Home / Animais / Por Que O Nome Abelha Cachorro? Características e Fotos

Por Que O Nome Abelha Cachorro? Características e Fotos

A tal abelha cachorro é apenas mais uma espécie de abelha meliponina, sem ferrão, muito recorrente no Brasil, chamada pelo nome científico trigona spinipes.

Por Que o Nome Abelha Cachorro?

Vamos tentar responder logo a essa pergunta antes de conhecermos mais essa curiosa espécie irritadinha. Na verdade, não há nenhuma resposta com embasamento técnico que corrobore fidedignamente uma razão.

A maioria das abelhas existentes na América do Sul começaram a ser catalogadas por cientistas a partir do século 17, mas já eram conhecidas principalmente por nativos ou indígenas muitos anos antes disso.

Portanto, era natural que esses pesquisadores já encontrassem a maioria das espécies reconhecidas por um ou vários outros nomes populares diferentes, dependendo da região onde as espécies nidificassem. Este também é o caso da abelha espécie trigona spinipes. Não há apenas um, mas diversos nomes populares reconhecidos pra essa abelha.

A trigona spinipes é reconhecida por nomes tais como: aripuá, irapuá, cupira arapuã, axupé, guaxupé, torce-cabelo, caapuã, enrola-cabelo e ainda diversos outros, inclusive o que intitula nosso artigo, o nome popular abelha cachoro. Este último faz uma provável referência ao comportamento agressivo dessa abelha.

Trigona spinipes é conhecido localmente por sua agressividade. Apesar de não ter a capacidade de picar, os trabalhadores vão perseguir intrusos e mordê-los. Cada uma das suas duas mandíbulas tem 5 dentes afiados. Um estudo descobriu que entre 12 abelhas sem ferrão investigadas, Trigona spinipes foi uma das seis espécies envolvidas em mordidas suicidas.

O fenômeno da mordida suicida envolveu trabalhadores mordendo um intruso alvo com tanta tenacidade que um número significativo de trabalhadores sofreu ferimentos fatais. Das 6 abelhas que se envolveram em mordidas suicidas, Trigona spinipes apresentou o comportamento mais agressivo em geral. E, como no conceito popular, quem morde é cachorro, é daí que deduz-se ter saído o nome da abelha cachorro.

Conhecendo a Abelha Cachorro

Trigona spinipes constrói grandes ninhos externos em árvores. Em comparação com outras espécies de trigona, são construídos bem acima do solo. Eles geralmente são construídos em garfos entre galhos de árvores entre 4 a 7 metros do solo e podem ter até 50 ou 60 cm de comprimento e a mesma medida de largura.

O material do ninho consiste em lama, cera, fragmentos de plantas e resinas. Os favos dentro do ninho contêm a ninhada de ovos, larvas e pupas dentro das reservas de mel e pólen. Trigona spinipes é bastante comum em grandes áreas do Brasil, bem como no Paraguai, Argentina e outras partes da América do Sul. Habita uma variedade de habitats, incluindo o cerrado (savana neotropical) e florestas tropicais.

A abelha tem sido considerada uma praga agrícola para algumas culturas, como o maracujá, porque danifica folhas e flores ao coletar materiais de ninhos e túneis através das flores não abertas para coletar o néctar (frustrando assim os polinizadores normais). Por outro lado, eles são polinizadores significativos por conta própria, por exemplo, para as cebolas.

A abelha cachorro usa rastros de odor, às vezes se estendendo por várias centenas de metros, a fim de levar os ninhos da colmeia a uma fonte de alimento. Além disso, pode “bisbilhotar” sinais químicos usados por outras espécies de abelhas com o mesmo propósito, matando-os ou expulsando-os para tomar conta de sua fonte de alimento.

A abelha cachorro atacará em enxames quando sentirem que o ninho está ameaçado. Eles não podem picar, e sua mordida não é muito eficaz. Sua principal arma contra animais predadores, incluindo seres humanos, é se enredar nos cabelos da vítima e zumbir alto. Eles também penetrarão agressivamente nas aberturas corporais humanas, como os orifícios nasais e auditivos, quando em modo de ataque.

Trigona spinipes constrói seu ninho em árvores (ou em edifícios e outras estruturas humanas), de lama, resina, cera e detritos variados, incluindo estrume. Portanto, seu mel não é apto para o consumo, embora tenha a reputação de ser de boa qualidade e usado na medicina popular. As colônias podem ter de 5.000 a mais de 100.000 trabalhadores.

A Colonização da Abelha Cachorro

Colônia de Abelha Cachorro
Colônia de Abelha Cachorro

O sexo em trigona spinipes é determinado se os ovos são fertilizados ou não. Os ovos fertilizados são diplóides e se tornam fêmeas enquanto os ovos não fertilizados são haplóides e se tornam machos. A determinação das castas é trófica, o que significa que não é hereditária, mas depende da quantidade e qualidade dos alimentos consumidos pelas larvas.

As larvas femininas que consomem alimentos melhores e de maior qualidade desenvolvem 12 em vez dos habituais 4 ovaríolos na fase de pupa que mais tarde se transformam em rainhas. Esta determinação de castas tróficas é a razão pela qual as rainhas da abelha cachorro são maiores que as operárias.

Não há diferença de tamanho entre rainhas e operárias em outras espécies de meliponini que utilizam mecanismos de determinação de castas trofogênicas. As rainhas virgens representam uma ameaça para as rainhas estabelecidas. Elas geralmente não são necessários para a colônia, então elas geralmente são mortas pelas operárias ou presas.

Embora sejam menores e tenham menos ovaríolos do que rainhas, as operárias mantêm a capacidade de colocar ovos viáveis. Essa habilidade é um pouco limitada. Operárias que estão próximos da rainha freqüentemente colocam ovos tróficos ou estéreis presumivelmente devido a sinais hormonais da rainha. Além disso, a casta rainha consome rotineiramente ovos postos pelas operárias.

Para trigona spinipes, o ato de iniciação da colônia não está vinculado a mudanças nas estações, que são mínimas nas regiões tropicais que ela reside, mas novas colônias surgem quando necessário. Como outras abelhas meliponini, novas colônias de trigona spinipes começam com enxames. As rainhas virgens emergem dos ninhos onde nasceram e voam com enxames de mulheres para um novo local de nidificação.

Atraídos por um odor emitido pela rainha da colônia, os machos se agregam fora do novo local de nidificação, esperando que a rainha apareça. A rainha então voa para um único acasalamento e retorna ao ninho. Dentro de 6 meses, um ninho pode atingir o tamanho físico total.

Em termos de número de abelhas, trigona spinipes formam algumas das maiores colônias de abelhas sem ferrão do mundo, variando em tamanho de 5.000 para mais de 100.000 trabalhadores. Algumas colônias podem atingir 180.000 indivíduos, o que é uma ordem de magnitude maior que o tamanho das colônias da maioria das outras espécies. Os ninhos são perenes.

A Dominação da Abelha Cachorro

Como todas as outras abelhas sem ferrão, a abelha cachorro é altamente social. Quando forrageando, as operárias utilizam a comunicação de trilha odorada polarizada para transmitir os locais das fontes de alimento entre si. Ao contrário das trilhas de feromônio clássicas que se estendem da fonte de alimento ao ninho, estes sinais de feromônio polarizado são curtos e não alcançam o ninho.

Eles provavelmente evoluíram para ser curtos, de modo a não levar predadores de espionagem de volta ao seu ninho. O que torna essas trilhas polarizadas é que elas são mais fortes na fonte de alimento e se afilam se afastando dela. Isso permite que outras abelhas que seguem o sinal cheguem à comida em grande número sem perder tempo procurando comida ao longo da trilha.

Octanoato de octilo é o componente mais significativo do feromônio de trilha. É emitida pelas glândulas labiais cefálicas de trigona spinipes e constitui aproximadamente 74% da secreção. Estudos encontrados octil octanoato sinteticamente produzidos para ser igualmente atraente para extrato natural derivado das glândulas labiais de forrageiras.

Ninho de Abelha Cachorro
Ninho de Abelha Cachorro

Enquanto os trabalhadores da trigona spinipes seguem suas trilhas de feromônios para os recursos alimentares, eles demonstraram seguir as marcas de cheiro deixadas por outra abelha sem ferrão, a melipona rufivertris.

Elas fazem isso quando estão buscando novas fontes de alimento. Depois, trigona spinipes atacará as abelhas melipona rufiventris e tomará sua comida. Alguns supõem que a dança das abelhas melíferas evoluiu para evitar a espionagem desse gênero.

O sinal do feromônio estabelecido por trigona spinipes foi encontrado, surpreendentemente, como um impedimento para as espécies de abelhas sem ferrão mais dominantes trigona hyalinata. A razão para isso não está clara, mas a hipótese é que a espécie dominante quer evitar custos e lesões associados à apreensão de uma fonte de alimento de trigona spinipes em vez de encontrar sua própria fonte.

Trigona hyalinata são atraídos por fontes de alimento com menos forrageadoras de trigona spinipes, porque podem facilmente dominar um pequeno número de seus competidores.

Veja também

O Que a Tarântula Come? Como é a Sua Alimentação?

As tarântulas são aranhas pertencentes à família taxonômica Theraphosidae. Ao todo são cerca de 700 …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *