Home / Natureza / Origem Da Maritaca e a História Deste Animal

Origem Da Maritaca e a História Deste Animal

A maritaca, também chamada de maitaca, baiatá, curica, cocota, guaracininga, humaitá, maetá, maitá, puxicaraim e xia, é um tipo de ave da família dos papagaios, e apesar de serem quase sempre idênticas em aparência, são espécies diferentes com características únicas que as diferenciam bastante uma das outras.

A maritaca é da espécie psitaciforme, que inclui os papagaios e periquitos, formando mais de 360 espécies, sendo do gênero Pionus, tal como o Pionus maximiliani, por exemplo.

A principal característica da maitaca é seu comportamento, que demonstra muita agitação e sons altos e estridentes, marca registrada da espécie.

O que mais diferencia uma maitaca de um papagaio, por exemplo, é som que os mesmos produzem, já que, apesar dos papagaios serem barulhentos, as maitacas conseguem ser ainda mais escandalosas, porém, elas não conseguem reproduzir sons como fazem os papagaios.

O fato das maritacas serem aves barulhentas, originou seu próprio nome, que tem origem tupi; os índios a chamavam de mba’é taka, que significa “coisa barulhenta”.

Muitas pessoas possuem a tendência de identificar as aves como maritaca, ao invés de papagaios, através do tamanho das mesmas, mas isso não é correto, já que existe espécies de papagaios que são menores ou do mesmo tamanho que maritacas, assim como até mesmo considerar os tuins, como sendo espécies de maritacas, tal como ocorre com a espécie Orpus xanthopterygius.

Origem e História da Maritaca

A maritaca tem origem sul-americana, estando presente em grandes bandos nas regiões centrais do Brasil, com foco no Sudeste, mas ainda estando distribuídas por todo o território brasileiro, além de debandarem para alguns Países vizinhos no norte, tais como a Bolívia, Venezuela e alguns no sul, como o Paraguai e a Argentina.

No Brasil, a presença de maritaca na região nordeste ocorre nos Estados do Maranhão, Piauí, Pernambuco, Alagoas, na região sudeste, nos Estados do Espirito Santo, Minas Gerais, Rio de Janeiro, São Paulo e na região sul, ocorrem no Paraná, Santa Catarina, Rio Grande do Sul,  não obstante na região centro-oeste de Goiás e Mato Grosso.

A maritaca vive em regiões de mata densa, assim como os papagaios e araras, vivendo em ninhos em troncos ocos, e se comunicam através de gritos altos que podem ser ouvidos de muito longe; tais gritos também indicam a presença de predadores ou quando as mesmas sofrem algum tipo de ataque proveniente de humanos.

Alguns caçadores e até mesmo nativos, passaram a usar a maritaca como um bicho de estimação pelo fato dela ser uma ave alarmante, soltando gritos altos na presença ou vista de pessoas ou animais distintos.

Atualmente, é proibido possuir uma maritaca ou um papagaio em casa, a não ser com documentos comprobatórios assinados pelo IBAMA, e qualquer outro tipo de posse é caracterizado como um crime ambiental.

Principais Diferenças Entre a Maritaca e o Papagaio

Existe muita dúvida em estabelecer que tipo de ave pode ser um papagaio e uma maritaca, já que ambas as aves apresentam uma aparência quase que idêntica, tais como penas verdes com algumas penas de coloração diferentes, e somente pessoas muito conhecedoras conseguem estabelecer a espécie ou subespécie apenas através do olhar.

A forma mais prática de identificar a diferença entre as aves será através de uma análise comportamental, pois os papagaios demonstram ser aves mais calmas, além de produzirem diversificados sons, podendo até mesmo imitar vários sons externos.

Mas não pode se pode deixar enganar, pois algumas espécies de papagaios não produzem sons externos, apenas seus próprios sons, no entanto, ainda é possível distingui-los das maritacas devido ao comportamento e a altura dos gritos.

As maritacas também se apresentam em estaturas menores que os papagaios na maioria dos casos, onde os papagaios possuem cerca de 30 a 40 cm, enquanto as maritacas variam entre 20 e 30 cm.

Conheça As Principais Espécies De Maritacas

  • Nome Comum: Maritaca-de-Cabeça-Azul
    Nome Científico: Pionus menstruus
    Status de Conservação: LC – Pouco Preocupante
    Distribuição: Brasil, Bolívia, Venezuela e Costa Rica.
Pionus Menstruus
Pionus Menstruus
  • Nome Comum: Maritaca-de-Peito-Vermelho
    Nome Científico: Pionus sordidus
    Status de Conservação: LC – Pouco Preocupante
    Distribuição: Bolívia, Colômbia, Equador, Peru e Venezuela
Pionus Sordidus
Pionus Sordidus
  • Nome Comum: Maritaca-Verde
    Nome Científico: Pionus maximiliani
    Status de Conservação: LC – Pouco Preocupante
    Distribuição: Brasil (Cerrado e Caatinga), Bolívia, Paraguai e Argentina.
Pionus Maximiliani
Pionus Maximiliani
  • Nome Comum: Maritaca-de-Testa-Branca
    Nome Científico: Pionus senilis
    Status de Conservação: LC – Pouco Preocupante
    Distribuição: México e Panamá
Pionus Senilis
Pionus Senilis
  • Nome Comum: Maritaca-de-Cara-Manchada
    Nome Científico: Pionus tumultuosus
    Status de Conservação: LC – Pouco Preocupante
    Distribuição: Bolívia, Colômbia, Equador, Peru e Venezuela
Pionus Tumultuosus
Pionus Tumultuosus
  • Nome Comum: Maritaca-Asa-de-Bronze
    Nome Científico: Pionus chalcopterus
    Status de Conservação: LC – Pouco Preocupante
    Distribuição: Bolívia, Colômbia, Equador, Peru e Venezuela
Pionus Chalcopterus
Pionus Chalcopterus
  • Nome Comum: Maritaca-Roxa
    Nome Científico: Pionus fuscus
    Status de Conservação: LC – Pouco Preocupante
    Distribuição: Brasil, Colômbia, Guiana Francesa, Guiana, Suriname e Venezuela
Pionus Fuscus
Pionus Fuscus

As espécies mais comuns de maritacas, são as maritacas verdes, amplamente distribuídas pelo Brasil, tendo seu foco principal nas regiões do Mato Grosso do Sul, Mato Grosso do Norte, Goiás, Tocantins, Maranhão, Piauí, Bahia e Minas Gerais, Rio Grande do Norte, Ceará, Paraíba, Pernambuco, Alagoas, Sergipe, Bahia e norte do Espírito Santo.

Curiosidades Sobre a Maritaca

  • A maritaca se alimenta de frutos maduros e sementes de cocos, sendo, junto a outras aves psitaciformes, as principais dispersores das sementes desses frutos na selva.
  • As maritacas são comercializadas ilegalmente e possuir alguma maritaca sem a autorização do IBAMA pode resultar em crime ambiental, sendo cerca de R$ 500,00 por cada ave, além de responder pelo crime na delegacia, com risco de prisão.
  • Muitas pessoas costumavam ter as maritacas em casa pelo fato delas funcionarem como alarmes, pois as mesmas reagem de forma escandalosa na presença de pessoas e animais diferentes; essa cultura vem dos indígenas, que as usavam para alarmar sobre possíveis predadores nas redondezas.
  • Uma maritaca pode viver de 20 a 30 anos.
  • O peso médio da maritaca varia entre 200g e 300g, onde as fêmeas são um pouco mais leves que os machos.
  • Uma maritaca deixa de 2 a 3 ovos por ninhada, e os casais são monogâmicos, permanecendo juntos até o fim de suas vidas, morando nos mesmos ninhos e se reproduzindo sempre na época entre janeiro e agosto.
  • Não é uma característica única da maritaca, mas as aves psitaciformes demonstram um apego extremo ao parceiro e aos filhotes, tornando-se inconsoláveis a partir do momento que são separados um dos outros, podendo morrer por estresse ou depressão. 

Veja também

Ecossistema Brasileiro – Pantanal

O Brasil é um país com dimensões gigantescas, trata-se de um dos maiores países do …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *