Home / Animais / Marreco: Reino, Filo, Classe, Ordem, Família e Gênero

Marreco: Reino, Filo, Classe, Ordem, Família e Gênero

Os marrecos são da espécie anas platyrhynchos domesticus, e são descendentes do pato real, tendo seu processo de domesticação na China.

As principais raças de marrecos são o Rouen, corredor indiano e o Pequim. Mas existem ainda muitas outras raças dentro dessa espécie, porém menos conhecidas.

Geralmente, as pessoas confundem os marrecos com patos devido à grande semelhança física, mesmo que os marrecos sejam menores, possuindo entre trinta e cinco e cinquenta centímetros.

Marreco Colorido
Marreco Colorido

Marrecos originam-se do hemisfério norte, e são muito mais barulhentos do que os patos do mato ou os patos domésticos. O seu macho ainda possui uma característica única: na cauda, ele possui uma pena encaracolada que forma algo semelhante a um cachinho para cima.

Normalmente, essas aves são criadas em cativeiro para que se tenha aproveitamento da carne, ovos e também de suas penas e plumas. Além de seus dejetos, que podem ser utilizados como uma espécie de adubo.

Na parte sul do Brasil, a carne é muito apreciada e existe até mesmo uma festa gastronômica. Na culinária, ele é um prato típico de origem alemã, recheado com repolhos roxos, e originando a festa nacional do marreco no sul.

Alimentação dos Marrecos

A ração deve ser balanceada e utilizada por três ou quatro vezes durante o dia, garantindo uma boa nutrição dos animais na criação dos marrecos. O complemento da alimentação é feito através de hortaliças, tais como folhas verdes, frutas, legumes e também farelos.

Adição de alguns pedriscos aos alimentos ajuda o animal na trituração e digestão da comida também. É importante nutrir o animal de criação de forma correta para evitar danos a sua saúde, e também em sua produção.

Hábitos

Um hábito dos marrecos é o de comer e beber ao mesmo tempo, por isso é importante que, no caso das criações para produção os animais, tenham os bebedouros longe da comida, para evitar a formação de sujeiras e acúmulo de microrganismos, que podem fazer mal aos animais. Além de desperdício da ração também.

Criação de Marrecos

Para sua criação em cativeiro, os machos e fêmeas não podem ser consanguíneos, para que se evite a má formação dos filhotes. Esse tipo de criação é relativamente simples e pode ser muito rentável, já que estes animais vivem bem em sítios, chácaras, quintais e fazendas, sendo necessária a presença de um lago, ou de um pequeno tanque.

O marreco de Pequim é considerado um animal de fácil criação, e apresenta um crescimento acelerado e também carne de qualidade.

Casal de Marrecos
Casal de Marrecos

São animais ovíparos, como as outras aves. Além disso, eles convivem bem com outros animais como patos, cisnes gansos e galinhas.  Inclusive, pode-se criar esses animais de forma conjunta, se houver espaço suficiente para todas as aves.

Normalmente, o criador de marrecos separa uma área com um lago, e cria junto outras aves como patos, perus, galinhas, gansos, cisnes entre outras aves domésticas. O espaço utilizado pode ser o mesmo, e os cuidados são praticamente iguais. Além do mais, a alimentação também é a mesma.

Reprodução de Marrecos

Como todas as aves, esse animal é ovíparo e seu tempo de incubação de ovos é de quatro semanas, são animais carinhosos e gostam de ficar próximos do seu par.

São animais que iniciam cedo a sua fase de reprodução, já que com seis a oito meses de vida já estão prontos para iniciarem um ciclo reprodutivo, e darem origem aos seus ovos.

Marrecos no Lago
Marrecos no Lago

A cada ano, a estimativa de ovos postos por cada fêmea é de 180 ovos. Mas isso pode varias de acordo com sua alimentação. Alguns fatores fazem a produtividade cair como, por exemplo, se as refeições forem à base de restos de comida e de milho.

Portanto, não se deve deixar faltar todos os componentes necessários para que o animal viva com qualidade, e produza com qualidade também. A melhor época para a postura dos ovos na criação é a primavera. A raça Pequim apenas deixa de produzir ovos na época de troca de penas. E, para que a produção seja boa, o ideal é que se tenham chocadeiras elétricas, pois a marreca não se dedica a chocar seus ovos sempre.

Características dos Marrecos

Os marrecos são praticamente os irmãos gêmeos dos patos, apesar de serem menores e atingirem no mínimo, 35 cm, e no máximo 50 cm. Os patos e marrecos se diferenciam dos gansos quando estão em pé, já que os dois primeiros mantêm seu corpo na horizontal em relação ao chão. Já os gansos ficam numa posição vertical.

Curiosidades

Marrecos no Lago
Marrecos no Lago
  • O marreco vive muito, podendo chagar a 20 anos.
  • Esses animais chegam à maturidade sexual ao completarem dois anos de idade. A fêmea tem capacidade de botar entre 5 e 12 ovos. Além disso, o período de incubação pode durar cerca de 29 dias.
  • Os marrecos, esses vivem em duplas, entre outubro e novembro. E dessa formam eles permanecem até o final assim até o final da época destinada à reprodução.
  • Depois da época de acasalamento, os machos permanecem afastados dos patos. Assim, eles se misturarem com outros patos posteriormente, para fazerem a muda. Assim, as fêmeas terão que cuidar de seus filhotes sozinhas.
  • A fêmea tem a capacidade de botar até o equivalente à 50% do peso do seu corpo em ovos.
  • As fêmeas procriam, normalmente, próximo do local em que foram chocadas.
  • Antes de darem início à migração, esses animais acumulam gordura. Pois, durante a migração, eles perdem muito peso, variando entre 20% a 50%. E isso em apenas 1 migração.
  • Além disso, os marrecos são animais onívoros. O que quer dizer que eles se alimentam de substância animal e vegetal. Ademais, eles ainda podem comer insetos, animais invertebrados, alguns vermes, animais aquáticos, insetos, além de moluscos, larvas, crustáceos e, dependendo da oportunidade, até mesmo peixes e anfíbios também.
  • Esses animais são considerados como verdadeiros migrantes. Assim, antes do acasalamento, a migração acontece em locais direcionados à invernada, principalmente na África Tropical – entre agosto e setembro.
  • No entanto, uma parte menor dessa espécie vive na Europa. Sendo assim, ela percorre pela bacia do mediterrâneo. E lá permanecem durante o período do inverno.

Veja também

Comportamento do Vombate, Hábitos e Modo de Vida do Animal

Você já ouviu falar do vombate? Caso não, pode ficar tranquilo. Este animal não é …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *