Home / Animais / Reprodução do Tamanduá: Filhotes e Período de Gestação

Reprodução do Tamanduá: Filhotes e Período de Gestação

Os animais característicos da América do Sul são muito diferentes daqueles que habitam o Hemisfério Norte, já que toda a sua evolução aconteceu de acordo com as necessidades locais. Isso faz com que a biodiversidade do continente seja muito grande, com uma imensidão de detalhes interessantes em cada um dos países. Um grande exemplo disso é o tamanduá, que habita grande parte da América do Sul e ainda parte da América Central.

O animal é bastante conhecido em todo o Brasil, já que possui modo de vida muito característico e não costuma viver tão distante das pessoas, o que ajuda a criar uma relação mais próxima com os seres humanos.

Além disso, é muito interessante perceber o que o tamanduá representa para algumas partes do continente, onde atua para realizar o controle biológico de muitas espécies de formigas. Vale lembrar que as formigas são o principal componente do cardápio desse animal, sempre estando presentes na alimentação do tamanduá.

Contudo, outro fator de muito destaque no tamanduá é a sua forma de reprodução, já que esse mamífero apresenta alguns detalhes exclusivos e, assim, a sua reprodução e período de gestação podem ser estudados muito a fundo. Veja abaixo como se dá a reprodução e a fase de gestação do tamanduá.

Reprodução do Tamanduá

O tamanduá é um mamífero e, como tal, apresenta muitas das características que as pessoas também possuem ou, no mínimo, já ouviram falar. Isso faz com que seja mais simples entender o sistema de reprodução do tamanduá, algo que nem sempre é tão simples quando se trata de animais selvagens. Assim, o tamanduá não possui uma fase de acasalamento definida.

Assim como as pessoas e os macacos, por exemplos, o tamanduá também não guarda certa época do ano para a realização da sua atividade sexual. Isso faz com que o nascimento de tamanduás se dê ao longo de todo o ano. A fêmea desse animal ainda soma mais de um parto no mesmo ano, não sendo incomum que isso aconteça.

O tamanduá costuma atingir a sua maturidade sexual por volta de 2 anos, tanto para a fêmea como para o macho. Dessa maneira, a partir dos 2 anos já é possível que um tamanduá se reproduza, embora alguns indivíduos possam começar a sua vida sexual mais cedo ou mais tarde que a média. Curioso para entender também o período de gestação do tamanduá? Veja mais detalhes abaixo.

Período de Gestação do Tamanduá

A fase de gestação do tamanduá, após a reprodução, acontece ao longo de cerca de 150 dias. Na verdade, esse tempo pode variar de 120 a 150 dias, desde a relação sexual até que o filhote possa, finalmente, nascer. A fêmea gera apenas um filhote por vez, algo natural para os mamíferos, embora não seja comum quando se trata de outros tipos animais.

Em geral, o filhote de tamanduá pesa de 1 a 2 quilos, sendo que a fêmea dá a luz ao filhote ainda em pé, sem que seja necessário deitar. A fêmea costuma carregar o seu filhote nas costas, fazendo, com essa ação, uma espécie de camuflagem para o filhote. Isso porque, nas costas da mãe, o filhote se torna mais difícil de ser visto. Vale lembrar que os filhotes são sempre mais frágeis do que os adultos e, dessa maneira, há muitos predadores que fazem uso de tal fragilidade para atacar de forma agressiva.

A mãe costuma lamber bastante o seu filhote nos primeiros meses de vida, sobretudo o seu focinho e a sua língua. Após o primeiro ano de vida, o filhote começa, de forma gradativa, a se afastar da sua mãe, até que atinja a maturidade sexual por volta do seu segundo ano de vida.

Estado de Conservação do Tamanduá

Equipe do Projeto Tamanduá
Equipe do Projeto Tamanduá

O tamanduá é uma espécie bastante ameaçada pela extinção, já que a caça ilegal desse animal é prática comum em muitas partes do Brasil. Portanto, o tamanduá encontra-se taxado como “espécie vulnerável” pelos órgãos competentes, ainda que o animal seja comum em todo o Brasil e também em grande parte da América do Sul e da América Central. Isso porque, apesar de estar presente em muitos locais, cada vez mais o número de tamanduás é menor nesses ambientes, mostrando como animal sofre com os ataques por parte das pessoas.

Ataques que, por vezes, são até mesmo indiretos. Isso porque a devastação do habitat do tamanduá também é uma maneira de atacar o animal, que se vê sem ter para onde ir, como se abrigar ou como buscar alimentos de forma sustentável. Há muitos parques brasileiros que possuem tamanduás em cativeiro, o que ajuda a manter o animal ainda presente em muitas partes do país.

Já em outros países, as chances de o tamanduá deixar de existir são ainda maiores, como é o caso da Argentina, que possui o animal em estado crítico de extinção.

Modo de Vida do Tamanduá

O modo de vida do tamanduá é bastante característico, com uma rotina muito bem definida. Em relação à sua alimentação, por exemplo, o tamanduá busca sempre por insetos, seja formigas ou outros tipos de insetos. Para tal, o animal costuma andar grandes distâncias por dia, fazendo com que possa caminhar muitos quilômetros no mesmo dia.

Os hábitos do tamanduá são diurnos ou noturnos, a depender da espécie e da região na qual está inserido esse mamífero. Contudo, em linhas gerais, o mais comum é que o tamanduá busque as suas presas quando o sol ainda está presente e forte. Quando adultos, os tamanduás não costumam viver em grupos ou em companhia de outros animais da espécie, exceto nos momentos de reprodução. Os machos, sobretudo, são muito solitários depois que deixam a mãe, já quando estão perto de atingir a sua maturidade sexual.

As fêmeas acabam por ser menos solitárias, seja pela procura por parte dos machos ou pelo tempo que passam cuidando dos filhotes. A gestação, como explicado, pode durar cerca de 150 dias e, depois disso, a fêmea ainda pode cuidar do seu filhote por bastante tempo. Logo, a solidão maior acaba por ficar para os machos da espécie.

Veja também

Dachshund: Curiosidades e Fatos Interessantes Sobre a Raça

Se você tem ou pensa em adotar um Dachshund, precisa conhecer um pouco sobre a …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *