Home / Animais / Quando o Bebê pode ter Contato com Cachorro?

Quando o Bebê pode ter Contato com Cachorro?

Algumas pessoas que têm um cão como animal de estimação em casa ficam um pouco receosas quando desejam aumentar a família. Por esse motivo, separamos inúmeras dicas para você saber como lidar com esse novo momento na sua vida. Por esse motivo fique com a gente até o final para não perder nenhuma informação. Talvez uma casa cheia de crianças e animais seja o sonho da sua vida, mas saiba que alguns cuidados vão precisar ser tomados.

Principalmente quando se trata do primeiro filho, isso gera uma ansiedade ainda maior, como será que meu pet vai se comportar. Ter um animal de estimação já gera uma série de responsabilidades, quando um bebê chega na vida desse casal muitas dúvidas surgem, muitos palpites e muitas inseguranças.

Ficamos preocupados em como esse animal vai receber essa criança, qual vai ser o comportamento dele, se vai ficar enciumado ou se pode transmitir algumas doenças para o bebê.

Quando o Bebê pode ter Contato com Cachorro?

Primeiro queremos que você saiba que bebês e cães podem conviver em harmonia, mas não podemos ignorar que alguns cuidados são necessários e se desfazer do seu pet não é uma opção.

Saiba que os principais cuidados estão concentrados nos primeiros meses deste recém nascido, nesse momento o ideal é que eles não fiquem tão próximos pois a criança ainda não está com seu sistema imune completamente estabelecido. Mas eles podem ser apresentados mesmo que de longe, e com certeza o seu pet ficará muito curioso com toda essa nova movimentação, não exclua ele desse novo momento.

Bebê e Cachorro
Bebê e Cachorro

Passado o tempo necessário eles podem passar a ter mais proximidade, aliá um pet em casa é um grande ganho no desenvolvimento do ser humano.

É bom lembrar que o preparo do seu cãozinho deve começar antes mesmo do bebê vir ao mundo, o seu cachorro precisa estar sempre em contato com crianças e se sentir confortável perto delas, essa socialização deve ser feita enquanto ele é filhote, isso facilita demais. Interaja com as crianças, pegue – as no colo, brinque com elas e observe o comportamento do seu cão, perceba se ele vai ficar muito agitado e enciumado, se vai ter alguma atitude mais agressiva.

Após esses testes já é possível identificar com mais segurança qual vai ser o comportamento dele. Se você perceber que a interação não está bacana e isso pode te gerar algum problema é a hora de investir em adestramento, ou até mesmo treinamentos. Mas você precisa se sentir totalmente no controle da situação, você precisa de um animal obediente que vai cooperar quando você precisar.

Ele precisa se sentir parte de toda mudança, se a cada curiosidade dele você ser duro demais e demonstrar só se importar com o bebê isso vai reforçar o sentimento de exclusão. Ao contrário disso procure elogiar, dar carinho e biscoitos quando ele demonstrar um bom comportamento, dessa forma ele vai associar todas essas mudanças a algo muito positivo.

Não tenha pressa nesse processo, afinal é novidade para todo mundo. Toda a família precisa se adequar à nova rotina, aos novos cuidados. Paciência é sem dúvida alguma a palavra chave, não tente pular etapas, procure não se estressar que no final tudo dará muito certo. Você vai perceber ao longo do tempo que toda dedicação valeu a pena, quando notar que eles são melhores amigos e companheiros todo esforço será recompensado.

Dicas Importantes

  • Saiba que seu filho poderá ter um contato mais próximo com seu pet por volta dos seis meses de idade, pois é justamente quando o seu sistema imune já está mais fortalecido. Neste momento não force a interação, faça tudo com muita calma respeitando o tempo de cada um. Essa dica inclusive salva de diversos acidentes, pois o cão pode estranhar e acabar reagindo de forma não esperada.
  • Só socialize ambos quando seu pet demonstrar estar muito calmo, em um momento que você se sinta seguro. Deixe que ele cheire o bebê, isso é muito importante para ele.
  • Muita gente se preocupa a respeito de doenças que podem ser passadas para a criança, e realmente existe esse risco, mas da mesma forma que para qualquer adulto e não especificamente para bebês. Mas se seu cão está com as vacinas em dia e está sempre no veterinário não há com o que se preocupar.
  • Outra situação é a respeito de doenças respiratórias, pode ser que seu filho enfrenta problemas de alergia, e a pelagem do cão desperte isso. O recomendado é que seu cão esteja sempre limpo, escovado e com as tosas em dia para evitar esse tipo de problema. Reforce a limpeza da sua casa, reforce a higiene do animal.
  • Outra preocupação é se o seu pet vai sentir muito ciúmes do novo membro da casa, isso pode acontecer caso ele perceba que está perdendo o reinado, já não tem a mesma atenção que antes e talvez não seja mais o queridinho da casa. Por isso ele pode passar a ter comportamentos tentando chamar a sua atenção, fazendo com que ele se sinta querido e não abandonado. Nunca estimule esses comportamentos, o ciúmes em excesso pode gerar comportamentos perigosos.
  • Toda a situação já não é fácil, quando você mora em um ambiente pequeno como um apartamento por exemplo isso pode se agravar ainda mais. O ideal é deixar claro onde é o espaço de cada um ali dentro, de limites ao seu animal e de limites a sua criança também. Não deixe para trás os passeios, as caminhadas, as brincadeiras do seu pet, saiba que ele ainda está ali e precisa de você. Caso o tempo fique apertado, peça para que alguém cumpra com essas atividades, pois se ele ficar preso no apartamento pode gerar uma ansiedade ainda maior.

Realmente toda essa mudança não é um bicho de sete cabeças e pode acontecer de forma bem tranquila quando devidamente planejada. E aí? Como foi na sua família essa integração?

Veja também

Cachorros Passeando na Praia

O Que Acontece se Não Levar o Cachorro para Passear?

Você leva seu pet para passar diariamente? Saiba que isso é super importante para a …

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.