Home / Animais / Tudo Sobre a Doninha: Características, Nome Científico e Fotos

Tudo Sobre a Doninha: Características, Nome Científico e Fotos

A doninha é talvez o menor representante da ordem predatória entre os mamíferos carnívoros. É um dos mustelídeos da família cuja área de habitat pode se estender por todo o hemisfério norte.

Tudo Sobre a Doninha: Características, Nome Científico e Fotos

O nome científico da doninha comum é mustela nivalis. O peso corporal dos machos é de 60 a 250 g, as fêmeas de 30 a 108 g, o comprimento do corpo de 160 a 260 mm, as fêmeas de 114 a 212 mm, o comprimento da cauda nos machos de 12 a 87 mm e as fêmeas de 17 a 64 mm. Ele se move em saltos de 25 a 30 cm de comprimento.

A estrutura de um corpo longo e flexível e a cor da pele se assemelham a um arminho (mustela erminea), mas diferem em tamanho pequeno e cauda mais curta, e mais importante, de uma cor; ela não tem um pincel preto no rabo. O corpo de afeto, como o de um arminho, é magro e comprido, com pernas curtas, armadas de garras muito afiadas, cabeça oblonga, pequenas orelhas arredondadas, o nariz no final é rombudo e ligeiramente bifurcado. Na base da cauda existem glândulas secretando um líquido com um odor desagradável.

No pêlo de verão, a parte superior da cabeça, costas, laterais, cauda e laterais externas das patas são uniformemente marrom acastanhadas. A garganta, a borda do lábio superior, o peito, a barriga e a superfície interna das pernas são de um branco puro.

Características da Doninha
Características da Doninha

Atrás dos cantos da boca há uma mancha marrom. A densidade do pêlo é a mesma no verão e no inverno, mas os cabelos do verão são mais curtos e finos que o inverno. No outono, a doninha, com exceção de alguns habitats do sul, substitui a roupa marrom de verão por pura pele branca de inverno. Pode ser encontrada na Europa, Norte da Ásia e América do Norte.

Tudo Sobre a Doninha: Habitat e Ecologia

A doninha tolera uma grande variedade de habitats, incluindo florestas, campos agrícolas e campos cultivados, campos e prados gramados, matas ciliares, sebes, prados e florestas alpinas, matagal, estepe, semi-deserto, pradarias e dunas costeiras. A doninha forma covas nas fendas entre as raízes das árvores, nos troncos ocos ou nas tocas abandonadas de outras espécies.

A doninha é um predador diurno especialista em pequenos mamíferos (especialmente roedores), embora também se alimente ocasionalmente de ovos de aves, lagartos, sapos, salamandras, peixes, vermes e carniça. Os alimentos podem ser armazenados durante o inverno. A seleção de habitats geralmente é determinada pela distribuição local de roedores. Ao forragear, evita espaços abertos, onde é mais vulnerável à predação por raptores.

Habitat da Doninha
Habitat da Doninha

A doninha tem uma distribuição holártica circumboreal, absorvendo grande parte da Europa, norte da Ásia e norte da América do Norte. Pode ser encontrada em quase toda a Europa, inclusive na Grã-Bretanha (mas não na Irlanda). Na Ásia continental, varia do sul ao norte da Mongólia, Coréias Norte e Sul e norte da China. As populações mais ao sul não são consideradas aqui específicas e já mais a oeste na Ásia, ocorre ao sul do Líbano, Irã e Afeganistão.

Também é encontrado em Honshu, Hokkaido, nas ilhas Sakhalin e Kuril na Rússia e em Taiwan. No norte da África, está confinado ao Marrocos, Argélia e Tunísia; essas populações costumam ser consideradas nativas, mas não é impossível que tenham sido introduzidas. Foi introduzido em muitas ilhas do Mediterrâneo, Açores, São Tomé, na África Ocidental e Nova Zelândia. Esta espécie ocorre desde o nível do mar até pelo menos 3.860 m de altitude.

Tudo Sobre a Doninha: Status e Ameaças

Na parte européia de seu alcance, há declínios documentados da população em algumas áreas (por exemplo, Grã-Bretanha) e suspeita de declínio em outras. Embora tenha uma ampla distribuição, é considerado raro na América do Norte. Na Eurásia, é relativamente comum, mas não é visto com frequência. Densidades locais de 0,2 a 1,0 indivíduos por hectare podem ocorrer em habitats favorecidos quando as presas são abundantes.

Doninha se Sentindo Ameaçada
Doninha se Sentindo Ameaçada

No entanto, em áreas mais amplas, a densidade média pode ser de um a sete por 100 hectares. As populações flutuam sazonalmente e anualmente, algumas vezes envolvendo grandes aumentos de até 10 vezes, simultaneamente ou dentro de nove meses após o pico populacional de pequenos roedores e com duração de seis a 18 meses.

As ameaças incluem envenenamento acidental com rodenticidas e perseguição. Doninha prefere habitats agrícolas abertos, que estão em declínio devido a mudanças nas práticas agrícolas (abandono rural) em partes da Europa, já que os campos abertos sofrem sucessão.

Fatos Interessantes Sobre a Doninha

Eles podem ser encontrados em todo o mundo, exceto na Antártica , na Austrália e nas ilhas vizinhas.

Encontrada em uma variedade de habitats, a doninha favorece boa cobertura e presas abundantes, incluindo bosques, prados, dunas, montanhas, áreas urbanas, pântanos e charnecas.

As doninhas têm uma vida útil de 2 a 3 anos na natureza, até 10 anos em cativeiro.

Doninhas são ativas no inverno e no verão; eles não hibernam. Dependendo do clima e da estação, eles podem exibir comportamento noturno ou diurno.

Além de acasalar ou desmamar, as doninhas são animais solitários que cuidam de si mesmos na natureza.

Doninha em seu Território
Doninha em seu Território

Eles são conhecidos por serem territoriais , defendendo seus lares quando invadidos. Os tamanhos das áreas domésticas variam de acordo com habitat, densidade populacional, estação do ano, sexo, disponibilidade de alimentos e espécies.

Eles são escaladores, nadadores e corredores qualificados. Doninhas são predadores ferozes. Seus sentidos da visão, olfato e audição são agudos, seu instinto de caça é agudo e ativo, agressivo e rápido.

Um grupo de doninhas pode ser chamado de boogle, gangue, matilha e confusão.

A palavra em inglês “doninha” foi originalmente aplicada a uma espécie do gênero, a forma européia da doninha anã. Esse uso é retido no inglês britânico, onde o nome também é estendido para abranger várias outras espécies pequenas do gênero.

As doninhas receberam uma variedade de significados culturais. Na cultura grega, uma doninha perto da casa é um sinal de má sorte, até mesmo má, “especialmente se houver na casa uma menina prestes a se casar”, uma vez que o animal (baseado em sua etimologia grega) era considerado um noiva infeliz que foi transformada em doninha e consequentemente se delicia em destruir vestidos de noiva.

Na vizinha Macedônia, no entanto, as doninhas são geralmente vistas como um presságio de boa sorte.

No Japão, doninhas eram vistas como yokai (fantasma), desde tempos imemoriais, e causam várias ocorrências estranhas.

Na tradição nativa americana, a doninha tem o remédio para procurar segredos. Confie nos seus próprios sentidos em relação às outras pessoas e você se sairá bem, mesmo que isso signifique ir sozinho. Isso faz parte do que a doninha ensina.

Veja também

Qual a Ração Mais Indicada Para Pastor Alemão?

O pastor alemão é um cão bastante utilizado como cão de guarda e cão policial. …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *