Home / Animais / Salamandra das Cavernas ou Salamandra Branca: Características

Salamandra das Cavernas ou Salamandra Branca: Características

As salamandras das cavernas ou salamandras brancas são anfíbios cujo nome científico é proteus anguinus, que são endêmicos de cavernas localizados na região Sul da Europa. É a única salamandra européia representante da família proteidae, e a única representante do gênero proteus.

Possui um corpo em forma alongada, ou melhor, cilíndrica que cresce de 20 a 30, excepcionalmente 40 cm de comprimento. O casco é cilíndrico e uniformemente espesso por toda parte, com sulcos transversais mais ou menos pronunciados em intervalos regulares (os limites entre os miômeros).

A cauda é relativamente curta, achatada pelo lado, cercada por uma barbatana de couro. Os membros são finos e reduzidos; as pernas dianteiras são três e as traseiras dois dedos.

A pele é fina, não há pigmento de melanina em condições naturais, mas “pigmento” amarelo mais ou menos pronunciado da riboflavina, portanto é branco amarelado ou rosa por causa da corrente sanguínea, como a pele humana; os órgãos internos passam pelo abdômen.

Devido à sua cor, a salamandra das cavernas também recebeu o adjetivo “humano”, sendo assim chamado por alguns de peixe humano. No entanto, ele ainda tem a capacidade de produzir pigmentos na pele, melanina (com iluminação prolongada, a pele escurece e o pigmento geralmente aparece nos filhotes).

A cabeça desproporcionalmente estendida termina com uma esponja trincada e achatada. A abertura oral é pequena. Há pequenos dentes na boca, posicionados como uma grade, que contém partículas maiores. As narinas são muito pequenas e quase imperceptíveis, ficando um pouco lateralmente perto da ponta do focinho.

Salamandra das Cavernas Características

Os olhos esfolados crescem demais. Respiração com brânquias externas (3 buquês ramificados de cada lado, logo atrás da cabeça); brânquias são vivas por causa do sangue que flui através da parede. Também possui pulmões simples, mas o papel da respiração da pele e dos pulmões é secundário. Os machos são apenas ligeiramente mais espessos, além das fêmeas.

Habitat e estilo de vida

A espécie vive em partes inundadas de cavernas (chamadas sifões por espeleologistas), raramente também em fontes cársicas alimentadas por essas águas ou em lagos abertos. Ao usar águas subterrâneas cársticas, elas às vezes são bombeadas, e há relatos antigos (não confirmados) de que ocasionalmente migram das águas das cavernas para as nascentes e as águas superficiais à noite.

As salamandras da caverna podem respirar ar e cobrir suas necessidades de oxigênio na água através de brânquias e respiração na pele; quando mantidos em terrários, às vezes deixam a água voluntariamente, mesmo por um longo período de tempo. Os animais procuram esconderijos em fendas ou debaixo de pedras, mas nunca se enterram.

Eles sempre retornam a esconderijos familiares, que reconhecem pelo cheiro; no experimento preferiram pelo menos animais sexualmente inativos de portos já ocupados, por isso são sociáveis. A atividade da espécie, dependendo do habitat subterrâneo, não é diária nem anual; até animais jovens podem ser encontrados igualmente em todas as estações.

Embora os olhos da salamandra estejam inativos, podem perceber a luz através de uma sensação de luz na pele. Se partes individuais do corpo são expostas a mais luz, elas fogem para longe da luz (fototaxia negativa). No entanto, você pode se acostumar a constantes estímulos luminosos e até mesmo ser atraído por uma exposição extremamente fraca. Eles também podem usar um sentido magnético para se orientar no espaço vital.

Às vezes, há informações contraditórias sobre o habitat preferido das espécies. Enquanto alguns pesquisadores assumem uma preferência por partes de água particularmente profundas e não perturbadas, com condições ambientais constantes, outros assumem uma preferência por áreas com fluxo de água superficial, porque o suprimento de alimentos é muito melhor.

Essa salamandra é relativamente sensível à temperatura. Uma comparação das águas mostra que (com raras exceções) preenche apenas águas mais quentes que 8° C e prefere aquelas acima de 10° C, embora tenha temperaturas mais baixas, incluindo gelo, por períodos mais curtos para tolerar.

Salamandra das Cavernas em seu Habitat

Temperaturas da água de até cerca de 17° C são toleradas sem problemas, e água mais quente apenas por curtos períodos. Ovos e larvas não podem mais se desenvolver acima de 18° C. Nas águas subterrâneas e nas cavernas, as águas superficiais são quase constantes ao longo do ano e correspondem aproximadamente à temperatura média anual nesse local. Embora as águas habitadas estejam na maior parte mais ou menos saturadas com oxigênio, a salamandra branca tolera uma ampla gama de valores e pode até sobreviver por até 12 horas na ausência de oxigênio, conhecida como anoxia.

Reprodução e desenvolvimento

As fêmeas atingem a maturidade sexual até a idade de uma média de 15 a 16 anos e depois reproduzem ocasionalmente a cada 12,5 anos. Se as capturas selvagens são mantidas no aquário, um número relativamente grande de animais atinge a maturidade sexual em poucos meses, o que está associado a uma melhor nutrição.

Os machos ocupam áreas de corte no habitat de (no aquário) cerca de 80 centímetros de diâmetro, cuja borda está constantemente patrulhando. Se outros machos dispostos a acasalar vierem a essa área de namoro, haverá violentas lutas territoriais, nas quais o dono do território ataca o rival com mordidas; feridas podem ser infligidas ou brânquias podem ser cortadas.

A postura dos ovos de aproximadamente 4 milímetros começa cerca de 2 a 3 dias depois e geralmente leva algumas semanas. O tamanho da embreagem é de 35 ovos, dos quais cerca de 40% eclodem. Uma fêmea depositou cerca de 70 ovos no aquário por um período de 3 dias. A fêmea defende a área de desova com os filhotes, mesmo depois de eclodirem.

Ovos desprotegidos e larvas jovens são facilmente comidas por outros olmos. As larvas começam sua vida ativa com um comprimento corporal de cerca de 31 milímetros; desenvolvimento embrionário leva 180 dias.

As larvas diferem dos olmos adultos pela forma compacta e arredondada do corpo, pelas extremidades traseiras menores e pela costura da barbatana mais larga, que se estende para a frente sobre o tronco. A forma do corpo adulto é atingida após 3 a 4 meses, os animais têm cerca de 4,5 centímetros de comprimento. Com mais de 70 anos de expectativa de vida (determinados em condições semi-naturais), alguns pesquisadores até assumem 100 anos, a espécie pode ser muitas vezes mais velha do que é comum entre os anfíbios.

Alguns pesquisadores publicaram observações segundo as quais a salamandra da caverna interromperia filhotes vivos ou eclodiria imediatamente após a postura dos ovos (viviparie ou ovoviviparie). Os ovos sempre foram postos em um exame mais atento. Essas observações podem ser devidas a animais mantidos em condições extremamente desfavoráveis.

Conservação de espécies

A espécie é “de interesse comum” na União Europeia. A salamandra da caverna é uma das espécies “prioritárias” porque a União Européia tem uma responsabilidade especial pela sua sobrevivência. As espécies do anexo IV, incluindo seus habitats, também são particularmente protegidas onde quer que ocorram.

No caso de projetos e intervenções na natureza que possam afetar os estoques, deve ser demonstrado antecipadamente que eles não ameaçam o estoque, mesmo longe de áreas protegidas. As categorias de proteção da Diretiva Habitats se aplicam diretamente em toda a União Européia e geralmente estão incluídas na legislação nacional, inclusive na Alemanha.

Salamandra Conservação de Espécies

A salamandra da caverna também é protegido na Croácia, Eslovênia e Itália, e o comércio de animais é proibido na Eslovênia desde 1982. As ocorrências mais significativas da salamandra na Eslovênia estão agora cobertas pelas áreas protegidas Natura 2000, mas algumas populações continuam sendo consideradas em risco.

Veja também

Pet Terapia

O Que é Pet Terapia?

Hoje vamos falar um pouco sobre a pet terapia, você conhece? Pois é, essa terapia …

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.