Home / Animais / Quantos Cromossomos Tem Um Golfinho? DNA Da Espécie

Quantos Cromossomos Tem Um Golfinho? DNA Da Espécie

Golfinhos são animais que despertam a curiosidade humana. Por isso, são constantemente usados para análise em diversas pesquisas, seja para entender melhor seu modo de vida, quanto para utilizar de suas habilidades em diversos setores de nosso cotidiano. Dentre as inúmeras questões provocadas pelos golfinhos, estão dados como suas informações genéticas. Afinal, quantos cromossomos tem golfinho?

A Genética dos Golfinhos: Cromossomos e DNA

O DNA destes cetáceos possui cromossomos (44), somente dois a menos que nós humanos. Mesmo que a contagem de cromossomos não seja relacionada com o nível de complexidade dos seres vivos, os golfinhos são uma grande fonte de informações acerca da genética, características e evolução de um animal complexo.

Golfinho Nadando e Olhando Para Câmera

Através da raspagem de pele para a obtenção de sua identidade genética (composição sanguínea, cromossomos, morfologia uterina e microestrutura dos dentes) cientistas puderam comprovar e diferenciar todas as espécies de golfinhos existentes, seus hábitos e características fisiológicas, além de descobrirem novas informações sobre esta espécie de cetáceo. 

Uma delas é a descoberta, através de fósseis, da origem dos golfinhos. Segundo dados genéticos, detectaram que nem sempre foram animais marinhos, mas vieram da terra. Por conta de seu deslocamento em busca de novos alimentos, a espécie teve a necessidade de se adaptar, desenvolvendo e aperfeiçoando novos métodos de captura de presas. 

Outra grande revelação é a de que Golfinhos e Morcegos desenvolveram o mesmo tipo de células dentro dos seus aparelhos auditivos, por isso, possuem a habilidade da geolocalização. Mas quais são as outras características que fazem deste animal, um ser tão intrigante para os pesquisadores? 

Características Gerais do Golfinho

Por serem animais de vida marinha, muitos o confundem como uma espécie de peixes, mas Golfinhos são mamíferos. Fazem parte da subclasse Eutheria (que apresentam placenta) da ordem dos Cetáceos (que são mamíferos aquáticos). Ao todo são 38 espécies, sendo 33 provenientes de água salgada e somente 5, de água doce. Algumas dessas espécies são:

  • Golfinho-Nariz-de-Garrafa

Golfinho-Nariz-de-Garrafa Saltando do Oceano
  • Golfinho-Pintado-do-Atlântico

Golfinho-Pintado-do-Atlântico Nadando
  • Golfinho-Riscado

Golfinho-Riscado Saltando na Água
  • Golfinho-Liso-do-Sul

Golfinho-Liso-do-Sul Saltando na Água
  • Golfinho-do-Ganges

Golfinho-do-Ganges Nadando na Superfície
  • Golfinho-Rotador

Golfinho-Rotador Dois deles Saltando no Mar
  • Golfinho-de-Hector

Golfinho-de-Hector Três deles Nadando na Superficíe
  • Boto-cor-de-Rosa ou Golfinho-da-Amazônia

Boto-cor-de-Rosa Saltando no Mar
  • Orcas

Uma Orca Nadando Nas Profundezas do Mar

Anatomia

Estes mamíferos têm um corpo delgado, o bico fino, dorso escuro (cores variadas entre preto, cinza e branco) e a barriga clara. Golfinhos normais, como o golfinho-nariz-de-garrafa, chegam a medir de 2 a 3 metros de comprimento. Mas existem espécies que chegam aos 9 metros, como as orcas, consideradas a maior espécie da família dos golfinhos. Apesar de mamíferos, os cetáceos não têm pelos: todo o corpo é revestido por uma grossa camada de gordura para se manterem aquecidos. 

São ótimos nadadores, pois apresentam três tipos de nadadeiras ao longo de seu corpo: uma barbatana dorsal nas costas, duas nadadeiras peitorais de cada lado de seu corpo e a nadadeira caudal (bifurcada), localizada na cauda do animal.

Respiração

Mesmo vivendo na água, golfinhos são mamíferos e necessitam respirar com os seus pulmões. Por isso sempre estão subindo à superfície, renovam uma grande quantidade de ar para respirar, o que lhes dá fôlego para passar um bom tempo debaixo d’água. Suas narinas estão acima de sua cabeça e se chama orifício respiratório, sendo que baleias possuem dois e golfinhos, somente um.

Por essa necessidade, golfinhos podem “dormir”. Essa espécie de sonolência acontece, porque quando estão na superfície para que possam respirar, ocorre a alternação dos hemisférios cerebrais. Enquanto um hemisfério cerebral torna-se inconsciente, o outro permanece consciente para a obtenção do oxigênio.

Habitat Geral

Podem viver tanto em alto mar (golfinhos-malhados e orcas), quanto em rios (golfinho-do-ganges e boto-cor-de-rosa), sendo divididos entre as famílias Delphinidae (que vivem em água salgada) e Platanistidae (que vivem em água doce), respectivamente.

Geolocalização e Socialização da Espécie

Sonar Natural

Uma das características mais interessantes desses animais, é a possibilidade de se orientarem por meio de um “sonar natural”. Chamada geolocalização, esta ferramenta emite ultrassons em formas de estalos e assobios, que são produzidos por meio da circulação de ar em sua cavidade nasal. 

Estes sons são propagados na água e retornam na forma de eco. Os golfinhos captam os resultados através de sua desenvolvida audição e assim, conseguem diferenciar peixes de pedras, quando escondidos na areia do fundo do mar. Além disso, cada golfinho emite sons específicos, o que faz com que sejam sua própria identidade e também, um auxílio ao se comunicarem uns com os outros.

Comportamento

Golfinhos são animais extremamente sociáveis, por isso, vivem em grupos. Eles costumam caçar e realizar outras atividades para benefício mútuo. Porém, não se mantêm em um mesmo grupo durante toda a vida, mudando de acordo a suas migrações, acasalamento ou até mesmo, pela busca de comida. Costumam também se socializar e cooperar com outras espécies.

Além disso, são muito inteligentes: cetáceos têm muitos comportamentos sociais complexos, semelhantes aos dos seres humanos e aos de outros primatas. Apesar disso, por terem estruturas cerebrais mais primitivas, tanto as baleias e quanto os golfinhos não poderiam alcançar habilidades cognitivas e sociais mais elevadas.

Alimentação dos Golfinhos

Golfinhos são predadores.  Logo, sua alimentação consiste em peixes, polvos e lulas. Costumam caçar em grupo (utilizando de seu sonar natural) e focam, principalmente, nos cardumes de peixes.

Quando localizam as suas presas, nada ao redor delas formando bolhas que as vão distrair e assim podem capturá-las mais facilmente.

Reprodução dos Golfinhos

Normalmente, a fêmea alcança a maturidade sexual com 4 a 7 anos. Já o macho, está pronto para reproduzir com 7 a 10 anos. No período de cortejo, golfinhos mordiscam e esfregam-se um no outro. Durante o acasalamento, macho e fêmea se posicionam um de frente ao outro, ventre com ventre.

O período de gestação dura aproximadamente um ano e dão à luz a somente um filhote por vez. Assim que nascem, os filhotes nadam imediatamente para a superfície para seu primeiro respiro. Os pequenos golfinhos têm em média entre 70 e 100 centímetros, pesam cerca de 10 kg e mamam até os 4 anos.

Para compensar a baixa taxa de natalidade, há uma forte relação entre mãe e filhote. Existe um extremos cuidado por parte da fêmea, como  toque suaves com suas nadadeiras e mantê-los afastados de ameaças e possíveis predadores. Golfinhos vivem cerca de 30 a 33 anos.

Curiosidade Sobre Golfinhos

  • Golfinhos conseguem se reconhecer no espelho, assim como nós humanos, ps elefantes e os chimpanzés;
  • Segundo algumas pesquisas, eles chamam uns aos outros pelo “nome”, no caso, soltando assobios característicos para se comunicarem e se manterem unidos a seu grupo;

  • Eles podem se afogar, já que precisam subir à superfície para respirar;
  • São animais prestativos: possui o instinto de ajudar quem precisa, principalmente quando o doente ou ferido faz parte do seu grupo de convívio;
  • Têm o poder de cicatrização rápida, apesar da pele delicada

Veja também

Marreco de Pequim: Características, Hábitat e Nome Científico

O marreco de Pequim é considerado uma das principais raças atuais de marrecos, ao lado …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *