Home / Animais / Pica Pau do Parnaíba: Características, Habitat e Fotos

Pica Pau do Parnaíba: Características, Habitat e Fotos

Esta espécie foi redescoberta recentemente após 80 anos sem registro e agora foi registrada em vários locais em uma grande variedade. A espécie está listada como ameaçada de extinção, porque acredita-se que tenha uma população muito pequena que se suspeite estar em declínio devido à contínua perda e degradação de habitat.

Pica Pau Do Parnaíba: Características, Habitat E Fotos

O pica pau do Parnaíba é uma espécie de ave piciforme da família de pica-paus (picidae). Está distribuído no nordeste do Brasil e foi considerado por muitos autores como uma subespécie de celeus spectabilis, e posteriormente foi descrito como uma espécie completa.

Mede 27 cm de comprimento e tem cabeça ferruginosa; o macho tem um pomposa pluma vermelha e um cinto de penachos da mesma cor; o pescoço é preto, além do peito e cauda, com asas alaranjadas ferruginosas. A parte superior das costas é amarela com escalas pretas, e parte inferior das costas além de outras partes inferiores com um amarelo mais claro.

O peso é conhecido apenas de um macho que pesava 95 gramas. Estes pica paus são, portanto, quase tão grande quanto o outro com o qual era confundido, mas provavelmente um pouco mais leve. A espécie mostra um dimorfismo de gênero menos claro em termos de cor.

Até 2006, o pica pau do Parnaíba era conhecido por apenas um indivíduo que havia sido coletado em Uruçuí, na província do Piauí, no nordeste do Brasil, em 1926. Após a redescoberta em 2006, a cerca de 350 km do local onde o espécime tipo foi encontrado perto de Goiatins, no estado do Tocantins, havia toda uma série de evidências em outras áreas.

Em 2012, a conhecida área de distribuição passou a abranger uma área do leste do Brasil central, que se estende do estado do Maranhão, no norte, até o Tocantins, incluindo o estado de Goiás, no sul, e uma única ocorrência também no Rio Barreiro, no estado de Mato Grosso. O tamanho da área total de distribuição foi estimada em 806.000 km quadrado em 2012.

O espécime tipo, assim como um indivíduo de 2007, foi coletado na floresta do Cerrado, com florestas de galeria de luz e árvores dominadas por palmeiras de babaçu (attalea speciosa). Nesse habitat, o pica pau do Parnaíba mostra uma estreita conexão com o bambu da espécie guadua paniculata.

Pica Pau Do Parnaíba: População E Ecologia

Vários registros recentes estenderam a faixa conhecida dessa espécie e provocaram um aumento na estimativa populacional da faixa de precaução de 50 a 249 indivíduos maduros. A nova estimativa de 250 a 2.499 indivíduos maduros ainda pode ser conservadora, dada a variedade da espécie, e é necessário um estudo mais aprofundado.

Pode existir uma população de 350 a 4.000 indivíduos no total. Suspeita-se que um declínio não quantificado da população tenha ocorrido nos últimos 15 anos com base nas taxas de perda de habitat e seu desaparecimento conhecido da localidade-tipo.

Pica Pau Do Parnaíba Atrás da Árvore
Pica Pau Do Parnaíba Atrás da Árvore

A espécie parece se especializar na alimentação de formigas encontradas em cana de bambu. Todos os registros recentes dizem respeito a avistamentos de indivíduos solteiros ou pares, com poucos grupos familiares. Outros aspectos dos hábitos da espécie são desconhecidos e parece ocupar um habitat marcadamente diferente de sua espécie irmã, o pica pau celeus spectabilis.

Pica Pau Do Parnaíba: Redescoberta Recente

O pica pau do Parnaíba foi redescoberto em outubro de 2006, após um intervalo de 80 anos desde que o espécime foi coletado em 1926. Foi encontrado durante pesquisas perto de Goiatins, no estado do Tocantins, a 350 km da localidade-tipo em Uruçuí, no estado do Piauí. Visitas repetidas ao local de sua redescoberta identificaram oito indivíduos e outros quatro em um segundo local, e um registro surgiu a partir de 2004 na margem direita do Rio Tocantins, São Pedro da Água Município de Branca, Maranhão.

Em 2007, pelo menos 23 indivíduos diferentes foram observados entre São Pedro da Água Branca, estado do Maranhão, no norte, no município de Dianópolis, no estado do Tocantins, no sul, na Serra da Raposa, no estado do Maranhão, no leste, e nos municípios de Miracema Tocantins, Pium e Miranorte, no Estado do Tocantins, no oeste. Em 2009, foi gravado em mais dois locais no Maranhão, a 200 km ao norte e também no Rio Barreiro, Mato Grosso.

Em julho de 2010, foi gravado na margem leste do Rio Araguaia, próximo a Registro do Araguaia, Goiás, e também foi reportado na Lagoa da Confusão, Tocantins. Três indivíduos foram identificados em coleções do estado de Goiás: dois datam de 1967 e um de 1988. Posteriormente, um par foi encontrado na floresta de galeria na margem esquerda do rio do Ouro, município de Porangatu, no noroeste do estado em 2009. Várias pesquisas não conseguiram localizar as espécies na área onde o espécime tipo foi coletado.

Dado que não foi registrado por muitos anos, supunha-se que tivesse uma população minúscula em uma faixa extremamente pequena. No entanto, registros recentes aumentaram a extensão de ocorrência dessa espécie para cerca de 806.000 km², embora ocorra de forma descontinuada em toda a área. A estimativa da população foi revisada para cima como conseqüência dessas redescobertas mais recentes.

Pica Pau Do Parnaíba: Ameaças a Espécie

As principais ameaças às espécies são provavelmente a perda e a degradação do habitat por meio de incêndios, desenvolvimento de infraestrutura e conversão para a soja. No Tocantins, foi relatado que uma grande expansão no cultivo de eucalipto ocorrendo para atender à demanda pela fabricação de papel, com mais de 1 milhão de hectares de cerrado sendo convertidos em plantações.

Pica Pau Do Parnaíba Voando
Pica Pau Do Parnaíba Voando

Além de eucalipto e de soja, cana de açúcar também é uma cultura importante em Tocantins. A espécie foi redescoberta recentemente durante pesquisas anteriores à construção de um novo trecho da rodovia Belém-Brasília (BR-010). A nova estrada facilitará o acesso à área e a expansão do cultivo de soja provavelmente seguirá.

O habitat preferido (cerrados com pedaços de bambu) é frequentemente queimado para a pecuária; se essa prática destrói o habitat ou ajuda a mantê-lo permanece pouco compreendido; no entanto, a curto prazo, espera-se que a extensa perda de habitat, fragmentação e degradação resultante tenha um efeito negativo sobre as espécies. Apenas cerca de 3% do habitat original desta espécie pode permanecer. Uma nova ameaça em potencial é representada pela construção de barragens para a hidroeletricidade.

Pica Pau Do Parnaíba: Ações De Conservação

Ações de conservação em andamento: a empresa responsável pela construção da BR-010 está apoiando um estudo de monitoramento. A pesquisa continua a elucidar alguns aspectos da biologia da espécie. Pesquisas futuras medirão a faixa de vida das espécies e tentarão estimar a população total considerando a faixa e os habitats adequados. Em 2010, havia planos de etiquetar alguns indivíduos para monitoramento via rádio.

Ações de conservação propostas: realizar pesquisas adicionais para verificar o alcance, o número, as tendências populacionais e as ameaças que as espécies enfrentam. Em particular, fazer um levantamento das áreas protegidas existentes dentro da faixa de espécies (Parque Nacional do Jalapão, Parque Estadual do Jalapão, Parque Estadual do Lageado e Craos da Reserva Indígena) para confirmar sua presença.

Veja também

Planta em Casa

Porque é Importante ter Plantas em Casa?

Para quem gosta de ter um ambiente aconchegante em casa, principalmente para quem trabalha em …

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.