Home / Animais / Pato Mergulhão: Características, Nome Científico, Habitat e Fotos

Pato Mergulhão: Características, Nome Científico, Habitat e Fotos

Você conhece o pato mergulhão? Quer aprender tudo sobre essa famosa e belíssima ave? Continue lendo esse artigo, que ele foi feito exclusivamente para você, para sanar todas as suas dúvidas sobre esse animal tão interessante.

O pato mergulhão tem como nome científico Mergus octosetaceus.  É uma ave endêmica do nosso país. Ela é da família Anatidae, e considerada uma das dez aves aquáticas mais raras do mundo. Inclusive, a sua espécie encontra-se ameaçada de extinção.

Os registros dessa ave foram descritos pela primeira vez no ano de 1817, pelo ornitólogo e naturalista Louis Jean pierre Vieillot.

Habitat do Pato Mergulhão

O habitat mais propício para a vivência do pato mergulhão são as áreas úmidas do Cerrado, principalmente nas áreas próximas aos rios montanhosos. Por possuir um habitat muito específico como esse, é que essa ave não costuma viver em todo o nosso território.

Características do Pato Mergulhão

As características principais dessa ave são as seguintes:

  • Possui um bico fino e longo, com média de 3,2 cm.
  • Asa com 21 cm, e cauda com 10 cm.
  • Possui um tamanho médio de 55 cm.

O pato mergulhão possui uma característica que é bem peculiar quando comparado com outras aves. A estrutura do seu bico possui uma face lateral com pequenas expansões, que se assemelham a pequenos dentinhos.

Essa adaptação do seu bico ajuda bastante no processo de caça dos seus alimentos. O macho dessa espécie tem em sua cabeça um penacho escuro, de um preto esverdeado. A fêmea apresenta um penacho menor, em um tom marrom claro, próximo do chocolate.

Onde o Pato Mergulhão Pode Ser Encontrado?

Não pense que essa ave pode ser encontrada facilmente. A sua ocorrência se dá apenas em alguns poucos locais. Nos estados do Tocantins, Minas Gerais e Goiás é onde essa ave pode ser encontrada com mais facilidade.

Houveram registros dessa ave no passado em outros estados também, como: São Paulo, Paraná e Santa Catarina. Também foram encontrados registros na Argentina e no Paraguai. Porém, ultimamente, não há mais ocorrência do pato mergulhão nessas áreas.

No ano de 2019, foi realizado um novo censo, e foram registrados 25 novos patos mergulhão.

A Serra da Canastra, localizada no sudoeste de Minas Gerais, é o local onde abriga o maior grupo dessa ave. Com cerca de 100 indivíduos, essa região é banhada pelas águas do rio São Francisco, e se torna um ambiente muito favorável à incidência das aves dessa espécie.

Alimentação do Pato Mergulhão

Com relação à alimentação, o pato mergulhão possui um cardápio bem variado. Mas, geralmente, ele se alimenta de pequenos peixes, larvinhas, caracóis e pequenas enguias.

Por ser uma ave aquática, os peixes se tornam um prato muito atrativo para essa ave, sendo o lambari o seu “prato predileto”.

Reprodução do Pato Mergulhão

O pato mergulhão é uma ave monogâmica, e o período em que ocorre a sua reprodução é o que compreende os meses de maio e setembro. A sua ninhada pode ser de até oito ovos branco-amarelados.

O período de incubação dessa ave é de 30 dias. Depois desse período, eles nascem e permanecem na presença dos pais por cerca de cinco a seis meses. Depois de adultos, eles seguem o seu destino longe dos pais.

Os ninhos dessa ave são feitos em brechas de troncos de árvores ou de paredões rochosos.

Filhote de Pato Mergulhão
Filhote de Pato Mergulhão

As Ameaças Para o Pato Mergulhão

A destruição do habitat do pato mergulhão é o principal fator de ameaça para a sua população. Ações humanas como poluição, expansão sem nenhum cuidado da agropecuária, erosão do solo e degradação das bacias hidrográficas são muito prejudiciais para esse animal.

A instalação de usinas hidrelétricas também colabora para a diminuição do habitat dessa ave. É uma pena, já que a ave se encontra ameaçada de extinção.

Ela é uma ave que necessita de linearidade em seu habitat, pois qualquer alteração nele, por menor que seja, poderá prejudicar o seu desenvolvimento, reprodução e perpetuação de sua espécie.

O Instituto Chico Mendes e a Preservação do Pato Mergulhão

Instituto Chico Mendes
Instituto Chico Mendes

No ano de 2017, foi elaborado o segundo ciclo de um plano de ação nacional, que visa auxiliar na preservação do pato mergulhão, orientando e identificando as ações que podem colocar em risco a população do pato mergulhão.

A preservação do cerrado é de extrema importância não apenas para que a população do pato mergulhão permaneça, como também a população de outros animais e vegetais que sejam endêmicos dessa região.

A conscientização do turismo nessas áreas é fundamental, para que o ser humano pare de pensar apenas em si, e entenda que todas as espécies são importantes. E que as suas ações impactam não só todo tipo de população, como também todo o ecossistema.

Curiosidades Sobre o Pato Mergulhão

Como todas as espécies, o pato mergulhão possui algumas curiosidades que o tornam único. Por isso, listamos aqui algumas das principais curiosidades dessa espécie, para ampliar ainda mais o seu conhecimento sobre ela. Confira!

  • O pato mergulhão foi dado como extinto durante as décadas de 40 e 50.
  • Em 2006, o IBAMA (Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e Recursos Naturais Renováveis) fez a divulgação de um plano de conservação para essa ave.
  • O pato mergulhão tem apenas um único parceiro por toda a sua vida, sendo assim uma ave monogâmica.
  • Ele também é conhecido como merganso do Sul, pato mergulhador ou patão.
  • Quando a ave começa a nadar, a sua silhueta é bem baixa. No entanto, quando ela se apronta para voar, ascende uma silhueta grandiosa.
  • Os pés do pato mergulhão possuem um tom avermelhado.
  • O voo do pato mergulhão é baixo, e é feito ao longo do rio, pousando em rochas ou pequenos troncos que são encontrados nas margens.
  • Apesar de poucos indivíduos, trata-se de uma ave que pode ser vista em bandos.
  • Tanto o marreco quanto o cisne são “primos” do pato mergulhão. Apesar de não ter a beleza tão óbvia dos cisnes, é uma experiência única observar o seu voo.
  • A coloração do seu corpo é acinzentada, com as asas brancas e o seu bico escuro.

Essas são apenas algumas das curiosidades sobre esse animal tão lindo!

Veja também

Alimentação do Castor: O que Eles Comem?

Os castores são mamíferos, roedores, de hábitos semi-aquáticos, conhecidos pela curiosa habilidade para construção, inclusive …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *