Home / Animais / Reprodução da Ariranha: Filhotes e Período de Gestação

Reprodução da Ariranha: Filhotes e Período de Gestação

A fauna brasileira é extremamente diversificada e possui espécies animais jamais vistas em outros lugares do mundo, e isso pode acabar sendo considerado muito bom, mas também pode ser considerado muito ruim dependendo do nosso ponto de vista.

Isso porque existem animais em nosso país e em todos os outros que acabam por passar toda a vida esquecidos em meio a tantos outros animais que fazem sucesso entre os seres humanos. E é exatamente por isso que devemos estudar a nossa fauna de maneira mais aprofundada.

A ariranha é um desses animais que não possuem muita visibilidade e acabam ficando esquecidos, mas que mesmo assim possuem características extremamente interessantes que com toda a certeza valem a pena serem estudadas.

Por isso, continue lendo o artigo para saber tudo o que há de importante sobre a ariranha. Como por exemplo como funciona o ciclo de vida desse animal, como é o período de gestação dela, como são os filhotes e até mesmo se elas atacam os seres humanos ou não.

Ciclo De Vida Da Ariranha

O ciclo de vida do animal é exatamente isso que o nome diz: o ciclo de vida que um ser vivo possui desde seu nascimento até a hora de sua morte; ou seja, como a sua vida está dividida como um ciclo. Logo, vamos ver um pouco mais sobre o ciclo de vida da ariranha.

A ariranha é um animal que atinge a maturidade sexual até que cedo, sendo que ela ocorre entre 2 e 3 anos depois da data de nascimento do animal; o normal é que as fêmeas cheguem à maturidade sexual antes que os machos.

Após atingir a maturidade sexual, as ariranhas costumam deixar o seu grupo e vão procurar um parceiro para o acasalamento, dessa forma elas poderão dar continuidade à espécie e esse é um instinto natural dos animais.

Atualmente, sabe-se que em cativeiro uma ariranha pode chegar a viver até mesmo 17 anos de idade, o que significa que ela pode se reproduzir longo de sua vida e que é um animal com grande expectativa de vida.

Portanto, agora você já sabe como funciona vida da ariranha e como as etapas pelas quais ela passa são divididas.

Logo, vamos ver um pouco mais de informações sobre a gestação da ariranha especificamente.

Gestação Da Ariranha

Gestação Da Ariranha
Gestação Da Ariranha

A fase da gestação ocorre após o acasalamento do casal de ariranhas, e ela é extremamente importante para que o filhote nasça com muita saúde e possa também continuar a espécie após atingir a maturidade sexual.

Como já dissemos, a ariranha já é capaz de passar por uma gestação apenas 2 ou 3 anos depois de nascer, o que é considerado cedo para muitas espécies animais. Assim, o seu período de gestação dura pouco, cerca de 72 dias no máximo, ou seja, pouco mais de um mês.

Geralmente a fêmea da ariranha dá à luz no início de um período bem seco, e nascem entre 1 a 5 filhotes na ninhada, dependendo das condições físicas do animal e também das condições de seu habitat, por exemplo.

Logo, a ninhada da ariranha é grande e sua gestação é curta, e por isso já podemos perceber que ela é um animal que eixiste em grande quantidade em nosso planeta. Porém, é importante lembrar que isso de forma alguma deixa a ariranha imune a uma possível extinção, e por isso é tão importante combatermos a caça a esse animal.

Filhotes de Ariranha

Filhotes de Ariranha
Filhotes de Ariranha

Geralmente, em uma única ninhada nascem até mesmo 5 filhotes de ariranha e isso pode dar a impressão de que eles acabam ficando soltos na natureza porque não é possível cuidar de tantos, mas isso não é verdade.

Os filhotes de ariranha costumam ficar em seu grupo formado pela mãe e também por outros filhotes (ou seja, seus irmaõs) até atingirem a maturidade sexual, ou seja, até os 2 ou 3 anos de vida como já dissemos.

Logo, essa é uma espécie animal que possui hábitos familiares bem fortes, sendo que até mesmo o macho pode acabar ficando com a família até os filhotes irem embora. O que é muito incomum para o reino animal, já que geralmente o macho foge após a fêmea dar à luz ou até mesmo após ela engravidar.

As Ariranhas Atacam Humanos?

É extremamente comum termos medo de ataques animais, principalmente quando esses animais são desconhecidos ou nós não temos muita informação sobre eles, o que acaba gerando bastante medo.

No caso das ariranhas, muito se fala sobre atauqes desse animal a seres humanos, mas a verdade é que casos como esses são muito raros e existe apenas um de destaque no Brasil.

Isso porque apesar dos ataques serem raros, no ano de 1977 um sargento foi atacado por ariranhas e acabou morrendo. O caso ocorreu porque o sargento entrou no local das ariranhas para retirar um menino que estava lá, porém acabou recebendo diversas mordidas e morreu poucos dias depois com uma infecção que tomou todo seu corpo.

Porém, devemos lembrar que ele entrou no recinto das ariranhas e elas acabaram se sentindo ameaçadas, pois isso com certeza não teria acontecido se elas estivessem separadas dele. Nesse caso, elas não tinham para onde fugir e pensaram que a única alternativa era atacar.

Ariranha Olhando Fixamente Para a Câmera
Ariranha Olhando Fixamente Para a Câmera

Portanto, podemos concluir que as ariranhas não são animais que representam uma ameaça para o ser humano de forma alguma, já que elas até mesmo são vistas perto de embarcações como animais muito curiosos; a verdade é que o ser humano é ameaçador para a ariranha, e não o contrário.

Você já conhecia a ariranha? Sabia como esse animal era interessante e também sabia que ela é encontrada aqui mesmo no Brasil? Quem diria que um animal tão interessante estaria tão perto de nós! Por isso que dissemos ser tão comum não conhecer os animais que habitam nosso país!

Quer saber ainda mais informações de qualidade sobre a ariranha e não sabe muito bem onde encontrar textos? Sem problemas! Pois você pode ler também aqui em nosso site outros textos como:  Ariranha Rio Grande do Sul, Amazonas e no Mato Grosso do Sul                            

Na família mustelidae, nativa da América do Sul, há uma espécie de lontra denominada ariranha. Entre as diferentes espécies de lontras, é o único membro da lontra do gênero pteronura. É por esse motivo que recebe o nome de pteronura brasiliensis, a lontra gigante do Brasil ou a lontra gigante da América do Sul. É a lontra mais longa do mundo, embora a lontra do mar (enhydra lutris) seja mais pesada.

Reprodução da Ariranha

Cada grupo, ou holt, de ariranhas é liderado por um par alfa permanentemente ligado, e estes são os únicos que se reproduzem. A criação pode ocorrer durante todo o ano, mas descobriu-se que no Suriname, o nascimento de filhotes era cronometrado para maio, no início da estação seca, quando os peixes se concentravam em águas rasas, facilitando a caça. Por causa da alta mortalidade infantil, as segundas ninhadas nasceram às vezes de dezembro a abril. Como regra, o acasalamento ocorreria em fevereiro / março.

A fêmea é receptiva por 3 a 10 dias de seu ciclo estral de 21 dias, sinalizada pelo inchaço dos mamilos e vulva. O acasalamento ocorre na água, com corpos entrelaçados verticalmente, cabeças para cima. Uns 65 a 72 dias depois, entre 1 e 5 filhotes nascem na cova subterrânea. Pensa-se que o número médio seja 2, mas pode haver mortalidade não detectada no covil, com corpos descartados sem ser vistos. Os filhotes pesam cerca de 200 gramas ao nascer, são cegos e têm pêlo marrom claro, com suas manchas brancas identificadoras já aparecendo.

A reprodução em pteronura brasiliensis é documentada principalmente por observações feitas em cativeiro. O pico da época de reprodução começa no final da primavera e no início do verão, embora algumas reproduções ocorram durante o ano.

As ariranhas são totalmente maduras aos 2 a 3 anos e podem viver até 13 anos na natureza.

Criação De Filhotes E Gestação Da Ariranha

Filhotes de Ariranha
Filhotes de Ariranha

A criação pode ocorrer durante todo o ano, embora a maioria das ariranhas jovens nasça durante a estação seca. O tamanho das ariranhas transportadas varia de um a seis filhotes, após uma gravidez de 64 a 72 dias.

Considera-se que ambos os pais permanecem na cova com os filhotes. Filhotes jovens com um mês de idade. Os olhos desses filhotes se abrem e eles começam a sair da toca. Aos dois meses de idade, eles estão sendo ensinados a nadar e caçar pela mãe, e começam a comer peixe, embora o aleitamento continue até cerca de 5 meses. Seu pêlo escurece e eles crescem, até os 10 meses de idade parecem adultos, embora o escroto não seja visível nos machos até os cerca de um ano de idade.

Durante os primeiros meses, a fêmea geralmente decide mudar os filhotes para outro covil, principalmente se perturbada. Todos os adultos ajudam a carregar os filhotes contorcendo-se pela água pelo pêlo do pescoço (não necessariamente pelos seus punhos!). Infelizmente, a perturbação dos turistas pode estressar tanto a mãe que seu leite falha e os filhotes podem morrer de fome.

As ariranhas são cuidadas por adultos e irmãos mais velhos. Depois de duas a três semanas, as ariranhas são lançadas pela fêmea e, de três a quatro meses, os filhotes começam a caçar e viajar com a família.

As ariranhas jovens são desmamadas aos seis meses e são caçadoras efetivas aos dez meses, embora permaneçam no grupo da família por pelo menos mais um ano. A maturidade sexual das ariranhas é alcançada aos 2,5 anos de idade, após o que muitos jovens adultos se dispersam.

Ariranhas em Movimento

Na água, as ariranhas são nadadoras fluidas e graciosas. O método de natação lenta é uma raquete de quatro patas com cauda estacionária. Ao nadar rapidamente, as pernas ficam próximas ao corpo e todo o corpo e a cauda ondulam. As pernas da frente são estendidas e as grandes pernas traseiras são usadas para dar impulso extra.

As velocidades normais de natação são de cerca de 4 m / se os comprimentos de mergulho duram em média 20 segundos. Quanto aos filhotes, é difícil para eles, pois precisam esperar que os músculos da natação se desenvolvam para se mover na água.

Três Ariranhas Nadando
Três Ariranhas Nadando

Em terra, ariranhas são desajeitadas. Eles não trotam ou pulam e, ao contrário de outras lontras, não escorregam para se divertir. Enquanto caminha, a cabeça é baixa, as costas são salientes e o último terço da cauda é mantido curvado acima do solo. No entanto, as lontras podem percorrer uma distância considerável entre os corpos d’água, tendendo a usar caminhos bem desgastados.

Ariranhas podem se mover a galope, mesmo que a velocidade não seja muito rápida. No entanto, seus movimentos são muito barulhentos porque suas pernas grandes atingem o chão. Quando se trata de subir ou descer ladeiras, eles se movem muito devagar e com cuidado: deslizam a cabeça primeiro, com as quatro pernas queimadas como freios.

Descrição da Ariranha

A ariranha é a maior do seu gênero, e tão pesada quanto um pastor alemão. Um macho pode medir de 1,5 a 1,8 metros de comprimento com um peso que pode variar de 26 a 32 kg, enquanto a fêmea pode medir de 1,5 a 1,7 metros para um peso entre 22 e 26 kg.  No entanto, o homem e a mulher não têm grandes diferenças, por isso é difícil distinguir.

Como resultado, a ariranha é considerada um dos grandes predadores da América do Sul ao lado da onça-pintada, da anaconda ou mesmo do puma. Esta lontra tem uma cabeça globular, levemente achatada, com focinho arredondado e inclinado.

A cabeça tem muitos bigodes longos, fortes e grossos: místico (bigode), sobrancelha (sobrancelha) e garganta. Esses bigodes contêm numerosas terminações nervosas, a ponto de seus cérebros dedicarem maior parte à análise dos bigodes.

Os olhos da lontra gigante têm enormes músculos esfíncteres para ajudar a se concentrar e podem até inchar. Como a maioria dos mamíferos placentários, as lontras não veem luz vermelha. Eles vêem o mundo em azul / verde.

A cauda é muito musculosa na base e achatada, com uma borda bilateral, como pode ser visto nas lâminas de espadas. O final da cauda é arredondado e o pêlo é particularmente curto.

As pernas e as pernas da lontra gigante são fortes e altas. As pernas dianteiras são curtas e atarracadas, sendo fortemente musculosas. Eles são altos, nus na parte inferior, com dedos e garras fortes, palmados na extremidade dos dedos.

Comportamento da Ariranha

As ariranhas são animais muito sociais. Elas geralmente vivem em grupos familiares de três a dez indivíduos. Os grupos respeitam os territórios e não brigam entre si. A estrutura social estável de cada grupo está centrada no par dominante relacionado à vida, que é o único par que se cria.

Esses grupos descansam, brincam, viajam, pescam e dormem juntos. Os membros do grupo usam latrinas comunitárias, onde esfregam seus excrementos e urina no chão com as patas, para dar a conhecer a residência do grupo.

Na família mustelidae, nativa da América do Sul, há uma espécie de lontra denominada ariranha. Entre as diferentes espécies de lontras, é o único membro da lontra do gênero pteronura. É por esse motivo que recebe o nome de pteronura brasiliensis, a lontra gigante do Brasil ou a lontra gigante da América do Sul. É a lontra mais longa do mundo, embora a lontra do mar (enhydra lutris) seja mais pesada.

Reprodução da Ariranha

Cada grupo, ou holt, de ariranhas é liderado por um par alfa permanentemente ligado, e estes são os únicos que se reproduzem. A criação pode ocorrer durante todo o ano, mas descobriu-se que no Suriname, o nascimento de filhotes era cronometrado para maio, no início da estação seca, quando os peixes se concentravam em águas rasas, facilitando a caça. Por causa da alta mortalidade infantil, as segundas ninhadas nasceram às vezes de dezembro a abril. Como regra, o acasalamento ocorreria em fevereiro / março.

A fêmea é receptiva por 3 a 10 dias de seu ciclo estral de 21 dias, sinalizada pelo inchaço dos mamilos e vulva. O acasalamento ocorre na água, com corpos entrelaçados verticalmente, cabeças para cima. Uns 65 a 72 dias depois, entre 1 e 5 filhotes nascem na cova subterrânea. Pensa-se que o número médio seja 2, mas pode haver mortalidade não detectada no covil, com corpos descartados sem ser vistos. Os filhotes pesam cerca de 200 gramas ao nascer, são cegos e têm pêlo marrom claro, com suas manchas brancas identificadoras já aparecendo.

A reprodução em pteronura brasiliensis é documentada principalmente por observações feitas em cativeiro. O pico da época de reprodução começa no final da primavera e no início do verão, embora algumas reproduções ocorram durante o ano.

As ariranhas são totalmente maduras aos 2 a 3 anos e podem viver até 13 anos na natureza.

Criação De Filhotes E Gestação Da Ariranha

Filhotes de Ariranha
Filhotes de Ariranha

A criação pode ocorrer durante todo o ano, embora a maioria das ariranhas jovens nasça durante a estação seca. O tamanho das ariranhas transportadas varia de um a seis filhotes, após uma gravidez de 64 a 72 dias.

Considera-se que ambos os pais permanecem na cova com os filhotes. Filhotes jovens com um mês de idade. Os olhos desses filhotes se abrem e eles começam a sair da toca. Aos dois meses de idade, eles estão sendo ensinados a nadar e caçar pela mãe, e começam a comer peixe, embora o aleitamento continue até cerca de 5 meses. Seu pêlo escurece e eles crescem, até os 10 meses de idade parecem adultos, embora o escroto não seja visível nos machos até os cerca de um ano de idade.

Durante os primeiros meses, a fêmea geralmente decide mudar os filhotes para outro covil, principalmente se perturbada. Todos os adultos ajudam a carregar os filhotes contorcendo-se pela água pelo pêlo do pescoço (não necessariamente pelos seus punhos!). Infelizmente, a perturbação dos turistas pode estressar tanto a mãe que seu leite falha e os filhotes podem morrer de fome.

As ariranhas são cuidadas por adultos e irmãos mais velhos. Depois de duas a três semanas, as ariranhas são lançadas pela fêmea e, de três a quatro meses, os filhotes começam a caçar e viajar com a família.

As ariranhas jovens são desmamadas aos seis meses e são caçadoras efetivas aos dez meses, embora permaneçam no grupo da família por pelo menos mais um ano. A maturidade sexual das ariranhas é alcançada aos 2,5 anos de idade, após o que muitos jovens adultos se dispersam.

Ariranhas em Movimento

Na água, as ariranhas são nadadoras fluidas e graciosas. O método de natação lenta é uma raquete de quatro patas com cauda estacionária. Ao nadar rapidamente, as pernas ficam próximas ao corpo e todo o corpo e a cauda ondulam. As pernas da frente são estendidas e as grandes pernas traseiras são usadas para dar impulso extra.

As velocidades normais de natação são de cerca de 4 m / se os comprimentos de mergulho duram em média 20 segundos. Quanto aos filhotes, é difícil para eles, pois precisam esperar que os músculos da natação se desenvolvam para se mover na água.

Três Ariranhas Nadando
Três Ariranhas Nadando

Em terra, ariranhas são desajeitadas. Eles não trotam ou pulam e, ao contrário de outras lontras, não escorregam para se divertir. Enquanto caminha, a cabeça é baixa, as costas são salientes e o último terço da cauda é mantido curvado acima do solo. No entanto, as lontras podem percorrer uma distância considerável entre os corpos d’água, tendendo a usar caminhos bem desgastados.

Ariranhas podem se mover a galope, mesmo que a velocidade não seja muito rápida. No entanto, seus movimentos são muito barulhentos porque suas pernas grandes atingem o chão. Quando se trata de subir ou descer ladeiras, eles se movem muito devagar e com cuidado: deslizam a cabeça primeiro, com as quatro pernas queimadas como freios.

Descrição da Ariranha

A ariranha é a maior do seu gênero, e tão pesada quanto um pastor alemão. Um macho pode medir de 1,5 a 1,8 metros de comprimento com um peso que pode variar de 26 a 32 kg, enquanto a fêmea pode medir de 1,5 a 1,7 metros para um peso entre 22 e 26 kg.  No entanto, o homem e a mulher não têm grandes diferenças, por isso é difícil distinguir.

Como resultado, a ariranha é considerada um dos grandes predadores da América do Sul ao lado da onça-pintada, da anaconda ou mesmo do puma. Esta lontra tem uma cabeça globular, levemente achatada, com focinho arredondado e inclinado.

A cabeça tem muitos bigodes longos, fortes e grossos: místico (bigode), sobrancelha (sobrancelha) e garganta. Esses bigodes contêm numerosas terminações nervosas, a ponto de seus cérebros dedicarem maior parte à análise dos bigodes.

Os olhos da lontra gigante têm enormes músculos esfíncteres para ajudar a se concentrar e podem até inchar. Como a maioria dos mamíferos placentários, as lontras não veem luz vermelha. Eles vêem o mundo em azul / verde.

A cauda é muito musculosa na base e achatada, com uma borda bilateral, como pode ser visto nas lâminas de espadas. O final da cauda é arredondado e o pêlo é particularmente curto.

As pernas e as pernas da lontra gigante são fortes e altas. As pernas dianteiras são curtas e atarracadas, sendo fortemente musculosas. Eles são altos, nus na parte inferior, com dedos e garras fortes, palmados na extremidade dos dedos.

Comportamento da Ariranha

As ariranhas são animais muito sociais. Elas geralmente vivem em grupos familiares de três a dez indivíduos. Os grupos respeitam os territórios e não brigam entre si. A estrutura social estável de cada grupo está centrada no par dominante relacionado à vida, que é o único par que se cria.

Esses grupos descansam, brincam, viajam, pescam e dormem juntos. Os membros do grupo usam latrinas comunitárias, onde esfregam seus excrementos e urina no chão com as patas, para dar a conhecer a residência do grupo.

A reprodução da ariranha ocorre cedo por conta da maturidade precoce do animal. Algumas de suas características mais particulares influenciam nesse processo.

Por exemplo, este é um tipo de mamífero carnívoro. Ele se alimenta, especialmente, de peixes. Antigamente, ele foi bastante caçado para que sua pele fosse retirada, o que diminuiu a incidência dos exemplares.

As ariranhas possuem hábitos semiaquáticos, pois são pertencentes à família Mustelidae. Tais animais são também conhecidos como onça d’água ou lontra gigante, sendo que tem o nome científico Pteronura brasiliensis.

Se você está curioso para saber como essa espécie vive e se reproduz, não deixe de ler o artigo que segue abaixo.

Ariranha Características Físicas
Ariranha Características Físicas

Um Pouco Sobre A Ariranha

A ariranha se destaca, pois é o maior animal da sua família, atingindo aproximadamente 1,8 m de comprimento, com o peso que chega a mais ou menos 30 kg. De maneira geral, esses animais machos tendem a se mostrar maiores que os exemplares fêmeas.

Dentro da reprodução da ariranha podemos destacar a influência de seu corpo. Esses animais são longilíneos, com a cauda achatada, o que facilita sua natação. Têm pelos com colorações marrons escuros, as orelhas arredondadas e pequenas, bem como os olhos grandes.

Na pata, verifica-se um tipo de membrana que é interdigital. Outra interessante característica é uma mancha mais clara presente nas regiões do pescoço. Ela apresenta formas diferentes, podendo ser usada na identificação dos exemplares.

Filhote de Ariranha
Filhote de Ariranha

A ariranha é um animal carnívoro que demonstra uma grande capacidade de natação, o que a destaca como ótima predadora. Como citado acima, ela se alimenta principalmente dos peixes. Contudo,  sua alimentação acaba não se limitando a tais tipos de alimento.

Algumas vezes, esses animais alimentam-se dos pequenos mamíferos, répteis, aves e invertebrados, tal como crustáceos e moluscos. Por comerem, em grande parte, peixes, diversas vezes determinados pescadores chegam a considerar o animal uma forma de ameaça às atividades econômicas praticadas por eles.

Comportamento

As ariranhas são seres até bem sociais, dependendo do ponto de vista. Elas podem viver em grandes grupos e são conhecidas como as maiores de todas as espécies da família.

Elas permanecem muito ativas durante o dia, se retirando para suas tocas no chão quando o sol se põe. Esses animais preferem viver nos grupos que podem ter até 20 membros. Esses grupos têm uma hierarquia complexa, por exemplo, fêmeas com filhotes têm prioridade sobre todas as outras.

Os exemplares também protegem muito os membros de seus grupos. Em geral, são os machos os responsáveis ​​pela defesa. Mas há casos em que também foram registradas batalhas de fêmeas.

Conservação da Espécie

O futuro da ariranha é incerto. No entanto, com os esforços de conservação existentes, pode haver alguma esperança, afinal. Não restaram muitos exemplares na natureza e nem em cativeiros. Esses animais parecem se adaptar bem às mudanças em seu ambiente natural, o que é uma vantagem.

No momento, eles são classificados como vulneráveis ​​e ainda há estudos sobre como apresentá-los a novos ambientes. A caça furtiva continua sendo um problema para a ariranha. É por isso que se deve fazer campanhas entre os pescadores para que usem redes que não agridam ou matem a ariranha.

Criação e Reprodução da Ariranha

A reprodução da ariranha pode ocorrer quando os animais completam 3 a 6 anos de idade. A estação de acasalamento depende da região em que vivem e, se seu habitat tiver espaço e comida suficientes. Dessa forma, eles poderão acasalar várias vezes em uma estação. Os machos procuram fêmeas quando estão prontos para acasalar.

Caso contrário, ambos os sexos geralmente permanecem separados. Isso ocorre com exceção dos filhotes do sexo masculino, que permanecem com a mãe por alguns anos.

Embora os machos e as fêmeas não permaneçam nos mesmos grupos sociais, eles parecem não mostrar agressão quando juntos. Tal ação ocorre principalmente quando os habitats de outros exemplares se sobrepõem.

Reprodução da Ariranha
Reprodução da Ariranha

Algumas pesquisas mostram que uma ariranha fêmea pode estar pronta para acasalar novamente assim que ela tem um bebê. No entanto, a reprodução da ariranha não ocorre dessa forma, pois ela vai querer continuar a cuidar dos filhotes que já possui. Caso uma mãe perca seu filhote, ela terá o desejo de acasalar novamente, desde que não esteja vivendo sob estresse.

Os machos começam a aparecer nas áreas femininas durante a estação de acasalamento. Contudo, a aprovação será dada pela fêmea. Se um macho não recebe uma recepção calorosa de uma fêmea em particular, ele procura outra.

Uma maneira pela qual as fêmeas demonstram que o interesse está rolando é o aumento do nível de hormônios liberados. Elas também podem morder o nariz do macho, uma maneira de dizer que estão interessadas. Esse tipo de namoro ocorre em terra, no entanto, o processo de reprodução da ariranha é realizado na água.

O Nascimento e Criação

Após 5 a 8 meses da concepção, os filhotes nascerão. Apenas um filhote vai nascer de cada vez e isso geralmente ocorre entre maio e julho. Os filhotes se alimentam da mãe durante os primeiros 12 meses de vida, embora algumas espécies sejam desmamadas mais cedo, aos 8 meses de idade.

Os filhotes nascem na água, no leito de algas ou na toca. Se eles nascerem na terra, serão transferidos para a caverna pela mãe. São indefesos quando chegam ao mundo porque são cegos durante o primeiro mês. Eles ficam dentro do esconderijo até poderem enxergar, depois são direcionados para a água pela mãe para aprender a nadar.

As fêmeas são muito boas cuidadoras de seus filhotes e podem passar até 8 horas por dia amamentando-as. As ariranhas jovens consomem grandes quantidades de leite todos os dias para crescer rapidamente. As mães sempre brincam com os filhos, ensinando-lhes habilidades valiosas e protegendo-os com a própria vida, se necessário.

Filhote de Ariranha
Filhote de Ariranha

Quando os filhotes têm cerca de quatro meses de idade, é apresentado a eles os alimentos sólidos. Nesse momento eles aprendem o básico de como procurar comida, tanto em terra como na água.

Apesar do excelente atendimento prestado, os filhotes são extremamente vulneráveis ​​durante o primeiro ano de vida. Assim, aproximadamente 32% não atingem a idade de um ano. As estatísticas também mostram que menos de 25% das fêmeas vivem até a maturidade.

Gostou de conhecer um pouco mais da reprodução da ariranha? Tudo nesse animal é interessante, até a forma como procria.

A ariranha, cujo nome científico é Pteronura brasiliensis, é endêmica na América do Sul. Pode ser encontrada nos sistemas Orinoco, Amazônia e Rio da Prata, que variam do leste da Cordilheira dos Andes, no norte da Argentina,  à Venezuela e Colômbia. Ariranha vive em lênticos de água doce, rios, lagos e riachos.

Ariranhas tem poucos predadores, mas ocasionalmente são mortas por onças. Os filhotes desacompanhados sofrem maior predação devido à sua natureza altricial. A concorrência também afeta o sustento das ariranhas.

As ariranhas se movem através da água utilizando diferentes partes do corpo de acordo com a sua velocidade de natação. Ao nadar devagar, as ariranhas remam com as quatro patas. Ao mover-se rapidamente, ariranhas ondulam sua cauda e deixam seus pés imóveis.

Como o maior membro da família das doninhas (Mustelidae), as lontras gigantes podem facilmente atingir um metro e meio de comprimento e pesar mais de 30 kg. Ao contrário de outras espécies de lontras, machos e fêmeas são de tamanhos semelhantes.

Reprodução da Ariranha: Filhotes e Período de Gestação

Ariranhas têm um período de gestação de cerca de dois meses, entretanto demonstram atraso na implantação do óvulo por até 10 meses. No útero das fêmeas, após a fertilização, o ovo se divide em uma bola oca de células com uma camada de espessa (estágio de blastocisto), então para de se desenvolver e flutua no útero. Após vários meses, o blastocisto se implanta na parede uterina e reinicia o desenvolvimento.  A implantação tardia garante que o filhote nascerá quando as condições ambientais forem ótimas para sua sobrevivência. Também permite algum tempo de recuperação para a mãe após a gravidez.

Ariranha Filhotes

Se uma fêmea perder sua primeira ninhada para predadores ou outras causas naturais, às vezes pode produzir uma segunda ninhada em curto tempo.  As ariranhas costumam ter ninhadas de um a três filhotes. As ariranhas podem ter até cinco filhotes em uma ninhada. Ariranhas dão à luz em terra e em tocas. Os antros de parto são seguros e imperturbáveis. As ariranhas pesam cerca de 200 gramas ao nascer.

Desenvolvimento dos Filhotes

Filhotes de ariranhas nascem cegos, desdentados e praticamente imóveis. Eles permanecem em suas covas de parto e passam as primeiras semanas amamentando e dormindo. Eles são completamente dependentes de suas mães para cuidados e proteção.

A ariranha tem quatro mamilos na parte inferior do abdômen. O leite de ariranha é composto de 24 % de gordura. Os filhotes amamentam a cada três a quatro horas por 10 a 15 minutos por vez. Eles são totalmente desmamados em 14 semanas.Todas as lontras defendem agressivamente seus filhotes contra intrusos.

Os filhotes ariranha abrem os olhos em cerca de um mês, e a maioria das espécies emerge da toca e começa a nadar aos dois meses. Aos quatro meses de idade, a maioria das lontras pode nadar e mergulhar bem o suficiente para pegar sua própria comida,  os filhotes de ariranha ficam com suas mães por um ano, até o próximo nascimento.  A vida útil estimada das ariranhas é de 10 a 13 anos.

Comportamento das Ariranhas

Ariranhas vivem em grupos familiares de 5 a 8 indivíduos. As famílias têm áreas domésticas de 12 km. quadrados. Os membros da família, que incluem um par monogâmico e várias gerações de filhos, limpam uma área ao longo de uma ribeira para viver. Essas áreas podem ter até 50 metros quadrados e geralmente estão localizadas perto dos locais de alimentação. A preparação da área de estar inclui pisar a vegetação da superfície, colecionar galhos e folhas das árvores e incorporar as folhas e galhos no trecho de lama pisado.

Embora territórios separados sejam mantidos, a ariranha é um mamífero altamente social. As atividades sociais incluem preparação, caça, descanso e comunicação.

A dieta de peixe preferido das ariranhas inclui membros das famílias de bagres, percas e characins. Quando abundância de peixes é baixo, as ariranhas comem  crustáceos, pequenas cobras e pequenos jacarés. Os seres humanos continuam a caçar ilegalmente ariranhas para retirar suas peles. Grupos indígenas usam a carne e a pele das ariranhas para a subsistência.

Os trabalhadores madeireiros e mineiros não conseguem se sustentar com os peixes e proteínas disponíveis em alguns sistemas fluviais da América do Sul. As ariranhas e seu apetite voraz são frequentemente responsabilizadas por esta falta de disponibilidade de recursos.

Como é o Habitat das Ariranhas

Os ecossistemas de água doce podem abrigar uma grande variedade de animais, mas alguns animais preferem muita água em movimento, enquanto outros, preferem  pequenos lagos ou pântanos. O tipo de habitat e o tipo de animais do ecossistema de água doce dependem principalmente da quantidade de água no sistema e da velocidade com que esta água flui. Riachos borbulhantes e rios de fluxo rápido são frequentados por certas espécies, que são diferentes das que habitam em lagos e rios de fluxo lento, ao passo que os pântanos são frequentados por espécies diversas das duas. O bioma de água doce suportado por cada tipo de habitat é sempre diverso, com muitas espécies de animais que interagem de maneiras complicadas.

Enquanto alguns mamíferos, como castores e ariranhas, vivem principalmente na água, a maioria dos mamíferos e répteis precisa surgir ou subir em terra seca para respirar, alimentar e se reproduzir. Isso significa que esses animais são encontrados principalmente em ecossistemas que possuem pequenos corpos de água ou ao longo das margens de grandes lagos e rios. Alguns animais, como os ursos, chegam aos córregos e rios para se alimentar de peixes, enquanto outros, como os ratos almiscarados, podem viver a vida inteira em lagoas e ao longo dos rios. Sapos preferem lagoas e pântanos. Jacarés, tartarugas e cobras são menos particulares e podem ser encontrados em qualquer um dos tipos de habitat, exceto riachos e rios de fluxo rápido.

Ariranha em seu Habitat

Os habitats de água doce são caracterizados por uma mistura de água e terra que dá origem a um ecossistema muito diversificado. Além dos principais grupos de animais, como peixes, mamíferos e répteis, geralmente existem muitos outros animais menos óbvios. Crustáceos como camarão ou pequenas pulgas de água e moluscos como mexilhões ou caracóis podem ser encontrados em grande número. A chave para manter esses ecossistemas é evitar poluí-los com produtos artificiais e permitir o fluxo natural de água dentro e fora dos habitats.

Veja também

Anêmona: Curiosidades e Fatos Interessantes Sobre o Animal

A anêmona do mar faz parte do filo cnidaria, como as águas vivas, e é …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *