Home / Animais / Por Que Lontras Abandonam Seus Filhotes Quando Estão em Perigo?

Por Que Lontras Abandonam Seus Filhotes Quando Estão em Perigo?

A humanidade tem uma tendência para romantizar o resto do mundo natural. É um fato inegável que nós, os humanos, somos a pior espécie do mundo animal e destruímos os recursos naturais, prejudicamos o meio ambiente e agimos como idiotas. Mas o resto da natureza? Ah não. Outros animais são nobres e gentis. Nós devemos aprender com eles. Será que é mesmo assim?

Comportamentos Nada Nobres das Lontras

As lontras do mar são terríveis. Você provavelmente já viu imagens flutuando em torno do facebook, exclamando sobre como elas dão as mãos enquanto dormem para ter certeza de que elas não se separam. Bem, isso é verdade. Mas eles também estupram focas bebês. Como se constata, as lontras marinhas podem ser espécies bem imorais no reino animal.

São necessários muitos recursos para alimentar uma lontra; elas precisam comer aproximadamente 25% do peso corporal todos os dias. Quando a comida está em falta, as coisas podem ficar feias. Alguns machos mantêm os filhotes de lontra como reféns até que a mãe pague um resgate de comida ao macho.

Mas eles não apenas sequestram bebês. Lontras marinhas também estupram focas bebês até a morte. As lontras machos encontrarão uma foca juvenil e a montarão, como se estivesse acasalando com uma lontra fêmea. Para a infelicidade da vítima, este ato de copulação inclui manter presa o crânio da fêmea debaixo d’água, o que pode matara a pequena foca, em consequência. Até porque mesmo as fêmeas lontras nem sempre resistem a essa violência (e mais de 10% delas também morrem).

O ato de estupro pode durar mais de uma hora e meia. E o que é mais aterrorizante é que algumas lontras machos continuam estuprando suas vítimas mesmo depois de mortas, às vezes quando já se encontram em estado de decomposição.

E lamentamos dizer que lontras marinhas não são nem as mais assustadoras lontras, acredite ou não. Na América do Sul ainda existem lontras que podem atingir quase dois metros de comprimento. E elas caçam em pacotes. Se esse animal é capaz de tamanha barbárie, não seria surpresa que também acabassem por sendo cruéis com seus próprios filhotes, não é mesmo? Mas será que o que fazem com seus filhotes é também por puro prazer mórbido?

Ciclo de Vida e Alimentação de Lontras

Antes de falarmos mais especificamente sobre o que nos pede o tema do artigo, precisamos entender primeiro os hábitos de nidificação e alimentação das lontras. Isso porque a forma dela agir com relação aos filhotes é basicamente uma tática de sobrevivência e não necessariamente por pura maldade. Lontras vivem até 16 anos; Eles são por natureza brincalhões e brincam na água com seus filhotes.

O período de gestação nas lontras é de 60 a 90 dias. O filhote recém-nascido é cuidado pela fêmea, pelo macho e pela descendência mais velha. As lontras fêmeas atingem a maturidade sexual em aproximadamente dois anos de idade e os machos em aproximadamente três anos. O local de nidificação é construído sob raízes de árvores ou um monte de pedras. Ele é forrado com musgo e grama. Depois de um mês, o filhote pode deixar o buraco e depois de dois meses, é capaz de nadar. O filhote vive com sua família por aproximadamente um ano.

Alimentação da Lontra

Para a maioria das lontras, o peixe é o alimento básico de sua dieta. Isto é frequentemente complementado por rãs, lagostins e caranguejos. Algumas lontras são especialistas em abrir moluscos e outras se alimentam de pequenos mamíferos ou aves disponíveis. A dependência de presas deixa as lontras muito vulneráveis à depleção de presas. As lontras marinhas são caçadoras de amêijoas, ouriços do mar e outras criaturas com casca.

As lontras são caçadoras ativas, caçando presas na água ou vasculhando leitos de rios, lagos ou mares. A maioria das espécies vive ao lado da água, mas as lontras do rio costumam entrar nela apenas para caçar ou viajar, caso contrário, gastam muito do seu tempo em terra para evitar que suas peles fiquem encharcadas.As lontras do mar são consideravelmente mais aquáticas e vivem no oceano durante a maior parte de suas vidas.

As lontras são animais brincalhões e parecem se envolver em vários comportamentos por puro prazer, como fazer escorregadores e depois deslizar sobre eles na água. Elas também podem encontrar e brincar com pequenas pedras. Diferentes espécies variam em sua estrutura social, com algumas sendo em grande parte solitárias, enquanto outras vivem em grupos, em algumas espécies esses grupos podem ser bastante grandes.

Porque Abandonam seus Filhotes Quando Estão em Perigo?

Quase todas as lontras circulam nas águas frias e por isso seu metabolismo é adaptado para mantê-las aquecidas. Lontras da Europa ingerem 15% do seu peso corporal diariamente e as marinhas, ingerem entre 20 a 25%, conforme a temperatura. Em água tão quente quanto 10° C, uma lontra precisa pegar 100 gramas de peixe por hora para sobreviver. A maioria das espécies caça de três a cinco horas por dia e amamenta até oito horas por dia.

Mas é exatamente aí, na demanda de energia necessária para sua sobrevivência e de filhotes que a lontra acaba se perdendo miseravelmente. Para chegar a essa conclusão, Uma equipe mediu a demanda de energia de lontras jovens no Monterey Bay Aquarium. Combinado com informações sobre o comportamento das lontras selvagens (em especial lontras marinhas), e usaram esses dados para calcular uma estimativa do consumo total de energia das mães.

Esses resultados serviram para explicar o alto número de lontras filhotes abandonadas. Áreas de lontras altamente populosas, como a costa da Califórnia, parecem ser áreas particularmente difíceis para criar jovens, já que a competição por comida é difícil. E em caso de falta grave de comida, abandonar os filhotes permite que as fêmeas façam da sua sobrevivência uma prioridade.

“As fêmeas de lontras marinhas usam uma estratégia de cobertura de risco, se deixam ou não seus filhos após o nascimento com base em fatores fisiológicos, e a melhor decisão pode ser reduzir as perdas”, conclui a cientista que liderava a equipe; “Algumas mães preferem desmamar seus filhotes muito rapidamente, a fim de manter sua saúde e aumentar suas chances de criar um bebê da próxima vez”.

Enorme Gasto Calórico

Como as lontras não têm uma camada de gordura, ao contrário de outros mamíferos aquáticos, as lontras não são bem isoladas contra o frio. Apenas o revestimento à prova d’água lhes dá um isolamento térmico limitado. Como resultado, seu corpo retém pouco calor, forçando-os a consumir o equivalente a 25% do seu peso em comida por dia. Portanto, não é surpreendente que as mães com filhotes precisem de mais comida.

Mas até agora, os especialistas não sabiam quanta comida era necessária para uma mãe e seu bebê. Este novo estudo revelou que as fêmeas com seis meses de idade devem consumir o dobro de comida que as fêmeas sem filhotes. O objetivo delas? Preencher as necessidades de todos os membros da família. E para alcançar este resultado, algumas mamães lontras às vezes passam 14 horas por dia em busca de peixes, caranguejos, estrelas do mar, ouriços do mar ou caracóis.

“Isso mostra o quanto essas mulheres estão lutando por seus pequeninos”, diz uma bióloga da Universidade da Califórnia e principal autora do estudo. “Algumas mães não recebem energia suficiente e acabam perdendo peso”. Enfraquecidas, em más condições físicas, as lontras são, portanto, mais vulneráveis a infecções e doenças. Elas também são mais propensos a abandonar seus filhotes porque não podem mais se sustentar.

Veja também

Alimentação do Tubarão: O Que Eles Comem?

Os hábitos alimentares dos tubarões são muito diferentes se você levar em conta o número …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *