Home / Animais / Quilópodes e Diplópodes Diferença

Quilópodes e Diplópodes Diferença

À primeira vista, ambas as criaturas quilópodes e diplópodes podem parecer semelhantes pra você, mas olhe cuidadosamente e verá que elas são de fato diferentes.

A Família das Espécies

Quilópodes e diplópodes pertencem a família dos artrópodes e a sub-família miriápodes. Como membros dos artrópodes, que é a maior família de invertebrados, eles têm pernas articuladas e um corpo segmentado que é coberto por um exoesqueleto.

Enquanto um grande número de espécies sob este filo são insetos (eles pertencem ao subfilo insecta), existem mais três subfilos de organismos também incluídos entre os artrópodes: aracnídeos (aranhas, ácaros, carrapatos e escorpiões), crustáceos (caranguejos, lagostas, camarões, etc.) e miriápodes (centopéias e milípedes).

Como pertencem ao mesmo subfilo, quilópodes e diplópodes têm muito em comum e isso dificulta a distinção entre eles. No entanto, devido ao fato de pertencerem a classes diferentes, elas também são diferentes em muitos aspectos. Mas para ser capaz de dizer a diferença entre quilópodes e diplópodes, precisamos entender como identificar as diferenças.

Vamos a seguir considerar seis características que, em linhas gerais, ajudarão significativamente a diferencias os quilópodes e os diplópodes. São raras as exceções a essas características e, portanto, servirão de base para esse entendimento da distinção entre as espécies.

Características Morfológicas

O corpo de um quilópode é plano. Quilópodes são na maior parte de 10 a 15 centímetros de comprimento. No entanto, certas espécies gigantes podem medir até 20 ou acima de 30 centímetros de comprimento. O número médio de pernas em um quilópode é 40. Certas espécies gigantes podem ser encontradas com até 300 patas.

O corpo de um quilópode é dividido em 15 a 100 segmentos. Possuem pernas longas que se estendem para os lados do corpo. Quilópodes têm longas antenas no topo da cabeça.E têm um par de pernas por segmento do corpo. Quilópodes são de cor cinza-amarelada a marrom.

Já o corpo de um diplópode é em grande parte cilíndrico e não chato. O comprimento de um diplópode adulto pode variar dois a até mais de vinte centímetros. Este último maior refere-se ao diplópode archispirostreptus gigas que em geral mede 15 centímetros de comprimento, podendo crescer bem mais.

A maioria das espécies de diplópodes tem 300 patas. No entanto, o diplópode gigante africano pode ter até 700 pernas. Os diplópodes são de cor castanho-avermelhada escura a preta. Os diplópodes têm dois pares de pernas por segmento do corpo, um par de cada lado. Esta é a característica mais marcante que diferencia um quilópode de um diplópode.

No entanto, é importante notar que cada um dos três primeiros segmentos de seu corpo tem apenas uma perna em cada lado. Os diplópodes podem ter entre 11 a 150 segmentos. Eles têm pernas curtas que não se estendem do corpo. Os diplópodes têm antenas curtas.

Diferenças na forma de se movimentar

Essa também é uma boa diferença entre as espécies. Quilópodes se movem muito rápido. Os quilópodes têm um corpo flexível e avançam usando as pernas para se moverem em velocidades que até assustam.

Já com os diplópodes é bem o contrário. Apesar de uma quantidade bem maior de pernas, os diplópodes são criaturas lentas. O corpo de um diplópode não é tão flexível e eles avançam movendo suas pequenas pernas em um padrão ondulatório que os impulsiona para a frente.

Diplópode
Diplópode

A Dieta de Quilópodes e Diplópodes

Quilópodes são carnívoros. Sua dieta alimentar consiste de caçar e abater pequenos organismos em seu habitat. Se houver um quilópode dentro de sua residência, ele irá caçar pra se alimentar as baratas, formigas e outros insetos que encontrar. Apesar desse benefício, dificilmente humanos irão tolerar essa espécie dentro de casa.

Os diplópodes por outro lado, apesar de serem melhor tolerados por humanos, até a ponto de serem bem mais requeridos como animais de estimação, são considerados pragas em alguns casos. Isso porque diplópodes são catadores que se alimentam de matéria orgânica em decomposição. Invariavelmente, eles também se alimentam de brotos tenros e, portanto, muitas dessas criaturas em seu jardim podem causar danos às mudas e plantas jovens.

Comportamento das Espécies

Não é só a agilidade dos quilópodes que assustam as pessoas. Sua agressividade também. Quilópodes são equipadas com glândulas venenosas para atacar e matar suas presas. Sua mordida raramente é fatal para os humanos. As pernas localizadas no primeiro segmento abaixo da boca de um quilópode são modificadas em “forcípulas” que são usadas para injetar veneno. Ao sentir-se ameaçado, a tendência é a de fugir, mas não tardarão em atacar se um humano tentar capturá-los.

Os diplópodes por outro lado são “medrosos”. Se ameaçados, eles provavelmente se enrolarão sobre seu próprio ventre em um formato espiral para se proteger. Os diplópodes não possuem glândulas venenosas. Eles esguicham um líquido corrosivo fétido quando ameaçado (como se estivessem se mijando de medo). Os diplópodes também não possuem apêndices modificados para propósitos defensivos.

Ciclo de vida

Quilópodes não se reproduzem por acasalamento ou cópula. Em vez disso, o macho das espécies deposita espermatóforos (feixes de espermatozóides) e a fêmea deve engolir o espermatóforo ao encontrá-lo. A fêmea coloca cerca de 50 ovos, após um período de poucos meses. As fêmeas da maioria das espécies quilópodes protegem seus ovos e amamentam seus descendentes até que possam se defender sozinhos.

Os diplópodes se reproduzem por acasalamento, por meio do qual os espermatozóides do macho são depositados dentro da fêmea. A fêmea das espécies pode depositar até 300 ovos de cada vez, após alguns meses. As fêmeas da maioria das espécies diplópodes não cuidam de seus ovos.

Este foi apenas um breve olhar sobre as principais diferenças entre quilópodes e diplópodes. No entanto, existem vários fatos e características que tanto podem distinguir como assemelhar esses organismos. Há muito material disponível aqui mesmo em nosso blog, se desejar aprofundar-se no assunto sobre esses incríveis espécimes que integram nosso ecossistema. Faça mais buscas aqui mesmo conosco!

Veja também

Sagui-Branco Em Cima da Árvore

Sagui-Branco: Características, Nome Cientifico, Habitat e Fotos

O sagui-branco é um tipo de animal bastante raro de se ver no Brasil, embora …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *