Home / Animais / Qual a Área Geográfica Onde a Coruja Buraqueira Ocorre?

Qual a Área Geográfica Onde a Coruja Buraqueira Ocorre?

As corujas são aves pertencentes às famílias Strigidae e Tytonidae, são encontradas em praticamente todos os continentes do mundo, com exceção da Antártica. Atualmente, há 212 espécies de corujas e a tendência é que esse número aumente ainda mais a partir de novas buscas e investigações.

As corujas estão presentes no planeta Terra desde o período Eoceno, pois há registros fósseis que datam de 24 milhões de anos atrás. Na história da civilização greco-romana, a coruja foi um animal muito reverenciado como símbolo da sabedoria e da filosofia, estando diretamente relacionada à Deusa Atena.

Mesmo com algumas diferenças entre as espécies, características em comum incluem a grande íris destacada, a face frequentemente marcada, a visão e audição extremamente aguçadas, o padrão alimentar (ingestão de animais de pequeno porte), o voo silencioso, a incrível habilidade de girar a cabeça em 270 graus e a estratégia de caça.

Uma curiosidade importante é que nem todas as espécies de corujas são noturnas, contradizendo o imaginário popular. Aproximadamente 2/3 dessas aves são noturnas, ao passo que 1/3 apresenta hábitos diurnos.

Aqui no Brasil, é possível encontrar 22 espécies de corujas, as quais habitam os biomas da Mata Atlântica, Caatinga e Pampas Gaúchos. Neste contexto, está inclusa a espécie chamada coruja buraqueira (Athene cunicularia), a qual também é prevalente fora do Brasil, e por aqui provavelmente seja a mais comum.

Neste artigo, você descobrirá qual a área geográfica onde a coruja buraqueira ocorre, e conhecerá algumas importantes características da espécie.

Então venha conosco e boa leitura.

Características da Coruja Buraqueira

Esta é uma coruja de porte médio, com diferenciação de tamanho entre macho e fêmea. O macho possui de 21,5 a 28,5 centímetros de altura e pesa entre 110 e 285 gramas; ao passo que a fêmea mede entre 22 a 25 centímetros e pesa entre 150 e 265 gramas.

Fisicamente, são corujas de cabeça redonda, sobrancelhas na cor branca e olhos de cor amarela. A coloração das penas ao longo do corpo é bege castanho, mimetizando o tom de terra. Uma grande curiosidade é que os indivíduos que habitam solos de terra roxa possuem a coloração corporal em tom de ferrugem. Usualmente, as fêmeas são mais escuras do que os machos.

Corujas buraqueiras adultas possuem o peito e a barriga de coloração parda, além de alguns traços como manchas e barras de cor marrom.

Corujas mais jovens são mais gorduchas, com penas desalinhadas e de cor mais branda. Possuem o peito completamente branco, sem trechos em tom marrom (tal como nos adultos). Há uma barra em cor amarela na asa superior.

Todas as espécies de corujas tem uma excelente visão em condições de baixa luminosidade, no entanto, para a coruja buraqueira essa qualidade é ainda maior, pois os seus olhos são bem grandes e destacados.

Curiosamente, a coruja buraqueira é uma espécie diurna, a qual frequentemente é vista pousada em postes, cercas ou diretamente no solo.

Como a coruja buraqueira é considerada uma ave de rapina, ela quase não possui predadores naturais, com exceção do homem, o qual por vezes pode ameaçar algumas áreas caracterizadas como hábitats naturais.

Padrão de Comportamento da Coruja Buraqueira

Coruja Buraqueira no Bruraco
Coruja Buraqueira no Bruraco

Esta ave pode ser vista durante o dia ereta em postes, troncos, muros ou árvores. Uma particularidade desta espécie, a qual não é copiada por outras corujas, é que a mesma frequentemente fica sobre uma perna só.

O termo “coruja buraqueira” deve-se ao fato da mesma frequentemente refugiar-se ou construir ninhos no interior de buracos construídos no solo. Esses buracos são cavados pela própria coruja com a utilização dos dois pés e do bico. No entanto, ela também pode utilizar buracos já construídos e abandonados por animais como esquilos, texugos, tatus, entre outros.

Quando o buraco é cavado pela própria coruja, ela prefere regiões com capim baixo, nas quais ela possa prender com facilidade insetos e pequenos roedores presentes no solo. Outro hábito é coletar outros materiais para revestir o ninho, dentre eles o estrume, o qual funciona para ocultar o odor dos ovos e dos filhotes, e, dessa forma, não atrair a atenção de predadores. O principal predador de ovos de coruja é o texugo-americano. O esterco também pode auxiliar no controle climático no interior do ninho, contribuindo para que ele não esteja quente demais.

Quando o buraco é cavado com a intenção de abrigar os ovos, pode caracterizar um túnel com 1,5 a 3 metros de profundidade.

O período reprodutivo é entre março e abril. Após isso, a média de ovos liberada varia entre 6 a 11, com incubação durando de 28 a 30 dias.

Aos 44 dias de vida, os filhotes saem do ninho. Aos 49 a 56 dias, eles começam a caçar insetos.

Qual a Área Geográfica Onde a Coruja Buraqueira Ocorre?

A coruja-buraqueira é endêmica no continente americano com uma distribuição geográfica que se estende do Sul do Canadá ao extremo Sul da América Latina (abrangendo o Brasil ao longo desta faixa).

O habitat da coruja buraqueira é predominantemente selvagem, abrangendo áreas de campos, desertos, planícies, pastos e praias. Contudo, também é possível encontrar a coruja buraqueira em ambientes urbanos, no entanto, é necessário uma conscientização a respeito da proibição de captura da ave, (considerada um animal silvestre).

Corujas Buraqueiras Em Cima de Galho em Seu Habitat Natural
Corujas Buraqueiras Em Cima de Galho em Seu Habitat Natural

O veterinário Guilherme Marrara, em reportagem do G1, relata que a presença dessas aves em contexto urbano funciona como um grande mecanismo de controle biológico das populações de ratos, baratas e escorpiões.

Aqui no Brasil, dados bibliográficos apontam a prevalência desta ave na porção leste do país, desde o estado do Maranhão até o Mato Grosso e Paraná; no entanto, ela também pode ser encontrada em outras áreas, sendo rara apenas na Amazônia. Porém, curiosamente, as práticas de desmatamento ao longo das rodovias BR 319 e BR 174 têm contribuído para a expansão da distribuição dessa ave ao longo da Amazônia.

*

Agora que você conhece um pouco mais sobre a distribuição geográfica da coruja buraqueira, assim como as suas demais características, continue conosco e visite outros artigos do site.

Até as próximas leituras.

REFERÊNCIAS

G1 São Carlos e Araraquara. Família de corujas-buraqueira vira atração em praça de São Carlos, SP. Disponível em: <https://g1.globo.com/sp/sao-carlos-regiao/noticia/2018/07/24/familia-de-corujas-buraqueiras-vira-atracao-em-praca-de-sao-carlos-sp.ghtml>;

Wiki Aves. Coruja-buraqueira. Disponível em: <https://www.wikiaves.com.br/coruja-buraqueira>.

Veja também

História do Guepardo e Origem do Animal

Um dos felinos mais conhecidos do mundo, conhecido especialmente por sua velocidade, é o guepardo. …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *