Home / Natureza / Quais os Sintomas da Intoxicação Por Inseticida?

Quais os Sintomas da Intoxicação Por Inseticida?

Olhos lacrimejantes, tosse, problemas cardíacos e dificuldade em respirar são alguns dos sinais visíveis de intoxicação por inseticida. O diagnóstico é baseado na sinopse, no fluxo sanguíneo e na descrição do evento que foi desenvolvido. Eficiência de desvio farmacêutico no tratamento de formas graves de desenvolvimento de inseticidas.

As propriedades que tornam o inseticida letal para insetos às vezes são até venenosas para os seres humanos. A maioria dos envenenamentos graves por inseticidas é devida a inseticidas. Especialmente os inseticidas fumigantes na fase de vapor – mas também algumas névoas, pós e vapores de aerossóis – apresentam o maior risco de inalação, principalmente quando usados ​​em condições de pouca ventilação e em espaços confinados.

Felizmente, a maioria das partículas transportadas pelo ar é filtrada através das cavidades nasais ou retida pelas superfícies úmidas do trato respiratório (retornadas à boca pelos movimentos do epitélio ciliado e expelidas durante a expiração ou tosse), reduzindo bastante o risco de intoxicação.

No entanto, dada a considerável área superficial das trocas gasosas presentes nos pulmões (cerca de 70 a 80 metros quadrados), é bom lembrar que mesmo uma leve inalação de pequenas quantidades de inseticida pode ter sérias repercussões no organismo, pois sua absorção no nível sanguíneo é quase imediato, dando pouca chance de intervir prontamente com remédios eficazes.

Inseticida
Inseticida

Absorção Dérmica De Inseticida

A pele forma uma barreira protetora eficaz e é muito menos permeável a substâncias tóxicas do que os sistemas digestivo e respiratório. No entanto, a absorção dérmica, embora relativamente lenta, pode ter consequências perigosas quando prolongada por um longo período de tempo (por exemplo, ao usar roupas de proteção contaminadas com substâncias tóxicas – que permanecem aderentes à pele por longos períodos – ou produtos concentrados são manipulados sem fornecer depois de limpar as mãos ou outras partes contaminadas do corpo).

Das diferentes formulações disponíveis para inseticidas, os produtos líquidos são mais propensos à absorção da pele, penetrando facilmente nas glândulas sebáceas e sudoríparas ou penetrando nas feridas (atingindo rapidamente a corrente sanguínea); os pós, por serem substâncias sólidas que não estão em solução, têm a menor possibilidade e carbamatos, principalmente quando usados ​​para uma tentativa de suicídio e no local de trabalho, em caso de envenenamento acidental.

Alguns inseticidas comumente usados, são extraídos de flores e geralmente não são muito tóxicos para os seres humanos.Muitos inseticidas causam intoxicação após serem ingeridos, inalados ou absorvidos pela pele. Alguns inseticidas são inodoros, por esse motivo o sujeito não percebe que está exposto. Os inseticidas organofosforados e carbamatos fazem com que alguns nervos emitam impulsos incorretamente, de modo que muitos órgãos se tornam hiperativos e eventualmente param de funcionar.

Perigos dos Inseticidas

Para esclarecer melhor sua diferença substancial, vamos nos referir a um exemplo simples. Pense na nicotina: a dose letal para um homem é de cerca de 50 mg, a mesma quantidade contida em dois cigarros; no entanto, a maior parte dessa substância é decomposta durante a combustão e, portanto, não é absorvida pelo organismo, evitando assim qualquer perigo para a sobrevivência imediata do fumante. Nesse caso, podemos concluir facilmente que, embora a nicotina seja uma substância extremamente venenosa, não existem condições de risco que causem problemas de toxicidade.

Espirrando Inseticidas
Espirrando Inseticidas

Consequentemente, mesmo no caso de inseticidas, o risco depende em maior medida da capacidade do indivíduo de absorver quantidades perigosas de substâncias nocivas, e não de sua toxicidade absoluta. Os fatores que influenciam essas possibilidades são a concentração, o tipo de formulação, a via de entrada ou absorção e a duração da exposição.Quanto mais uma substância tóxica é diluída, maior deve ser a quantidade de solução a ser absorvida para determinar o aparecimento de sintomas de envenenamento que seriam obtidos com o produto puro. Por esse motivo, o risco de envenenamento diminui bastante com a diluição do produto inseticida.

As formulações que favorecem um contato íntimo da substância tóxica com o indivíduo (ou uma penetração mais fácil dessa através da pele) estarão em maior risco: por esse motivo, gases puros e inseticidas líquidos geralmente representam uma ameaça maior do que, por exemplo, pós molháveis, com formulações granulares ou soluções aquosas. No entanto, existem formulações de inseticidas muito tóxicas que podem ser usadas com risco muito baixo de contaminação, como produtos micro encapsulados e produtos de isca.

Máscara de Proteção Contra Inseticidas
Máscara de Proteção Contra Inseticidas

Especialmente os inseticidas fumigantes na fase de vapor – mas também algumas névoas, pós e vapores de aerossóis – apresentam o maior risco de inalação, principalmente quando usados ​​em condições de pouca ventilação e em espaços confinados. Felizmente, a maioria das partículas transportadas pelo ar é filtrada através das cavidades nasais ou retida pelas superfícies úmidas do trato respiratório (retornadas à boca pelos movimentos do epitélio ciliado e expelidas durante a expiração ou tosse), reduzindo bastante o risco de intoxicação.

No entanto, dada a considerável área superficial das trocas gasosas presentes nos pulmões (cerca de 70 a 80 metros quadrados), é bom lembrar que mesmo uma leve inalação de pequenas quantidades de inseticida pode ter sérias repercussões no organismo, pois sua absorção no nível sanguíneo é quase imediato, dando pouca chance de intervir prontamente com remédios eficazes.A pele forma uma barreira protetora eficaz e é muito menos permeável a substâncias tóxicas do que os sistemas digestivo e respiratório.

No entanto, a absorção dérmica, embora relativamente lenta, pode ter consequências perigosas quando prolongada por um longo período de tempo (por exemplo, ao usar roupas de proteção contaminadas com substâncias tóxicas – que permanecem aderentes à pele por longos períodos – ou produtos concentrados são manipulados sem fornecer depois de limpar as mãos ou outras partes contaminadas do corpo).

Das diferentes formulações disponíveis para inseticidas, os produtos líquidos são mais propensos à absorção da pele, penetrando facilmente nas glândulas sebáceas e sudoríparas ou penetrando nas feridas (atingindo rapidamente a corrente sanguínea); os pós, por serem substâncias sólidas que não estão em solução, têm a menor possibilidade de penetração.

Os Sintomas De Intoxicação Com Inseticida

O organofósforo e os carbamatos causam olhos lacrimejantes, visão embaçada, salivação, sudorese, tosse, vômito, além de freqüentes evacuações e micção. Eles podem reduzir a pressão arterial e a frequência cardíaca, que também podem se tornar irregulares e causar convulsões.

Chiado pode ocorrer e espasmos e fraqueza muscular podem ocorrer. Apenas raramente a sibilância ou a atonia muscular são letais. Os sintomas duram horas ou dias após a exposição aos carbamatos, mas a fraqueza pode durar semanas após a exposição a compostos organofosforados.

A piretrina pode causar espirros, lacrimejamento, tosse e, às vezes, chiado no peito. Sintomas graves ocorrem raramente.

Diagnóstico da Intoxicação

Diagnóstico da Intoxicação
Diagnóstico da Intoxicação

O diagnóstico de envenenamento por inseticida é baseado em sintomas e na descrição de eventos circunstanciais. O diagnóstico é suportado pelo alívio dos sintomas com a administração de atropina intravenosa. Os exames de sangue confirmam envenenamento por organofósforo ou carbamato.

Os médicos mantêm a pessoa sob observação se ocorrer insuficiência respiratória e administram atropina e outros tratamentos para manter a função respiratória e cardíaca. A atropina, administrada por via intravenosa, pode aliviar a maioria dos sintomas. O pralidoxima, administrado por via intravenosa, acelera a cicatrização da função nervosa, eliminando a causa dos sintomas.

Os sintomas do envenenamento por carbamato também são resolvidos com atropina, onde geralmente a pralidoxima não é conclusiva. Os sintomas do envenenamento por piretrina desaparecem sem tratamento.Cada veneno cria um sintomatologia diferente, em função da composição química específica.

Veja também

Amêndoas Torradas Na Assadeira

Quanto Tempo Para Torrar Amêndoas? Como Fazer?

Cozinhar é algo muito prazeroso, principalmente quando sabemos as técnicas corretas que devem ser utilizadas …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *