Home / Animais / Reprodução do Dogo Argentino: Filhotes e Período de Gestação

Reprodução do Dogo Argentino: Filhotes e Período de Gestação

De grande força física, o dogo argentino é uma raça bem imponente. E, cães bem tratados e com características fortes, na maior parte das vezes, geram filhotes muito saudáveis, que se tornarão cães adultos igualmente saudáveis. A seguir, vamos saber como é a reprodução dessa raça aqui.

Um Pouco da História do Dogo Argentino

Esse cão é de origem argentina (obviamente), mais precisamente de Córdoba, região mediterrânea do país. O dogo surgiu como resultado do cruzamento entre o bulldog e o bull terrier, cuja principal intenção foi fazer um animal de caça forte e astuto. A preferência também era por conseguir como resultado um cão branco, com cabeça pesada e focinho bem longo.

Contudo, para chegar a um exemplar que atendesse a essas características, foram feitos inúmeros estudos e seleções em várias regiões do país. Inicialmente, por exemplo, a raça que havia em Córdoba foi cruzada com um bulldog inglês, e daí se sucederam outros tantos cruzamentos, como entre o dogue alemão e o mastim dos pirineus.

Somente no ano de 1947 que a raça dogo argentino como a conhecemos hoje foi definitivamente criada. E, inicialmente ele foi designado para ser um cão de caça de animais de grande porte, como pumas e javalis, por exemplo (algo que foi sendo redirecionado ao longo dos anos, com essa cão passando a ser criado exclusivamente como animal de estimação).

Características Básicas da Raça

Em geral, a pelagem dessa raça de cachorro é branca, com algumas manchas negras ao redor do rosto. Porém, a sua cor predominante continua sendo branca mesmo. Podem medir entre 60 e 68 cm, e a pesar entre 40 e 54 kg. Além da coloração esbranquiçada, a pelagem é curta, lisa e suave.

Em termos de comportamento, trata-se de um animal com bastante energia, e que necessita de exercícios constante (nem que sejam simples caminhadas todos os dias). Em se tratando dos donos, adoram receber a atenção destes, sendo bastante protetores aos seus tutores.

Uma característica interessante dessa raça é que esses cães são bem adaptáveis, especialmente a temperaturas mais frias. Também são tolerantes ao calor, e conseguem viver tanto em espaços grandes, quanto em pequenos (apesar de que o mais recomendável é que tenham espaço para extravasar suas energias).

Como é a Reprodução do Dogo Argentino?

No caso do dono de um exemplar dessa raça desejar induzir uma reprodução, seja com um macho, seja com uma fêmea, o importante, em primeiro lugar, é buscar por animais que estejam saudáveis e bem cuidados para proceder com o cruzamento.

O primeiro cio das fêmeas acontece entre os 6 e os 18 meses de idade, mais ou menos. Contudo, mesmo que tenham entrado nesse estágio, ainda não muito jovens para reprodução, sendo mais recomendável que tenham seus filhotes somente após 1 ano de vida. De um modo geral, inclusive, essa raça só é considerada adulta após os 2 anos de idade (lembrando que a expectativa de vida deles é entre 12 e 14 anos).

Dogo Argentino Fêmea
Dogo Argentino Fêmea

Quando machos e fêmeas são devidamente saudáveis, ela dá a luz a uma ninhada entre 7 ou 8 filhotes, no máximo, sendo uma mãe bem atenciosa, e dando de mamar a eles até o desmame completo, o que acontece depois de algumas semanas. O tempo de gestação delas, por sinal, dura em torno de 60 dias, e é necessário que alimentação das cadelas grávidas seja devidamente balanceada para que possam gerar filhotes realmente saudáveis.

E, Quanto aos Filhotes em Si?

Nos primeiros dias de vida, os filhotes dessa raça são totalmente dependentes da mãe, sendo que a única coisa que fazem nesse estágio de suas vidas é rastejarem até a mãe, e mamarem praticamente o dia todo. A dependência é tão grande que até para micção e defecação eles dependem de suas mães, que os estimulam através de lambidas.

Somente entre 10 ou mesmo 15 dias que os filhotes conseguem abrir os olhos, e é a partir de então que começa uma espécie de ciclo de transição, que denominamos de “fase do despertar”. É quando os pequenos dogos começam a ouvir (reagindo a todo tipo de ruídos que conseguem escutar), o que acontece após a quarta semana de vida, mais ou menos.

Logo após abrir os olhos, os filhotes, aí sim, começam a dar os verdadeiros primeiros passos, e somente na terceira semana de vida é que começam, de fato, a ingerir alimentos sólidos. É a partir dos 30 dias de vida, inclusive, que pequenos dentes já começam a nascer, o que faz com que já possam consumir ração seca, começando, gradativamente, o processo de desmame.

Com 50 dias, eles devem ser parcialmente imunizados com a primeira dose de vacina. Nessa fase, não é recomendável que eles estejam em contato com outros cães, para evitar contraírem doenças (o organismo deles ainda é muito frágil). Somente após a vacinação completa é que eles podem ficar mais livres para circularem por aí, o que ocorre, geralmente, com uns 3 meses de idade.

De um modo geral, podemos dizer que um exemplar dessa raça é  filhote até os 12 meses de idade, sendo o período entre 1 e 2 anos compreendido como a adolescência deles.

Outros Cuidados Básicos com os Filhotes de Dogo Argentino

Como deu pra notar, os filhotes dessa raça, assim como de qualquer outra, são bem vulneráveis e passíveis de contrair doenças, pelo menos, nas primeiras semanas de vida. Além de evitar o contato com cães adultos, é recomendável também que esses filhotes tenham espaço suficiente para poderem se exercitar e correr (pois é, desde muito pequenos esses cães já apresentam uma energia incrível). Com isso, poderão desenvolver bem tanto temperamento, quanto corpo.

Em algumas ocasiões pode acontecer de nascer um ou dois filhotes numa mesma ninhada com problemas de surdez. Nesse caso, é recomendável que após todos abrirem os olhos, fazer pequenos barulhos para constatar se todos estão reagindo bem. Caso contrário, é preciso levar o pequeno dogo que esteja com esse problema para um veterinário.

Antigamente, muitos cortavam as orelhas dos filhotes dessa raça, para formar uma espécie de padrão entre os cães. Hoje em dia, essa prática é considerada mutilação, sendo proibida em diversos lugares, como o Brasil, por exemplo.

Veja também

Hábitat do Iaque

Hábitat do Iaque: Onde Eles Vivem?

Os iaques ou yaks (nome científico Bos grunniens) são bovídeos encontrados em áreas de levadíssima …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *