Home / Animais / Polvo Sistema Nervoso: Como Funciona? Eles Podem Sentir?

Polvo Sistema Nervoso: Como Funciona? Eles Podem Sentir?

Polvo quer dizer “muitos pés” e, como o próprio nome diz, eles são animais que possuem 8 braços, que são usados para sua locomoção e ainda possuem autonomia, podendo realizar a amputação espontânea. Os polvos são muito conhecidos também por se camuflar para se esconder do perigo e de predadores, mudando de cor rapidamente.

Realmente o polvo é um animal que vale a pena conhecer. Por isso, a seguir, vamos falar um pouco mais sobre esse animal e também entender como funciona seu sistema nervoso.

Características Do Polvo

O polvo é um animal invertebrado, um molusco marinho. Ele é da ordem Octopoda (oito pés) e da classe Cephalopoda. Ele possui oito braços bem fortes, todos com ventosas e estão localizados em volta da sua boca. Assim como todos os membros da classe dos cefalópodes, o polvo não possui esqueleto, tendo um corpo mole.

Os polvos possuem uma glândula capaz de liberar uma substância que contém melanina e outros compostos. Essa substância é liberada pelo polvo como meio de defesa e trata-se de uma espécie de tinta que confunde a visão dos predadores e também confunde o olfato pois a substância possui cheiro. Eles vivem em todos os mares, podendo habitar águas profundas, águas rasas e ainda o alto mar.

Quanto a sua camuflagem, eles são capazes de mudar de cor, possuindo de dois até quatro pigmentos em seus cromatóforos. Além de mudar de cor, ele consegue flexionar seu corpo podendo imitar um predador, como a moreia. Polvos são animais solitários que podem medir até três metros de comprimento e pesam entre 3 e 40 quilos, conforme a espécie. As maiores espécies são conhecidas como monstros dos mares.

Alimentação E Reprodução

Os polvos são essencialmente carnívoros, se alimentando principalmente de crustáceos, como camarões, caranguejos e lagostas. Eles comem também peixes e algumas espécies praticam até o canibalismo. A maioria das espécies se alimenta a noite, embora algumas se alimentem ao longo do dia.

Seus predadores são tubarões, moreias, raias, mamíferos marinhos, alguns peixes e também o ser humano. Para fugir, ele usa seus meios de defesa, que são a natação rápida, a camuflagem e o jato de tinta, além da capacidade de mudar de cor e contorcer o corpo para imitar outros animais perigosos.

Quanto a reprodução, ela acontece de forma sexuada e se inicia com um ritual de acasalamento que pode durar algumas horas ou até dias. Porém, para que o macho chegue até a fêmea, ela libera uma feromônio sexual na água, atraindo os machos e, desse modo, ela pode ser fecundada por mais de um indivíduo.

Polvo se Alimentando
Polvo se Alimentando

Durante o acasalamento, o macho utiliza um dos braços que é modificado especialmente para garantir que o espermatozoide seja introduzido na fêmea. Após a cópula, a fêmea coloca muitos ovos, milhares deles, em diversos locais que sejam abrigados. Então, a mãe cuida dos ovos até eles eclodirem e logo depois ela morre, visto que não se alimenta durante esse período. Já os machos morrem pouco tempo depois do acasalamento.

Dos ovos nascem larvas, que sobem até a superfície e se alimentam de zooplâncton. Logo, eles vão ganhando peso e tamanho e vão se desenvolvendo até se tornarem adultos e voltar a habitar as águas profundas.

O Sistema Nervoso Do Polvo

O polvo é um animal que possui um complexo sistema nervoso, com órgãos sensoriais bem desenvolvidos. Seu cérebro é subdivido em partes para aprendizagem e para memória, enquanto seus olhos são muito desenvolvidos, permitindo ao animal ter uma visão binocular, podendo formar imagens e distinguir cores.

O polvo tem também neurônios e é muito estudado em cativeiro, devido tamanha inteligência. Isso porque ele é o único invertebrado inteligente e é ainda mais do que alguns vertebrados.

Seus braços fortes são também flexíveis e além de ajudarem o animal a se locomover e se alimentar são também receptores de tensão. Suas ventosas possuem quimiorreceptores e isso permite que o animal possa sentir a textura de um objeto e também o cheiro dele.

Anatomia do Polvo
Anatomia do Polvo

Como seus braços tem uma autonomia neurológica, os polvos apresentam dificuldades de aprender a orientar sua locomoção. Assim, eles não têm uma precisão de onde estão posicionados seus braços. O único meio preciso que eles possuem de sua locomoção e movimentação se dá através da visão.

Os polvos são considerados animais muito inteligentes e parte disso se dá devido a necessidade de o animal sobreviver. Como seu corpo é bastante frágil, sem sequer uma carapaça para protege-lo, certamente seus ancestrais foram desenvolvendo formas de se proteger e fugir de ataques de predadores.

Curiosidades

A inteligência dos polvos é observada por muitos pesquisadores. Um pesquisador disse que construiu uma espécie de robô submarino para acompanhar a movimentação de um polvo. Então, diz ele, que o polvo chegou a se comunicar com o robô e ainda o desmontou, peça por peça. Outro caso observado foi que, em um aquário da Califórnia, os funcionários foram surpreendidos ao chegar e ver que ele estava praticamente vazio. Isso aconteceu porque um polvo curioso desmontou a válvula de reciclagem de água e mudou o cano para fora do tanque, fazendo escoar cerca de 750 litros de água em 10 horas.

Os polvos se destacam perante outros animais por possuírem duas áreas do cérebro especializadas em armazenar memórias e uma outra área dedicada a aprendizagem. Apesar de ter um cérebro bem diferente, essa divisão do cérebro faz com que o polvo se assemelhe ao ser humano.

Em Portugal o polvo é a quarta espécie mais pescada. Entre 2007 e 2009, estima-se que foram desembarcadas mais de 9 mil toneladas de polvo por ano.

Como ele é um animal bem forte, pode causar sérios problemas em aquários sendo muito difícil mantê-lo em tanques.

 

Veja também

Lagarto Chicote- de- Garganta- Alaranjada: Características e Fotos

O lagarto chicote de garganta alaranjada (nome científico Aspidoscelis hyperythrus) é uma espécie nativa do …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *