troglodytes musculus)

Corruíra
Corruíra

33. Corucão (Chordeiles nacunda)

Corucão
Corucão

34. Coruja-buraqueira (Athene cunicularia)

Coruja-Buraqueira
Coruja-Buraqueira

35. Corujinha-do-mato (Megascops choliba)

Corujinha-do-Mato
Corujinha-do-Mato

36. Curicaca (Theristicus caudatus)

Curicaca
Curicaca

37. Curutié (Certhiaxis cinnamomeus)

Curutié
Curutié

38. Ferreirinho-relógio (Todirostrum cinereum)

Ferreirinho-Relógio
Ferreirinho-Relógio

39. Frango-d’água-comum (Gallinula galeata)

Frango-D’Água-Comum
Frango-D’Água-Comum

40. Freirinha (Arundinicola leucocephala)

Freirinha
Freirinha

41. Garça-branca-grande (Ardea alba)

Garça-Branca-Grande
Garça-Branca-Grande

42. Garça-branca-pequena (Eggreta thula)

Garça-Branca-Pequena
Garça-Branca-Pequena

43. Garça-moura (Ardea cocoi)

Garça-Moura
Garça-Moura

44. Garça-vaqueira (Bubulcus ibis)

Garça-Vaqueira
Garça-Vaqueira

45. Garibaldi (Chrysomus ruficapillus)

Garibaldi
Garibaldi

46. Gavião-carijó (Rupornis magnirostris)

Gavião-Carijó
Gavião-Carijó

47. Gavião-peneira (Elanus leucurus)

Gavião-Peneira
Gavião-Peneira

48. Gaviãozinho (Gampsonyx swainsonii)

Gaviãozinho
Gaviãozinho

49. Guaxe (Cacicus haemorrhous)

Guaxe
Guaxe

50. Irerê (Dendrocygna viduata)

Irerê
Irerê

51. Jaçanã (Jacana jacana)

Jaçanã
Jaçanã

52. Jacuaçu (Penelope obscura)

Jacuaçu
Jacuaçu

53. João-de-barro (Furnarius rufus)

João-de-barro
João-de-barro

54. Juruviara (Vireo olivaceus)

 Juruviara
Juruviara

55. Lavadeira-mascarada (Fluvicola nengeta)

Lavadeira-Mascarada
Lavadeira-Mascarada

56. Maria-cavaleira (Myiarchus ferox)

Maria-Cavaleira
Maria-Cavaleira

57. Maria-cavaleira-de-rabo-enferrujado (Myiarchus tyrannulus)

Maria-Cavaleira-de-Rabo-Enferrujado
Maria-Cavaleira-de-Rabo-Enferrujado

58. Maria-leque-de-sudeste (Onychorhynchus swainsoni)

Maria-Leque-de-Sudeste
Maria-Leque-de-Sudeste

59. Mergulhão-pequeno (Tachybaptus dominicus)

Mergulhão-Pequeno
Mergulhão-Pequeno

60. Mocho-dos-banhados (Asio flammeus)

Mocho-dos-Banhados
Mocho-dos-Banhados

61. Neinei (Megarhynchus pitangua)

Neinei
Neinei

62. Pardal (Passer domesticus)

Pardal
Pardal

63. Periquito-rico (Brotogeris tirica)

Periquito-Rico
Periquito-Rico

64. Pica-pau-de-banda-branca (Dryocopus lineatus)

Pica-Pau-de-Banda-Branca
Pica-Pau-de-Banda-Branca

65. Pica-pau-verde-barrado (Colaptes melanochloros)

Pica-Pau-Verde-Barrado
Pica-Pau-Verde-Barrado

66. Pitiguari (Cyclarhis gujanensis)

Pitiguari
Pitiguari

67. Pomba-de-bando (Zenaira auriculata)

Pomba-de-Bando
Pomba-de-Bando

68. Pombão (Patagioenas picazuro)

Pombão
Pombão

69. Pombo-doméstico (Columba livia)

Pombo-Doméstico
Pombo-Doméstico

70. Primavera (Xolmis cinereus)

Primavera
Primavera

71. Quero-quero (Vanellus chilensis)

 Quero-Quero
Quero-Quero

72. Quiriquiri (Falco sparverius)

Quiriquiri
Quiriquiri

73. Rolinha (Columbina talpacoti)

Rolinha
Rolinha

74. Sabiá-barranco (Turdus leucomelas)

Sabiá-Barranco
Sabiá-Barranco

75. Sabiá-do-campo (Mimus saturninus)

Sabiá-do-Campo
Sabiá-do-Campo

76. Sabiá-laranjeira (Turdus rufiventris)

Sabiá-Laranjeira
Sabiá-Laranjeira

77. Saí-azul (Dacnis cayana)

Saí-Azul
Saí-Azul

78. Saí-canário (Thlypopsis sordida)

Saí-Canário
Saí-Canário

79. Saíra-amarela (Tangara cayana)

Saíra-Amarela
Saíra-Amarela

80. Sanhaço-cinzento (Tangara sayaca)

Sanhaço-Cinzento
Sanhaço-Cinzento

81. Sanhaço-de-coleira (Schistochlamys melanopis)

Sanhaço-de-Coleira
Sanhaço-de-Coleira

82. Sanhaço-do-coqueiro (Tangara palmarum)

Sanhaço-do-Coqueiro
Sanhaço-do-Coqueiro

83. Sanhaço-de-encontro-amarelo (Tangara ornata)

Sanhaço-de-Encontro-Amarelo
Sanhaço-de-Encontro-Amarelo

84. Sanhaço-de-encontro-azul (Tangara cyanoptera)

Sanhaço-de-Encontro-Azul
Sanhaço-de-Encontro-Azul

85. Saracura-do-mato (Aramides saracura)

Saracura-do-Mato
Saracura-do-Mato

86. Seriema (Cariama cristata)

Seriema
Seriema

87. Socó-boi (Tigrisoma lineatum)

Socó-Boi
Socó-Boi

88. Socó-dorminhoco (Nycticorax nycticorax)

Socó-Dorminhoco
Socó-Dorminhoco

89. Socozinho (Butorides striata)

Socozinho
Socozinho

90. Soldadinho (Antilophia galeata)

Soldadinho
Soldadinho

91. Suiriri (Tyrannus melancholicus)

Suiriri
Suiriri

92. Suiriri-cavaleiro (Machetornis rixosa)

Suiriri-Cavaleiro
Suiriri-Cavaleiro

93. Tecelão (Cacicus chrysopterus)

Tecelão
Tecelão

94. Teque-teque (Todirostrum poliocephalum)

Teque-Teque
Teque-Teque

95. Tesourinha (Tyrannus savana)

Tesourinha
Tesourinha

96. Tico-tico (Zonotrichia capensis)

Tico-Tico
Tico-Tico

97. Tico-tico-de-bico-amarelo (Arremon flavirostris)

Tico-Tico-de-Bico-Amarelo
Tico-Tico-de-Bico-Amarelo

98. Tico-tico-do-campo (Ammodramus humeralis)

 Tico-Tico-do-Campo
Tico-Tico-do-Campo

99. Tiê-de-topete (Trichothraupis melanops)

Tiê-de-Topete
Tiê-de-Topete

100. Tiê-preto (Tachyphonus coronatus)

Tiê-Preto
Tiê-Preto

101. Tiriba-de-testa-vermelha (Pyrrhura frontalis)

Tiriba-de-Testa-Vermelha
Tiriba-de-Testa-Vermelha

102. Tucano (Ramphastos toco)

Tucano
Tucano

103. Tuim (Forpus xanthopterygius)

Tuim
Tuim

104. Urubu-de-cabeça-preta (Coragyps atratus)

Urubu-de-Cabeça-Preta
Urubu-de-Cabeça-Preta

105. Viuvinha (Colonia colonus)

Viuvinha
Viuvinha

Veja também

Cadeia Alimentar da Baleia e o Ecossistema Marinho

Cerca de 300.000 espécies marinhas são conhecidas pela ciência – cerca de 15% de todas …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *