Home / Animais / Tudo Sobre o Pica-Pau: Características, Nome Científico e Fotos

Tudo Sobre o Pica-Pau: Características, Nome Científico e Fotos

As aves são essenciais para a vida no planeta, já que o seu trabalho não pode ser executado por nenhum outro tipo de animal. Dessa forma, enquanto répteis e mamíferos até podem ser substituídos em algumas das suas tarefas biológicas, a verdade é que as aves estão um patamar acima nessa questão.

Portanto, é comum que as pessoas queiram entender um pouco mais sobre como se dá a vida desse tipo de animal. De forma ainda mais específica, há o interesse em saber como é a vida das aves mais belas do mundo, como é o caso do famoso pica-pau. O pica-pau, seja por conta do popular desenho animado ou por questões ligadas à sua beleza na vida real, acaba por receber bastante atenção dos indivíduos.

Todo o cenário é importante para que hajam cada vez mai estudos sobre o animal, que ajudam a mostrar como um pica-pau pode ser tão curioso e interessante quanto bonito. Assim, se você possui interesse em saber mais sobre o modo de vida do pica-pau, entendendo suas características, veja todos os detalhes abaixo a respeito de uma das aves mais famosas do mundo.

Características do Pica-Pau

O pica-pau é uma ave que varia entre o porte médio e o pequeno porte, a depender da espécie de pica-pau em questão. Sim, pois ao todo existem cerca de 200 tipos de pica-pau em todo o mundo, com variações típicas de cada região e capazes de mostrar como o animal pode ser diferenciado. Em todo caso, apesar de tamanha possibilidade de variação em um universo tão grande de espécies, no fim das contas o pica-pau fica sempre entre os 14 e 60 centímetros de comprimento.

Além disso, a plumagem da maior parte das espécies é brilhante, com tons de preto, verde ou vermelho em destaque. Porém, é possível que o pica-pau ainda tenha tons de amarelo, branco ou rosa em sua composição, já que cada tipo possui uma coloração. A família biológica do pica-pau é a Picidae, que possui uma longa lista de gêneros – e, dentro de cada um desses gêneros, uma longa lista de espécies. Com bico comprido o bastante para bicar as árvores, o mais comum é que o pica-pau tenha o preto como cor mais forte desse bico.

Além disso, a ave ainda apresenta uma língua fina, com pequenas partes cortantes. Há algumas espécies de pica-pau que, para ter comida ao longo do inverno, realizam a sua provisão de alimentos ainda no verão e na primavera. Dessa maneira, o mais comum é que o pica-pau realmente guarde o alimento para os meses mais frios do ano, mas nem sempre isso acontece. Uma característica importante do pica-pau é a forma como o animal consegue defender o seu território das ameaças de outras aves.

Pica-Pau na Árvore
Pica-Pau na Árvore

Quando faz o estoque de comida para o inverno, por exemplo, é comum que outros animais se sintam atraídos para o local. Todavia, capaz de ser muito agressivo quando deseja, o pica-pau os ataca com força e os mantém distantes. Os maiores tipos de pica-pau do mundo são realmente grandes, podendo causar danos graves às árvores. Isso porque algumas espécies do animal são capaz de perfurar a madeira por até 15 centímetros, uma profundidade bastante considerável. Nesses casos, o mais comum é que a árvore não seja capaz de se recuperar plenamente, ficando com um buraco em sua composição.

Em geral, é nesse tipo de buraco oco e vazio que muitas outras aves fazem seus ninhos. O pica-pau possui ainda, em média, capacidade de picar 20 vezes por segundo, um número elevado para as aves. Porém, os mais rápidos conseguem bicar até mais. Ao longo de todo um dia, por exemplo, o pica-pau pode realizar um total de 12 mil bicadas na madeira, número realmente impressionante. Para que o bico não sofra lesões, sua composição é bastante forte, feita para sustentar o impacto sem maiores problemas.

Ademais, há uma espécie de “cinturão” interno no animal, logo atrás do seu bico. Essa parte do corpo faz com que o pica-pau seja protegido ao longo do processo de bicar. A alimentação do pica-pau, outro ponto importante do seu modo de vida, costuma ser direcionada para insetos e larvas, alimentos que o animal encontra com facilidade em qualquer ambiente e praticamente em qualquer época do ano. Logo, é incomum que um pica-pau sofra com a falta de comida, já que seus hábitos alimentares são acessíveis.

Reprodução do Pica-Pau

A reprodução do pica-pau é mais um fator bastante curioso relacionado ao modo de vida desse animal, já que, antes da época reprodutiva, o animal faz seu ninho e o deixa preparado. O animal, dessa maneira, acaba por já ter um local adequado para deixar os ovos e criar os filhotes no início da vida. Os ninhos costumam ser protegidos por madeira e restos vegetais, o que não dá muita proteção ao local.

Portanto, é comum que um pica-pau enfrente problemas com o seu ninho ao longo do processo de maturação do ovo. Em linhas gerais, o mais natural é que o animal seja monogâmico, mas isso pode variar para algumas espécies específicas.

O casal costuma trabalhar de forma conjunta na construção do ninho, além de também trabalhar de maneira conjunta ao longo do processo de incubação do ovo. O mais natural é que o macho faça a incubação à noite e a fêmea ao longo do dia, o que permite ao pica-pau um ambiente de muito equilíbrio de tarefas entre macho e fêmea. Uma ninhada de pica-pau costuma gerar de 2 a 5 ovos, sendo que nem todos são capaz de atingir a maturidade sexual depois do nascimento – muitos exemplares morrem antes mesmo de finalizado o processo.

O filhote leva de 15 a 30 dias para poder deixar o ninho de forma segura, já que se mostra mais preparado para tal a partir desse momento, tendo menos dependência em relação à mãe. Já a maturidade sexual dos filhotes costuma chegar algumas semanas mais tarde, quando o animal já estiver fora do ninho. Em todo caso, o processo de reprodução do pica-pau merece bastante destaque, já que faz com que movimentos complexos se tornem mais simples a partir do equilíbrio a divisão das tarefas.

Pica-Pau-de-Barriga-Vermelha

  • Comprimento: cerca de 20 centímetros;

  • Região de preferência no Brasil: Norte.

O pica-pau-de-barriga-vermelha é uma espécie típica da América do Sul, que gosta do ambiente úmido e quente das florestas do continente para crescer. Na verdade, a maior parte das colônias do pica-pau-de-barriga-vermelha estão presentes na Floresta Amazônica, seja em território brasileiro ou não. Para quem mora na região Norte do Brasil ou já teve o prazer de viajar para essa parte do país, ver o pica-pau-de-barriga-vermelha é algo bastante comum, seja perto de casas ou em zonas mais afastadas dos centros urbanos mais movimentados.

Isso porque o número de exemplares da espécie na região é muito grande, até mesmo pelo ótimo estado de conservação no qual se encontra o pica-pau em questão. Classificado como em estado pouco preocupante quanto ao perigo de extinção, a ave possui espaço marcante no coração das populações mais próximas à Floresta Amazônica. O nome popular do pica-pau-de-barriga-vermelha se deve ao fato de o animal ter toda a parte da barriga avermelhada, em um tom forte e capaz de chamar muito a atenção.

Porém, a maior parte restante desse pica-pau é preta, apenas com a cabeça voltando a ter detalhes vermelhos. Ademais, a parte da cabeça ainda possui traços em amarelo, o que dá um charme a mais ao animal. As fêmeas podem ser um pouco diferentes, sobretudo quanto à parte da cabeça, mas a barriga avermelhada não costuma mudar entre os diferentes gêneros a ave. A dieta do pica-pau-de-barriga-vermelha é baseada em grãos, que podem ser encontrados facilmente na natureza pela ave.

Além disso, o pica-pau ainda come insetos com bastante naturalidade, algo essencial para manter o seu modo de vida agitado, no qual gasta muita energia ao longo de um dia. Na verdade, o pica-pau-de-barriga-vermelha é um dos grandes contribuidores para o processo de reflorestamento da região amazônica. Pois, por mais que o animal possa causar alguns danos pequenos às árvores, a verdade é que, no fim das contas, é o pica-pau-de-barriga-vermelha quem mais ajuda a fazer a dispersão de sementes pelo ambiente. Logo, o animal leva as culturas de um lado para o outro e, dessa forma, acaba por ajudar muito no processo de reflorestar a Amazônia.

O pica-pau-de-barriga-vermelha também pode ser visto em áreas de Mata Atlântica, sobretudo naquelas em que há maior preservação do ambiente. Todavia, o mais comum mesmo é encontrar essa espécie na parte Norte do país, que oferece florestas mais densas e maiores, dando o ambiente ideal para o crescimento sustentado e equilibrado do pica-pau-de-barriga-vermelha. Um adulto da espécie costuma ter cerca de 20 centímetros de comprimento, o que dá um porte pequeno ao pica-pau.

Porém, o que poderia ser um problema acaba por ser, na verdade, um trunfo para o animal. Isso porque o pica-pau-de-barriga-vermelha faz uso do seu tamanho reduzido para alcançar partes mais afastadas da floresta, onde se mostra capaz de buscar insetos de maneira facilitada. Um detalhe bastante interessante sobre o pica-pau da espécie é que os filhotes são muito semelhantes aos adultos, sobretudo quando machos, o que torna mais simples localizar e diferenciar esse tipo de ave das outras quando mais jovem. Todavia, torna mais complicado separar os mais velhos dos filhotes.

Pica-Pau-de-Testa-Amarela

  • Comprimento: cerca de 20 centímetros;

  • Países em que vive> Brasil, Argentina e Paraguai.

O pica-pau-de-testa-amarela é mais uma espécie típica do Brasil, mas que se mantém também alguns outros países da América do Sul. No caso, Argentina e Paraguai também são famosos por abrigar muito bem os exemplares desse tipo de ave.

A base alimentar do pica-pau-de-testa-amarela é muito ligada ao consumo de frutas, o que faz esse animal ter mais restrições quando se trata de comer. Por isso, é muito comum ver o pica-pau-de-testa-amarela voar ao longo de muitos quilômetros em busca da sua alimentação, já que árvores de frutas podem ser difíceis de encontrar. O animal gosta de viver em bandos e, assim, costuma criar comunidades para facilitar o seu modo de vida.

É natural, portanto, que um pica-pau-de-testa-amarela faça o seu ninho perto de muitos outros ninhos de animais da espécie. Há ainda a possibilidade de que esse animal se coloque próximo ao pica-pau-de-barriga-vermelha, já que ambos podem dividir o habitat em algumas partes do Brasil. Barulhento, o pica-pau-de-testa-amarela gosta de chamar a atenção das pessoas. Portanto, é bastante comum ouvir a ave, que mede em torno de 20 centímetros, cantar por muitos minutos sem parar.

O pica-pau em questão gosta das partes mais altas da floresta para ficar, já que dessa maneira consegue observar o que acontece ao seu redor para evitar problemas e, sobretudo, predadores. O natural é que o pica-pau-de-testa-amarela viva muito acima do nível do mar, por volta dos 1,5 a 2 mil metros de altitude, em cadeias de serra entre Brasil, Argentina e o Paraguai. Nesses países, bosques e florestas secundárias encaixam muito bem como lar para o pica-pau-de-testa-amarela, mas as grandes florestas, mais densas, também podem servir de casa para a ave.

O principal mesmo, no fim das contas, é que as árvores estejam presentes e que as frutas preferidas do animal estejam a distâncias alcançáveis. A garganta e parte da barriga do pica-pau são amareladas, enquanto a outra parte da barriga possui o vermelho como cor principal. Ademais, o pica-pau-de-testa-amarela ainda tem o vermelho em seu topete, logo acima da cabeça. Na verdade, como essa é uma das principais características do pica-pau, muitas espécies possuem o vermelho no topete.

As costas são negras, sem muitas variações entre macho e fêmea nesse caso. Os filhotes, por sua vez, nascem com as cores apagadas e vão ganhando tons mais fortes ao longo do crescimento. Sobre o estado de conservação, o pica-pau-de-testa-amarela se encontra em excelente forma, listado como animal de preocupação menor. Em outras palavras, isso quer dizer que não há nenhum risco de extinção imediata para o pica-pau desse tipo no momento.

Vale lembrar que, ainda assim, grande parte do habitat do animal tem sido perdido ao longo dos últimos 50 anos, embora o pica-pau-de-testa-amarela tenha migrado para outras áreas. Outro fato que merece destaque é a segunda opção de alimentação do pica-pau, que pode consumir insetos e até mesmo algumas larvas quando não encontra frutas por perto. Esse tipo de ave é conhecido pela sua resiliência e capacidade de adaptação aos diferentes ambientes naturais.

Pica-Pau-Branco

  • Comprimento: de 23 a 25 centímetros;

  • Países de preferência: Brasil, Argentina e Paraguai;

  • Reprodução: 2 a 4 filhotes por vez.

Você já viu um pica-pau-branco? É provável que sim, já que o animal é popular entre Brasil, Bolívia, Uruguai, Paraguai e Argentina. De qualquer forma, é possível que você nem tenha se dado conta de que se tratava de um pica-pau, já que o animal não apresenta o clássico topete vermelho e, na verdade, não possui nenhuma parte do corpo nessa cor.

Espécie mais ligada ao ambiente urbano, o pica-pau-branco possui a cabeça na cor branca, com um amarelo mais forte ao redor dos olhos. Ademais, a barriga da ave é branca, com a parte traseira na cor preta – a parte exterior das asas também é preta, enquanto o lado interior é branco. O pássaro se faz conhecido no Brasil pelo fato de ter um som semelhante ao grilo, possuindo uma espécie de “cri cri” no seu canto. Na verdade, o canto do pica-pau-branco acontece com bastante frequência, embora seja mais complicado escutar quando o mesmo está perto de áreas urbanas.

O animal apresenta entre 23 e 25 centímetros de comprimento, um tamanho considerado entre médio e pequeno para os padrões do pica-pau em todo o mundo. No Brasil, a ave é maior do que muitas outras espécies, sendo uma das maiores do seu gênero. Um detalhe curioso é que o voo do pica-pau-branco se dá em locais mais abertos, onde não há tanta densidade de árvores. Por isso, na realidade, é que o animal se coloca bastante próximo da civilização, estando presente em muitas cidades do Brasil.

O seu voo costuma ser muito alto, para que seja possível localizar as fontes de alimentação mais facilmente. Na dieta da ave estão muitas opções de frutas, que podem ser localizadas facilmente em diversos locais. Ademais, o animal ainda consegue caçar outras aves pequenas e alguns insetos ainda no ar, já que possui grande capacidade de ataque.

As abelhas, em particular, são parte constante da alimentação do pica-pau desse tipo. Sobre o estado de conservação, a exemplo de outros animais semelhantes, o pica-pau-branco não apresenta risco de extinção em um futuro próximo, até mesmo pelo fato de ter se adaptado muito bem ao ambiente urbano. Assim, o animal sabe como poucos fugir dos problemas criados pelas grandes cidades.

Sobre o modo de reprodução, uma ninhada do pica-pau-branco geralmente possui de 2 a 4 ovos, com cerca de 30% de mortes antes da terceira semana. O problema maior, nesse sentido, é que os filhotes não são capazes de sobreviver por muito tempo em áreas agitadas, já que não têm ainda o conhecimento para tal. Em todo caso, os filhotes já nascem muito semelhantes aos adultos em relação a cores, sendo o tamanho a melhor forma de fazer a diferenciação entre os mais velhos e aquelas versões mais jovens do animal.

Pica-Pau-Verde

  • Comprimento: entre 30 e 35 centímetros;

  • Continente de preferência: Europa (parte ocidental).

O pica-pau-verde é mais um dentre os tantos tipos coloridos da ave. Porém, assim como a grande maioria deles, o pica-pau-verde apresenta detalhes em vermelho na cabeça, que ajudam no processo de identificação de qualquer pica-pau.

O animal é comum na Europa e em parte da Ásia, sendo uma espécie bastante conhecida em Portugal – segundos alguns cidadãos do país, o animal é tipicamente português, já que possui as cores da bandeira do país. O ninho desse tipo de ave é construído em árvores ocas, muitas vezes bicadas por outros exemplares da espécie até a construção do buraco.

De qualquer forma, o pica-pau-verde possui entre 900 mil e 3 milhões de exemplares em todo o planeta, ao menos segundo as projeções realizadas pelos principais pesquisadores europeus da área. O animal é comum em áreas urbanas da Europa, até mesmo pela dificuldade em encontrar florestas mais afastadas na parte Ocidental do continente.

Assim, o pica-pau-verde apenas possui os parques e jardins, situados no perímetro urbano, para se manter e fazer seu ninho. É muito comum encontrar dois exemplares do pássaro voando juntos, já que o pica-pau-verde costuma voar em casal. Sobre o tamanho, esse tipo de pica-pau possui de 30 a 35 centímetros de comprimento, o que lhe confere um porte médio. Já a envergadura, quando com as asas completamente abertas, possui cerca de 50 centímetros.

A plumagem do animal é verde, em um tom mais escuro e quase para o preto. O bico e os olhos são negros, enquanto a parte de cima da cabeça é vermelha em um tom forte. Na verdade, a parte vermelha da cabeça do pica-pau em questão vai até a altura da nuca, quando dá lugar ao verde que confere o nome popular da espécie. O pica-pau-verde é tido como uma espécie muito inteligente, sobretudo quando comparado a outros tipos de pica-pau. Até mesmo por isso, é difícil ter acesso a essa ave, que se mostra desconfiada durante o contato com as pessoas.

A alimentação é mais voltada para o insetos e larvas que vivem nas madeiras apodrecidas, facilmente encontradas nas áreas urbanas em que vive o pica-pau-verde. O voo do animal ainda é muito confuso, sem tanto senso de direção. Isso se deve ao fato de o pica-pau-verde possui pouco domínio sobre os seus órgãos dos sentidos, o que torna mais complicado para a ave dominar o senso de direcionamento. A melhor forma de fazer isso é seguir o canto de outro exemplar da espécie, sobretudo quando ele está perto.

Assim, o canto é fundamental para o modo de vida do pica-pau-verde, além de ser bastante único. O pica-pau-verde possui muitas ligações com a cultura popular europeia, já que é um animal antigo e comum no continente há milhares de anos. Dessa maneira, há muitos desenhos que ligam o pica-pau-verde ao cristianismo, seja em um sentido positivo ou em sentidos negativos. Em todo caso, o certo é que essa ave faz parte da cultura e das lendas europeias.

Pica-Pau-Malhado-Grande

  • Principal característica: gosta de altitudes elevadas;

  • Continente de preferência: Europa.

O pica-pau-malhado-grande é mais uma espécie de pica-pau presente na Europa e também em parte da Ásia, assim como acontece algumas outras. O animal recebe esse nome pleo fato de possuir o corpo com detalhes “malhados”, em uma mistura entre o preto e o branco. Logo, o peito da ave é todo na cor preta, embora a parte externa das asas e a sua parte traseira sejam brancas.

Além disso, parte da asa e também parte da cauda do pica-pau-malhado-grande apresentam detalhes em preto e branco ao mesmo tempo, o que proporciona um contraste bastante interessante e transforma o animal em um dos mais bonitos tipos de pica-pau de todo o Hemisfério Norte. O curioso sobre o pica-pau-malhado-grande é que, diferentemente de outras espécies, esse animal se adapta muito bem ao ambiente frio, gostando de estar em países com as temperaturas mais reduzidas.

Considerando que esse pica-pau vem perdendo o habitat com incrível velocidade, essa é uma ótima notícia, já que os países mais ao Norte da Europa apresentam amplos locais para o desenvolvimento correto do animal. Na verdade, enquanto o pica-pau-malhado-grande sofre com a perda de habitat em países como Alemanha e Itália, esse mesmo animal vê a sua área de distribuição aumentar bastante em países mais ao Norte, aqueles mais frios.

Assim, no fim das contas o pica-pau em questão se apresenta em ótimo estado de conservação, listado como espécie pouco preocupante quando se trata da extinção. Quanto aos seus locais de preferência, o pica-pau-malhado-grande gosta de se manter em bosques e florestas secundárias, já que esses ambientes são ideias para evitar predadores grandes. Em geral, áreas por volta dos 2 mil metros de altitude são as ideias para o crescimento da ave, até mesmo para evitar temperaturas muito elevadas.

Nas áreas urbanas, onde também é possível encontrar o pica-pau-malhado com alguma frequência, sua presença se dá nos jardins e parques públicos, embora a oferta de alimentos não seja tão grande nesses ambientes e as árvores também não sejam tão altas – o pica-pau, para observar o ambiente em busca de alimentos ou na tentativa de fugir dos predadores, é muito atento ao espaço ao seu redor.

Como não se dá muito bem em locais de temperaturas elevadas, o pica-pau-malhado-grande raramente será encontrado perto do litoral, onde a população da ave é muito menos numerosa. O som emitido pelo pássaro, ademais, é uma das características mais fortes da espécie.

Alto e capaz de percorrer algumas centenas de metros, o som do pica-pau-malhado pode chegar a outros animais da espécie com incrível velocidade. Nesse sentido, quando escutam tal som, o senso de direção do pássaro automaticamente se volta para a origem do canto. Além disso, o som da madeira ao ser bicada pelo pica-pau-malhado-grande é também muito alto, o que pode atrair os predadores. É por isso que a ave costuma se manter em alturas maiores, apenas no topo das grandes árvores.

Pica-Pau-Malhado-Pequeno

  • Comprimento: entre 14 e 15 centímetros;

  • Principal característica: menor pássaro da Europa.

O pica-pau-malhado-pequeno não é da mesma espécie do pica-pau-malhado-grande, como o nome pode indicar. Na verdade, os nomes populares de ambos não transmitem com exatidão a diferença que há entre essas aves. Dessa maneira, o pica-pau-malhado-pequeno realmente é menor, mas também guarda outros detalhes diferenciados em seu modo de vida.

Na realidade, o pica-pau-malhado-pequeno é o menor pica-pau de todo o continente europeu, o que chama a atenção de quem mais se interessa por aves na região. Com uma faixa vermelha na cabeça, a melhor forma de distinguir o pica-pau-malhado-pequeno dos outros tipos de pássaros da região é a partir das barras brancas em seu dorso, em meio ao preto do restante do corpo. A cabeça desse pica-pau também é preta, mas possui detalhes brancos e, como já explicado, guarda uma faixa em um tom muito forte de vermelho.

Além de estar presente na Europa e na Ásia, o pica-pau-malhado-pequeno também é comum no Norte da África, na região que se separa do continente europeu pelo Mar Mediterrâneo. Quanto ao seu tamanho, o pica-pau-malhado-pequeno possui entre 14 e 15 centímetros de comprimento, o que o torna realmente muito pequeno. Caso você estivesse com a mão aberta, é provável que conseguisse fechá-la por inteiro sem machucar o pássaro.

O animal, em comparação ao pica-pau-malhado-grande, é muito mais comum nas partes litorâneas dos países. Na verdade, esse pica-pau está presente em grande quantidade até mesmo em países como Espanha e Portugal, que possuem grandes faixas de litoral em seus territórios. No Japão, um país também cercado pelas praias, o pica-pau-malhado-pequeno se mostra presente na mesma proporção. O animal gosta de bosques e de florestas mais calmas para se manter, sobretudo quando há algum possível perigo por perto.

Vale lembrar que o relacionamento do pica-pau-malhado-pequeno com as pessoas não é nada positivo, sobretudo quando o pássaro é surpreendido. Portanto, se aproximar de um exemplar da ave é uma tarefa complicada e que exige planejamento. Problemas florestais, como incêndios e derrubadas de árvores, representam os maiores perigos para a vida o pica-pau, sobretudo na Europa. Em contraponto, o animal é ótimo quando se trata de realizar a dispersão de sementes, já que consegue carregar sementes de muitas culturas para novas áreas de expansão.

O pica-pau-malhado-pequeno costuma não ser muito comum acima dos 2 mil metros de altitude, já que nesses ambientes o frio costuma ser mais intenso, causando problemas para uma ave que não consegue fazer grandes estoques de alimentos. Além disso, a capacidade de defesa do pica-pau-malhado-pequeno não é muito grande contra alguns dos perigos que cadeias montanhosas podem guardar.

Quanto ao seu modo de alimentação, o mais natural é que o pica-pau-malhado consuma insetos pequenos e muitas larvas, além de também ser capaz de comer as menores sementes. Seu canto não é muito alto, mas tem um tom agudo e consegue atrair os outros exemplares da espécie que estejam por perto. Vale lembrar ainda que o pica-pau-malhado-pequeno, em geral, é monogâmico e voa em casal, o que facilita a sua vida em muitos aspectos.

Pica-Pau-Fura-Laranja

  • Comprimento: cerca de 20 centímetros;

  • Países de preferência: Brasil, Equador e Venezuela.

O pica-pau-fura-laranja pode ser encontrado em muitas partes da região Norte do Brasil, já que o animal é comum na Floresta Amazônica. Dessa forma, é natural que o pica-pau-fura-laranja seja visto perto de plantações de frutas, já que adora se alimentar delas.

Por esse motivo, devido ao fato de invadir os pomares com alguma frequência em busca das frutas, o pica-pau-fura-laranja recebeu tal nome popular. A característica do pássaro ao se deparar com a fruta é a de realizar um pequeno furo com o seu bico, que é pontiagudo e pode ser muito cortante.

A partir desse furo, portanto, o pássaro consegue aumentar aos poucos o buraco na fruta para sugar os nutrientes. Além da Floresta Amazônica, Bahia e o Espírito Santo possuem grandes populações do pica-pau-fura-laranja, sobretudo nas áreas mais interioranas de ambos os estados. Isso porque a espécie não é muito adaptável ao ambiente urbano, já que não encontra alimentação com facilidade nas grandes cidades. Sobre o seu tamanho, o pica-pau-fura-laranja possui cerca de 20 centímetros de comprimento, sendo um animal pequeno, mas, ao mesmo tempo, na média das outras aves da América do Sul.

A parte traseira do seu corpo é escura, entre um cinza e um preto, enquanto a barriga do animal é marrom em tons claros. Além disso, há a tradicional faixa vermelha sobre a cabeça do pica-pau-fura-laranja, que marca muito bem essa espécie como um pica-pau típico. Há uma versão do pica-pau-fura-laranja que possui todo o corpo na cor vermelha, embora seja muito rara e difícil de encontrar, principalmente fora das matas mais densas da Amazônia.

Em relação ao seu estado de conservação, vale citar que o pica-pau-fura-laranja, assim como outros tipos de pica-pau, está muito bem avaliado pelos principais órgãos de pesquisa. No caso, o animal se encontra em situação pouco preocupante, o que confere ao pica-pau tranquilidade em relação às possibilidades de extinção. Fora o Brasil, Bolívia, Peru, Venezuela e Equador são alguns dos países que possuem o animal em suas florestas, estando a espécie muito bem conservada na maioria desses países.

Em geral, em qualquer um deles, o local preferido do pica-pau-fura-laranja é a floresta secundária, menos densa e onde o animal encontra liberdade para manter o seu modo de vida com menos temor de ser atacado. Bosques e jardins urbanos também podem ser úteis para o desenvolvimento do pica-pau-fura-laranja, mas esses ambientes não costumam ter tanta oferta de alimentos quanto aqueles do interior.

Pois, além das frutas, o pica-pau-fura-laranja consome ainda insetos, o que faz com que esse animal busque as formigas com muita intensidade. Abelhas e cupins também podem ser consumidos pela espécie, embora seja menos comum no dia a dia desse tipo de pássaro. Suas notas de canto são complexas, bonitas e podem ser ouvidas a longas distâncias.

Pica-Pau-Carijó

  • Comprimento: aproximadamente 26 centímetros;

  • Principal característica: ótimo em perfurar madeira (acima da média).

O pica-pau-carijó é um dos mais comuns na América do Sul, sendo mais um a fazer parte da fauna brasileira. O animal pode ser visto na Floresta Amazônica com alguma facilidade, sobretudo em regiões próximas o Rio Negro. O pássaro tem cerca de 26 centímetros de comprimento, com um corpo belíssimo. Isso porque o pica-pau-carijó possui uma mistura de verde e preto em sua parte traseira, dando um toque de beleza sem igual à ave.

O bico e os olhos são pretos, além da tradicional faixa vermelha na área da cabeça, que vai até a nuca. Esse animal também pode ser chamado de pica-pau-verde-barrado em algumas áreas da região Norte, embora o mais comum seja o apelido de “carijó”. O pica-pau-carijó, assim, é um dos mais especializados de toda a área em perfurar árvores, com muita força e precisão nas bicadas.

Portanto, apesar de pequeno quando comparado a uma árvore, o pica-pau em questão é capaz de gerar buracos realmente enormes na madeira. Outro ponto de destaque é que o pica-pau-carijó possui grande capacidade de se manter em árvores, já que as garras são afiadas e anatomicamente evoluídas para facilitar o processo de manter o pássaro no topo de superfície em madeira.

Sua língua também é muito grande e maleável, podendo ser usada para chegar a insetos mais distantes, já que se afasta bastante da boca. Logo, essa é uma característica incomum à maior parte das outras espécies, o que torna o pica-pau-carijó ainda mais especial.

Para beber água, algo fundamental na vida de todos os animais, o pica-pau a coloca em seu bico e movimenta a cabeça para trás, com o intuito de fazer com que o líquido passe pela garganta. O processo é bastante útil, já que a espécie não sabe sugar a água. Quanto à habitação, esse tipo de pica-pau-carijó vive sempre próximo aos rios, ambientes ideias para que haja o crescimento de ninhos de insetos. Dessa forma, se torna também um local ideal para um pica-pau.

Pica-Pau-Amarelo

  • Países de preferência: Peru, Colômbia e Equador;

  • Estado de conservação: pouco preocupante;

  • Comprimento: entre 26 e 29 centímetros.

O pica-pau-amarelo é, como o seu nome popular já indica, completamente amarelado. Esse animal vive do estado de Alagoas ao Espírito Santo, pegando grande parte do Nordeste do Brasil.

Ademais, é possível encontrar o pica-pau-amarelo em outros países da América do Sul, sempre em áreas de temperaturas elevadas e pouca ou média umidade. Venezuela, Bolívia, Peru, Colômbia e Equador são alguns desses países. Diferente de outros tipos de pica-pau, o pica-pau-amarelo vive sempre sozinho, sem a presença de ninhada ou da parceira sexual.

Assim, essa ave apenas encontra com o parceiro ou com a parceira no momento da reprodução, rompendo os laços posteriormente. Insetos, como formigas, e frutas, como mangas, fazem parte da dieta alimentar do pica-pau-amarelo. O macho da espécie possui uma faixa em vermelho na cabeça, algo que as fêmeas não têm. Em contraponto, as fêmeas têm uma coloração mais clara na plumagem, enquanto o amarelo dos machos é muito mais forte.

Veja também

Quais os Benefícios do Ovo de Marreca? Para que Serve?

Os marrecos são aves aquáticas pertencentes à família dos Anatídeos. Estas aves produzem uma carne …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *