Home / Animais / Reproducao da Dragão-de-Komodo: Filhotes e Periodo de Gestacao

Reproducao da Dragão-de-Komodo: Filhotes e Periodo de Gestacao

Sabemos que existem milhares de animais na natureza, de diversos portes físicos, tamanhos e cores.

Alguns animais, também, são mais estudados e pesquisados do que outros, devido a sua facilidade de achar na natureza.

Outros, no entanto, possuem hábitos mais solitários, e com uma defesa e habilidades maiores que os permitem estarem sempre escondidos e longe dos olhos humanos.

Mas alguns animais levantam certa curiosidade por parte dos humanos, e isso tem relação principalmente com algumas características únicas e exclusivas que alguns animais possuem.

O dragão de komodo, por exemplo, é muito pesquisado, devido a sua semelhança física com dragões e dinossauros.

Isso faz do dragão de komodo um mito, onde muitas pessoas se perguntam: realmente existe um animal chamado Dragão de Komodo?

A resposta é: sim, existe! O Dragão de Komodo está entre nós há milhares de anos, e possui características físicas muito exclusivas.

Hoje, você vai aprender tudo sobre o Dragão de Komodo, sobre suas características, seu habitat, alimentação e sobre a sua reprodução.

Acompanhe essa leitura e se torne um craque quando o assunto é sobre a reprodução, os filhotes e a gestação do Dragão-de-Komodo!

Características do Dragão-de-Komodo

A aparência do Dragão-de-Komodo é muito semelhante à de um dinossauro de milhares de anos atrás.

Sua pele é altamente resistente, possui escamas, cores fortes e escuras, e o corpo do Dragão-de-Komodo é muito forte e robusto.

Seu comprimento pode chegar a cerca de até 3 metros, e o seu peso, em alguns casos, chega até a 160 quilos.

Quando o Dragão-de-Komodo vive na natureza, o seu peso costuma chegar a apenas 70 quilos, sendo mais comum que os que vivem em cativeiro tenham um peso maior.

Dragão-de-Komodo Características

A maior espécie do Dragão-de-Komodo já registrada pelos pesquisadores pesava 166 quilos e possuía 3,13 metros de comprimento.

Sua pele costuma ser cinza e também marrom, e cada uma das suas patas possui cinco grandes garras.

O Dragão-de-Komodo possui em suas mandíbulas algumas bactérias que quando entram em contato com as presas pode leva-las ao óbito por causar graves infecções.

Sua face é alongada na parte das narinas, com pequenos olhos e um pescoço um pouco mais alongado.

Essas características podem ser descritas como as características de um dinossauro, porém estão compactadas em um corpo menor.

O Dragão-de-Komodo é uma das diversas espécies de lagartos, e a sua classificação científica completa é a seguinte:

  • Reino: Animalia
  • Filo: Chordata
  • Classe: Reptilia
  • Ordem: Squamata
  • Subordem: Sauria
  • Família: Varanidae
  • Género: Varanus
  • Espécie: V. komodoensis

O Dragão-de-Komodo foi descoberto por alguns cientistas no ano de 1910 na parte ocidental do globo terrestre.

Reprodução: Filhotes e Período de Gestação

O Dragão-de-Komodo começa a se acasalar nos meses de Maio e Agosto, e os ovos são colocados em Setembro.

Durante a fase de acasalamento, os machos costumam a brigar pelas fêmeas e também pelo território, e para isso, eles se agarram, deixando seu peso apenas nas patas posteriores.

Após a luta, o macho que vence mostra a sua língua para as fêmeas do local, para verificar qual será a sua receptividade.

Durante a primeira fase do acasalamento, as fêmeas adotam uma postura mais de antagonistas, e resistem aos cortejos do macho utilizando suas garras.

Dragão-de-Komodo Filhote

Muito raro entre os lagartos, o Dragão-de-Komodo costuma a formar casal monogâmicos, e permanecem assim durante um tempo.

Quando as fêmeas vão colocar os seus ovos, normalmente é escolhido ninhos abandonados de aves, ou ainda em locais escavados, como tocas.

Normalmente, são colocados cerca de 20 ovos, e o tempo de desenvolvimento costuma durar cerca de 7 até 8 meses.

Os ovos costumam ficar totalmente desenvolvidos no final de Abril, onde o clima normalmente é chuvoso e há uma grande quantidade de insetos.

Os filhotes, logo nos primeiros dias que nascem, precisam utilizar seus dentes, que em pouco tempo caem, para rasgar a casca do ovo e saírem.

Durante os primeiros meses de vida, os filhotes do Dragão-de-Komodo vivem principalmente em árvores, pois lá no alto estão a salvo de seus principais predadores.

Para se tornarem totalmente adultos, os Dragão-de-Komodo demoram cerca de 3 até cinco anos, e sua expectativa de vida é de normalmente até 50 anos.

Habitat

O Dragão-de-Komodo é uma espécie de animal que pertence ao grupo dos lagartos, e ele vive principalmente nas ilhas de Komodo, no Sítio Alegre, em Rinca, Gili Motang e em Flores, que fica na Indonésia.

Na Indonésia, o Dragão-de-Komodo faz muito sucesso, e é muito comum encontrar essa espécie de animal vivendo também em cativeiros.

Sua distribuição geográfica está presente principalmente nas pequenas ilhas que há na Indonésia, não sendo comum encontrar um Dragão-de-Komodo em outros locais.

Dragão-de-Komodo em seu Habitat

Na natureza, atualmente, há cerca de apenas 4 a 5 mil de Dragão-de-Komodo, e ele é considerado uma espécie de alta vulnerabilidade e já se encontra na lista vermelha da ONU.

Seu habitat é altamente prejudicado devido aos grandes vulcões, incêndios, terremotos, ao turismo e também por conta da alta caça furtiva.

O Dragão-de-Komodo domina as ilhas em que vivem, pois não há outros animais carnívoros, ficando para eles todas as presas.

Alimentação

A alimentação do Dragão-de-Komodo é totalmente carnívora. Comem principalmente carniça durante a sua vida.

Quando uma presa se aproxima de um Dragão-de-Komodo ele ataca a parte inferior da sua garganta, e o prendem com o seu grande peso.

Com um olfato muito apurado, o Dragão-de-Komodo consegue localizar a sua presa quando a mesma está até 9,5 km de distância.

Conseguem, com a sua cauda grande e pesada, deitar no chão até mesmo animais como porcos e veados.

O Dragão-de-Komodo costuma comer suas presas rasgando grandes pedaços da carne e então engolindo esses pedaços de forma completa.

Por comerem muitas carnes de animais mortos, ou seja, que podem estar em processo de podridão, após a refeição, o Dragão-de-Komodo se dirige para um sítio soalheiro para que a digestão seja feita de forma mais rápida.

Se o processo da digestão demorar muito, a carne que foi ingerida pode provocar envenenamento ou infecções.

E então, o que você achou do conteúdo? Já viu ou gostaria de ver um Dragão-de-Komodo pessoalmente? Não esqueça de deixar o seu comentário e caso tenha surgido alguma dúvida conte com a gente!

Veja também

Comportamento do Marisco, Hábitos e Modo de Vida do Animal

Por definição, mariscos ou frutos do mar seriam algumas espécies de moluscos ou crustáceos de …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *