Home / Animais / Tipos de Jabuti

Tipos de Jabuti

Para os leigos, é tudo tartaruga! Se não lermos a respeito não entenderemos as diferenças, mas existem. E basicamente, os jabutis são aquelas “tartarugas” que só vivem em terra e não na água. Possuem os cascos mais altos e suas patas lembram um pouco as patas de elefantes. Já ajudei um pouco né? Mas vamos conhecer mais um pouco?

Jabutis ou Jabotis

Os jabutis ou jabotis, cujo nome científico é chelonoidis é um gênero de quelônios da família testudinidae. Eles são encontrados na América do Sul e nas Ilhas Galápagos. Eles foram anteriormente designados para geochelone, uma espécie de tartaruga, mas uma recente análise genética comparativa indicou que eles são, na verdade, mais intimamente relacionados com as tartarugas africanas de Hingeback. Seus ancestrais aparentemente flutuaram através do Atlântico no Oligoceno . Este cruzamento foi possível graças à sua capacidade de flutuar com a cabeça erguida e sobreviver até seis meses sem comida ou água. Os membros deste gênero nas Ilhas Galápagos estão entre os maiores quelônios terrestres existentes. Membros gigantes do jabuti também estiveram presentes no continente sul americano durante o Pleistoceno.

Jabuti Filhote na Mão de um Homem
Jabuti Filhote na Mão de um Homem

A espécie é variada e ainda é muito discutida na ciência. Vamos resumir basicamente o jabuti em quatro espécies: chelonoidis carbonaria, chelonoidis denticulata, chelonoidis chilensis e chelonoidis nigra, sendo este último o maior da espécie podendo atingir um metro e meio de comprimento. Mas vamos destacar apenas as espécies comuns em solo brasileiro: o chelonoidis carbonaria, conhecido também como jabuti piranga ou jabuti vermelho, e o chelonoidis denticulata, conhecido como jabutinga ou jabuti amarelo.

Os Jabutis Brasileiros

Chelonoidis carbonaria e chelonoidis denticulata são duas espécies de jabutis com ampla distribuição no território brasileiro. Apesar de conviverem juntos muitos locais, o jabuti piranga apresenta predileção por áreas mais abertas e e o jabu tinga por áreas de florestas mais densas. Por ocuparem extensa área com grandes variações ambientais, essas espécies apresentam grande variação nas características morfológicas. Dados da forma do casco de indivíduos cativos indicam importantes diferenças entre as espécies, principalmente nos escudos do plastrão, na largura da carapaça e no comprimento cefálico. O jabuti piranga apresenta maior variação da forma que o jabu tinga, o que pode ser relacionado a um ritual de acasalamento mais elaborado e complexo.

O jabu tinga possui corpo mais alongado que o jabuti piranga, o que é atribuído aos seus hábitos; esse aspecto leva a uma maior restrição da forma, minimizando as possibilidades de variação do seu dimorfismo. A abertura no casco do jabuti piranga é maior que no jabu tinga, o que possibilita maior variação na forma. Um casco mais alongado facilita o deslocamento do jabu tinga em áreas de floresta densa, mas reduz a abertura desse casco, diminuindo as possibilidades de variação da forma.

O jabuti piranga geralmente têm em média trinta centímetros quando adulto, mas podem atingir mais de quarenta centímetros. Eles têm carapaças em forma de pão escuro (casca traseira) com uma mancha mais clara no meio de cada escudeira (escamas na concha) e membros escuros com escamas coloridas que variam do amarelo claro ao vermelho escuro. Claro que há algumas diferenças na aparência do jabuti piranga em diferentes regiões. Seu habitat natural varia de savana a bordas de floresta ao redor da Bacia Amazônica. Eles são onívoros com uma dieta baseada em uma grande variedade de plantas, principalmente frutas quando disponíveis, mas também incluindo gramíneas, flores, fungos, carniça e invertebrados.

Eles não hibernam, mas podem descansar bem em tempo quente e seco. Ovos, filhotes e jabutis jovens são alimento para muitos predadores, mas as principais ameaças para os adultos são os jaguares e os humanos. O quantitativo da população de jabuti piranga pode ser grande em uma região a quase nenhum em outra, e isso se dá pela destruição do habitat natural ou pelo comércio geralmente ilegal de animais de estimação.

Já o jabu tinga, com um comprimento médio de quarenta centímetros e o maior exemplar conhecido tinha quase um metro, está sendo considerado o sexto maior espécime de quelônio da Terra, em uma lista que inclui o chelonoidis nigra como sendo o maior. É considerada a terceira maior se resumir a lista apenas as espécies existentes nas Américas.

Eles se assemelham ao jabuti piranga, e às vezes pode ser difícil distinguir, especialmente como um espécime preservado, o que levou a um pouco de confusão sobre os nomes e faixas. A carapaça (topo da concha) é uma oval longa com lados paralelos e uma parte superior com cúpula alta que é geralmente plana ao longo dos vertebrais (escudos ou escamas da concha ao longo do topo da carapaça) com um ligeiro pico perto da extremidade posterior. Existem cinco escudos vertebrais, quatro pares de costais, onze pares de marginais e um grande supra-sual indivisível (as marginais sobre a cauda). Há algum desacordo sobre qual habitat é o tipo preferido para o jabu tinga. Alguns acham que preferem pastagens e áreas de floresta seca, e que o habitat da floresta tropical é provavelmente marginal. Outros sugerem que a floresta úmida é o habitat preferido. Independentemente disso, eles são encontrados em áreas de florestas mais secas, campos e savanas, ou cinturões de floresta tropical adjacentes a habitats mais abertos.

Ameaçados de Extinção

Ambos os jabutis estão ameaçados de extinção. O jabuti piranga está listado como vulnerável e o jabu tinga já figura na lista vermelha dos ameaçados de extinção. O comércio internacional é restrito mas nenhuma proteção significativa que controle o contrabando, que acaba ocorrendo desenfreadamente. Apesar dos parques de preservação e cativeiros de proteção, onde voluntários de diversos países auxiliam na reprodução assistida, ainda assim são exportados muito mais jabutis do que o que se consegue proteger. E essas exportações não incluem obviamente o contrabando ou outras perdas, que alguns estimam estar bem acima do dobro da exportação legal. O jabuti piranga é considerado em maior risco na Argentina e na Colômbia.

Preservação Jabuti
Preservação Jabuti

Os jabutis são amplamente utilizados como alimento em toda a sua variedade, especialmente onde outras carnes são limitadas. Sua capacidade de passar muito tempo sem comer torna fácil capturá-los e mantê-los frescos por longos períodos. A Igreja Católica na América do Sul permite que as tartarugas sejam consumidas em dias de jejum, quando a maioria das carnes é proibida na
Quaresma.

A significativa perda de seu habitat natural pela destruição do homem influencia em muito como ameaça a sobrevivência dos jabutis. E o amplo comércio depredatório em busca desses espécimes para animais de estimação locais ou para a aquisição de suas conchas vendidas como lembranças sem dúvida só piora a situação.

Veja também

Galinha Modern Game: Características, Ovos, Como Criar e Fotos

Não, não estamos falando de um joguinho de vídeo game, e nem de algum novo …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *