Home / Animais / Tudo Sobre O Suricato: Características, Nome Científico E Fotos!

Tudo Sobre O Suricato: Características, Nome Científico E Fotos!

Simpáticos, curiosos e bonitinhos. Os suricatos ganharam o coração das pessoas graças a sua representação nos filmes infantis, e não é para menos. Se trata de um animal verdadeiramente interessante, e que nos resguarda algumas curiosidades!

Uma das coisas que chama a tenção é a forma como o suricato parece estar sempre muito atento ao que acontece ao seu redor. Apoiado em duas patas, eles parecem verdadeiras “fifis”, espiando tudo ao redor.

São mamíferos da família Herprestidae, e o nome científico atribuído a espécie é Suricata suricatta – por isso, às vezes, você pode encontrar textos onde eles são chamados de Suricatas, e está absolutamente correto também!

Características Físicas Dos Suricatos

Eles lembram os furões, mas são mais peludos e mais ágeis. Em pé, um suricato adulto pode medir até 28 centímetros. São animais leves, de corpo comprido, o que facilita a sua movimentação mais rápida. Um macho pesa em média 730 gramas, podendo chegar a 1 quilo para os maiores.

• Pelos:

O corpo do suricato é completamente revestido por pelos. Se trata de uma pelagem macia e curta, geralmente de coloração bege, mas que pode se apresentar mais escura em determinadas regiões. Isso vai variar de local para local.

O corpo é acompanhado de uma cauda fina e longa, que chega a 29 centímetros. Esta também é revestida por pelos e possui uma mancha preta somente na ponta. Nas costas os suricatos possuem listras de coloração mais escura, que preenchem o seu corpo até a cauda.

• Rostos:

A cabeça do suricato é pequena. O rosto é composto por um focinho pontiagudo com um nariz de faro muito potente!

Existem duas orelhas pequenas, mas eficientes, cada uma em uma extremidade lateral da cabeça.
Elas geralmente são mais escuras do que o restante do corpo e são extremamente sensíveis para que o suricato perceba a presença de predadores.

Suricatos
Suricatos

Hábitos E Alimentação – Como Vivem Os Suricatos?

Dificilmente você encontrará um suricato sozinho na natureza. São animais que se organizam em bandos, e os grupos podem chegar a ter até 40 ou 50 exemplares reunidos – o que é bastante coisa se compararmos com outros animais!

Eles são animais diurnos. Isso significa que reservam as suas atividades para o período da manhã e tarde, e costumam repousar durante a noite.

No período em que estão despertos, os suricatos costumam se alimentar e interagem entre si. São animais muito unidos e companheiros, por isso você pode ter a oportunidade de vê-los brincando ou tirando um cochilo em grupo.

• Alimentação:

Para se alimentar os suricatos são bem versáteis. Eles podem se deliciar com insetos como besouros e grilos. Também é comum que comam coisas como centopeias, minhocas ou ainda pequenos mamíferos, aves, ovos e répteis.

Apesar de ser um animal astuto, o suricato não tenta se alimentar de animais maiores do que ele. Então, sempre que escolhe comer aves ou répteis, por exemplo, terá o cuidado de escolher uma presa que caiba em sua boca, e que não lhe dê muito trabalho.

Suricato Comendo
Suricato Comendo

Uma curiosidade a respeito da alimentação é que eles podem consumir até mesmo escorpiões. O veneno tão temido desse invertebrado não tem efeitos no organismo do suricato, o que permite que ele coma escorpiões sem sofrer qualquer dano.

Apesar de ter essa alimentação variada, eles são essencialmente insetívoros. Isso significa que dão preferência ao consumo de insetos, de onde conseguem extrair a energia necessária para suas atividades.

Para encontrar a comida eles usam o faro. São forrageiros, então ficam “fuçando” a terra até encontrarem o que procuram. Quando encontram insetos e outras criaturas que sirvam de alimento comem ali mesmo.

Geralmente os suricatos estão em regiões de pouca água. Para se hidratar esses animais procuram por raízes e tubérculos. Costumam tirar desses elementos todo o líquido que precisam.

Da Reprodução A Chegada Dos Filhotes

Como acontece com outros mamíferos, os suricatos levam algum tempo para atingirem a idade adulta. Até esse momento não estarão prontos para reprodução.

Isso acontece por volta do primeiro ano de idade – tanto para fêmeas quanto para machos. A partir do momento em que iniciam a atividade sexual, os suricatos podem se reproduzir durante todo o ano.

Não existe um período exato para que as fêmeas entrem no cio. É comum que elas aguardem os momentos mais fartos, com bastante alimento e chuva, para que então estejam preparadas para a procriação.

Uma fêmea passa 11 semanas grávida. Ela dá à luz a 3 filhotes por vez. Uma vez que os pequenos nasçam, o grupo de suricatos se reveza para manter as crias sob proteção, tendo sempre um adulto desperto para fazer a vigia.

Por isso é tão comum ver os suricatos sempre em alerta, como se estivessem realmente vigiando algo. Eles estão guardando o bando contra possíveis predadores como os falcões e as cobras.

• Filhotes dependentes:

Os filhotes são completamente dependentes das mães logo que nascem. Nos primeiros dias eles têm olhos e ouvidos tampados, e dependem de estímulo para que consigam também urinar e defecar.

Por isso a fêmea passa grande parte do seu dia com eles, lambendo para que consigam desenvolver seus sentidos e estímulos naturais.

Com o passar do tempo os animais vão se desenvolvendo gradativamente. Dentro de alguns dias eles aprenderão a andar, e conseguirão sair da toca que foi cavada para a sua proteção. Os filhotes são muito brincalhões e arteiros, e com certeza são uns dos mais bonitinhos do reino animal.

Demora cerca de 3 meses para que o suricato filhote não precise mais da mãe e dos outros membros do grupo para encontrar comida. Nesse período inicial, ele foi ensinado pelos adultos sobre como encontrar presas e se alimentar sozinho.

Sociedade Matriarcal É Uma Das Curiosidades A Respeito Desse Animal!

Os suricatos são animais muito especiais. Uma prova disso é que vivem em uma sociedade matriarcal, o que significa que as fêmeas são mais importantes e lideram o grupo, diferentemente do que acontece em grupos de outros animais, onde geralmente o macho é o dominante.

A dominância feminina é bem ferrenha. Uma das coisas comuns é que a fêmea líder seja responsável por mais de 90% dos filhotes que nascem no bando no decorrer do ano.

É comum, inclusive, que a líder expulse outras fêmeas que venham a engravidar no grupo, ou ainda que ela mate os filhotes de outros suricatos. Pesquisas apontam que a maioria dos filhotes que morrem são vítimas de exemplares do próprio bando.

• Casal Alfa:

Casal Alfa de Suricato
Casal Alfa de Suricato

Existem situações em que a fêmea alfa escolhe um macho para ser o seu companheiro e exercer papel de liderança dentro do bando também. Os demais membros do grupo são chamados de “fêmea beta” ou “macho beta”.

Eles exercem um importante papel na organização do grupo – inclusive no monitoramento e vigia contra predadores – mas não devem exercer maior autoridade que os alfas.

Muitos machos betas acabam desertando em busca de outro grupo onde têm a possibilidade de se tornarem alfas ao serem escolhidos por outras fêmeas. Também existem casos em que casais betas saiam do bando e comecem um grupo sozinhos.

O mais comum, no entanto, é que a fêmea alfa expulse outras fêmeas – começando sempre por aquelas que estão prenhes.

Algumas acabam retornando ao bando após o nascimento dos bebês do casal alfa – mas isso não é uma regra. Essa é a oportunidade perfeita para que outras fêmeas iniciem o seu próprio grupo.

Afinal, Como Uma Fêmea Se Torna Dominante?

Suricato Fêmea
Suricato Fêmea

Existem muitos fatores que podem ser considerados para que uma fêmea seja eleita a líder do grupo. O tamanho com certeza é um deles! Fêmeas mais robustas e mais fortes têm grande vantagem nesse posto.

É comum que elas entrem em embates, onde duelam usando unhas e dentes – literalmente – para conseguir o respeito do grupo, e assim chegarem à posição de alfa!

Uma vez que a sua posição é conquistada, a fêmea alfa começará a escolha de um macho para ser o seu parceiro, e com quem deverá dar origem aos descendentes. Como dissemos, o casal alfa é responsável por 90% dos nascimentos anuais do bando.

• Por Que Elas Matam Os Filhotes De Outras Fêmeas?

Um dos motivos para essa prática de infanticídio que ocorre entre os suricatos é que a fêmea alfa quer garantir que seus próprios filhos tenham acesso aos recursos do bando, como alimentação e água.

Para isso, ela precisa diminuir a quantidade de filhotes, impedindo que outras fêmeas deem à luz, e dividam a atenção dos outros membros. Além disso, existe o fato de que os suricatos montam grupos de vigia para proteger os filhotes.

Com mais filhotes no bando a fêmea alfa se sente ameaçada, e acredita que seus bebês podem correr riscos. Para diminuir essas chances elas acabam matando os filhotes de outras.

Existem alguns casos em que fêmeas betas conseguem criar seus filhotes as escondidas, ou então fogem já prenhes para começar outro bando em outro local.

Como Os Suricatos Se Protegem Contra Os Predadores?

A proteção contra os predadores é uma das coisas mais importantes para os suricatos. Talvez você já tenha notado que eles parecem estar sempre atentos, olhando para o alto.

Eles fazem isso justamente para observar se existem predadores a espreita. Algumas aves de grande porte são as grandes ameaças aos suricatos. Elas se mantêm atentas, e aproveitam qualquer oportunidade para caçar esses animais.

• Sentinelas:

Sentinelas
Sentinelas

A organização social dos suricatos é impressionante. Todos os membros do grupo têm papel importante para a rotina de todos, e alguns deles são designados como sentinelas.

As sentinelas são responsáveis por manter os demais em segurança. Para isso, eles procuram por um local mais alto, que lhes permita ter uma boa visão de todo o espaço, e ali se mantêm em plena observação.

É comum que eles subam em pedras, montes de terra e outros locais mais altos para conseguirem essa visão mais adequada.

As sentinelas então permanecem o tempo inteiro ali, de olho, observando qualquer ameaça. Ao primeiro sinal de perigos os suricatos emitem um som alto para avisar os demais.

• Tuneis e Tocas:

Toca de Suricato
Toca de Suricato

Exímios escavadores, eles utilizam suas longas unhas para criarem tuneis e tocas que são utilizadas para diversas finalidades. São nelas que os suricatos se acomodam durante a noite.

Também é o local onde as fêmeas têm seus filhotes. Mas, uma das finalidades mais importantes das tocas é a proteção. Quando uma sentinela avisa os demais sobre um perigo iminente, eles correm para esses buracos a fim de se protegerem contra os predadores.

Por isso os suricatos costumam se concentrar em locais amplos, onde seja possível criar essas trincheiras. Elas ficam espalhadas por toda a extensão que é demarcada pelo macho alfa, e com isso afasta outros bandos de suricatos que podem estar pela região.

Onde Vivem Os Suricatos? Descubra Em Quais Regiões Eles Estão Concentrados!

Suricatos são animais que vivem essencialmente em regiões desérticas e arenosas. Por isso são muito comuns na África, no deserto de Kalahari em Botsuana e em desertos da Namíbia.

A região arenosa é ideal para que esses animais construam as suas tocas. Eles conseguem se preservar melhor dentro desses espaços, e por isso é fundamental que tenham a sua disposição uma região ampla e plana, onde seja possível escavar.

As tocas funcionam também como isolador térmico. O deserto, como você deve saber, vai de uma extremidade a outra quando o assunto é clima. Durante o dia os termômetros marcam números bem elevados.

Família de Suricatos
Família de Suricatos

Durante a noite, por sua vez, as temperaturas despencam, e o ar se torna gélido e muito hostil. As tocas usadas pelos suricatos durante o sono conseguem garantir o conforto em qualquer das situações!

• Existem Suricatos no Brasil?

Naturalmente os suricatos não são brasileiros, e não se reproduzem por essas bandas. Mas, alguns exemplares foram trazidos para o zoológico de São Paulo, onde ficaram a disposição para serem vistos e apreciados pelos visitantes.

Os animais foram levados da África para Londres, e da capital britânica vieram para o Brasil. Obviamente especialistas garantiram um ambiente adequado para receber esses animais que demandam uma série de cuidados bem específicos.

Alimentação Adequada É Uma Das Coisas Mais Importantes Na Criação Em Cativeiro!

Tão importante quanto conseguir reproduzir um ambiente idêntico – ou ao menos o mais próximo disso que for possível – daquele que os suricatos encontram na natureza é fundamental ter um cuidado extra com a alimentação.

Como já comentamos anteriormente, esses animais são forrageiros, e passam o dia inteiro cavando e procurando por comida no solo. Eles se alimentam principalmente de insetos, embora incluam algumas outras pequenas criaturas em seu cardápio.

Quando criados em cativeiro os hábitos alimentares dos suricatos devem ser respeitados. Por isso os tratadores levam uma grande quantidade de insetos para que eles possam comer.

Suricato Comendo Escorpião
Suricato Comendo Escorpião

Os animais em zoológicos possuem um comportamento bem diferente daqueles que estão em situação selvagem. Por isso eles não se assustam com a presença humana, e são mais adaptados em receber visitas. Sendo assim, quando o tratador chega ao local, geralmente é cercado pelos suricatos ansiosos pela refeição.

A Incrível Inteligência Dos Suricatos!

Uma coisa que observamos muito no reino animal é o quanto as espécies demonstram inteligência e raciocínio em muitas situações. Isso é realmente impressionante, ainda mais considerando que durante muito tempos acreditamos que somente os seres humanos “pensavam”.

O suricato é um desses casos em que percebemos que os animais realmente podem ser extremamente inteligentes, e muitas vezes impressionantes.

Pesquisas realizadas pela universidade St Andrews, uma das mais renomadas do Reino Unido, apontam que esses animaizinhos curiosos podem ser muito mais inteligentes do que acreditávamos.

Segundo os estudiosos, os suricatos são capazes de resolver problemas e questões tanto em grupo quanto através do pensamento independente. Isso significa que, embora considerem a “opinião” de todo o bando importante, eles também conseguem decidir individualmente, caso seja necessário.

A complexa inteligência e capacidade de raciocínio da espécie chegou a ser comparada com outras, como chimpanzés, babuínos, golfinhos e até humanos. Essas são as espécies de animais consideradas as mais inteligentes e providas de pensamento lógico.

• Animais Mais Capacitados Vigiam O Grupo Por Mais Tempo:

Uma das coisas que cientistas puderam observar é que, embora as atividades de vigia sejam divididas nos grupos de suricatos, existem aqueles que parecem ser melhores na tarefa, e por isso acabam sendo escalados mais vezes.

O estudo ainda mostrou que o grupo parece mais confiante e se sente mais seguro quando um desses guardas “experientes” está em turno. Eles acabam olhando menos para o alto enquanto forrageiam, pois confiam muito na sentinela da vez.

Uma curiosidade é que as sentinelas mais experientes não necessariamente são mais velhas ou mais experientes. Os suricatos parecem ser capazes de reconhecer talentos e confiar em diferentes membros do grupo, e não apenas em um líder.

Muitas pesquisas ainda precisam ser feitas para que cheguemos a alguma conclusão a respeito dos suricatos e sua inteligência. Mas, embora alguns pesquisadores ainda sejam céticos com relação a capacidade de raciocínio desses animais, outros já estão amplamente convencidos de sua inteligência.

A Impressionante Caça Ao Escorpião

A alimentação continua sendo um dos assuntos mais interessantes e importantes para quem deseja conhecer mais a respeito dos suricatos. Isso porque eles passam grande parte dos dias em busca justamente de alimentos.

Como já dissemos, os filhotes nascem completamente indefesos. Durante os primeiros meses de vida eles não conseguem se alimentar sozinhos, e precisam de ajuda para encontrar insetos.

• Aulas de Forrageamento:

Para ajudar nesse desenvolvimento, os pequenos suricatos recebem uma espécie de aula de forrageamento. Membros mais velhos ajudam os filhotes a aprender como fazer essa busca.

Geralmente eles começam com tarefas mais simples, ensinando os pequenos a encontrarem alimentos mais fáceis, como larvas, que ficam embaixo de pedras ou caminhando livremente pelo solo.

O mais complexo, e uma das aulas mais difíceis para os pequenos, é aprender a comer escorpião. Como já dissemos anteriormente, os suricatos são animais que podem se alimentar desse perigoso invertebrado sem serem afetados pelo veneno.

Uma das coisas que eles fazem para garantirem o bem-estar – e evitarem a indigestão – é arrancar o ferrão do escorpião antes de abocanhá-lo de fato.

Mas, os filhotes não são postos para fazer isso logo de cara. Primeiro os adultos mostram para eles como agir, e eliminam o ferrão deixando o escorpião indefeso para que os pequenos possam se alimentar.

Conheça A Eficiente Comunicação Vocal Desses Animais

A comunicação vocal dos suricatos é outro fator que merece destaque nesse conteúdo. Segundo pesquisas e estudos, eles são capazes de se comunicar usando diferentes sons para as mais variadas ocasiões.

A comunicação é fundamental no reino animal. Em um grupo organizado como o dos suricatos, em que cada membro acaba cumprindo um papel importante, e que todos dependem da contribuição dos demais a linguagem é ainda mais importante.

Segundo pesquisas, os suricatos utilizam-se de pelo menos dois diferentes meios para se comunicar: a comunicação não verbal e a comunicação sonora. A forma como se movimentam, o cheiro que exalam e outras coisas pode se encaixar na comunicação não verbal.

Comunicação dos Suricatos
Comunicação dos Suricatos

A comunicação sonora se dá quando esses animais emitem sons e diferentes tipos de ruídos a fim de avisar o restante do grupo sobre alguma coisa. E essa comunicação pode ser muito elaborada e complexa.

• Comunicação da Sentinela:

Já explicamos anteriormente que esses animais acabam escalando um membro do grupo para ser a sentinela, e manter vigia enquanto os demais se alimentam e descansam.

A sentinela tem um papel essencial no grupo, e não deixa o seu posto por nada – nem para comer – a não ser que seja imediatamente substituído por outro membro.

Mas, você parou para pensar sobre como a sentinela avisa os demais a respeito da chegada de um predador? Isso será através de sons!

No entanto, existem muitos animais que representam ameaças para os suricatos. Sendo assim, uma das coisas importantíssimas é que eles consigam saber “de onde”, literalmente, vem o perigo.

Sendo assim, pesquisadores identificaram que existem sons específicos para ataques aéreos, como quando há um falcão a espreita, ou sons diferentes para animais que podem ser caçados pelos suricatos, como cobras.

Dessa forma, através do som escolhido pela sentinela, os demais membros do grupo conseguem entender qual é a melhor estratégia – fugir, ou tentar se defender e ainda descolar um jantar para todos.

Ainda existem gritos que exclamam maior urgência do que outros. Eles são usados quando o predador se aproxima muito da área, o que demanda uma ação rápida de todos os suricatos.

• A Linguagem Corporal:

Apesar de ser uma comunicação sonora boa, eles também se valem a da linguagem corporal. Uma das coisas mais importante é que a sentinela de plantão deve olhar diretamente para a direção em que o perigo está.

Assim, todos os suricatos do grupo saberão de que lado está a ameaça, e saberão para onde correr e como se esconder. Caso a ameaça esteja verdadeiramente perto, a sentinela entrará imediatamente em uma toca próxima. Os demais suricatos deverão fazer o mesmo.

Generosidade E Companheirismo São Duas Características Importantes Desses Animais!

Durante muito tempo, acreditamos que algumas características eram exclusivas dos seres humanos. Dentre elas podemos destacar a generosidade. Mas, pesquisas recentes sugerem que os suricatos podem também demonstrar um comportamento generoso.

Uma das coisas que leva a isso é a análise de que esses animais possuem uma das sociedades mais colaborativas de que se tem conhecimento. Eles trabalham em equipe, sempre visando o bem da maioria, as vezes em detrimento do indivíduo.

Mas, curiosamente os suricatos evoluíram de um animal chamado mangusto, que tem como característica principal o fato de que vive sozinho.

No entanto, ignorando as informações comportamentais de sues ancestrais, esse grupo de animais desenvolveu um comportamento muito particular e interessante, onde o bem-estar de todo o grupo é sempre colocado como principal ponto dentro do bando.

Suricatos se Abraçando
Suricatos se Abraçando

O primeiro sinal colaborativo é percebido ainda na infância do suricato. O filhote recebe ajuda de diferentes membros para que consiga aprender coisas como caçar comida e se proteger. Isso parte não somente de parentes sanguíneos, mas de todos os membros mais velhos do que o filhote.

Também é observado que eles se revezam para ajudar a mãe, oferecendo proteção enquanto ela sai para buscar seus alimentos, mantendo os filhotes sempre sob cuidados de membros mais velhos.

É importante analisar que o processo de alimentação de um suricato é bem particular. Eles não armazenam comida, nem mesmo nos tempos mais frios ou climas hostis. Sendo assim, eles ajudam os filhotes no processo e busca.

• Grupos de Dispersão:

Em outro momento explicamos que alguns membros dos grupos de suricatos acabam fugindo para criar seus próprios grupos, “concorrendo” assim ao posto de casal alfa.

Mas, mesmo quando um suricato abandona o seu grupo, aquele com o qual está acostumado e se sente seguro, e começa um novo grupo, como novos líderes, ele se mostra ainda muito generoso e cuidadoso.

Outro ponto que comprova esse altruísmo nato é a posição de sentinela. Ninguém determina quem é que fica naquele posto. Os suricatos simplesmente entendem que alguém precisa fazer aquilo pelo bem de todos.

E aquele que se voluntaria como sentinela acaba passando fome, pois precisa ficar de plantão enquanto os demais forrageiam e se alimentam. Mas, para esses animais parece fazer muito mais sentido manter o bando em segurança do que largar o posto para buscar alimentos.

Uma teoria, nesse caso, é de que estar em posição de sentinela facilita o escape em caso de surgirem predadores. Segundo pesquisas, as sentinelas não são mortas por outros animais, pois são as primeiras a avistar o perigo – e, portanto, a fugir dele.

O Curioso Caso Das “Mães De Leite” Entre Os Suricatos

Dois Filhotes de Suricato
Dois Filhotes de Suricato

Mais uma evidência dessa colaboração e generosidade está no fato de que muitas vezes as fêmeas que não são líderes acabam perdendo seus filhotes, já que a o casal alfa não permite que outros filhotes nasçam.

Ainda assim, essas fêmeas ajudam a mãe alfa com a criação de seus bebês. Providas de leite, elas acabam amamentando os filhotes alfa enquanto a mãe sai em busca de alimentos. Elas também revezam a guarda para manter os filhotes sempre acolhidos.

O período destinado aos filhotes de outra fêmea acaba diminuindo tempo que a fêmea tem para se alimentar e se fortalecer. Muitas acabam perdendo peso, pois comem menos que os demais ao mesmo tempo em que se mantém amamentando os filhotes de outra fêmea.

O único motivo para isso acontecer é a “consciência” de que é importante e necessário manter os filhotes da fêmea alfa vivos e saudáveis. Essa percepção é tão calara para os suricatos, que eles simplesmente sacrificam o seu bem-estar em prol de outros.

Notamos, portanto, que suricatos que ocupam “cargos” como sentinelas, babás e outras funções são muito mais generosos do que outros membros do grupo – pesquisadores notam que alguns exemplares não demonstram interesse algum em estar nessas posições.

Suricatos Podem Ser Considerados Praga Em Alguns Locais

É quase impossível não suspirar e soltar uma exclamação de fofura quando vemos a foto de um suricato. Além de serem realmente muito bonitinhos e curiosos, existe ainda a tal da memória afetiva, já que temos aquela imagem do famoso suricato Timão, do filme O Rei Leão, que acabou se tornando um dos personagens mais queridos e famosos de todo o mundo.

Mas, tamanho encantamento fica mesmo restrito a quem não precisa conviver com esses animaizinhos diariamente, e tem o desenho animado como maior referência a respeito dele.

Quem lida com os suricatos em suas regiões pode considerar o animal uma praga – isso é bem frequente, na verdade! O motivo principal é o hábito incansável de escavação.

Não é difícil imaginar que suricatos minam plantações e complicam a vida de quem depende de horas e outros tipos de plantas para conseguir tirar o seu sustento. Com os tuneis escavados por eles, não somente as plantas acabam morrendo como o próprio solo se torna vulnerável e pouco rentável.

Esses São Os Animais Que Mais Matam A Própria Espécie – Inclusive Mais Do Que Os Seres Humanos!

Os seres humanos são surpreendentes em muitos aspectos – tanto paras coisas boas quanto para as coisas ruins. Muitas vezes, inclusive, nos questionamos: como é que podem um animal matar os seus iguais com tanta facilidade?

Embora não haja uma explicação e tampouco uma justificativa para a violência e a maldade humana, uma coisa é surpreendente: nós não somos a espécie que mais mata os seus iguais. Na verdade, esse posto é do suricato.

Pesquisas realizadas recentemente nos mostram que esses animais são os que mais matam membros de sua própria espécie. Segundo os estudos conduzidos na Universidade de Granada, na Espanha, um em cada 5 suricatos é morto por outro suricato.

A ideia desse estudo, no entanto, não era ranquear as espécies mais violentas sem qualquer proposito. A ideia do professor líder das pesquisas, o espanhol José Maria Gómez, era identificar um padrão comportamental entre animais semelhantes.

Suricatos Brigando
Suricatos Brigando

Dessa forma seria possível encontrar uma explicação para o comportamento humano. Por exemplo, foi analisado que primatas, de fato, possuem um comportamento mais violento, agressivo e muitas vezes inconsequente.

As mortes que acontecem dentro de um grupo de suricatos nós já explicamos anteriormente. Elas são principalmente mortes de filhotes que não são do casal alfa. As fêmeas matam os filhotes para diminuir a competição dentro do grupo, garantindo os melhores recursos aos seus próprios descendentes.

A Monogamia Entre Os Suricatos

Mas, se por um lado é surpreendente saber que esse animalzinho de aspecto tão simpático mata filhotes, por outro é importante entender que tudo o que acontece na sociedade dos suricatos tem uma boa justificativa.

Um comportamento que vai contra essa atmosfera mórbida é a monogamia. Os machos se mantêm fiéis as fêmeas, e por isso os casais acabam se unindo por toda a vida.

Na esfera romântica podemos apenas acreditar que um casal de suricatos se apaixonou perdidamente, e por isso decidiram constituir uma família. Nesse caso estaríamos apenas humanizando as atitudes desse animal. Os motivos para monogamia provavelmente são outros.

O que os pesquisadores acreditam é que a monogamia entre esses animais também é uma estratégia para manter a espécie viva. Isso porque quando o macho possui apenas uma fêmea, ele acaba dando mais atenção aos cuidados com os filhotes.

Filhotes de Suricato na Mão de uma Pessoa
Filhotes de Suricato na Mão de uma Pessoa

Como consequência o filhote se torna independente mais rapidamente, e não precisa ter a mãe por perto por um longo período. Isso significa que essa mesma fêmea poderá dar à luz a outra ninhada mais rapidamente.

Então, entende-se que a monogamia é uma estratégia de reprodução adotada por esses animais – muito mais do que um sinal romântico de fidelidade.

De qualquer forma, é interessante compreender como os suricatos se organizam para que o casal dominante se mantenha no topo, partindo da ideia de que a fêmea líder sempre escolhe um macho forte e capacitado para ser seu par, tendo a certeza de que ele garantirá a segurança de sua prole.

10 Fatos Curiosíssimos A Respeito Dos Suricatos!

Até agora você já descobriu muitas coisas a respeito dos suricatos. E como pode ver, se trata de uma espécie verdadeiramente curiosa, que tem um comportamento muito interessante. Vamos relembrar alguns fatos e conhecer novas curiosidades sobre os suricatos?

• Reconhecimento vocal:

Estudos comprova que os suricatos conseguem reconhecer as vozes de membros do seu grupo. Exatamente como funciona com os seres humanos, que entendem as vozes de seus amigos e familiares com facilidade.

O teste para essa conclusão foi simples: os cientistas usaram gravações de um mesmo suricato em dois ambientes diferentes ao mesmo tempo. Os demais se sentiram confusos, e demonstraram uma guarda mais atenciosa na ocasião.

• Trabalho em equipe:

Os suricatos possuem uma sociedade organizada, onde cada membro do grupo parece cumprir um papel importante. Eles se dividem em tarefas para benefício de todos, escalando alguns como sentinelas, babás e guardas para os filhotes.

Grupo de Suricatos em Cima de uma Pedra
Grupo de Suricatos em Cima de uma Pedra

Essa organização é um dos motivos pelos quais os suricatos se mantêm seguros mesmo sendo animais pequenos e vulneráveis aos mais variados tipos de ataques de predadores, sendo caçados tanto por terra quanto pelo ar, por falcoes, águias e corujas.

• Ensinando os mais novos:

Suricatos experientes tendem a passar seus ensinamentos para os filhotes – mesmo quando não são seus descendentes. Uma das coisas que eles ensinam é como os pequenos podem encontrar alimentos.

Mas existe um cuidado essencial nessa tarefa. Os suricatos mais velhos costumam remover o ferrã venenoso dos escorpiões, por exemplo, garantindo que os filhotes não serão atacados nas aulas de caça.

• Sociedade matriarcal:

A organização dos grupos é matriarcal, algo raro entre os mamíferos. Isso significa que as fêmeas é quem lideram os bandos. A tendência é que a fêmea líder escolha um macho saudável e forte para se tornar o seu companheiro.

Esse macho acaba conquistando um lugar alfa em seu grupo, e demonstra comportamento de líder para com os demais. Mas, na prática, a fêmea tem mais voz ativa do que o seu companheiro.

• Matriarcas não aceitam outras fêmeas prenhes:

Um comportamento muito curioso é que as fêmeas alfas não aceitam que outras fêmeas deem à luz no bando. Isso acontece para que não exista uma competição de espaço entre os filhotes.

A alfa expulsa outras fêmeas- ou essas mesmas fogem do grupo quando estão esperando filhotes. Aquelas que escolhem ficar sabem que seus filhotes serão mortos assim que nascerem.

Suricato Fêmea Prenha
Suricato Fêmea Prenha

As fêmeas alfas também são aquelas que são mais protegidas durante um ataque de predadores ou o ataque de outra gangue de suricatos. Elas recuam primeiro, e deixam as outras fêmeas enfrentarem o perigo.

• Aquecedor natural:

Eles usam a barriga como aquecedor natural para as noites frias. Durante o dia os suricatos expõem suas barrigas ao sol para que essas fiquem aquecidas, e durante a noite se enrolam na própria barriga para sentir esse calor.

Também é o local onde os filhotes serão aquecidos, já que eles nascem praticamente sem pelo algum. Com isso as mães garantem a saúde e o bem-estar dos bebês.

• Filhotes sabem pedir as coisas:

Os filhotes de suricatos sabem que conseguem manipular os mais velhos ao usarem um som estridente e sofrido.

Com o passar dos anos o apelo vai se tornando cada vez menos eficaz, até que os adultos param de dar atenção aos menores, e se concentram na nova ninhada.

Suricatos são animais muito afetuosos entre si, mas podem adotar um comportamento violento quando encontram com outros grupos da mesma espécie. A briga por território é algo realmente forte nesses animais.

Veja também

Hábitat do Iaque

Hábitat do Iaque: Onde Eles Vivem?

Os iaques ou yaks (nome científico Bos grunniens) são bovídeos encontrados em áreas de levadíssima …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *