Home / Natureza / Diferença entre Fluxo de Energia e Ciclo da Matéria

Diferença entre Fluxo de Energia e Ciclo da Matéria

Ecologia pode parecer um assunto que somente estudantes do Ensino Médio e de cursinhos para vestibulares precisam estudar e entender. Entretanto, pode não parecer de longe, mas compreender esse assunto da Biologia é muito importante para podermos entender um pouco melhor como realmente a vida na Terra funciona para todos os seres vivos que nela habitam.

Todos os processos de alimentação, obtenção de energia, relações entre seres vivos e meio ambiente são estudados por essa área. Logo de início, você aprende um pouco melhor sobre fluxo de energia e ciclo da matéria. Parece complicado? Mas não é. Para quem não tem muito interesse, pode até parecer que esses dois conceitos são a mesma coisa, mas não são.

Ambos explicam muito bem como tudo se renova por aqui, como todo o ciclo funciona e ainda mais, como conseguimos e passamos energia. Energia que sem ela, nenhum ser vivo sobreviveria. E não, não estamos falando de energia elétrica, e sim de energia biológica. Por isso, nesse post iremos explicar um pouco melhor desses dois conceitos e a diferença entre eles.

Introdução à Ecologia

Você com certeza já tem alguma ideia do que a ecologia realmente se trata. Porém, nunca é demais saber mais um pouco. Por isso, vamos começar explicando um pouco sobre a ecologia e o que você estuda ao se aprofundar nesse assunto.

Ecologia significa “estudo da casa”. Sendo assim, ela trabalha com todas as relações de seres vivos entre si e com o meio em que estão inseridos. Com a ação antropológica, estudar bem esse assunto se tornou uma prioridade para entendermos como estamos afetando o ecossistema de forma geral.

Como já dissemos, é um tema muito abrangente, e está diretamente correlacionado com outros assuntos da Biologia. De fato, para uma explicação ainda mais completa, é interessante entender os outros assuntos como Taxonomia animal e semelhantes. Sendo assim, os principais motivos para estudar biologia são simples.

Primeiro você entende como todo o planeta existe e consegue se manter existindo, além de entender o equilíbrio que a natureza consegue ter sozinha. A compreensão das relações entre indivíduos com o meio e entre si é interessante demais para sabermos como agir para ajudar os ecossistemas do nosso planeta. Tudo muito interessante para quem é vidrado nisso.

Fluxo de Energia

Agora que entendemos o que estuda a ecologia, podemos entrar de fato nos conceitos que designamos para esse post. Fluxo de energia pode te deixar confuso, isso tem haver com energia elétrica? A resposta é não. A energia que estamos falando aqui é a que move todos os seres vivos desse planeta, chamada também de energia biológica.

O fluxo de energia se trata de uma análise de quanto da energia é passada pela cadeia alimentar. Nós temos na base dessa cadeia, os produtores, que são aqueles que produzem seu próprio alimento (seres fotossintetizantes). Esses, são os que mais possuem energia de toda a cadeia. Depois, temos o consumidor primário que se alimenta desses produtores, depois o secundário que se alimenta dos primários e assim por diante.

O fato é: quanto maior é seu nível trófico na cadeia alimentar, menos energia você tem. Isso porque as próprias atividades metabólicas realizada pelo organismo já diminui a quantidade de energia a ser repassada. Sendo assim, podemos concluir que o fluxo de energia é unidirecional, ou seja, só segue em uma direção.

Outro meio de representar isso é através da pirâmide ecológica de energia. Ela mostra de uma forma mais clara a quantidade de energia que é passada de nível por nível. Essa pirâmide é sempre com a base maior, no qual ficam os seres fotossintetizantes, e subindo vai ficando mais estreita. Por ser unidirecional, não tem como ela ficar invertida.

Ciclo da Matéria

O ciclo da matéria segue o fluxo de energia em uma coisa: é essencial para a vida dos seres vivos no planeta. Esse já é sobre a matéria, que constitui basicamente a maior parte da Terra. Você já se perguntou como as coisas são recicladas e renovadas para nossa sobrevivência? Como a natureza consegue fazer isso com tanta perfeição? Uma boa parte das explicações está nesse ciclo.

Primeiro entenda: matéria, de acordo com a química e a biologia, é tudo aquilo que contém massa. Ou seja, tudo. Ela então é dividida em algumas denominações que são apresentadas nas quatro etapas essenciais e básicas do ciclo da matéria. Vamos entender um pouco mais:

Na primeira existe a transformação da matéria mineral, que existe no subsolo, em matéria orgânica através da fotossíntese. Essa matéria orgânica compreende então agora a massa dos seres autotróficos. Nessa etapa junto com a transformação da matéria, também há a transformação da energia em energia química.
Na segunda etapa, nós temos a passagem da matéria de um ser autotrófico para os consumidores. Enquanto que a energia no fluxo de energia é passada somente parcialmente, a matéria pode ser completamente transferida ou parcialmente.
Na terceira fase, é quando os decompositores entram na situação. Quando um ser vivo morre, sendo ele produtor ou consumidor, o seu corpo é transformado por fungos e bactérias (decompositores).
A quarta e última etapa, fechando o ciclo, é quando esse ser está em decomposição, renovando então a matéria, transformando-a de matéria orgânica para mineral. Após isso, já está pronta para reiniciar o ciclo.

Diferença entre Fluxo de Energia e Ciclo da Matéria

Como deu para perceber, o fluxo de energia e o ciclo da matéria apesar de diferentes, estão bem conectados. Vamos resumir então de forma simples e geral a diferença entre esses dois conceitos.

O fluxo da energia trabalha de forma unidirecional, e é como e quanto a energia é repassada de um nível trófico para outro. Enquanto que o ciclo da matéria trabalha com a renovação da matéria orgânica e mineral, e de como elas se transformam, mantendo tudo renovado para um novo ciclo de vida no planeta.

Veja também

Cadeia Alimentar da Baleia e o Ecossistema Marinho

Cerca de 300.000 espécies marinhas são conhecidas pela ciência – cerca de 15% de todas …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *