Home / Animais / Que Parte do Corpo do Tamanduá o Ajuda a Obter o Alimento?

Que Parte do Corpo do Tamanduá o Ajuda a Obter o Alimento?

Durante o processo evolutivo das espécies – devido às mudanças do ambiente em que habitavam -, muitas delas mudaram por completo sua forma fisiológicas, se adaptando de forma que pudessem sobreviver no ambiente. Do contrário, a seleção natural faria seu trabalho. Dentre as espécies, podemos destacar o Tamanduá, que entre os mamíferos, é uma espécie com características bem distintas. Nesse artigo iremos descobrir as curiosidades desse animal, como, por exemplo, qual a parte do corpo que a ajuda a obter alimento.

Taxonomia e Etimologia do Tamanduá

Os Tamanduás se referem aos seres vivos que fazem parte da ordem Pilosa. Dessa ordem, se subdividem duas subordens: Folivora, que representam as famílias dos Bicho Preguiças; e por fim, a Vermilingua, que representa as famílias dos Tamanduás. Dentre os Vermilingues, se dividem duas famílias: os Cyclopedidae e os Myrmecophagidae; sendo esta ultima, a família com as espécies mais conhecidas de Tamanduás.

São ao todo quatro espécies desse animal:

  • Tamanduá-Mirim (Tamandua tetradactyla): Menor que o Bandeira. Sua pelagem é preta e dourada; não tem pelos em sua cauda.
  • Tamanduá do Norte (Tamandua mexicana): O único que ocorre fora da América do Sul, no México.
  • Tamanduá-Bandeira (Myrmecophaga tridactyla): É o maior dentre as espécies. Possuem a pelagem com a mistura de cinza, branco e preto. Sua cauda volumosa e de pelos eriçados, remete a uma bandeira (por isso o nome da espécie).
  • Tamanduaí (Cyclopes didactylus): A menor espécie; é considerado uma mistura de mico com gambá.

Todos os Tamanduás, são endêmicas do continente Americano, em especial, a sua porção Sul. A palavra “tamanduá” é originado da palavra tupi-guarani “tamãdu’á”. Também chamados de Iurumi, a palavra em tupi significa “pequena boca”.

Morfologia Geral dos Tamanduás

Esse animal pode atingir até 1,5 metros de altura e medir 40 kg de peso. Tem o corpo todo coberto de pelos, que auxilia no processo de regulagem da temperatura. Sua estrutura corporal é formada de membros longos e cilíndricos: cabeça, tronco, braços e pernas; e cauda. 

Todos os seus membros são constituídos de musculatura resistente e forte, o que lhes ajudam no momento de locomoção. No fim de seus membros locomotores, estão inseridas proeminentes garras, que servem tanto  para a buscar sua comida, quanto para se defenderem. A cauda é bastante pomposa nos Tamanduás Bandeiras, sendo mais fina e sem pelo, no restante das espécies.

Qual a Parte do Corpo que o Ajuda a obter Alimento?

Para além de seus membros locomotores distintos, o Tamanduá apresenta uma característica que o torna inconfundível: sua mandíbula alongada, como um tubo.

Tamanduá no Meio do Mato
Tamanduá no Meio do Mato

Essa estrutura bucal do Tamanduá é necessária, pois ao se alimentar (de estritamente insetos), levam sua prolongada língua (chega a alcançar quase um metro de comprimento) na entrada de formigueiros e cupinzeiros, que são pequenas e estreitas. Por isso, não é necessário a eles, possuir uma arcada dentária.

Habitat e Comportamento do Tamanduá

Estes animais costumam ocorrer em florestas tropicais, manguezais, matas de galeria  e savanas. Dentre os tamanduás, somente o tamanduá-Bandeira não é arborícula (mas costuma escalar árvores para comer, e frequentar rios, sendo exímios nadadores). Todos têm período de atividades é noturno, deixando o dia para que se recolham e durmam.

Geralmente são animais tranquilos, mas podem se estranhar, quando machos estão próximos de outros machos. Apesar disso, não costumam viver em bandos e primam a solidão (somente ficam acompanhados, quando estão em período de cópula, ou quando a mãe está cuidando dos filhotes). 

Alimentação do Tamanduá

Alimentação do Tamanduá
Alimentação do Tamanduá

Como já mencionado, esses animais têm uma dieta estritamente insetívora. Porem são experts na alimentação de formigas e cupins; sendo que seu corpo é completamente adaptado para que possam se alimentar dos pequenos animais. Além delas, os Tamanduás podem comer besouros e larvas.

Sistemática de sua Alimentação

Com seus movimentos letárgicos, o Tamanduá procura seu alimento no solo ou em meio às as folhas e cascas das árvores que habitam. Caso tenham preferência por se alimentar de cupins, o animal com o auxílio de suas garras afiadas e fortes, abre um pequeno orifício na estrutura formada pelos insetos (o cupinzeiro). 

Nessa abertura, o Tamanduá enfia sua prolongada língua, que também é bastante viscosa; e assim, no momento em que a retira do buraco, estão presos a ela centenas de insetos em meio a saliva viscosa. Todo esse processo é bastante rápido, sendo que ele é capaz de realizar até 50 lambidas a cada minuto. Ao destruir o cupinzeiro, o animal contribui para a adubação do solo no ambiente (já que a estrutura é rica em material orgânico).

Reprodução do Tamanduá

Os Tamanduás têm reprodução sexuada e chegam a maturidade sexual com três anos. Essa espécie não apresenta dimorfismo sexual, sendo que as gônadas do macho ficam escondidas em um “compartimento” logo abaixo de sua barriga.

Geralmente na época de acasalamento  dos Tamanduás (que ocorre no Outono), é normal vê-los se movimentando em pares de um ambiente a outro. Após o coito, a fêmea entra no período de gestação que dura em média seis meses e é durante a primavera que a fêmea dá à luz a seu filhote (não é normal que fiquem prenhas de mais de um pequeno tamanduá por gestação). O pequeno filhote nasce pesando cerca de um quilo e meio; 

Após nascerem, o cuidado parental é muito forte, porém, somente por parte das fêmeas. Ela carrega o filhote nas costas – tal qual os primatas; enquanto estão agarrados à suas costas, ficam completamente escondidos em meio a pelagem da mãe (o que evita serem alvo de predadores). Depois de três meses de seu nascimento, o filhote já passa a comer insetos além do leite materno; após dez meses, o filhote já está apto a viver sozinho, quebrando o vínculo com a mãe.

Conservação dos Tamanduás

Devido à constante interferência humana nos habitats dos Tamanduás, cada vez mais o números de ocorrências da espécie diminui. De acordo com a Lista Vermelha de Espécies Ameaçadas da União Internacional para a Conservação da Natureza e dos Recursos Naturais (IUCN), todas as três espécies nacionais estão classificadas como:

  • Menos preocupante, nos casos do Tamanduá-Mirim e Tamanduaí; 
  • Vulnerável, no caso do Tamanduá Bandeira, sendo considerada a espécie em situação mais grave.

Veja também

Como Alimentar Cachorro Com Colar Elisabetano

Se o seu cão ou gato for submetido a uma cirurgia, seu veterinário poderá enviá-lo …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *