Home / Animais / Tamanduá: Reino, Filo, classe, Ordem, Família e Gênero

Tamanduá: Reino, Filo, classe, Ordem, Família e Gênero

O tamanduá é um nome comum dado às quatro espécies dos mamíferos existentes na subordem Vermilingua. Isso significa “língua de verme”, pois são comumente reconhecidos por comer formigas e cupins.

As espécies individuais têm vários nomes populares. Juntamente com as preguiças, elas estão dentro da ordem Pilosa. O nome “tamanduá” também é aplicado coloquialmente a alguns membros dos Oecobiidae.

Os tipos existentes são:

  • O tamanduá-gigante Myrmecophaga tridactyla, que tem aproximadamente 1,8 m de comprimento, o que inclui as caudas;
Tamanduá-Gigante
Tamanduá-Gigante
  • O tamanduá-de-seda, Cyclopes didactylus, com comprimento de mais ou menos 35 cm;
Tamanduá-de-Seda
Tamanduá-de-Seda
  • O tamanduá do sul ou tamanduá Tamandua tetradactyla, com comprimento de 1,2 m;
Tamanduá do Sul
Tamanduá do Sul
  • O tamanduá do norte, ou Tamandua mexicano, com as dimensões semelhantes.
Tamanduá do Norte
Tamanduá do Norte

Classificação do Tamanduá

  • Reino: Animalia;
  • Filo: Chordata;
  • Classe: Mamíferos;
  • Ordem: Pilosa;
  • Subordem: Vermilingua;
  • Família: Cyclopedidae e Myrmecophagidae.
Família Myrmecophagidae
Família Myrmecophagidae

Os tamanduás estão mais relacionados às preguiças do que a qualquer outro grupo de mamíferos. Suas relações mais próximas são os tatus.

Evolução da Espécie

Tamanduás são uma das três famílias sobreviventes de um grupo outrora diversificado de mamíferos que ocuparam a América do Sul. Enquanto ele foi geograficamente isolado de uma invasão de animais da América do Norte, os outros dois eram as preguiças e os tatus.

Ao mesmo tempo, supunha-se que o tamanduá estivesse relacionado com o pagolim por causa de suas semelhanças físicas com esse animal. Mas essas similaridades foram determinadas como não sendo um sinal de um ancestral comum, mas de uma evolução convergente.

Todos eles desenvolveram poderosos antebraços para escavação, línguas longas e focinhos sem dentes. Estes são semelhantes a tubos, para subsistir ao invadir montes de cupins. Essa semelhança é a razão pela qual os pagolins também são comumente chamados de “tamanduás”.

As Características Físicas

Todos os tamanduás têm focinhos alongados, equipados com uma língua fina. Esta pode ser estendida a um comprimento maior que o comprimento da cabeça.

Suas bocas em forma de tubo têm lábios, mas não dentes. Eles usam suas garras grandes e curvas para rasgar montes de formigas e cupins e para defesa. Enquanto isso, seu pelo denso e longo os protege dos ataques dos insetos. Todas as espécies, exceto o tamanduá-gigante, têm uma longa cauda preênsil.

Comportamento da Espécie

Tamanduás são mamíferos principalmente solitários preparados para defender até 4 km² de territórios. Normalmente, o tamanduá não entra no território de outro do mesmo sexo, mas os machos geralmente entram no território de fêmeas associadas.

Quando ocorre uma disputa territorial, eles vocalizam, golpeiam e às vezes podem sentar-se ou até andar pelas costas de seus oponentes.

Espécies de Tamandúas
Espécies de Tamandúas

Tamanduás têm visão ruim, mas possuem um olfato excelente. Assim, a maioria das espécies depende desse último para forragear, alimentar e se defender. Sua audição é considerada boa a ótima.

Com uma temperatura corporal variando entre 33 e 36° C, os tamanduás, como outros xenartros, têm entre as temperaturas corporais mais baixas de qualquer mamífero. Dessa forma, podem tolerar maiores diversidades na temperatura corporal do que a maioria dos outros animais.

Sua ingestão diária de energia dos alimentos é apenas um pouco maior do que sua necessidade energética para atividades diárias. Dessa forma, o tamanduá provavelmente coordena a temperatura do corpo para manter a calma durante os períodos de descanso e aquecer durante a forragem.

Reprodução do Tamanduá

Os machos adultos são um pouco maiores e mais musculosos que as fêmeas, e têm cabeças e pescoços mais largos. A determinação visual do sexo pode, no entanto, ser difícil, uma vez que o pênis e os testículos estão localizados internamente entre o reto e a bexiga urinária em machos. Já as fêmeas têm um único par de mamas perto das axilas.

A fertilização ocorre por transferência de contato sem intromissão, semelhante a alguns lagartos. O acasalamento poligínico geralmente resulta em uma única prole. Gêmeos são possíveis, mas raros. As garras grandes impedem as mães de agarrar seus recém-nascidos e, portanto, precisam carregar os filhotes até que sejam autossuficientes.

Alimentação do Animal

Os tamanduás são especializados em se alimentar de pequenos insetos, com cada espécie tendo suas próprias preferências. Espécies pequenas são especializadas em insetos arbóreos que vivem em galhos pequenos. Enquanto isso, espécies grandes podem penetrar na cobertura dura dos ninhos de insetos terrestres.

Para evitar picadas e outras defesas dos invertebrados, o tamanduá adotou a estratégia de alimentação de lamber um grande número de formigas e cupins. E ele faz isso o mais rápido possível. Um tamanduá normalmente gasta cerca de um minuto em um ninho antes de passar para outro. Já um exemplar “gigante” tem que visitar até 200 ninhos por dia para consumir os milhares de insetos necessários para satisfazer suas necessidades calóricas.

A língua do bicho é coberta com milhares de pequenos ganchos chamados papilas filiformes. Estas são usadas para manter os insetos juntos com grandes quantidades de saliva.

A deglutição e o movimento da língua são auxiliados pelos movimentos laterais da mandíbula. A língua é presa ao esterno e se move muito rapidamente, passando 150 vezes por minuto.

O estômago do tamanduá, semelhante à moela de um pássaro, endurece as dobras e usa fortes contrações para moer os insetos. Um processo digestivo auxiliado por pequenas quantidades de areia e sujeira ingeridas é o que acontece.

Fatos Sobre os Tamanduás

  • A digestão é facilitada pelo estômago especificamente projetado, que mói grande quantidade de formigas e cupins. Seu estômago produz ácido fórmico em vez de ácido clorídrico (normalmente encontrado em outros mamíferos). Eles podem comer até 30.000 insetos por dia;
  • Tamanduás podem ser pequenos como um esquilo (tamanduás de seda) ou bem maiores, contando desde a ponta do nariz até o final de sua cauda (tamanduás gigantes);
  • Tamanduás são criaturas desdentadas;
A Língua do Tamanduá
A Língua do Tamanduá
  • Eles usam sua língua longa e pegajosa para pegar presas;
  • A língua é estreita e coberta por pequenos espinhos;
  • Tamanduás capturam formigas e cupins através do orifício no topo do formigueiro;
  • Eles nunca destroem o formigueiro porque planejam chegar e comer outra porção de formigas no futuro;
  • Como as formigas podem morder, o tamanduá deve comê-las rapidamente. Ele, então, sacude a língua de 150 até 160 vezes por minutos durante a alimentação para pegar formigas suficientes e evitar picadas.

Veja também

Lagarto Chicote- de- Garganta- Alaranjada: Características e Fotos

O lagarto chicote de garganta alaranjada (nome científico Aspidoscelis hyperythrus) é uma espécie nativa do …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *