Home / Natureza / Lavanda Dentata: Chá, Propriedades e Nome Científico

Lavanda Dentata: Chá, Propriedades e Nome Científico

A Lavanda dentata (Lavandula dentata L.) é a espécie de lavanda mais difundida no Brasil, pois é uma das poucas que consegue sobreviver no clima brasileiro e por isso também é conhecida popularmente como lavanda do Brasil.

Por serem flores muito populares pelo mundo, as lavandas possuem diversos nomes não oficiais, assim como possuem várias nomenclaturas devido sua imensa variedade de espécies.

Esse fato acaba tornando as coisas um pouco confusas, então não se assuste se achar mais de uma lavanda sendo chamada da mesma forma.

A Lavanda dentata faz parte do reino Plantae e é pertencente à família das Lamiaceae (Família dos aromáticos); as plantas dessa família possuem a capacidade de produzir aromas.

A Lavanda dentata também é conhecida como lavanda francesa, alfazema e atéwildfrenchlavender (lavanda selvagem francesa).

Se você possui interesse nos óleos essenciais dessa flor, tome cuidado para não a confundir com a lavanda Inglesa que também é chamada de francesa em alguns meios, mas na verdade se trata da espécie Lavandula angustifolia.

Lavanda Dentata

As classificações científicas botânicas são regulados por um conjunto de normas chamado ICBN (Código Internacional de Nomenclatura Botânica) esse código é independente da nomenclatura zoológica.

No entanto, segue os padrões da nomenclatura binária Lineu onde o primeiro nome é escrito com a primeira letra maiúscula e se trata do gênero do espécime nesse caso: Lavandula, e o segundo nome em letra minúscula se trata da espécie (epiteto específico): dentata L, formando assim seu nome Lavandula dentata L.

Propriedades Farmacêuticas

Existem várias espécies de lavanda e entre elas existem diversas diferenças físicas, mas a mais importante está em sua composição química.

O óleo de lavanda pode possuir até 400 substâncias químicas. Cada lavanda possui compostos químicos voláteis diferentes que são usados como remédios e tratamentos auxiliares naturais, como na Aromaterapia.

Um grande exemplo que pode ser dado aqui é a diferença entre a lavanda Brasileira e Inglesa (Lavanduladentata L x Lavandulaangustifolia), pois a lavanda inglesa possui em seu óleo essencial o Acetato de Linalilae Linalool, que possuem propriedades sedativas do sistema nervoso, já a Lavanda dentata possui cânfora e 1,8-cineole que possui propriedades estimulantes ao sistema nervoso; completamente contrários.

A lavanda dentata possui 1,8-cineole também conhecido como eucaliptol, esse elemento dá ao aroma da lavanda aquele ar “geladinho” que se tem em outras plantas como menta ou o próprio eucalipto, por isso o aroma dela tem propriedades descongestionantes e expectorantes.

Já a cânfora, também muito presente no seu composto químico, é usada em queimaduras, pois ajuda na regeneração do tecido celular.

Além desse benefício, podemos listar: antisséptico, antibacteriano, antifúngica, anti-inflamatório e antiespasmódicas. Ela combate dores musculares e seu aroma agradável é um repelente natural.

O Chá de Lavanda

A lavanda possui diversos usos farmacêuticos e formas de uso.

Estaremos aqui falando sobre o chá dessa flor, que sempre foi muito popular.

A lavanda, por possuir várias propriedades medicinais, não poderia ficar de fora no entanto não se encontra chá de todas as espécies.

O mais comum é o chá de Lavanda inglesa oficialmente denominada de Lavandula angustifolia ou officinalis ou vera sim, essa possui 3 nomes científicos.

Por ser calmante, é indicado para pessoas com hipertensão, insônia, ansiedades e até mesmo pessoas que sofrem de depressão porém é sempre bom ter o acompanhamento de um médico e tomar cuidado com contra indicações e efeitos colaterais.

Nesse caso, o único efeito colateral é a sonolência, então é importante evitar a ingestão em excesso e o uso prolongado, principalmente em gestantes, não se recomenda o uso com tônicos, a Lavanda angustifolia possui o óleo mais seguro da aromaterapia, então seguindo as poucas indicações e cuidados você pode fazer uso dessa flor sem medo.

O preparo de um chá dessa flor é muito simples e traremos uma receita aqui.

Ingredientes:

  • Um litro de água
  • Duas colheres de chá de folha fresca ou de flores desidratadas

Aqueça a água pura até estar fervendo e então despeje a água sobre as folhas ou flores, tampe e deixe por 10 minutos, coe o chá e ele estará pronto para consumo, se desejar, pode adicionar acompanhamentos para dar gosto como por exemplo: misturando as folhas ou flores da lavanda com folhas de camomila antes despejar a água ou adicionando gotinhas de limão.

Já a lavanda dentata por ter ação expectorante graças ao 1,8-cineole (eucaliptol) é comumente usada através da inalação ou o óleo aplicado direto sobre a peleou em queimaduras.

Também se pode ingerir ela em forma de chá, mas todo conhecimento sobre essa prática é empírico e sem embasamento científico. Por conter altas porcentagens de cânfora, é contraindicado a pessoas hipertensas, gestantes, crianças muito novas e pessoas com úlcera. A cânfora é estimulante do sistema nervoso e da circulação.

Origem da Lavanda e Demais Características

Os primeiros relatos da lavanda vem dos gregos, onde o óleo da planta era usada para perfume e para preservação de múmias há mais de 2500 anos atrás.

A lavanda foi batizada de Nardus pelos gregos devido a Naarda cidade síria a beira do rio Eufrates, era o artigo de banho preferido dos gregos e romanos por isso foi nomeado pelos romanos de Lavender.

Dizem que a peste não chegava aos Luvistas da cidade de Grasse, pois eles usavam lavanda para perfumar as luvas, isso fez com que as pessoas da época carregassem lavanda com elas, a lavanda passou a ser usada para limpar as feridas dos soldados após batalhas.

Ao longo da história a realeza sempre mostrou interesse nas lavandas  no séc. XVI, e a lavanda se disseminou pelo mundo junto com a arte da destilação e perfumaria.

Nativa do mediterrâneo prefere locais ensolarados, não carece de muita água,deve ser regada de maneira moderada, prefere solos não tão úmidos, arenosos, calcários ou neutros.

Durante o inverno muito frio, é bom proteger a base da planta com terra.

Veja também

Camarão Pistola: Características, Aquário, Pesca e Fotos

O camarão pistola ou Camarão-de-estalo é, na verdade, uma denominação comum aos camarões da família …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *