Home / Animais / Quais São os Predadores do Crocodilo e Seus Inimigos Naturais?

Quais São os Predadores do Crocodilo e Seus Inimigos Naturais?

Os crocodilos têm um corpo grande e maciço, equipado com uma cauda altamente desenvolvida que representa o órgão de propulsão mais importante para os movimentos realizados na água, um ambiente em que passam a maior parte de sua existência. As pernas, grossas e robustas, são usadas principalmente para movimentos no solo. Será que animais com tamanha couraça resistente e força visível possui inimigos capazes de afrontá-los?

Quais São Os Predadores Do Crocodilo E Seus Inimigos Naturais?

Os jovens, devido à sua cobertura de pele relativamente macia, são bastante vulneráveis a predadores de vários tipos. Pelo contrário, os adultos são tornados quase inatacáveis por uma pele muito grossa, cimentada e reforçada por placas ósseas. O único inimigo que eles realmente devem temer é o homem, que os caça apenas para obter a pele. Os crocodilos estão presentes nas regiões tropicais da América, Ásia, África e Austrália.

Quando adultos, a maioria dos crocodilos não tem inimigos, exceto o homem mesmo com armas de fogo ou lanças, embora os leões (panthera leo), quando estão com raiva ou ameaçados, não hesitem em atacá-los. E por uma questão de verdade, mesmo o maior crocodilo deve tomar cuidado para não perturbar demais os hipopótamos (hippopotamus amphibius), pois esses animais não toleram seu assédio de maneira alguma, especialmente quando vêem seus filhotes em perigo.

Iguais às tartarugas marinhas, ovos e indivíduos muito jovens são vítimas de vários predadores, aos quais se somam, neste caso, também os congêneres e coespecíficos adultos. Os espécimes compreendidos entre um metro e meio ou menos e, portanto, para algumas espécies já adultos, às vezes são devorados pelos grandes cobras (boidae), por exemplo, que, semi-aquáticas, atacam freqüentemente os pequenos jacarés.

Os jacarés são ameaçados também pelos onças pintadas (panthera onca), enquanto os crocodilos de tamanho semelhante podem constituir uma refeição para leões e Leopardos (panthera pardus), e também não podem ignorar invariavelmente os tigres (panthera tigris) e algumas outras espécies de felinos de grande porte.

Um Respeitável Inimigo Natural

Um final ruim para um crocodilo do Parque Nacional Serengeti, na Tanzânia, comido vivo por cinquenta hipopótamos famintos e raivosos. O predador havia chegado muito perto de uma fêmea e seu filhote, enquanto a pequena família nadava placidamente nas águas do rio Mara, e essa imprudência lhe custou caro: os animais, de fato, o cercaram, bem determinados a defender sua companheira e o pobre crocodilo, tomado pelo pânico, tentou escapar do ataque passando por cima das costas.

Má escolha, a julgar pelas incríveis imagens tiradas pelo fotógrafo tcheco Vaclav Silha, porque os hipopótamos literalmente o despedaçaram. De um modo geral, os confrontos entre esses animais são muito raros. Quando algo acontece, é porque há filhotes no grupo e os hipopótamos acham que podem estar em perigo. E foi exatamente o que aconteceu nesta ocasião. O que levou o crocodilo a passar pelas costas dos hipopótamos talvez tenha sido o pânico e tenha visto como a única rota de fuga, mas foi certamente a pior escolha que ele poderia fazer.

Considerado entre as criaturas mais agressivas e imprevisíveis do reino animal, um hipopótamo adulto pode exercer várias toneladas de pressão em uma única mordida, como confirmado pelo fim trágico do crocodilo. “Tudo o que pude ver”, disse o fotógrafo, “era o crocodilo que lutava e se contorcia para escapar das mandíbulas dos hipopótamos, mas nem mesmo o crocodilo mais forte poderia ter sobrevivido. Na verdade, ele não teve chance e, alguns segundos depois, seu corpo escorregou na água e eu nunca mais o vi.”

O Pior Dos Inimigos Dos Crocodilos

Malas, cintos, sapatos, carteiras: o mercado global de luxo exige cada vez mais a pele de crocodilianos. E o negócio agrícola está crescendo. Em primeiro lugar, a carne, que lembra um pouco a galinha ou outras carnes brancas e é considerada saudável porque tem pouca gordura e colesterina. Na Flórida, o bife e o hambúrguer de crocodilo não são raros: talvez seja um desperdício dos usos gastronômicos dos índios Seminole. Mesmo na África do Sul e na Austrália, ainda hoje, não é estranho servir carne de crocodilo.

Nas Filipinas, não é apenas consumido, mas, sobretudo, exportado: entre os principais clientes, recentemente, até a nova classe alta russa. A segunda e mais válida razão pela qual a caça aos crocodilos começou, como é conhecida, é a sua pele: com a qual são feitos sapatos, bolsas, cintos e outros acessórios. Nos tempos modernos, a primeira evidência de uso comercial de peles de crocodilo pode ser encontrada na América do Norte no início do século 19: elas provavelmente foram transportadas do sul dos EUA, especialmente Mississippi, Lousiana e, na verdade, Flórida.

Imediatamente após a guerra civil, a demanda por calçados em particular já era muito alta e, para satisfazê-lo, a caça se espalhou especialmente no México e na América Central. No entanto, os efeitos dessa caça não regulamentada foram devastadores para as populações selvagens. Após a Segunda Guerra Mundial e durante a subsequente recuperação econômica, na América do Sul, a caça começou no final da década de 1950 e levou as populações de algumas espécies a um ponto crítico: em alguns casos, quase à extinção.

Portanto, seu regulamento tornou-se necessário e, em 1975, chegou a uma legislação para proteger as espécies selvagens com a assinatura da Convenção sobre Comércio Internacional de Espécies Ameaçadas de Extinção. Assim, o fenômeno da criação começou a decolar muito rapidamente, no qual se baseia quase todo o comércio internacional atual, que envolve mais de um milhão de peles de crocodilo por ano, exportado legalmente e proveniente de cerca de 30 países. Em termos de volume, os protagonistas desse setor industrial estão localizados no sudeste da Ásia, África, Austrália, Estados Unidos e vários países da América do Sul.

Crocodilo Caçado
Crocodilo Caçado

A ONU estima que entre 1999 e 2008, as peles de crocodilo exportadas para todo o mundo estavam entre 1,5 e 1,8 milhões. Mas eles não são dados recentes e a demanda nos últimos anos está crescendo, uma vez que essa matéria-prima é utilizada em um dos setores que no nível global não está passando por uma crise, a do luxo. De fato, uma bolsa de crocodilo pode ser vendida a um preço 30 vezes maior que o mesmo modelo feito de couro de vaca. O ano de 2014 foi certamente um ano excepcional para produtos que envolvem animais exóticos e seu uso na moda internacional: para confirmar isso, basta dar uma olhada nas coleções da Gucci, Burberry, Bottega Veneta e outras marcas conhecidas.

Assim, o crocodilo se tornou um negócio particularmente lucrativo também na Colômbia, onde o mercado é parcialmente legal (fazendas registradas) e parcialmente ainda ilegal (caça furtiva, muitas vezes gerenciada por narcotraficantes, que depois misturam peles com grandes remessas de drogas). Os rebanhos colombianos oficiais, nascidos no início dos anos 80, são hoje considerados os melhores do continente em termos de qualidade do couro e do processo de fabricação. A Repticosta representa a excelência sul-americana em seu setor: as peles de seus crocodilos acabam nos mercados de luxo em todo o mundo.

Veja também

Reprodução do Burro: Filhotes e Período de Gestação

No mundo de hoje, acredita-se que existam aproximadamente 44 milhões de mulas e burros. Atualmente, …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *