Home / Animais / Onde Vive o Orangotango de Sumatra? Qual Seu Habitat?

Onde Vive o Orangotango de Sumatra? Qual Seu Habitat?

O orangotango de Sumatra, cujo nome científico é pongo abelii, é a mais rara das três espécies existentes de orangotangos, uma vez considerada uma subespécie (pongo pygmaeus abelii) do orangotango de Bornéu (pongo pygmaeus).

Breve Resumo Descritivo Do Orangotango De Sumatra

Mede 130 a 170 cm, para um peso médio que varia de 50 a 90 kg; em alguns casos excepcionais, foram observados machos grandes pesando 130 kg. A abertura dos braços, medida da ponta de um índice à ponta do outro, é de cerca de dois metros. Essas dimensões o tornam o maior primata asiático (excluindo o homem), bem como o maior macaco arbóreo existente. Os machos são maiores e mais resistentes que as fêmeas (peso médio da fêmea: 30 a 50 kg, peso masculino médio: 50 a 90 kg).

O cabelo é longo e liso, de cor avermelhada: as pernas da frente têm o dobro do comprimento das traseiras, além de serem mais robustas e musculosas. Comparados aos orangotangos de Bornéu, esses animais têm uma constituição mais esbelta, com cabelos mais longos e cores mais claras, além da presença de uma barba grisalha em ambos os sexos, mas muito mais longa e mais espessa nos machos.

Onde Vive O Orangotango De Sumatra? Qual Seu Habitat?

Atualmente, a distribuição desses animais é limitada a uma série fragmentada de áreas de floresta tropical na ponta norte da ilha de Sumatra, na Indonésia: restos fósseis indicam sua distribuição passada, bem como em toda a ilha, também na vizinha Java. Prefere áreas entre 200 e 1000 m de altitude, mas também pode ser encontrada a 2.000 m. Historicamente, os orangotangos de Sumatra e Bornéu eram considerados subespécies de pongo pygmaeus.

Revisões taxonômicas recentes apoiam a aceitação do orangotango de Sumatra (pongo abelii) como distinto de seu parente de Bornéu (pongo pygmaeus). Essa classificação já foi amplamente adotada e um estudo recente propôs que a população de Batang Toru é uma espécie separada (pongo tapanuliensis) e, portanto, essa avaliação não inclui os orangotangos nessa área. Devido aos altos níveis de conversão e fragmentação de habitats e matança ilegal, estima-se que pongo abelii tenha experimentado uma redução significativa da população nos últimos anos.

Os dados de perda florestal indicam que o habitat florestal principal do orangotango de Sumatra (abaixo de 500 m de altitude) foi reduzido em 60% de sua área entre no final do século 20 e início do século 21. Pensa-se que essa redução continuará à medida que as florestas dentro da faixa de espécies permaneçam sob considerável ameaça. Áreas significativas da região do orangotango estão seriamente ameaçadas pela exploração madeireira, concessões de mineração e plantações agrícolas, enquanto novas estradas estão sendo continuamente cortadas pelo habitat.

Status Da População De Orangotangos

Mesmo em áreas formalmente protegidas, os orangotangos continuam ameaçados pela conversão de florestas em plantações, assentamentos ilegais e invasões. Além disso, um plano espacial ilegal de uso da terra que está sendo implementado pelo governo da província de Aceh ignora o status do Ecossistema Leuser como uma ‘Área Estratégica Nacional’, designada por sua função ambiental.

Além disso, a modelagem baseada em diferentes cenários de uso da terra e seus prováveis impactos prevê que aproximadamente 4.000 orangotangos de Sumatra poderiam ser perdidos até 2030 como consequência direta desse plano espacial e desenvolvimentos relacionados, e que em 2060 poderia haver um declínio de 81% da população em comparação com a população em 1985.

Orangotango de Sumatra no Chão
Orangotango de Sumatra no Chão

Devido à sua história de vida lenta, com um tempo de geração de pelo menos 25 anos, as populações de orangotango de Sumatra são incapazes de sustentar a perda substancial e contínua de indivíduos. Se a taxa de declínio observada desde 1985 e prevista continuar inabalável, a queda da população excederá 80% em um período de três gerações (ou seja, 75 anos de 1985 a 2060), portanto, qualificando pongo abelii como criticamente em perigo de extinção.

Pongo abelii é endêmico da ilha de Sumatra, na Indonésia. É restrito ao norte da ilha, com seu limite sul sendo o rio Simpang Kanan e afluentes na costa oeste e o rio Asahan na costa leste, e seu limite norte coincidindo principalmente com a fronteira norte do ecossistema Leuser na província de Aceh. Hoje, a maioria dos orangotangos de Sumatra (82,5%) é encontrada na província de Aceh, no extremo norte da ilha.

Existem populações na província de Sumatra do Norte, mas a maior delas, nas regiões sul e leste do ecossistema Leuser, fica na fronteira com Aceh. Apesar de algumas áreas menores de floresta ao sul do Ecossistema Leuser parecerem ainda hospedar populações de orangotangos, apenas uma população inteiramente de Sumatra do Norte é considerada viável a longo prazo, a saber, a população de Pakpak Barat. As densidades de orangotango de Sumatra diminuem com a altitude crescente e acredita-se que há poucas populações, se houver alguma, em residências em florestas acima de 1.500 m de altitude.

As Ameaças Aos Orangotangos De Sumatra

Orangotango de Sumatra se Alimentando
Orangotango de Sumatra se Alimentando

A sobrevivência do orangotango de Sumatra está seriamente ameaçada pela perda e fragmentação de habitats. As florestas continuam sendo desmatadas em larga e média escala para plantações de dendezeiros que podem cobrir centenas de quilômetros quadrados. Em menor escala, a extração de madeira (legal e ilegal) continua sendo uma ameaça, assim como a criação de novas estradas, que fragmentam as populações e dão acesso a assentamentos ilegais e invasões adicionais à agricultura e plantações (também freqüentemente ilegais), e caçadores de animais selvagens.

Quando as plantações industriais são estabelecidas, os orangotangos residentes são forçados a procurar refúgio em fragmentos florestais adjacentes, se houver algum, mas a longo prazo eles provavelmente sucumbirão à desnutrição e à fome devido à competição e recursos limitados. Esses fragmentos florestais também são frequentemente limpos posteriormente. Os orangotangos de Sumatra são freqüentemente mortos deliberadamente, completamente ilegalmente, e os bebês sobreviventes acabam em um comércio ilegal de animais de estimação.

Esse comércio tende a ser um subproduto da conversão de habitat, por exemplo, se um orangotango for encontrado em um trecho isolado de árvores durante o processo de conversão, há uma alta probabilidade de que ele seja morto. Os orangotangos de Sumatra também são mortos regularmente em situações de conflito entre seres humanos e animais selvagens, por exemplo, se invadir colheitas de frutas em terras agrícolas na margem da floresta. De longe, a maior ameaça atual ao orangotango de Sumatra vem de um plano espacial de uso da terra ratificado pelo governo da província de Aceh.

A conservação do ecossistema Leuser é obrigada pela lei especial de autonomia de Aceh devido a sua designação como Área Estratégica Nacional por sua função ambiental (que exige sua inclusão e consideração especial em todos os níveis do planejamento espacial). É ilegal capturar, ferir, matar, possuir, manter, transportar ou comercializar um orangotango de Sumatra. Mas, assustadoramente, o atual plano espacial de Aceh ignora completamente a existência do ecossistema Leuser.

O Plano Espacial Provincial de Aceh permite que grandes extensões do habitat do orangotango de Sumatra sejam designadas para novas plantações e concessões de madeira e mineração, e levarão a que muitos outros orangotangos de Sumatra sejam perdidos nos anos seguintes. O plano existente também legitima efetivamente numerosas estradas cortadas ilegalmente pela floresta, que fragmentam ainda mais as populações de orangotangos e fornecem ainda mais acesso à caça e invasão.

Veja também

Alimentação do Pastor-da-Anatólia: O que Eles Comem?

O cão pastor da Anatólia é originado no quadrante menor da Ásia na Turquia. Eles …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *