Home / Natureza / O Que é Carcinoma de Células Claras?

O Que é Carcinoma de Células Claras?

O carcinoma de célula renal é a forma mais comum de cancro renal, especialmente em adultos, originado a partir dos túbulos renais. O tratamento inicial é cirúrgico, pois tem a particularidade de ser consistentemente resistente à radioterapia e quimioterapia, embora alguns casos tenham respondido favoravelmente à imunoterapia. O advento de terapias antitumorais direcionadas, como sunitinibe, temsirolimus, bevacizumabe e sorafenibe, melhorou as diretrizes de tratamento para esta doença. O tratamento inicial é geralmente a remoção parcial ou completa dos rins afetados. Quando o câncer não é metastizado, ou seja, quando não se espalha para outros órgãos ou quando está localizado mais profundamente nos tecidos renais, a taxa de sobrevida em cinco anos é de 65 a 90%, mas Isso diminui consideravelmente quando o câncer se espalha.

Os sintomas da doença demoram muito tempo a aparecer e, como resultado, as pessoas com carcinoma de células renais geralmente apresentam doença avançada quando descobertas. Os sintomas iniciais do carcinoma de células renais geralmente incluem sangue na urina (que ocorre em 40% das pessoas afetadas no momento em que procuram atendimento médico pela primeira vez), dor abdominal (40%), massa no abdome (25%), perda de peso (33%), febre (20%), pressão alta (20%), suores noturnos e, em geral, mal-estar. Quando o carcinoma de células renais se metastiza, ele se espalha mais frequentemente para os linfonodos, pulmões, fígado, glândulas supra-renais, cérebro ou ossos. A imunoterapia e a terapia direcionada melhoraram o prognóstico do câncer de células renais metastático.

Epidemiologia

A incidência de carcinoma de células claras varia de acordo com fatores geográficos, demográficos e, em menor grau, hereditários. Existem alguns fatores de risco conhecidos para o seu desenvolvimento, no entanto, a importância de outros potenciais permanece controversa. Os mais comuns incluem tabagismo, fatores genéticos e hemodiálise. A incidência desse câncer aumentou mundialmente a uma taxa de aproximadamente 2 a 3% por década 9 até os últimos anos, em que o número de novos casos se estabilizou. 10 Essa patologia é mais comum em pessoas entre 50 e 70 anos de idade 11E tende a ser mais frequente em homens do que em mulheres (aproximadamente 1,6: 1) 12. Cerca de um terço dos pacientes apresentam metástases no diagnóstico.

Carcinoma de Células Claras
Carcinoma de Células Claras

Os países desenvolvidos têm uma incidência mais alta do que aqueles em desenvolvimento, com as maiores taxas registradas na América do Norte, Europa e Austrália / Nova Zelândia 13. Na América Latina, o país com maior incidência de câncer de células renais é o Uruguai.

Quadro Clínico

A tríade clássica do câncer de rim é o sangue na urina, a dor no flanco e o aparecimento de uma massa abdominal. Essa tríade é conhecida como tríade tarde demais, porque no momento em que o paciente apresenta todos os três sintomas, a doença avançou além do ponto de cura. Atualmente, a maioria dos tumores renais é assintomática e é detectada acidentalmente durante um exame de imagem, geralmente por causas não relacionadas.

  • Outros sinais podem incluir:

Cor anormal da urina (marrom, avermelhada, cobre, etc.) devido ao aparecimento de glóbulos vermelhos na urina.
Perda de peso e aparência desnutrida.
O principal sintoma pode ser devido a uma doença metastática, como a fratura patológica de um osso por disseminação óssea. Varicocele ou aumento de um testículo bloqueando a veia gonadal, geralmente no lado esquerdo devido à compressão da veia renal pelo tumor (a veia gonadal drena diretamente para a veia cava inferior).
Alterações da visão.
Palidez devido à hipervolemia.
Hirsutismo (crescimento excessivo de pêlos em mulheres).
Constipação
Hipertensão arterial
Altos valores de cálcio (hipercalcemia)

Etiologia

Não se sabe exatamente qual é o motivo do aparecimento de células cancerígenas nos rins.

Sabe-se que uma história pessoal de tabagismo aumenta o risco de carcinoma de células renais. Certas pessoas podem ter herdado o risco de câncer de rim, portanto o histórico familiar do indivíduo é importante. Começou-se a pensar que a inalação de vários produtos químicos pode ser causal e observou-se que há um aumento contínuo no diagnóstico em mulheres. Uma porcentagem desproporcional de pessoas obesas com câncer de rim também foi observada, de modo que se espera que esse distúrbio seja um fator importante. Aqueles com síndrome de von Hippel-Lindau, uma doença hereditária que também afeta os capilares do cérebro, geralmente são diagnosticados com câncer de rim. Também estão em risco aqueles que, devido a outras doenças renais, necessitam de tratamento hemodialítico. A aparência macroscópica mostra um tumor multilobado amarelado localizado no córtex renal, que geralmente contém áreas de necrose, hemorragia e fibrose. Sob o microscópio, células que formam cordões, papilas, túbulos ou ninhos e que tendem a ser atípicas, poligonais e células grandes são vistas no tumor. Como essas células acumulam glicogênio e lipídios, seu citoplasma tem uma aparência clara com o núcleo central da célula e uma membrana plasmáticaóbvio. Algumas células podem ser menores com citoplasma avermelhado ou eosinofílico, muito semelhante às células tubulares normais. O estroma é reduzido e bem vascularizado. O tumor comprime o parênquima circundante, produzindo uma pseudo-cápsula. A produção e secreção de substâncias vasoativas, como a renina, podem causar pressão alta e a liberação de eritropoietina pode causar aumento da produção de glóbulos vermelhos ou eritrocitose.

Histologia

Células Claras - Ilustrações
Células Claras – Ilustrações

As células claras, representam 75% dos casos, tendem a ter origem no túbulo proximal e apresentam tumores celulares invulgarmente claros pelo citoplasma rico em glicogênio e rico em lipídios. Geralmente é o tipo de câncer renal com modificação genética, geralmente uma exclusão no cromossomo 3.

Os tumores cromofílicos ou papilares, representam 15% dos carcinomas de células renais, tendem a ser bilaterais ou multifocais e podem ter uma trissomia 7 e / ou 17. Eles crescem na forma papilar e geralmente provêm de células do túbulo proximal do néfron.

As células poligonais longas, apesar de apresentarem um citoplasma pálido, tendem a ser reticulares, têm curso indolente e formam tumores sólidos ou sarcomatoides. Eles tendem a ser células hipodiploides e provêm de células do ducto coletor cortical. Eles representam aproximadamente 3% dos carcinomas de células renais.

O oncocitoma renal consiste principalmente de células eosinofílicas que raramente causam metástases e não exibem citogenética como as anteriores. Constituem 3% dos casos e provêm de células do ducto coletor cortical.

O carcinoma das células coletoras é uma variante rara, geralmente inferior a 2%, caracterizada por um curso clínico agressivo das células provenientes do túbulo coletor medular. O estadiamento do carcinoma renal é muito semelhante ao estadiamento de outros tumores malignos, com aplicação no rim projetada por Flocks e Kadesky:

  • Estágio I: quando o tumor está dentro da cápsula renal.
  • Estágio II: O tumor invadiu o tecido adiposo que circunda o rim, mas não passa pela fáscia de Gerota ou cápsula que circunda o rim.
  • Estágio III: o tumor invadiu a veia renal ou a veia cava inferior, houve infiltração de linfonodos regionais ou ambos os casos.
  • Estágio IV: o tumor invade as vísceras adjacentes, excluindo a glândula adrenal do mesmo lado ou surgindo metástases distantes.

Outro sistema frequentemente utilizado no diagnóstico de carcinoma de células renais é o sistema TNM, relatado por patologistas, radiologistas, etc:

Tumor primário (T):

  • TX – O tumor primário não pode ser estudado,
  • T0 – Nenhuma evidência de tumor primário é encontrada
  • T1 – Tumor de 7 cm ou menos em suas maiores dimensões e limitado ao rim
  • T2 – Tumor maior que 7 cm em maior dimensão, limitado ao rim
  • T3 – O tumor se estende às principais veias renais ou invade os tecidos adrenais ou peri-renais, incluindo tecido adiposo, sem passar pela fáscia de Gerota
  • T3a – O tumor invadiu a glândula adrenal ou os tecidos peri-renais sem passar pela fáscia de Gerota
  • T3b – O tumor se estende às veias renais, veia cava abaixo do diafragma
  • T3c – O tumor se espalha pelas veias renais ou veia cava acima do diafragma
  • T4 – O tumor invade além da fáscia ou cápsula de Gerota ao redor do rim

Linfonodos Regionais (N):

  • NX – Linfonodos não são acessíveis para estudo
  • N0 – Sem metástase de linfonodos regionais
  • N1 – Metástase em um linfonodo
  • N2 – Metástase em mais de 1 linfonodo
  • Metástases Distantes (M)
  • MX – Metástase distante não pode ser estudada
  • M0 – Nenhuma metástase distante é vista
  • M1 – Metástases distantes óbvias

Estádios:

  • Estágio I – T1, N0, M0
  • Estágio II – T2, N0, M0
  • Estágio III – T1-2, N1, M0 ou T3a-c, N0-1, M0
  • Estágio IV – T4; ou qualquer T, N2, M0; ou qualquer T, qualquer N, M1

Tratamento

As opções de tratamento para o câncer de células renais são cirurgia, radioterapia, quimioterapia, terapia hormonal, imunoterapia ou uma combinação destes. Mais de 50% dos pacientes com câncer de células renais são curados nos estágios iniciais da doença, mas o prognóstico para o estágio IV é consideravelmente ruim. A probabilidade de cura depende diretamente do estágio, ou seja, do grau de disseminação do tumor, para que a abordagem seja curativa nos estágios iniciais.

Veja também

Uso de Drogas

Quanto Tempo Demora Para Limpar o Sangue das Drogas?

Quando se fala em drogas, logo pensamos nas drogas ilícitas que são fabricadas, vendidas e …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *